Publicado em 02/06/2015 às 03h04

Mostra de Cinema de Ouro Preto chega à 10ª edição com homenagem a Milton Gonçalves

milton gonçalves Mostra de Cinema de Ouro Preto chega à 10ª edição com homenagem a Milton Gonçalves

Do R7

A Mostra de Cinema de Ouro Preto 2015 promete apresentar 105 filmes em pré-estreias e retrospectivas e promover 15 debates, entre 17 e 22 de junho, na cidade histórica mineira, neste ano em que completa dez anos.

O evento busca ser instrumento de reflexão e luta pela salvaguarda do patrimônio audiovisual brasileiro em diálogo com a educação e em intercâmbio com o mundo.

Nesta edição, a CineOP tem como eixo temático a discussão em torno do acesso e da acessibilidade nos contextos da preservação audiovisual, pesquisa histórica e educação, já que um dos maiores problemas da sociedade brasileira é o acesso aos bens culturais por ela mesma produzidos.

O patrimônio audiovisual, uma expressão em si mesmo, é um instrumento privilegiado de difusão dos conteúdos mais variados, não fossem os entraves ainda encontrados quanto à sua preservação física, inventário, estudo e qualificação histórica, conversão de formatos, suportes e padrões de novas tecnologias e inserção das obras audiovisuais junto aos mais diferentes públicos, incluindo pessoas com necessidades especiais de deslocamento e cognição e espaços educativos para além do mercado.

Entre os títulos selecionados na mostra, o destaque é para as produções históricas, com um recorte que enfoca a temática desta edição: "O Negro em Movimento". O mote estará representando na abertura do evento, com a exibição do longa A Rainha Diaba (Antônio Carlos da Fontoura, 1974). Também fazem parte da programação o curta-metragem Alma no Olho (Zózimo Bulbul, 1973) e os longas Também Somos Irmãos (José Carlos Burle, 1949),Ganga Zumba (Cacá Diegues, 1964), A Negação do Brasil (Joel Zito Araújo, 2000), ÔrÉ (Raquel Gerber, 1989) e Branco Sai, Preto Fica (Adirley Queirós, 2014).

A abertura da 10ª CineOP acontece no dia 18 de junho, às 20h30, no Cine Vila-Rica, com a exibição de A Rainha Diaba (1974), de Antônio Carlos da Fontoura. Na ocasião, também serão prestadas homenagens nos três diferentes eixos trabalhados pelo evento: ao ator Milton Gonçalves, na temática Histórica, à conservadora audiovisual Fernanda Coelho, na temática Preservação, e ao Cineduc – Cinema e Educação, entidade sem fins lucrativos fundada no Rio de Janeiro, em 1970, na temática Educação.

Uma das novidades desta edição é a Mostra Educação que reúne 41 curtas produzidos pelos alunos no contexto escolar que será exibida em duas sessões durante a 10ª CineOP.

A entrada é franca e todas as informações sobre a mostra, incluindo a programação completa, estão no site oficial do evento www.cineop.com.br e no telefone (31) 3282-2366.

10ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto
Quando: De 17 a 22 de junho
Onde: Cine Vila Rica, Centro de Artes e Convenções, Praça Tiradentes
Quanto: Grátis

Posts relacionados

Publicado em 01/06/2015 às 03h04

Um outro lado de Dorival Caymmi

unnamed Um outro lado de Dorival Caymmi

Marina por Dorival Caymmi - Divulgação

Do R7

A faceta de ilustrador de Dorival Caymmi pode ser conhecida pelo público na mostra Aos Olhos de Caymmi – Exposição de Canções Ilustradas, em cartaz até o dia 14 de junho, no Salão de Atos do Memorial da América Latina, em São Paulo.

Dorival conseguiu traduzir em suas composições cenários tipicamente baianos: o coqueiral de Itapuã, a areia branca do Abaeté, as festas populares, uma puxada da rede ou um acarajé com vatapá.

Na mostra, que teve início em Salvador, na Bahia (como não podia deixar de ser!), ainda será levada ao Rio de Janeiro, com dez ilustrações feitas a partir de canções de sua autoria, além de fotos do arquivo da família, áudios, e vídeos que fazem um resgate histórico.

A curadora Rose Lima falou um pouco sobre os objetivos da mostra.

