Publicado em 15/03/2015 às 08h28

O que escrevemos com luz

RM 2619OUT 2014 IM O que escrevemos com luz

Estação da Luz na década de 1970: exposição fotográfica de Cristiano Mascaro ocupa Pinacoteca de SP - Foto: Cristiano Mascaro

Por DAIA OLIVER*

Muita gente gosta de fotografia, mas poucos conhecem a arte de “escrever com luz”. Basta ver os criadores de imagens dos periódicos. Em meio a tanta informação escrita, somente alguns leitores tem a curiosidade de ler o nome do fotógrafo que captou a imagem ilustrada na matéria do jornal, da revista ou mesmo em sites.  Mas isso é um assunto para outro dia. Foi só para puxar a fogueira para a minha sardinha.

Hoje é a primeira vez que escrevo nesse espaço para falar de algo que vivo no dia a dia: a fotografia. Minha intenção é trazer para essa coluna um pouco de informação sobre a arte de fotografar, e suas diversas possibilidades, que vão muito além das câmeras — ainda que sejam dos celulares.

Parar o instante e eternizar o sentido, o sentimento, a história contada em um momento são apenas alguns dos princípios e objetivos da fotografia. Vale lembrar também que o “retrato” dos celulares e as fotos relevadas que guardamos no baú de família não são as únicas representações dessa arte do cotidiano.

A fotografia também está no cinema, de forma continua, dando a ambientação emotiva, de época, às vezes densa, sombria, ou lúdica. No teatro, a fotografia também acontece de forma contínua, expressada pela iluminação.

E antes de fazer qualquer registro, além da técnica é preciso encher a alma deste conhecimento do que não é dito ou escrito. É preciso afinar os olhos, ir a exposições fotográficas, assistir filmes — de fotografia ou com fotografia boa — e ir ao teatro contemplar a foto feita pela luz no palco.

Para o nosso primeiro encontro, separei três sugestões para começar ajustar as lentes dos seus olhos e preencher sua alma com a arte da fotografia.

Livro
Título: Fotografia de Palco
Autor: Lenise Pineiro
Editora: Senac São Paulo

birdman O que escrevemos com luz

Cena do filme Birdman, que levou quatro Oscar - Foto: Divulgação

Filme
Título: Birdman (A inesperada virtude da ignorância)
Ano: 2014
País: Estados Unidos
Direção: Alejandro González Iñárritu
Direção de fotografia: Emmanuel Lubezki Morgenstern

RM 2649OUT 2014 IM O que escrevemos com luz

Exposição de Cristiano Mascaro é grátis aos sábados e quintas após 17h - Foto: Cristiano Mascaro

Exposição
Fotografo: Cristiano Mascaro
Tema: Bom Retiro e Luz - Retratos do bairro do Bom Retiro e da Luz, em São Paulo, na década de 70.
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo (praça da Luz, 2, metrô Luz, São Paulo)
Quando: de terça a domingo, até 15 de abril
Horário: das 10h às 17h30
Preço: R$ 6 inteira, R$ 3 meia
Gratuito: menores de 10 e maiores de 60 anos; sábado para todos e quinta-feira depois das 17h

*DAIA OLIVER é fotojornalista do R7.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Posts relacionados

Publicado em 11/03/2015 às 17h00

#vaivENO: Liberdade Robocop por Eduardo Enomoto

enomoto roboco2 #vaivENO: Liberdade Robocop por Eduardo EnomotoFoto EDUARDO ENOMOTO

"Povos livres, lembrai-vos desta máxima: A liberdade pode ser conquistada, mas nunca recuperada."
Jean-Jacques Rousseau, filósofo suíço (1712-1778)

*Eduardo Enomoto é fotojornalista do R7. Sua coluna, #vaivENO, é publicada toda quarta aqui no blog R7 Cultura.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 11/03/2015 às 03h03

Beleza da mulher madura é tema de projeto da fotógrafa Silvana Garzaro

silvana garzaro fotografa fotografia campo das flores2 Beleza da mulher madura é tema de projeto da fotógrafa Silvana Garzaro

A fotógrafa Silvana Garzaro, em autorretrato: beleza da mulher madura em foco

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos SILVANA GARZARO

Ao passar dos 40 anos, Silvana Garzaro, uma das mais atuantes fotógrafas da cena paulistana, começou a se incomodar com o lugar que o Brasil dá às mulheres maduras.

