Publicado em 13/01/2015 às 18h58

Você sabe quem foi o homem que virou estátua na praça Marechal Deodoro em SP?

luiz pereira Você sabe quem foi o homem que virou estátua na praça Marechal Deodoro em SP?

Estátua de Luiz Pereira Barreto será restaurada - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Muita gente passa pela praça Marechal Deodoro, em frente ao Minhocão, na região central de São Paulo, e nem tenta imaginar quem foi o homem por trás da estátua em um dos jardins.

Ele é Dr. Luiz Pereira Barreto (1840-1923), cujo nascimento completou 175 anos no último dia 11 de janeiro. E

De linha positivista, o médico foi um grande cientista brasileiro na virada do século 19 para o século 20.

Para celebrar o fundador da Sociedade de Medicina de Cirurgia de São Paulo, a produtora Arte sobre Arte está capitaneado a restauração de sua estátua, feita em bronze e granito pelo escultor italiano Galileo Emendabili e inaugurada em 1925.

Serão quatro meses de trabalho minucioso. A obra ainda ganhará iluminação especial, com incentivo do ProAC da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e patrocínio da Ambev.

São Paulo agradece.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 13/01/2015 às 17h48

Oficina ensina como virar um DJ

Transremix2 foto Renata Prado Oficina ensina como virar um DJ

Mundo musical será descortinado em oficina no Sesc São José dos Campos - Foto: Renata Prado

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Começa nesta terça (13), às 19h, a oficina Transremix: Discotecagem e Produção Musical. As aulas vão até dia 11 de fevereiro, sempre às terças e quartas no mesmo horário, no Sesc de São José dos Campos, no interior paulista. O comando é de Jovem Palerosi, DJ e produtor musical, que tem experiência na Argentina e Inglaterra. O preço das aulas varia de R$ 5 a R$ 17. Informações pelo telefone: 0/xx/12 3904-2000.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Publicado em 12/01/2015 às 03h03

Museu revela história das Cataratas do Iguaçu

cataratas anos 40 Museu revela história das Cataratas do Iguaçu

Acrobatas corajosos se apresentam nas Cataratas na década de 1940 - Foto: Espaço Memória das Cataratas

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O Brasil divide com a Argentina uma das sete maravilhas naturais do mundo: as Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, Paraná.

O Parque Nacional, além das famosas quedas de água, acaba de ganhar uma nova atração: o Espaço Memória das Cataratas, aberto no último fim de semana e que já funciona todos os dias das 9h às 17h.

O museu tem 1.500 fotografias digitalizadas em seu acervo — a grande maioria tirada com a paisagem deslumbrante de fundo ao longo das décadas do século 20.

Veja 7 dicas imperdíveis em Foz do Iguaçu

A exibição das imagens é interativa e o espaço ainda conta ainda com depoimentos de quem viveu os tempos em que se aventurar até as Cataratas era missão para corajosos, já que exigia desbravar a mata virgem, bem diferente do parque estruturado que recebe os turistas de hoje em dia.

O padrinho do parque é Santos Dumont, o pai da aviação que visitou o local em 1916. Ficou tão encantado que escreveu ao governador do Paraná, incentivando-o a transformar o espaço em parque público.

E turista não falta por lá desde então. Mesmo competindo com Copa do Mundo e eleições, o Parque Nacional do Iguaçu recebeu 1.550.607 visitantes em 2014, vindos de 172 países. Depois do Brasil, com 904.305 visitantes, as nações que mais mandaram turistas foram: Argentina, Paraguai, Estados Unidos, França, Alemanha, Espanha, Japão, Inglaterra, Austrália e Peru.

O parque ainda faz um apelo para incrementar ainda mais o museu. Pede para quem tiver fotos familiares antigas das Cataratas do Iguaçu para enviá-las por meio do site Memória das Cataratas. Pelo jeito, o acervo vai crescer e muito.

cataratas do iguacu antonio bartuccio divulgacao Museu revela história das Cataratas do Iguaçu

Cataratas do Iguaçu: parque recebeu 1,5 milhão de visitantes em 2014 - Foto: Antonio Bartuccio/Divulgação

Veja 7 dicas imperdíveis em Foz do Iguaçu

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 11/01/2015 às 14h51

Anita Ekberg tomou banho de fonte mais famoso do cinema

anita ekberg Anita Ekberg tomou banho de fonte mais famoso do cinema

Anita Ekberg toma banho na Fontana di Trevi, em Roma: até hoje o ponto turístico é lembrado por esta cena de La Dolci Vita, de Fellini; atriz morreu aos 83 anos - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Uma das cenas mais inesquecíveis do cinema mundial foi o seu banho na Fontana Di Trevi, em Roma, no filme La Dolce Vita (A Doce Vida), de Federico Fellini, enquanto convidava Marcello Mastroianni a se meter também na água. Pura sensualidade.