— Buscamos conectar o universo de inspiração de cada ilustração reunindo música, partitura, contexto, fonograma, intérpretes, admiradores e algumas curiosidades. Assim apresentamos o pintor Dorival Caymmi, cujos olhos de artista traduziu palavras e sons em imagens.

Exposição Aos Olhos de Caymmi
Quando: terça a domingo, das 9h às 18h. Até 14/6/2015
Onde: Salão de Atos do Memorial da América Latna (av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, São Paulo)
Quanto: Grátis

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 31/05/2015 às 03h04

Encontro promove troca entre mulheres negras da dança e o público

Espetáculo Dikanga Calunga Créd. Mônica Cardim Encontro promove troca entre mulheres negras da dança e o público

Espetáculo Dikanga Calunga - Foto: Mônica Cardim/Divulgação

Do R7

O I Encontro de Mulheres Negras na Dança acontece em São Paulo e em Taboão da Serra, de 4 a 7 de junho, com o objetivo de proporcionar a experiência estética, o contato e a troca entre artistas negras da dança e o público.

Serão três espetáculos, uma roda de conversa e duas oficinas de dança realizados pelas artistas e companhias convidadas. As atividades acontecerão no Espaço Clariô, em Taboão, e no Espaço Cita, no bairro do Campo Limpo, em São Paulo.

As atividades e espetáculos do evento revelam diversas perspectivas sobre o fazer artístico, com materiais, estéticas e temáticas muito diversas. É a partir da perspectiva artística que a Nave Gris Cia. Cênica, que está promovendo o encontro, busca abordar e propor o diálogo sobre as questões étnico-raciais e de gênero presentes nas obras, fazeres e/ou trajetória profissional dessas artistas.

Na abertura do encontro será realizada uma roda de conversa com artistas negras da dança de diferentes gerações: a coreógrafa, coordenadora do Grupo Lapett e professora da ECA-USP Sayonara Pereira, a diretora da E² Cia. Teatro e Dança Eliana de Santana, que iniciou sua carreira no teatro com diretores como Antunes Filho, Antônio Abujamra e Gerald Thomas,  e a diretora da Cia. Sansacroma, dançarina, atriz, coreógrafa e gestora cultural Gal Martins e com mediação da bailarina, mestranda em artes cênicas pela Unesp, Kanzelumuka. A roda de conversa será no Espaço Clariô, em Taboão da Serra e as discussões abertas ao público em geral.

Baseado na obra Afro Margin, do pintor britânico Chris Ofili, o espetáculo homônimo trabalha a verticalidade do corpo em suspensão e a poética do duplo sentido de margem. A produção é da E² Cia. de Teatro e Dança. Já na peça coreografada do Grupo Lapett Unterweg(s) (estar a caminho, em alemão), o elenco se coloca a caminho em diferentes fases de sua vida. Concebido pela Nave Gris Cia. Cênica, o espetáculo Dikanga Calunga (mar distante, em quimbundo0 remete ao fluxo entre ancestralidade, tradição e contemporaneidade no corpo. Sob a perspectiva do feminino tem a água como elemento transformador, que conecta o humano ao que lhe é ancestral e sagrado.

Já as oficinas terão três horas de duração cada. A primeira delas é a Oficina A Dança da Indignação, conceito criado por Gal Martins, com a Cia. Sansacroma. O termo é inspirado na obra do pedagogo Paulo Freire. Usa uma linguagem estética que possa reverberar as indignações sociais e pessoais numa abordagem política trazendo elementos entre vida e arte, arte e vida.

A segunda é a Oficina Dança Negra Contemporânea: procedimentos criativos, com a Nave Gris Cia. Cênica. A oficina pretende ser um espaço para o estudo e desenvolvimento de uma dança autoral que parte das corporeidades da tradição afro-brasileira de origem banto.

I Encontro Mulheres Negras na Dança
Quando: 4 a 7 de junho, quinta a domingo.
Onde: Espaço Clariô (r. Santa Luzia, 96, Vila Santa Luzia, Taboão da Serra. Informações: 0/xx/11 4701-8401) e Espaço Cita, somente sábado e domingo (r. Aroldo de Azevedo, 20, Jardim Bom Refúgio, São Paulo. Informações 0/xx/11 5844-4116)
Quanto: Grátis
Inscrições: navegriscriacenica@gmail.com. Até o dia 1º de junho.

