anittavale Quem disse que Anitta não pode ser a mulher do ano?

Anitta em cena de um de seus mais recentes clipes (Foto: Reprodução)

Dias atrás a revista GQ anunciou sua lista de personalidades de 2017. Estão lá todas as categorias e uma delas é a de Mulher do Ano, que foi vencida por Anitta. Muita gente, especialmente na internet, achou o fato estranhíssimo. É só procurar nas redes que você acha posts de pessoas revoltadas com a escolha. Em geral, o argumento é "como pode? Anitta? Com tanta mulher importante por aí?". Outro discurso é "como assim Mulher do Ano alguém que fica por aí rebolando a bunda?".

Ora, que tal elevar o nível das reclamações? Você pode até não gostar de ver Anitta como a mulher do ano, mas será que os motivos para isso não estão meio errados? Só porque ela rebola e canta músicas que muitos consideram fúteis não significa que não possa estar onde está. E sua trajetória pessoal mostra muito bem que ela pode ser mulher do ano e, quiçá, até da década, se for o caso. E poderia chegar a este posto em qualquer país do mundo exclusivamente por força de seu trabalho.

Só pela sua história, Anitta poderia estar em qualquer lista de melhores. É uma artista que veio do nada, era pobre, marginalizada, gente como a gente. Foi descoberta, mostrou talento para a dança, para a criação de hits e para gerir  a própria carreira, como uma self-made woman. Lança um sucesso atrás do outro e, mais que isso, mostra uma capacidade gigantesca de ser relevante e de chamar atenção para si mesma. Dá para contar nos dedos das mãos artistas com todas essas habilidades. Brasileiros, então.

Será que se Anitta fosse um expoente da alta MPB, digamos, uma cantora de Bossa Nova e que atraísse as pessoas pela "qualidade" de sua música, seria tão contestada assim? Talvez a história fosse outra se mostrasse em suas canções influências mais "nobres", como um tiquinho de Chico Buarque aqui, um Caetano Veloso ali e uma Elis Regina acolá. Mas como é do povão, do funk, do morro, passa a ser contestada como nunca. Nos anos anteriores, essa mesma premiação elegeu mulheres como Isis Valverde, Tatá Werneck, Maria Casadevall e Grazi Massafera. Alguém aí lembra aí dessa gritaria que temos agora contra Anitta?

"Ah, mas tem mulher muito mais importante que a Anitta por aí para ser premiada". Deve ter mesmo. Mas a premiação foi de uma revista masculina e que trata muito desse universo do glamour, pessoas badaladas e coisas do tipo. Acha mesmo que iriam eleger quem? Hillary Clinton?

http://r7.com/kI96