Certo dia, na cobertura de um evento — atualmente, ela fotografa para a coluna da jornalista Sonia Racy, no Estadão, mas já passou por veículos como Folha, Época, Veja São Paulo, Contigo!, IstoÉ Gente e Flash, dentre outros — ouviu, atenta, a frase dita por uma senhora: "Você está com 41 anos? Então, se prepare, minha filha, porque depois dos 40 a mulher fica invisível, principalmente no Brasil".

Refletindo sobre a afirmação, Silvana chegou à conclusão de que, realmente, muitas mulheres maduras são substituídas tanto na vida amorosa quanto na profissional por outras mais jovens, como se fossem objetos descartáveis pelo uso.

Justamente para ir de encontro a este tipo de pensamento e valorizar a mulher que passou dos 40, Silvana criou o projeto Campo das Flores, inspirado no poema homônimo do mineiro Carlos Drummond de Andrade. Nele, deseja fotografar mulheres maduras que se disponham a posar para suas lentes nos próximos meses na cidade de São Paulo. No momento está em busca de apoio ao projeto, que pretende transformar em uma exposição e, quem sabe, em um livro.

"As pessoas maduras têm, sim, beleza, sensualidade e muitas capacidades", afirma. Como deseja realizar o projeto sem pressa, começou a fotografar as mulheres em 2012 e segue com o trabalho neste ano. "Estou encontrando mulheres maravilhosas, cheias de vida, encarando como uma massagem no ego o ensaio. Aprendo e troco com elas. Cada uma é bela como é, em qualquer idade, altura, peso, filho, loucuras e hormônios [risos]", finaliza.

Nota do Editor: Mulheres maduras residentes em São Paulo que desejem participar do projeto Campo das Flores, de Silvana Garzaro, podem entrar em contato com a fotógrafa nesta página.

11039614 10153082279932295 1885190797 o Beleza da mulher madura é tema de projeto da fotógrafa Silvana Garzaro

Silvana Garzaro, em autorretrato: fotógrafa tem olhar delicado para os encantos da mulher madura no projeto Campo das Flores - Foto: Silvana Garzaro

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Posts relacionados

Publicado em 06/03/2015 às 20h39

Fotógrafo une Buenos Aires e São Paulo pelo olhar

bruno giovannetti Fotógrafo une Buenos Aires e São Paulo pelo olhar

Um olhar para as duas maiores cidades da América do Sul - Foto: Bruno Giovannetti

Da EFE

Fragmentos e recortes de São Paulo e Buenos Aires, colhidos minuciosamente pela câmera fotográfica do ítalo-brasileiro Bruno Giovannetti, abriram nesta quinta-feira (5) a programação cultural do Instituto Cervantes da capital paulista.

A exposição Olhares Urbanos. São Paulo-Buenos Aires constrói um quebra-cabeças de imagens, peculiaridades e diferenças que oferecem ao visitante uma radiografia de duas das maiores metrópoles da América Latina.

"Passear pela cidade pode ser muito revelador, porque são os detalhes que mostram a personalidade de um centro urbano", opinou Giovanneti durante a inauguração da mostra no centro de difusão do idioma e da cultura espanhola da maior cidade do País.

Imagens metropolitanas com foco na arte urbana, imortalizada em ruas, avenidas e edifícios que, como disse o fotógrafo, "chamam a atenção de um estrangeiro, mas são comuns para os locais".

Aparecem assim dezenas de grafites, cartazes, letreiros e vinhetas como protagonistas de um percurso por lugares e cantos escondidos, que só o olhar atento de Giovanneti consegue capturar e deixar registrado.

Por isso, o projeto também é uma denúncia social dos aspectos que, na opinião do artista, "não funcionam". Giovannetti citou como exemplo a fachada deteriorada do museu mais visitado da capital, o Museu de Arte de São Paulo (MASP). "É a demonstração do maior desinteresse e negligência do capitalismo selvagem", comentou.

Por sua vez, o professor e antropólogo italiano Massimo Canevacci destacou a importância da arte na construção do legado das cidades, durante a conferência de abertura da exibição. "A arquitetura, a arte e a comunicação deveriam provocar um choque que favoreça uma nova invenção da metrópole", disse Canevacci antes de sentenciar que "São Paulo deve evoluir, não pode ficar estagnada".