Espetáculo Dikanga Calunga Créd. Mônica Cardim 5 Encontro promove troca entre mulheres negras da dança e o público

Espetáculo Dikanga Calunga - Foto: Mônica Cardim/Divulgação

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 30/05/2015 às 03h04

Grupo faz show inspirado no universo de Guimarães Rosa

Canto Livro DSC0987 crédito Patricia Ribeiro Grupo faz show inspirado no universo de Guimarães Rosa

Canto Livro se apresenta no MAM - Foto: Patricia Ribeiro/Divulgação

Do R7

Idealizado por Joana Garfunkel e seu pai, Jean Garfunkel, o Canto Livro pretende aproximar a literatura da música para encurtar a distância entre o livro e o público entremeando texto e música num contraponto dinâmico e divertido.

Neste sábado (30), às 16h30, o grupo se apresenta no Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, em São Paulo. O show O Som dos Meninos Quietos percorre o universo do escritor Guimarães Rosa.

O menino quieto sempre observando a natureza, criando seus próprios brinquedos, brincando de imaginar é o protagonista desse show, que faz uma viagem pela infância sertaneja baseada na obra Roseana por meio da oralidade e da canção, traços essenciais de nossa identidade cultural.

Com pesquisa e roteiro de Selma Maria e arranjos de Natan Marques, o show é formado por um conjunto de canções inspiradas no folclore brasileiro, na infância sertaneja e no respeito ao meio ambiente.

No repertório, músicas compostas por Jean e Paulo Garfunkel como Meninos Quietos, Os Encantados, Tio Barnabé, Caminho de Rio, Estrelas da Floresta, O Filhote do Filhote, além de clássicos do cancioneiro infantil, entre eles, Se Esta Rua Fosse Minha, Terezinha de Jesus, Sambalelê e Ciranda Cirandinha, todas de domínio público.

Show Canto Livro – O Som dos Meninos Quietos
Quando: Neste sábado (30), às 16h30.
Onde: MAM (Museu de Arte Moderna) (Parque Ibirapuera, portão 3, Pinheiros, São Paulo. Informações: 0/xx/11 5085-1300)
Quanto: Grátis

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

 

Posts relacionados

Publicado em 29/05/2015 às 03h04

Prêmios Platino procuram se afirmar como referência do cinema ibero-americano

platino Prêmios Platino procuram se afirmar como referência do cinema ibero americano

Eugenio Derbez e Alessandra Rosaldo já comandaram a premiação

Da EFE

Os Prêmios Platino deram um "enorme passo" da primeira edição, no Panamá, para a segunda, que será realizada em julho na Espanha, explicou à Agência Efe um de seus diretores, o jornalista colombiano Juan Carlos Arciniegas, para quem a premiação preenche um vazio existente no setor.

Apresentador e produtor do programa Showbiz, da rede CNN en Español, Arciniegas disse que a próxima cerimônia incluirá "uma surpresa interessante" e voltará a contar com o ator mexicano Eugenio Derbez, mas não revelou o que o protagonista de Não Aceitamos Devoluções fará.

No ano passado, a cerimônia teve a presença da atriz Sonia Braga, que ganhou o Prêmio de Honra, em reconhecimento à carreira.

Derbez teve um papel importante na primeira premiação, onde apresentou a festa com um toque de humor, enquanto sua esposa, a atriz Alessandra Rosaldo, e Juan Carlos Arciniegas marcaram o ritmo da entrega dos prêmios.

O jornalista disse se sentir bem em trabalhar com Alessandra, já que ela o ajudou a superar a impressão inicial que a dimensão do evento lhe causou.

— Me abalou um pouco a situação. Pensei que não seria capaz. Estou acostumado a ficar em um estúdio com um cinegrafista. Fiquei nervoso nos ensaios, mas chegou o dia e foi fantástico. Neste ano, já sei que vou ficar nervoso de novo — reconheceu Arciniegas, que repete a dobradinha com Alessandra à frente da cerimônia.

O jornalista revelou que os detalhes do evento, que acontecerá em 18 de julho em Marbella, na Espanha, durante o Festival de Cultura e Tendências Starlite, começarão a ser vistos a partir de hoje em Los Angeles.

