TV

Publicado em 05/04/2014 às 11:51

José Wilker está nas minhas melhores lembranças televisivas

roque José Wilker está nas minhas melhores lembranças televisivas

José Wilker como Roque Santeiro (Foto: Divulgação/Globo)

Uma das minhas novelas favoritas em todos os tempos é, sem dúvida, Roque Santeiro. Foi ao ar pela Globo, entre 1985 e 1986 e é um clássico conhecido por praticamente todos os brasileiros, um sucesso enorme para a época. E José Wilker foi um dos protagonistas ao lado de Lima Duarte e Regina Duarte, que interpretaram Sinhozinho Malta e Viúva Porcina, respectivamente. Zé viveu Roque, personagem misterioso que dava nome à trama.

Foi um momento sensacional da TV e Wilker interpretou com extrema competência o personagem. Além do mistério, o ator também dava humor a Roque e este foi um de seus personagens mais marcantes. Mas houve outros, como o Tiago, de Transas e Caretas (1984); o Delmiro, de Renascer (1993), mais recentemente foi o Zeca Diabo, na minissérie O Bem Amado (2011) e vários e vários outros.

Seu último trabalho na TV foi na novela Amor à Vida.

Imprimir:

TV

Publicado em 19/03/2014 às 12:56

Funcionário invade o Jornal da Globo ao vivo

Televisão ao vivo é isso aí. No encerramento da edição desta terça-feira (18), um funcionário da Globo entrou em cena achando que o programa já havia terminado. Sem jeito, pediu desculpas com um gesto e voltou. Acontece, né?! Tomara que não seja mandado embora. Assista:

Ops! Estagiário invade Jornal da Globo ao vivo por thevideos no Videolog.tv.

Imprimir:

TV

Publicado em 13/03/2014 às 08:56

Rodrigo Bocardi, do Bom Dia SP, usa bordão de Marcelo Rezende

rodrigo Rodrigo Bocardi, do <i>Bom Dia SP</i>, usa bordão de Marcelo Rezende

Rodrigo no momento em que soltou a famosa frase (Foto: Reprodução/Globo)

Quem assistiu ao Bom dia SP na manhã desta quinta (13), viu o apresentador Rodrigo Bocardi usar uma frase engraçada. Após uma reportagem sobre vazamento de água num bairro de São Paulo, o jornalista chamou o espectador a escrever para o programa caso tivesse algum problema acontecendo em sua região.

Foi neste momento que Bocardi soltou um bordão conhecidíssimo de Marcelo Rezende, apresentador do Cidade Alerta, da Record: o jornalista tascou um "e aí eu te pergunto!". Foi muito engraçado porque Rodrigo usou até a entonação parecida com a de Rezende.

Claro que Bocardi não fez isso por maldade ou para ser espertão. Mas é que é já um bordão famoso, o Pânico, por exemplo, usou isso muito com o Carioca e seu personagem Marcelo Sem Dente. De qualquer maneira, ficou divertido.

Imprimir:

Cinema

Publicado em 04/02/2014 às 10:16

Ricardo Macchi, o Cigano Igor, chama Philip Seymour Hoffman de imbecil

ciganonovo1 Ricardo Macchi, o Cigano Igor, chama Philip Seymour Hoffman de imbecil

Ricardo na época em que era o Cigano Igor

Você sabe que o ator americano Philip Seymour Hoffman morreu no último domingo, vítima de provável overdose de heroína. Hoffman era considerado um dos melhores atores de sua geração e um dos melhores em atuação na atualidade, ganhador de Oscar e tudo mais. Mas mesmo assim ainda há quem decida criticar. E este é o caso de Ricardo Macchi, que ficou famoso por sua canastrice como Cigano Igor numa novela da Glória Perez. Veja só o que ele escreveu em seu perfil no Facebook:

“Fico puto com pessoas que jogam suas vidas e chances no lixo! Quem da eu ter tido a chance deste imbecil em ter podido cursar uma faculdade de arte cênica, ter entrado para Hollywood como protegido, ter ganhado vários papéis maravilhosos de presente depois de bem preparado e ter ganhado um Oscar e se tornado queridinho da Academia!”.

E não contente com isso, ainda disse mais: “Ficam todos babando ovo do queridinho sem falar que o cara se perdeu nas drogas e jogou uma vida brilhante no lixo! Que papo de otário essa história de droga! Qualquer droga! Papo de otário! No sábado havia escrito sobre drogas !
DROGA É PRA PERDEDOR ! VENCEDOR NA VIDA NÃO USA DROGA ALGUMA."