Com a morte da atriz sueca Anita Ekberg, neste domingo (11), aos 83 anos, em Roma, o mundo perde uma das mais belas mulheres do século 20.

Tanto que com apenas 19 anos foi eleita Miss Suécia, em 1950.

Apesar de não ter vencido o Miss Universo, sua aparição mundial lhe rendeu convites para Hollywood.

Mas foi Fellini quem tornaria sua imagem imortal, quando a chamou para viver Silvia, em 1960, a personagem que tomou o banho de fonte mais emblemático da história do cinema.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 11/01/2015 às 03h03

Bonecos do Giramundo podem ser vistos até este domingo em São Paulo

Ocupacao Giramundo Itau Cultural foto1 Andre Seiti Bonecos do Giramundo podem ser vistos até este domingo em São Paulo

Bonecos do Grupo Giramundo, de Belo Horizonte: adeus, São Paulo - Foto: André Seiti

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O mineiro Álvaro Apocalypse (1937-2003) foi um dos maiores nomes do teatro de bonecos do Brasil.

O fundador do grupo Giramundo, com sede em Belo Horizonte, é homenageado na exposição Ocupação Giramundo, que encerra temporada neste domingo (11) no Itaú Cultural (av. Paulista, 149, metrô Brigadeiro, tel. 0/xx/11 2168-1776), em São Paulo.

Os mais famosos bonecos da trupe têm sua história contada.

A mostra conta também os bastidores de algumas das mais importantes montagens do grupo, como Pinóquio e Alice no País das Maravilhas.

A visitação neste último dia é de 11h às 20h, com entrada gratuita.

As crianças vão adorar.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 10/01/2015 às 03h03

Última chance para ver Dalí em São Paulo

salvador dali Última chance para ver Dalí em São Paulo

O mestre espanhol Salvador Dalí: exposição em SP termina domingo - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

As filas são imensas. E, neste fim de semana, deverão estar maiores ainda.

Mas, para quem é fã do pintor surrealista Salvador Dalí (1904-1989) não há outra opção do que rumar para o Instituto Tomie Ohtake (r. Copropés, 88, metrô Faria Lima, tel. 0/xx/11 2245-1900).

Tudo para ver a mostra gratuita que leva o nome do mestre e que só tem mais dois dias de visitação: este sábado (10) e este domingo (11), entre 11h e 20h.

É a maior exposição de Dalí já realizada no Brasil.

Os números são grandiosos: 135 desenhos, 24 pinturas, 40 documentos, 15 fotografias e ainda quatro filmes.

A aventura neste fim de semana promete mesmo ser surreal.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 09/01/2015 às 18h23

Sesc Verão 2015 tem 2.000 atividades em SP

sesc itaquera Sesc Verão 2015 tem 2.000 atividades em SP

Piscina do Sesc Itaquera, em São Paulo: 2.000 atividades de verão - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O sol do meio-dia fervia no céu de São Paulo, enquanto o cantor Wilson Simoninha embalava o público que tentava buscar uma sombra para acompanhar seu show no Sesc Itaquera, em São Paulo, nesta sexta-feira (9), abrindo o projeto Sesc Verão 2015.

A maioria dos presentes na unidade preferiu mesmo lotar a piscina e escorregar em seus imensos tobogãs rumo à água refrescante.

Até 1º de março, o Sesc promove cerca de 2.000 atividades gratuitas em todas as unidades da capital paulista. O foco são atividades físicas e esportivas, mas há inúmeras atrações culturais previstas.

Quem quiser pular na piscina precisa estar com o exame dermatológico do Sesc atualizado.

No Sesc Santana, na zona norte, há atividades de atletismo e também de circo. Já no Sesc Bom Retiro, no centro, há passeios de bicicleta pelas novas ciclovias paulistanas.

Para os amantes dos passos sincronizados, há aulas de dança de salão no Sesc Consolação, também na região central. Na zona sul, no Sesc Santo Amaro a pedida é a hidro recreação, enquanto que no Sesc Vila Mariana, há uma oficina de patinação artística e outra de samba, para quem desejar se preparar e fazer bonito no Carnaval.