Em sua opinião, a chave para realizar uma cerimônia atrativa é a agilidade, para que não dure mais do que 90 minutos e não tenha discursos institucionais muito longos. Além disso, imagem, música e movimento são fundamentais. Sua lista ideal de apresentações inclui Jorge Drexler e Natalia Lafourcade, por exemplo.

Arciniegas, que tem longa experiência cobrindo e participando de prêmios e festivais, se sente mais próximo do estilo descontraído do Globo de Ouro do que da sobriedade do Oscar, e afirmou que na reunião do comitê de organização sugerirá que seja servido "muita bebida alcoólica ao público".

— As pessoas entram muito mais tranquilas. Vão se sentir melhor e com menos tensão.

Os Prêmios Platino são uma iniciativa dos produtores da Entidade Espanhola de Gestão de Direitos Audiovisuais (Egeda) em parceria com a Federação Ibero-Americana de Produtores (Fipca) e engloba à indústria audiovisual de 23 países. Pela primeira vez, a premiação será transmitida pela rede TNT na América Latina e poderá ser vistos em mais de 50 países. "Em um ano, a premiação cresceu muito", comemorou Arciniegas, que acredita que embora, "muitas pessoas possam ainda não saber exatamente do que se trata", em cinco anos o prêmio pode se tornar uma referência do cinema ibero-americano.

— É algo com que sonhava há muito tempo, uma premiação desta envergadura. Era justo e necessário que as produções ibero-americanas recebessem um reconhecimento à altura, que, além disso, é uma plataforma de exibição e divulgação desses filmes.

Para Arciniegas, os latinos devem sentir orgulho do cinema de seus países, e ele vê na premiação uma ponte que aproxima obras e artistas da região entre si e do público.

— As pessoas na Argentina e na República Dominicana, por exemplo, identificam perfeitamente Mel Gibson, mas talvez não a chilena Paulina García. Estes prêmios servem também para criar um 'star system.

Paulina recebeu o prêmio de melhor atriz em 2014 pelo filme Gloria, grande vencedor da noite.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 28/05/2015 às 03h04

Ponte para pedestres torna-se nova atração de lazer e turística de Teerã

10360390 832707170123312 4511414099581075270 n  Ponte para pedestres torna se nova atração de lazer e turística de Teerã

Da EFE

Uma moderna e funcional ponte de pedestres concebida como uma passagem entre dois dos maiores parques de Teerã tornou-se a atração turística favorita e o novo ícone arquitetônico da cidade, em meio às faraônicas obras que vem marcando a nova cara do Irã.

A Ponte Tabiat, que significa "natureza" em persa, situada no centro da cidade e que atravessa uma das mais antigas e movimentadas vias que ligam o norte ao sul da capital iraniana, foi inaugurada há apenas um ano e já se transformou, com sua estrutura de aço e luzes coloridas, no principal local de lazer dos moradores.

Em pouco tempo, a ponte ofuscou obras como a monumental Torre Milad, inaugurada em 2007 e que, com seus 435 metros de altura, permite ter uma visão completa da cidade, mas quase não recebe visitantes, e a Torre Azadi, estrutura triangular que serve como portão de Teerã e foi construída pelo último xá e que até agora protagonizava todos os postais da capital persa.

Diariamente, 20 mil pessoas - número que duplica nos finais de semana - passeiam sobre a ponte e aproveitam a vista para a imensa Cordilheira do Elbruz. Lá, entre os dois parques que a estrutura liga, os cidadãos passeiam, comem e desfrutam de uma incomum paisagem em meio ao caos do trânsito nas ruas da cidade.

A obra é assinada pela jovem arquiteta iraniana Leila Araghian, de 31 anos, que quando ainda era estudante, ganhou o concurso do projeto para a construção da ponte, cuja obra também foi dirigida por ela. Leila, que agora mora no Canadá, projetou uma ponte de alta tecnologia de 270 metros de comprimento, inspirada nas raízes das árvores que dão a impressão de unir de forma natural a cidade sobre a via expressa, a 40 metros do chão.