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Posts relacionados

Publicado em 04/03/2015 às 03h05

Foto de antigamente fica em foco no Sesc Consolação

Blow Up Depois Daquele Beijo Foto de antigamente fica em foco no Sesc Consolação

Cena clássica de um ensaio fotográfico com máquina analógica no filme Blow Up, do diretor italiano Michelangelo Antonioni - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Quem se lembra da época em que tirar uma foto era um verdadeiro luxo? A gente comprava os filmes em rolo, com 12, 24 ou 36 poses (para os que tinham mais grana). Cada fotografia era pensada, já que eram caríssimas. E, depois, era preciso mandar revelar. E aguardar, ansioso, para ver como elas saíram.

Os tempos digitais jogaram tudo isso para escanteio, mas a programação especial Foto Retrô, no Sesc Consolação, em São Paulo, quer fazer exatamente o contrário: jogar foco na fotografia de antigamente.

Uma programação farta vai abordar a fotografia analógica, passando desde técnicas de impressão e revelação dos primórdios da fotografia até a análise de artistas que atualmente utilizam estas mesmas técnicas com olhares contemporâneos, por meio de encontros, oficina e minicurso.

Profissionais tarimbados da fotografia estão na programação: Kenji Ota, Wladimir Fontes, Fátima Roque, Stefani Alves e Brunna Pezzutti, Roger Sassaki, Elizabeth Lee, Thaís Bertolin e Patricia Bigarelli.

Para saber mais sobre o projeto e como se inscrever, clique aqui.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Posts relacionados

Publicado em 05/01/2015 às 03h08

Peru é desvendado em exposição de Martín Chambi

machu picchu martin chambi  Peru é desvendado em exposição de Martín Chambi

Imagem de Machu Picchu, no Peru, pela lente do fotógrafo Martín Chambi

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A beleza do Peru e de sua gente sempre foi o objeto artístico do fotógrafo peruano Martín Chambi (1891-1973). Ele foi pioneiro no registro de seu país.

Sua obra pode ser conferida de perto em São Paulo, na exposição Face Andina, em cartaz até 22 de fevereiro de 2015 no Instituto Moreira Salles (r. Piauí, 844, 1º andar, Higienópolis, tel. 0/xx/11 3825-2560).

A mostra traz 88 fotografias, além de 23 postais. Todas as fotografias expostas foram feitas entre as décadas de 1910 e 1960. A entrada é gratuita. A visitação acontece de terça a sexta, de 13h às 19h. Já sábado e domingo fecha uma hora mais cedo, às 18h.

Vida dedicada à fotografia

Martín Chambi nasceu no povoado de Coasa, província de Carabaya, departamento de Puno, próximo ao lago Titicaca. Começou a fotografar ainda jovem, ao obter uma colocação como assistente de fotógrafo na Mineradora Santo Domingo, na cidade de Cambaya, para onde seus pais se mudaram impulsionados pelo ciclo do ouro na região.

Já em Arequipa, em 1908, teve como mestre Max T. Vargas, célebre fotógrafo local, com quem trabalhou até montar seu próprio estúdio, em Sicuani, nove anos depois. Na ocasião, publicou, de forma pioneira no Peru, seus primeiros cartões-postais.

Segundo texto da mostra, o artista dedicou-se a registrar a população nativa do país, principalmente as etnias Quéchua e Aymará. Por sua origem indígena, Chambi buscou uma abordagem diferente da forma exótica comum à época. Registrou a humildade da vida andina sem desrespeitá-la, tornando seu trabalho reconhecido mundialmente, tanto pelo caráter etnográfico quanto pelo aspecto artístico.

Pioneiro em Machu Picchu

Ele foi um dos primeiros a fotografar Machu Picchu, a cidade sagrada dos incas, descoberta em 1911, Chambi ficou também conhecido como fotojornalista, tendo trabalhado nos jornais locais de Cusco. Teve fotos publicadas em outros países, como no jornal argentino La Nación e na revista National Geographic.

Chambi entendeu o Peru como uma nação mestiça e multicultural. Nas suas frequentes viagens pelos Andes, capturou imagens impressionantes de ruínas incas, bem como a cor local das paisagens desoladas e de seus habitantes. Ele conseguiu mesclar a tradição europeia, próxima da pintura, com os retratos em estúdio.

