Cinema

Publicado em 08/02/2013 às 13:02

O Planeta dos Macacos, clássico da ficção científica, completa 45 anos

planeta11 O Planeta dos Macacos, clássico da ficção científica, completa 45 anos

A estreia foi em 8 de janeiro de 1968 e O Planeta dos Macacos é um marco da ficção científica no cinema. O filme não só resgatou um gênero que estava abandonado naquela época como também mostrou que esse tipo de produção poderia ser um sucesso. O longa não fica restrito à pura diversão e era uma crítica contundente ao momento vivido pela sociedade no final dos anos 60 e, de uma maneira geral, serve também para os nossos dias, com as diferenças sociais e políticas que nos cercam.

Em 1968, o nível de confronto entre brancos e negros era algo enorme e O Planeta dos Macacos retrata um pouco disso, numa metáfora que mostra todo o separatismo da época, só que às avessas. Na história vemos Charlton Heston como o Comandante Taylor. Ele é um astronauta e, a bordo de uma nave espacial, vai com sua equipe para um planeta distante. Chegando lá, descobre que o lugar é comandado por macacos inteligentes e que os humanos é que são os primitivos. Logo Taylor é capturado para ser estudado e nota-se que ele é diferente dos outros espécimes locais. É mais inteligente. Tudo fica ainda mais tenso quando o astronauta finalmente consegue falar, coisa que não havia feito ainda por estar ferido, e solta a frase clássica “tire suas patas fedorentas de cima de mim, seu maldito macaco sujo!”. Ele havia se tornado um prisioneiro e estava nas mãos de dois cientistas, os chimpanzés Cornelius, interpretado por Roddy McDowall e Zira, vivida por Kim Hunter.

Por esse seu ato de revolta, os orangotangos, os sábios locais, condenam Taylor a ser lobotomizado, mas ele consegue fugir. No final da história, o humano descobre que não está num outro planeta, mas sim na Terra, só que num futuro distante, no ano 3.978. Depois dos homens destruírem o mundo, os macacos surgiram como a nova raça dominante. É um final estarrecedor e capaz de deixar qualquer um boquiaberto.

O Planeta dos Macacos foi um grande sucesso de bilheteria e gerou uma febre em torno dos símios. O êxito inicial fez surgir mais quatro filmes e dois seriados de TV, sendo um deles em animação. Tim Burton fez um reboot em 2001 mas não deu certo e a aceitação foi baixíssima, o que inviabilizou possíveis sequências. Em 2011 saiu Planeta dos Macacos: A Origem, com uma história que se passa antes do que foi visto no longa de 1968. E virá pela frente mais um filme, continuação de A Origem, que foi bem aceito por públio e crítica.

Tudo isso é fruto do ótimo trabalho feito pela Fox em 1968. Com um roteiro espetacular, bons atores e uma história surpreendente, O Planeta dos Macacos é um clássico insuperável da ficção científica, daqueles que continuam reverberando até hoje na ficção científica. Basta dizer, por exemplo, que após esta produção e de suas continuações, surgiram novas sagas do mesmo gênero como Star Wars, Alien e outras mais recentes. Vale a pena ser visto e revisto.

Imprimir:
Comente

"O Planeta dos Macacos, clássico da ficção científica, completa 45 anos"

8 de February de 2013 às 13:02 - Postado por Odair Braz Junior

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com