No interior da estrutura de aço há três níveis repletos de áreas comerciais, restaurantes e espaços de descanso e lazer. "Não queria que fosse apenas uma ponte que as pessoas usassem para ir de um lado ao outro. Queria que fosse um lugar onde ficassem e meditassem, não só cruzassem", disse ela recentemente à imprensa local.

Seu projeto ganhou vários prêmios internacionais, como o Architizer A+ Awards, em Nova York, mas a outros ela não pôde comparecer por conta das sanções contra seu país e que impedem, por exemplo, de entregar ao Irã um prêmio internacional. As sanções estavam a ponto de pôr em risco a realização do projeto, já que várias empresas se negaram, em princípio, a fornecer o software necessário para Leila por este motivo. Contudo, os objetivos da arquiteta parecem estar cumpridos, já que, como disse à Agência Efe Mohsen Golafruz, responsável pela gestão da ponte, o uso que os cidadãos fazem dela é intenso e muito variado. "Nos dias normais, grupos vêm para praticar esportes de manhã cedo. A partir das 9h, mulheres chegam ou para atividades físicas, ou para tomar café da manhã. Há excursões escolares, e à tarde, na hora do rush, ela se enche de pedestres até 2h ou 3h da madrugada".

Sam Yeganebajsh, um jovem arquiteto que visita habitualmente a ponte para fotografar, destacou orgulhoso a moderna estrutura e o projeto bem-sucedido, que permite às quatro colunas que a sustentam aguentar muito peso sem perder a estética.

1509728 832710166789679 8091889222658036512 n  Ponte para pedestres torna se nova atração de lazer e turística de Teerã

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Publicado em 27/05/2015 às 03h04

Segredos da arte contemporânea britânica desembarcam no Brasil

davenport Segredos da arte contemporânea britânica desembarcam no Brasil

Da EFE

Com obras repletas de cores vivas, uma das referências da nova arte contemporânea britânica, Ian Davenport, visita pela primeira vez o Brasil com uma exposição que explora as diferentes formas de percepção do espectador e oferece uma sensação hipnótica. Davenport, de 48 anos, levou a São Paulo uma mostra composta por 18 obras e produzida ao longo de 23 anos de sua trajetória, entre as quais está Colourade: Buzz, criada especialmente para a exposição.

— Todas estas peças serão exibidas em conjunto unicamente no Brasil.

Afastado do desenho, Davenport improvisa em cada uma de suas obras, já que, como explica, "quando se permite que a tinta seja derramada você está dizendo que o material e a forma como se propaga são mais importantes do que aquilo que se pretendia representar".

O artista, que aposta pela simplicidade na manipulação das cores e as formas, conta que desde sua infância apreciava a pintura por sua textura e não pelo que podia desenhar com ela.

— Quando estava no estúdio e pintava com latas de tinta percebi que o gotejamento que eu provocava ao seu ao redor era mais interessante que o próprio desenho que estava criando.

Centrado no estudo das cores, o artista despontou no cenário das artes visuais em meados dos anos 80, ao lado de outros da geração Young British Artists, como Michael Landy e Damien Hirst.

Entre as obras de destaque da exposição, que ficará em cartaz até 27 de junho, está uma das primeiras de Davenport, na qual o artista emprega o gotejamento utilizando exclusivamente as cores que compõem o seriado americano "Os Simpsons".

No lado oposto da sala de exposições, o público também será surpreendido ao observar seu próprio reflexo em outro dos trabalhos de Davenport, que afirma que "observar as pessoas olhando para este quadro é muito divertido pelas diferentes reações que ele provoca". Satisfeito com sua primeira visita, o artista expressou seu desejo de voltar à América do Sul em outra oportunidade, após mostrar seu trabalho em exposições já marcadas em Genebra, Bruxelas e Londres.

Exposição Ian Davenport
Quando: segunda a sexta, 10h às 18h, sábados, 10h às 13h. Até 27/6/2015
Onde: Dan Galeria (r. Estados Unidos, 1.638, Jardim América, São Paulo)
Quando: Grátis

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 25/05/2015 às 03h04

Núcleo Luz aborda o risco e a incerteza em espetáculo de dança

Okinosmov 7891 Crédito Pamella Gachido Núcleo Luz aborda o risco e a incerteza em espetáculo de dança 

Do R7

Nos dias 26 e 27 de maio, no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, o Núcleo Luz estreia Okiиosmóv - Um ballet nada яusso. Com entrada gratuita, o espetáculo de dança de Chris Belluomini teve seu processo de pesquisa iniciado em agosto de 2014.