Chambi lançou um olhar antropológico e simultaneamente terno sobre o lado mais esquecido do país – aquele habitado pelos povos de origem pré-colombiana. O uso da luz natural e seu sentido de composição engrandeceram as imagens e os personagens retratados.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 12/11/2014 às 16h12

#VaivENO: Takeshita Street por Eduardo Enomoto

tokyo eduardo enomoto toquio #VaivENO: Takeshita Street por Eduardo EnomotoFoto EDUARDO ENOMOTO*
Enviado especial do R7 ao Japão

Takeshita street... Uma rua no bairro de Harajuku, em Tokyo, onde as "cosplays" compram suas roupas. Lugar descolado do Japão. Quem puder vá lá e conheça esta rua. Uma inundação de cores, diferenças e japoneses malucos. Brechós espalhados por todos os cantos. Referência mundial no mundo da moda. Para o meu amigo Miguel Arcanjo, Made in Japan. Arigatooooo!

Veja mais fotos de Enomoto no Japão

*Eduardo Enomoto é fotojornalista do R7. Sua coluna, #VaivENO, é publicada toda quarta aqui no blog R7 Cultura.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 29/10/2014 às 15h50

#VaivENO: Vamos Dividir? por Eduardo Enomoto

eduardo enomoto vamos dividir #VaivENO: Vamos Dividir? por Eduardo EnomotoFoto EDUARDO ENOMOTO

Dá para calcular o espaço onde duas pessoas se divertem ou o espaço onde 30 pessoas moram? Sim. Basta saber de qual lado do muro você está.

*Eduardo Enomoto é fotojornalista do R7. Sua coluna, #VaivENO, é publicada toda quarta aqui no blog.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Publicado em 22/10/2014 às 16h45

#VaivENO: Mamãe Natureza por Eduardo Enomoto

eduardo enomoto2 #VaivENO: Mamãe Natureza por Eduardo EnomotoFoto EDUARDO ENOMOTO

Cadê a água, cadê a chuva? Enquanto ela (tão esperada) não vem, jogue o lixo no lixo durante essa seca. Porque a natureza responde no mesmo tom. Já aprendeu a lição?

*Eduardo Enomoto é fotojornalista do R7. Sua coluna, #VaivENO, é publicada toda quarta aqui no blog.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

 

 

Posts relacionados

Publicado em 15/10/2014 às 03h08

#VaivENO: 20 Centavos por Eduardo Enomoto

eduardo enomoto1 #VaivENO: 20 Centavos por Eduardo EnomotoFoto EDUARDO ENOMOTO

Três anos antes dos protestos tomarem as ruas do Brasil, os 20 centavos já faziam muita diferença por ali. Tão pouco e tanto ao mesmo tempo. Qualquer moeda ajuda. Clique.

*Eduardo Enomoto é fotojornalista do R7. Sua coluna, #VaivENO, é publicada toda quarta aqui no blog.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Posts relacionados

Perfil

Miguel Arcanjo Prado é editor de Cultura do R7, onde está desde o começo do portal, em 2009. É jornalista formado pela UFMG e pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP. É crítico membro da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes). Nasceu em Belo Horizonte e mora em São Paulo desde 2007, quando ingressou no Curso Abril de Jornalismo. Ainda em Minas, estreou como cronista do semanário O Pasquim 21, passando por TV UFMG e TV Globo Minas. Na capital paulista, foi repórter da Contigo!, da Ilustrada na Folha Online e do Agora São Paulo, no Grupo Folha. Edita e apresenta a Agenda Cultural da TV Record News.

PUBLICIDADE

TOP COMENTARISTAS

  1. 1
    R7 Cultura » Mar de...89 comentários
  2. 2
    lbraslauskas46 comentários
  3. 3
    Phillipe20 comentários
  4. 4
    Luiz Sergio Nacinovic3 comentários
  5. 5
    DIONE2 comentários
  6. 6
    Rafael Carvalho2 comentários
  7. 7
    MAURO ALEXANDRE PEREIRA D...2 comentários
  8. 8
    pedro2 comentários
  9. 9
    Jael Kuster2 comentários
Home de Blogs +
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com