Posts de 07/07/2012

OCandodeGregório 261 <i>O Canto de Gregório</i> coloca o homem em xeque

Espetáculo tem questionamentos existencialistas com a brisa fresca de Recife

Por Miguel Arcanjo Prado

As reflexões acerca da índole natural do homem sempre atiçaram pensadores ao longo do tempo. E o cerne da obra O Canto de Gregório, que o Grupo Magiluth encena na Funarte de São Paulo, é exatamente este: o que é ser um homem bom?

O texto de Paulo Santoro, montado originalmente há oito anos por Antunes Filho e seu CPT (Centro de Pesquisa Teatral) ganha fôlego novo com os meninos de Pernambuco, sob direção de Pedro Vilela.

Sai Ariêta Correa, revelada como Gregório em 2004, e entra Pedro Wagner na pele do personagem atormentado pelo fato de ser acusado de ter assassinado um homem.

De ares que vêm de Kafka, a montagem mostra um homem que coloca seus princípios no divã. Pedro Wagner dá a seu Gregório um ar de desespero sem fim.

O cenário branco, assim como os figurinos na mesma cor do trio que faz embate a Gregório, este vestido em tom escuro, ajudam a dar à obra um ar inóspito e árido.

Afinal, quando os princípios norteadores se esvaem é mesmo difícil encontrar alguma certeza.

Vilela acerta ao fazer com que a plateia entre dentro dos devaneios e participe do julgamento do personagem, suspeito de ter cometido um assassinato.

Erivaldo Oliveira, Lucas Torres e Giordano Castro compõem o trio que ora afaga, ora atormenta Gregório, todos com entrega perceptível à obra. Estão intensos e presentes no palco, sobretudo nos fartos momentos de deboche.

Apesar da unidade do grupo, Giordano acaba por se destacar com sua presença cênica e charme. Um dos momentos em que chama a atenção sobre si é quando incorpora Buda, para deleite do público. Giordano dá leveza ao texto, servindo muitas vezes de alívio e respiro que a plateia busca diante do peso de tantos questionamentos.

Apesar de ainda se manter soturna e agonizante, os meninos do Magiluth trazem para a obra o frescor que só eles têm. Mesmo com questões existencialistas aterradoras, deixam tal agonia sob uma fresca brisa artística que vem do Recife.

magiluth OCandodeGregório 9 <i>O Canto de Gregório</i> coloca o homem em xeque

O Canto de Gregório
Avaliação: Muito bom
Quando: sábado, às 21h. Até 28/7/2012
Onde: Funarte (al. Nothmann, 1.058, Campos Elíseos, Metrô Marechal, São Paulo, tel. 0/xx/3662-5177)
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação: 18 anos

[r7video http://videos.r7.com/saiba-quais-atracoes-vao-agitar-criancas-e-adultos-neste-fim-de-semana-7-e-8-/idmedia/4ff71e97fc9ba08515aed19c.html]

Leia também: O trágico homem bom

Magiluth em SP: seis homens moram juntos em apartamento no Minhocão para viver de teatro

Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Malu Mader aplaude amiga Maria Luisa Mendonça

Nando Viana mostra stand-up gaúcho em São Paulo

Saiba quem já concorre ao Prêmio Shell no Rio e SP

Em mês olímpico, atores correm 42 km no palco

Surdos ganham linguagem de sinais nos teatros

Véspera tem filosofia de botequim em meio ao caos

Descubra agora o segredo de cada miss

Viva Zélia Gattai!

O Retrato do Bob: o charme de Giordano Castro

Conheça a musa e o muso do teatro de junho

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com