Ele é resultado do trabalho realizado pelos aprendizes do Ciclo II, do programa de formação do Núcleo Luz, projeto que dá oportunidade a jovens de famílias com baixa renda a vivenciarem a dança de forma aprofundada. O projeto é gratuito e oferece bolsa-auxílio, alimentação e transporte aos aprendizes da região metropolitana de São Paulo.

Okiиosmóv tem como centro o risco e a incerteza. O que nos movimenta? O que nos paralisa? Essa e outras inquietações humanas estão contidas na construção dramatúrgica, que tem como principal instrumento de comunicação a linguagem da dança contemporânea.

Além da dança, o espetáculo integra linguagens do teatro e da música. O nome é uma brincadeira, mas que tem um significado sério. Revela nas entrelinhas o acolhimento das múltiplas formas de expressão que compõe o corpo dentro do cenário atual.

Nos últimos seis anos, o Núcleo Luz já criou e apresentou os espetáculos Pedrinho Luz (2007), inspirado no balé russo Petrouchka; Villa Luz – Mestiçagem, a rota das nossas Histórias (2009), baseado na vida e obra de Villa-Lobos, ambos sob a direção artística de Susana Yamauchi; Rito de Passagem (2011), inspirado em A Sagração da Primavera, também de Stravinsky, e Heurói (2013), ambos com a direção artística de Chris Belluomini.

Okinosmov 7529 Crédito Pamella Gachido Núcleo Luz aborda o risco e a incerteza em espetáculo de dança

Okiиosmóv - Um ballet nada яusso
Quando: 26 e 27 de maio, às 20h30.
Onde: Teatro Sérgio Cardoso (r. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, São Paulo. Informações: 0/xx/ 11 3288-0136)
Quanto: Grátis
Duração: 90 minutos
Classificação: Livre

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 20/05/2015 às 03h04

Um outro olhar sobre Jerusalém

120x80 8418 a A Um outro olhar sobre Jerusalém

Exposição Jerusalém Arte e Mistério - Foto: Viviana Tagar

Do R7

Um lado desconhecido de Jerusalém. Essa é a proposta de Viviana Tagar em sua exposição Jerusalém Arte e Mistério, que será exibida no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura), de 22 de maio a 21 de junho.

A ideia é lançar um olhar amplo e plural sobre a cidade, berço histórico das três religiões monoteístas.

Lucia Barnea, a consulesa de Israel em São Paulo, falou sobre a proposta da exposição.

— A fotógrafa Viviana Tagar nos conduz com sua mirada sensível a recantos diversos da cidade três vezes milenar, que também é urbe contemporânea e pujante, talhada no encontro do Oriente com o Ocidente.

12 70x46 5066s n A Um outro olhar sobre Jerusalém

Nir Barkat, prefeito de Jerusalém, também elogiou as fotos que estão na exposição.

— Viviana Tagar selecionou um mundo de imagens de Jerusalém que desfoca as divisões do tempo e da cultura, para revelar a universalidade subjacente da cidade e o nosso denominador comum. Elegantemente fazendo a correspondência entre o antigo e o moderno, suas fotos surpreendem com perspectivas artísticas e incomuns e persuade a descobrir os segredos da nossa grande cidade.

Jerusalém Arte e Mistério se aventura por uma delicada paleta de imagens filigranadas da geografia humana da Cidade e de suas culturas, e compartilha os segredos de seus recantos arquitetônicos.

Exposição Jerusalém Arte e Mistério
Quando: de 22 a 21 de junho. Terça a domingo, das 10h às 19h
Onde: MuBE (av. Europa, 218, entrada pela r. Alemanha, 221, São Paulo. Telefone: 0/xx/11 2594-2601)
Quanto: Gratuito

5 70x46 8186 Um outro olhar sobre Jerusalém

 

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 18/05/2015 às 03h04

Explosão embaixo de viaduto no Bixiga mobiliza os corpos em Blow Up (Vol.2)

Lado A. Crédito Mariana Sucupira Explosão embaixo de viaduto no Bixiga mobiliza os corpos em Blow Up (Vol.2)

Foto da performance Lado A - Foto: Mariana Sucupira/Divulgação

Do R7

O que acontece com as coisas após uma explosão? Essa é a pergunta que mobiliza o Núcleo Cinematográfico de Dança em Blow Up (Vol.2), espetáculo performance que se divide em duas partes, Lado A e Lado B, que agita a cidade de São Paulo nas próximas semanas.

