Ao sair de uma clínica psiquiátrica sem saber por que foi para lá e quanto tempo ficou, Pat Peoples inicia uma jornada para reconquistar a mulher, Nikki, mesmo sem lembrar o motivo que os levou à separação.

A determinação dele é simplesmente porque acredita em finais felizes e tem certeza de que a ama.

Peoples emana aflição por não saber o que aconteceu e o que o colocou naquela situação. Agora, ele mora na casa dos pais, tem que tomar remédios e ir ao terapeuta.

Independentemente disso, ele começa a valorizar coisas que não havia feito durante o casamento e tenta ser, a cada dia, uma pessoa melhor. A vizinha Tiffany, que também passou a precisar de tratamento psiquiátrico, depois que perdeu o marido, surge na vida dele para ajudá-lo em seu objetivo.

Aos poucos, Peoples envolve o leitor com a história – que ele assume para sua vida como a ênfase de final feliz. Entre idas e vindas ao terapeuta, muitas corridas, exercícios físicos e jogos de futebol americano, o autoconhecimento de Peoples é uma lição a todos, é a busca or autocontrole e gentileza.

A redescoberta de Peoples em O Lado Bom da Vida é uma história emocionante, cheia de surpresas e que nos leva a momentos de reflexão sobre atitudes que todos nós tomamos. Peoples já é um vencedor, mesmo sem ter certeza se vai conseguir alcançar o objetivo dele.

(Indicado por Fernando Mellis, repórter do R7)

o lado bom da vida matthew quick450 Obra mostra que é possível, sim, ter o final feliz

O Lado Bom da Vida

256 páginas

R$ 24,90 (impresso)

R$ 14,90 (e-book)

Editora Intrínseca