O que dizer, né?! A única coisa que dá para falar é que você não pode julgar, Macchi. Muito feio isso e ninguém sabe o que se passava na vida de Philip ou mesmo em sua cabeça. Só dá para lamentar uma atitude deste tipo. Chamar alguém com estes problemas e já morto de "imbecil" é algo que não se faz. Mas esperar o que do ciganão, né?!

Imprimir:

Cinema

Publicado em 02/02/2014 às 17:41

Philip Seymour Hoffman podia fazer qualquer tipo de papel

 Philip Seymour Hoffman podia fazer qualquer tipo de papel

Ele tinha apenas 46 anos e já era considerado um dos grandes atores de sua geração. Philip Seymour Hoffman era muito versátil e conseguia atuar em qualquer tipo de filme e fazer qualquer tipo de personagem.

Sua carreira começou em 1991 com uma pequena participação na série Lei e Ordem. Daí para chegar ao cinema foi um pulo e passou a atuar em filmes como Twister (1996), Boogie Nights (1997), O Grande Lebowski (1998), entre outros. Geralmente eram papeis menores, mas suas atuações deixavam claro que era um ator diferenciado.

Seu grande salto na carreira foi no papel de Truman Capote no filme Capote, de 2005. Foi muito premiado por seu trabalho e ganhou o Oscar de Melhor Ator por este papel. Sua interpretação do escritor não deu chance para a concorrência e sua vitória era apenas questão de esperar a cerimônia de entrega da estatueta. No ano seguinte, mostrando que não tinha preconceito com nenhum gênero, viveu um vilão ameaçador em Missão Impossível 3, ao lado de Tom Cruise.

Recentemente, pode ser visto em Jogos Vorazes: Em Chamas (2013). Estará ainda em Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1, que sai este  ano. Estava também nas filmagens de Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 2, que sai em 2015.

 

Imprimir:

TV

Publicado em 14/01/2014 às 13:14

“Breaking Bad” é legal por que…

breakingbad Breaking Bad é legal por que...

Os protagonistas de Breaking Bad

Nesta terça (14) estreia Breaking Bad na Record, da qual sou fã confesso. Então, resolvi listar alguns motivos por que gosto tanto da série:

1) O roteiro - É uma das coisas mais bem escritas de que se tem notícia. Não há furos, não há erros, é muito criativo, há viradas sensacionais e um detalhe aparentemente sem explicação que acontece em uma temporada se reflete numa outra lá na frente.

2) O protagonista - Walter White é um vilão? Ele é mau? Ou está apenas querendo proteger sua família? O protagonista da série, interpretado por Bryan Cranston é um professor de química que descobre ter câncer. Assim, toma uma decisão extrema e passa produzir droga para conseguir juntar muito dinheiro. Este caminho faz que ele tenha atitudes reprováveis e erradas. Apesar disso, você não consegue deixar de torcer por ele.

3) O criador - Breaking Bad foi criada por Vince Gilligan e isso foi um dos elementos da série que me chamaram a atenção. Como ele trabalhou na série de Fox Mulder e Dana Scully durante muito tempo, achei que poderia ter algo bom nas mãos com Breaking Bad.

4) O parceiro - Jesse Pinkman é o ajudante de Walter White na série. Interpretado por Aaron Paul, o personagem é um dos mais divertidos e estranhos das séries de TV. Walter e Jesse formam uma dupla dinâmica às avessas e a ligação entre os dois é algo sensacional de se acompanhar ao longo das cinco temporadas.

5) Alto nível de realismo - Gosto muito de vários gêneros de séries e Breaking Bad está no espaço reservado para as que são muito realistas. O seriado é muito firmemente focado em coisas que podem acontecer na vida de verdade. As atitudes dos personagens se refletem no seu dia a dia e tudo tem causa e efeito.

 

 

Imprimir:

Cinema

Publicado em 01/12/2013 às 09:24

Paul Walker é vítima de ironia máxima do destino

paulwakerblog 1024x679 Paul Walker é vítima de ironia máxima do destino

Paul Walker e um dos carrões de Velozes e Furiosos

Ainda que não fosse Paul Walker quem estivesse dirigindo, é impossível não notar a ironia no acidente que matou o ator, neste sábado (30), em Los Angeles (EUA). Walker ficou famoso após protagonizar os filmes de Velozes e Furiosos, nos quais sempre apareceu dirigindo veículos superpotentes.

Paul Walker começou a carreira de ator bem cedo, aos 13 anos no filme O Monstro do Armário. Daí em diante fez pequenas participações em vários seriados, geralmente em apenas um único episódio. Por volta de 1998, sua carreira se voltou definitivamente para o cinema em produções como Os Irmãos Id & Ota, A Vida em Preto e Branco, Ela É Demais, Sociedade Secreta, entre outros. No ano 2000, foi um dos protagonistas, ao lado de Vin Diesel, do primeiro Velozes & Furiosos, franquia que o tornaria famoso. Paul não atuou apenas no terceiro longa da série e, atualmente, estava filmando a sétima parte.