Lado A (Você não Pode Construir Uma Árvore de Volta a partir de Fumaça e Cinzas) ocupa o Terreyro Coreográfico, embaixo do viaduto Júlio de Mesquita Neto, no tradicional bairro do Bixiga, de 21 a 24 de maio. Segundo Mariana Sucupira, uma das diretoras do espetáculo, Lado A é uma decomposição progressiva de uma explosão.

— Uma metamorfose contínua, que consiste em abrir os movimentos e as imagens. É uma tentativa de adentrar o silêncio e habitá-lo, mas tudo fica ruidoso, quase insuportável.

Lado B (Tudo é Desastre) conta com o sexteto de bailarinas dirigido por Mariana e Maristela Estrela mais artistas convidados da companhia Les Commediens Tropicales, que propuseram ações que foram incorporadas ao espetáculo. Maristela  fala sobre o roteiro complementar, que ocupa o Cine Art-Palácio, uma das salas da Cinelândia, na avenida São João, de 28 a 31 de maio.

— Essa grande inflamação agita violentamente nossos corpos, perturbando com entrechoques de energia e com agradável humor essa nossa carne. O que sobra da explosão é nada.

Interessante, não? E tudo gratuito! O Núcleo Cinematográfico de Dança usa diferentes técnicas e ferramentas para construção coreográfica e dramatúrgica. A organização, ou seja, a disposição de tudo foi proposta pela companhia em colaboração com cenógrafo e arquiteto Luciano Bussab. Há ainda projeção de imagens, com concepção e edição de Mariana Sucupira. Fause Haten assina o figurino cheio de camadas e volumes, onde peças de roupas são reutilizadas em novas funções.

Blow Up (Vol.2): Depois, Após, Seguinte: Bifurcação Imprevisível

Lado A
Quando: 21 a 24 de maio, quinta a sábado, às 21h, domingo, às 20h.
Onde: Terreyro Coreográfico (embaixo do viaduto Júlio de Mesquita Filho, ponto de encontro em frente ao Teatro Oficina, r. Jaceguai, 520, Bela Vista)
Quanto: Grátis (bilheteria abre uma hora antes)
Classificação: 16 anos
Duração: 60 minutos

Lado B
Quando: 28 a 31 de maio, quinta a sábado, 21h, domingo, 20h.
Onde: Cine Art-Palácio (av. São João,419, centro)
Quanto: Grátis
Classificação: 16 anos
Duração: 60 minutos

Lado B. Crédito Mariana Sucupira Explosão embaixo de viaduto no Bixiga mobiliza os corpos em Blow Up (Vol.2)

Lado B - Foto: Mariana Sucupira/Divulgação

 

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Perfil

Miguel Arcanjo Prado é editor de Cultura do R7, onde está desde o começo do portal, em 2009. É jornalista formado pela UFMG e pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP. É crítico membro da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes). Nasceu em Belo Horizonte e mora em São Paulo desde 2007, quando ingressou no Curso Abril de Jornalismo. Ainda em Minas, estreou como cronista do semanário O Pasquim 21, passando por TV UFMG e TV Globo Minas. Na capital paulista, foi repórter da Contigo!, da Ilustrada na Folha Online e do Agora São Paulo, no Grupo Folha. Edita e apresenta a Agenda Cultural da TV Record News.

PUBLICIDADE

TOP COMENTARISTAS

  1. 1
    R7 Cultura » Mar de...94 comentários
  2. 2
    lbraslauskas46 comentários
  3. 3
    Phillipe29 comentários
  4. 4
    Luiz Sergio Nacinovic3 comentários
  5. 5
    DIONE2 comentários
  6. 6
    Rafael Carvalho2 comentários
  7. 7
    MAURO ALEXANDRE PEREIRA D...2 comentários
  8. 8
    pedro2 comentários
  9. 9
    Jael Kuster2 comentários
Home de Blogs +