Os charmosos Sesc Pinheiros e Sesc Pompeia, na zona oeste, também oferecem atividades. No primeiro, há aulas de yoga. Já no segundo, de slackline, aquela fita de nylon suspensa entre dois postes.

Mas as duas unidades mais procuradas no verão ficam na zona leste: o Sesc Itaquera e o Sesc Belenzinho, famosos por suas piscinas lotadas ao ar livre.

Veja todas as atividades do Sesc Verão e escolha a sua!

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 09/01/2015 às 03h03

Queridinho das descoladas, Criolo abre festival no Rio

criolo lais aranha Queridinho das descoladas, Criolo abre festival no Rio

Criolo vai animar a primeira noite do festival na Marina na Glória - Foto: Laís Aranha

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

As menininhas descoladas costumam ter faniquito pelo cantor paulista Criolo. Inclusive as cariocas. Tudo por conta do charme e do talento do moço, é claro.

De olho neste potente chamariz, o festival moderninho

escalou Criolo para sua noite de abertura, no próximo dia 15 de janeiro, na Marina da Glória.

O evento vai até o dia 31 deste mês, com festinhas e shows.

A organização convocou artistas para fazer a ambientação do lugar, que será transformado em uma espécie de ilha da fantasia.

Ah, outros moderninhos também darão as caras no festival, como Banda do Mar (a de Mallu Magalhães e seu namorado, Marcelo Camelo), a Banda Dônica (que tem um dos filhos de Caetano de integrante), além das festas que fazem o Rio estremecer, como a Do Leme ao Pontal e Rocka Rocka.

Pelo jeito, vai ser um fuzuê chique.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Publicado em 08/01/2015 às 03h05

Ataque terrorista na França provoca luto nos quadrinhos: todos somos Charlie

charlie capa Ataque terrorista na França provoca luto nos quadrinhos: todos somos Charlie

"O amor é mais forte que o ódio", na capa do Charlie Hebdo - Foto: Reprodução

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Os desenhistas brasileiros estão chocados com o ataque terrorista ao jornal francês Charlie Hebdo, nesta quarta (7), em Paris.

Quatro dos maiores cartunistas mundiais foram fuzilados pelos terroristas: Wolinski, Cabu, Charb e Tignous, que desenhavam para o semanário satírico. Brasileiros como Laerte Coutinho, Ique, Ziraldo e Chico Caruso vieram a público manifestar sua indignação com o ocorrido.

A opinião geral entre os chargistas e também entre os jornalistas é que os ataques fundamentalistas não podem intimidar a liberdade de expressão, valor primordial das sociedades ocidentais democráticas e que deve ser defendido por todos.

Por isso, nada mais justo do que todos dizerem: "Je suis Charlie" (Eu sou Charlie), frase que já corre o mundo.

A Associação de Cartunistas do Brasil (ACB) divulgou nota, lamentando o ocorrido e lembrou que os desenhistas sempre foram defensores dos fracos e oprimidos. Veja a íntegra:

"Mais uma vez estamos presenciando a barbárie na história humana com esse atentado de fundamentalistas islâmicos à revista de sátiras Charlie Hebdo, em Paris, nesta quarta-feira (7), matando 12 pessoas.

Entre os mortos estão o editor e chargista Charb (Stephane Charbonnier) os desenhsitas Cabu, Tignous e o famoso cartunista Wolinski. A revista já havia sofrido um ataque em novembro de 2011, numa tentativa dos terroristas em incendiar sua sede.

Em setembro de 2005 o jornal dinamarquês Jyllands-Posten publicou 12 charges que se utilizavam da imagem do profeta Maomé, que pela fé islâmica não pode ser representado em imagem qualquer, para atacar os radicais que se utilizam da religião para promoverem o terrorismo no mundo. Esse acontecimento inflamou a já difícil relação do ocidente com os povos islâmicos.

Por mais que um veículo de mídia, e no caso de desenhistas, possam estar desrespeitando a esses preceitos religiosos, não se justifica essa violência. Isso é prejudicial aos próprios povos do Islã, já que o termo islã está ligado a palavra árabe salam, que significa paz, o que indica o caráter pacífico e tolerante da fé islâmica.

Repudiamos, sempre, todo e qualquer modo de violência à liberdade de expressão. O desenhista é justamente o artista que busca a defesa dos mais fracos e oprimidos desde que as charges começaram há 200 anos. A palavra charge é francesa, e significa carga, por ser sempre uma carga crítica aos governos e dogmas que mancham os direitos humanos e a livre expressão. Esses mesmos desenhistas, mortos, foram críticos em suas vidas em relação aos governos que oprimem povos de países do terceiro mundo.

