Posts de: 15/11/2016

Sim, nesta vida: O verdadeiro Guns ‘N Roses está de volta

 

Guns N Roses SP Sim, nesta vida: O verdadeiro Guns N Roses está de volta

Guns 'N Roses em São Paulo: Ao final do show, homenagem a Leonard Cohen (Reprodução Instagram Guns 'N Roses)

Em abril de 2012, o vocalista Axl Rose foi surpreendido por um exército de paparazzi quando saia calmamente do luxuoso hotel Chateau Marmont, em Sunset Boulevard, coração de Los Angeles. Acompanhado pela cantora Lana Del Rey, sua namorada na época, Axl teve tempo – e paciência – para responder a apenas uma questão vociferada pelos fotógrafos carniceiros de plantão: “Alguma chance de fazer uma turnê reunindo a formação original do Guns ‘N Roses, Axl?” A resposta do vocalista foi incisiva: “Not in this lifetime” – expressão que pode ser traduzida como “não nesta vida”.

A turnê oficialmente (e ironicamente) batizada de “Não Nesta Vida” chegou a São Paulo na última sexta-feira, dia 11 de novembro de 2016 - portanto, felizmente, "nesta vida". Axl Rose, o guitarrista Slash e o baixista Duff McKagan, os principais membros da formação original do Guns ‘N Roses, dividem o palco pela primeira desde 1993 – apenas seis anos depois da banda explodir no cenário mundial e revolucionar o rock com o lendário álbum ‘Appetite for Destruction’, de 1987.

Ver o Guns ‘N Roses ao vivo é uma experiência inesquecível. Claro que os shows da turnê ‘Chinese Democracy’, que tinha apenas Axl da formação original, foram muito bons (Veja aqui como foi o show de 2010 e aqui o de 2009) . Aliás, mesmo sendo excelente, o álbum foi criticado por muita gente que nem chegou a ouvi-lo apenas porque demorou muito tempo para ser concluído. Sim, foi tempo demais, mas isso não deveria impedir as pessoas de ouvir o disco com atenção quando ele finalmente saiu. Esta turnê com a formação original traz inclusive três músicas deste disco que não deixam nada a desejar ao repertório antigo:‘Chinese Democracy’, ‘Better’ e ‘This I Love’. É claro, no entanto, que o público quer mesmo é ouvir as músicas "das antigas" – e em ‘Welcome to the Jungle’, ‘Sweet Child O’Mine’ e ‘Civil War’ o Guns mostra por que foi e é uma das maiores bandas de rock da história.

Mas é claro que show do Guns tem que ter alguma polêmica. Em ‘Civil War’, Axl deu uma cutucada no presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump. Axl trocou um trecho da letra e incluiu o nome de Trump como um ‘fomentador do medo’. A letra era assim: “Look at the hate we’re breeding/ Look at the fear we’re feeding” (Algo como “Olhe o ódio que estamos gerando/ Olhe o medo que estamos alimentando”) e com a mudança ficou assim: “Look at the hate we’re breeding/Look at the fear Trump’s feeding” (“Olhe o ódio que estamos gerando/ Olhe o medo que Trump está alimentando”).

Há um episódio de 1992 que vale a pena lembrar, apenas por curiosidade, quando Donald Trump pediu ao ex-empresário do Guns, Doug Goldstein, uma credencial para assistir a um show da banda. Na ocasião, Trump disse que “queria o conhecer o Donald Trump do rock ‘n roll”, referindo-se a Axl. Quando o empresário da banda estranhou o pedido, Trump disse: “Quando você é o desafiante, a imprensa, os fãs, todo mundo quer te colocar no topo. Quando você chega lá, todo mundo quer te colocar para baixo. É assim comigo e é assim com Axl”, afirmou Trump na época. Depois do show, o empresário do Guns levou Trump ao backstage e o apresentou a Axl.

O show de São Paulo na última sexta-feira também serviu para lembrar que Slash é um dos maiores guitarristas da história do rock. Seu talento nunca foi ser o cara mais original do mundo, mas justamente ressuscitar o conceito de ‘guitar hero’ que vinha da tradição sagrada do rock e que foi imortalizada por nomes como Jimmy Page e Eric Clapton. Enquanto os grandes guitarristas dos anos 90 praticamente pararam de produzir álbuns relevantes e desapareceram, como Eddie Van Halen ou Yngwie Malmsteen, Slash continuou na ativa incendiando sua Les Paul em projetos paralelos que não deixavam nada a desejar na comparação com o velho e bons Guns ‘N Roses.

A volta de Axl e Slash ao mesmo palco, com Duff como complemento cinco estrelas, nos traz de volta a mágica das grandes duplas do rock ‘n roll, como Page/Plant, Jagger/Richards, Townshend/Daltrey, Tyler/Perry... sim, Axl/Slash estão no mesmo níveis que esses outros deuses da música. Axl Rose é o último grande rockstar. Mesmo com Slash e Duff no palco, a figura de Axl tem um poder de atração incrível, é como um ímã que magnetizou ininterruptamente os olhares das 45 mil pessoas que lotam o Allianz Parque, o eterno ‘estádio do Palmeiras’. Como todo show internacional, o ingresso aqui em São Paulo foi caro; a cerveja não estava exatamente de graça. Mas ver Duff usando camiseta em homenagem a Lemmy, Slash de cartola e Axl cantando bem, mais magro e com aquela bandana na cabeça... ah, isso não tem preço.

Outra coisa interessante que aconteceu com Axl recentemente é que o cantor vinha sendo alvo de críticas desde o lançamento de ‘Chinese Democracy’ porque passou a chamar de ‘Guns ‘N Roses’ uma banda que muitos fãs consideravam um projeto solo do vocalista. Acredito que essa percepção do público mudou quando Axl se juntou ao AC/DC para substituir o vocalista Brian Johnson quando ele foi afastado por “problemas médicos”.

Apesar da reação inicial de surpresa e apreensão, quando os primeiros shows do AC/DC com Axl vazaram na internet a opinião do público foi quase unânime: o verdadeiro Axl Rose estava de volta, com o carisma de sempre, a voz rasgada e única, a atitude que impede nossos olhos de se afastarem dele. Com Axl no palco, tudo pode acontecer.

Inclusive um dos melhores shows que já passaram por São Paulo nos últimos tempos: um evento que felizmente trouxe de volta ao Brasil Axl, Slash e Duff... ainda nesta vida.

 

SETLIST São Paulo

Allianz Parque 11/11/2016

It's So Easy
Mr. Brownstone
Chinese Democracy
Welcome to the Jungle
Double Talkin' Jive
Better
Estranged
Live and Let Die (Wings cover)
Rocket Queen
You Could Be Mine
Attitude (cover Misfits)
This I Love
Civil War
Coma
Speak Softly Love (Tema de ‘O Poderoso Chefão’)
Sweet Child O' Mine
Wish You Were Here  (cover Pink Floyd – solo de guitarra Slash & Richard Fortus)
November Rain
Knockin' on Heaven's Door (cover Bob Dylan)
Nightrain

BIS

Don't Cry
The Seeker (cover The Who)
Paradise City
Everybody Knows (trilha final do show – Leonard Cohen)

 

Posts Relacionados