Walker não era exatamente um grande ator. Na verdade era até um pouco canastrão, mas cumpria bem o que se esperava dele na tela. Não ganhou grandes prêmios na carreira, mas era um sujeito simpático e muito querido por seus colegas. Walker também era conhecido por sua grande generosidade e apego a causas humanitárias. Além disso, também se distanciava de vários de seus colegas ao não integrar o time dos badaladinhos de Hollywood, preferindo ser mais discreto e reservado, algo pouco comum no mundo artístico.

Sua morte lembra muito a de James Dean. Ambos morreram a bordo de um carro da mesma marca, o de Dean era um Porsche 550 Spyder. Mas neste caso, era o próprio James quem dirigia. Outra coincidência: em Juventude Transviada, Dean era um jovem que participou de racha com um carro veloz. Ironias e coincidências.

Imprimir:

Cinema

Publicado em 13/11/2013 às 14:58

Pior que “Crepúsculo”, só “50 Tons de Cinza”

cinquenta 225x300 Pior que Crepúsculo, só 50 Tons de Cinza

O casal protagonista do filme

O mundo do cinema está mesmo perdido quando uma coisa como a adaptação do livro 50 Tons de Cinza é capa da Entertainment Weekly. A impressão que dá é que está todo mundo muito afoito para ver a pegação sem fim do casal. Se A Saga Crepúsculo, também inspirada em livros, já era de doer, imagine esta nova produção. Pelo menos, os longas com Robert Pattinson e Kristen Stewart tinham vampiros e lobisomens, o que sempre anima o ambiente. Agora este 50 Tons é um casal que fica transando o livro todo. Uma bobagem.

Mas, se depender da expectativa, o sucesso parece estar garantido. O que é uma pena, já que os livros são altamente ruins, mal escritos e com uma história boba. Só que todo mundo parece estar bem afoito para assistir à pegação do casalzinho. Pode ter certeza: 50 Tons de Cinza vai lotar salas de cinema, mas a ruindade está garantida. Não há como salvar uma bobagem que é ruim já na origem. É como Crepúsculo, em nenhum momento os filmes dos vampiros são bons. É sempre de médio para baixo.

50 Tons de Cinza terá direção de Sam Taylor-Johnson, que não é uma diretor experiente. Seu único longa-metragem é O Garoto de Liverpool, de 2009, e que é apenas bom. O elenco tem Jamie Dornan como Christian Grey e Dakota Johnson como Anastasia. Estreia em 2014.

Imprimir:

Cinema

Publicado em 12/11/2013 às 13:01

Angelina Jolie é a bruxa malvada no primeiro pôster de “Malévola”

Esse filme está em produção há bastante tempo e finalmente agora saiu o primeiro pôster. Veja aí Angelina Jolie:

angelina Angelina Jolie é a bruxa malvada no primeiro pôster de Malévola

O filme é uma nova versão de A Bela Adormecida, adaptação do conto de fadas que fez muito sucesso num longa-metragem animado da Disney. A novidade aqui é que a história será contada sob o ponto de vista de Malévola, a vilã que maltrata a garotinha.

Malévola (Maleficent, em inglês) é mais um filme em que a Disney retrabalha seus clássicos para um novo público. Fez isso com muito sucesso em Alice no País da Maravilhas, em 2010, com direção de Tim Burton.

Além de Angelina Jolie, também estão no elenco Juno Temple, Elle Fanning, Peter Capaldi etc. A estreia no Brasil é em 30 de maio de 2014, junto com os Estados Unidos.

 

 

 

Imprimir:

Cinema

Publicado em 05/11/2013 às 14:32

Wolverine terá mais um filme solo

logan Wolverine terá mais um filme solo

Wolverine terá mais uma chance no cinema

Tinha gente duvidando que Wolverine voltaria ao cinema em um terceiro filme solo, mas vai acontecer: o diretor James Mangold já negocia com a Fox para trabalhar nesta continuação — ele dirigiu Wolverine Imortal — só que desta vez como roteirista. Ainda não há detalhes de como será e nem se Hugh Jackman retorna ao papel, embora seja pouco provável que isso não aconteça.

O personagem já esteve sozinho no cinema em 2009 e agora em 2013. A primeira vez foi uma tragédia, apesar do sucesso de bilheteria. A segunda vez, já com Mangold na direção, melhorou muito, mas não dá para dizer que é um dos melhores do ano.

Vamos aguardas as novidades.

Imprimir:
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com