Casos de abusos sempre devem ser resolvidos nas formas jurídicas e de manifestações pacíficas para que o mundo saiba que somos seres humanos que se tratam como humanos, e não como irracionais.

Esperamos que esse triste acontecimento seja um exemplo de intolerância a ser varrido das relações humanas para que a morte desses jornalistas e desenhistas não seja em vão.

Estamos em luto total.

José Alberto Lovetro
Presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil – ACB
07 de janeiro de 2015"

Leia ainda: Jornal atacado é Pasquim da França

 

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar


Publicado em 07/01/2015 às 11h06

Jornal atacado em Paris é Pasquim da França

charlie hebdo capa Jornal atacado em Paris é Pasquim da França

Capa do semanário Charlie Hebdo: sempre polêmico - Foto: Reprodução

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O jornal satírico semanal francês Charlie Hebdo, que foi cenário de violento ataque terrorista em Paris nesta quarta-feira (7), quando homens armados fuzilaram a sede do jornal e mataram mais de uma dezena de pessoas, foi fundado em 1969, sob edição de François Cavanna.

Escrito em linguagem coloquial, o jornal tem traços semelhantes a O Pasquim, semanário brasileiro satírico que circulou entre 1969 e 1991, sendo retomado entre 2002 e 2004, com o título de O Pasquim 21.

Assim como seu irmão brasileiro, Charlie Hebdo também teve uma pausa em sua circulação. Ele funcionou até 1981, quando foi fechado, mas retomou suas atividades em 1992, sob comando de Phillipe Val. Este permaneceu no comando do semanário até 2009. A volta foi um sucesso e ele chegou a vender 100 mil exemplares por semana.

Críticas ferozes

A publicação, que sai toda quarta-feira, é de forte influência esquerdista, e sempre teve em charges, piadas e polêmicas seu ponto forte e que também sempre despertou polêmicas e crises internacionais, sobretudo com os povos islâmicos.

Libertário, o jornal sempre publica críticas ferozes não só à extrema direita como também às religiões, alfinetando tanto o catolicismo quanto o islamismo e o judaísmo.

Ódio islâmico

O jornal francês publicou um artigo em 2000, assinado por seu editor de então, Phillippe Val, que chamava os palestinos de “não-civilizados”. Na época, a jornalista Mona Chollet protestou contra o texto e foi demitida.

Outra polêmica aconteceu em 2009, quando o jornal publicou em sua capa uma caricatura do profeta Maomé, dizendo: “É difícil ser amado por idiotas”. A edição vendeu 160 mil cópias e outras 150 mil precisaram ser reimpressas às pressas. Além do sucesso comercial, a publicação atiçou a ira dos muçulmanos em todo o mundo. O jornal ganhou o ódio islâmico e foi processado por grupos islâmicos, mas ganhou a ação.

Na época, o presidente da França, Jacques Chirac, condenou a manchete, que poderia “inflamar paixões”. Já o presidente Nicolas Sarkozy e o atual François Hollande manifestaram, posteriormente, apoio ao jornal, defendendo “a liberdade de expressão”, uma das bases da sociedade francesa.

Provocação

Em 2011, a sede do jornal já havia sido atacada por terroristas. No ano seguinte, o jornal voltou a publicar charges de Maomé, inclusive com caricaturas do profeta nu. O ministro das Relações Exteriores da França na época, Laurent Fabius, falou que a publicação estava “derramando óleo em fogo”.

Na época, o jornal se defendeu, dizendo: “Nós fazemos caricaturas de todos. Só quando fazemos do Profeta é que isso é chamado de provocação”.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts Relacionados

Perfil

Miguel Arcanjo Prado é editor de Cultura do R7, onde está desde o começo do portal, em 2009. É jornalista formado pela UFMG e pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP. É crítico membro da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes). Nasceu em Belo Horizonte e mora em São Paulo desde 2007, quando ingressou no Curso Abril de Jornalismo. Ainda em Minas, estreou como cronista do semanário O Pasquim 21, passando por TV UFMG e TV Globo Minas. Na capital paulista, foi repórter da Contigo!, da Ilustrada na Folha Online e do Agora São Paulo, no Grupo Folha. Edita e apresenta a Agenda Cultural da TV Record News.

PUBLICIDADE

Home de Blogs +
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com