cristiano kunitake foto eduardo enomoto r7 4 Cristiano Kunitake, o bravo samurai do teatro

Cristiano Kunitake, muso do teatro lançado no espetáculo Barafonda - Foto: Eduardo Enomoto/R7

Por Miguel Arcanjo Prado
Fotos de Eduardo Enomoto

O ator curitibano Cristiano Kunitake  corre atrás do que quer. Aos 21 anos, conquista, a cada dia, São Paulo.

Integrante do do elogiado espetáculo Barafonda, da Cia. São Jorge de Variedades, se destacou no numeroso elenco e foi eleito muso do teatro pelos internautas do R7.

A montagem conta a história do bairro da Barra Funda, na zona oeste paulistana, onde ele conversou e posou para o Atores & Bastidores.

Filho de mãe brasileira, Vera, que morreu quando ele ainda era pequeno, e pai japonês, o também Cristiano Kunitake, chegou a morar no Japão com um tio por dois anos, no fim da infância. Mas, logo voltou aos cuidados da avó paterna no Paraná, Hideko Kunitake, de quem “sente muita saudade”.

Na adolescência, veio o interesse pelo teatro. Foi Andréa Pavelski, uma amiga desde a pré-escola, quem lhe apresentou novas possibilidades.

— Ela virou modelo e me disse que iria se mudar para São Paulo. Fiquei com vontade de fazer algo que não sabia bem o que seria. Mas queria ser alguma coisa, mesmo desse tamaninho.

cristiano kunitake samurai Cristiano Kunitake, o bravo samurai do teatro

Cristiano Kunitake: força de um samurai

Do alto de seu 1,60 metro e 55 quilos, Cristiano buscou cursos de interpretação na capital paranaense. Logo, se apaixonou pelo teatro. A busca pelo novo em cada cena lhe trouxe possibilidade profissional. A família japonesa não gostou da história. Mas não desistiu, mesmo diante do que diziam.

— Sempre me falaram que ia ser difícil, porque eu sou baixinho, japonês...

Deixou para a cabeça alheia os preconceitos. Correu atrás. Sua primeira peça foi Não É Mais um Dramalhão Mexicano, que agitou o Teatro Odelair Rodrigues durante o Festival de Curitiba de 2008.

Com os trabalhos, conseguiu seu sonhado registro de ator. Era o que faltava para dar um passo ainda maior: tentar a carreira em São Paulo.

Mesmo com a família contra, juntou R$ 500 e partiu rumo à metrópole, mesmo sem conhecer ninguém. Foi para um pensionato. Sobreviveu nem sabe como. Buscou emprego em todos os lugares. E o mais importante: não desistiu.

—Minha avó ficou preocupada, mas sempre acreditou na minha força de vontade. Lembro que no primeiro dia pensei: o que eu vou fazer, meu Deus? Fui procurar uma agência de atores. Nem dinheiro para fazer o book eu tinha. Eles foram legais e falaram que eu poderia pagar com o primeiro cachê.

Quando pensou que nada daria certo, conseguiu fazer um bom comercial, para a Coca-Cola Zero. Jamais vai se esquecer.

— Estava pronto para desistir e voltar para Curitiba. Aí fiz o teste e passei. Pensei: ou eu largo tudo de uma vez ou vou me doar por completo.

Resolveu investir a grana em seu aperfeiçoamento. Foi fazer o curso de interpretação para cinema da renomada Fátima Toledo – preparadora do elenco do filme Tropa de Elite. Lá, conheceu o amigo Anderson D’ Kássio, ator e cantor, que lhe falou que podiam dividir um apartamento e que havia uma tal companhia São Jorge de Variedades que estava selecionando elenco.

Foi bater à porta do grupo, na Barra Funda, com a cara e a coragem.

— Fui frequentando e, quando vi, estava completamente tomado pelo processo do espetáculo Barafonda. Este momento que estou vivendo hoje, com a São Jorge de Variedades, é o mais importante da minha carreira até o momento.

vida de republica Cristiano Kunitake, o bravo samurai do teatro

Kunitake (à dir.) na série Vida de República - Divulgação

Cristiano acaba de rodar o seriado Vida de República, para o canal Futura, dirigido por Janaína Fischer e Marcio Schoenardie, na Casa de Cinema de Porto Alegre. E ainda sonha fazer cinema e outros projetos na TV. Mas não pretende largar o teatro. Muito pelo contrário.

— Eu deixo rolar, mas sou trabalhador. Apanhei muito aqui em São Paulo, mas só me fez crescer. Quero viver experiências que só o teatro proporciona. Como vou dar vazão a tudo que quero comunicar às pessoas? Acho que o teatro é uma boa ferramenta.

Sem medo de trabalhar duro, Cristiano Kunitake mostra que tem tudo para chegar aonde quiser.

— Acho que tenho essa coisa de japonês, de querer fazer sempre bem feito, para ser o melhor. Meu plano é evoluir com a maior verdade que eu puder passar. Penso todos os dias por que faço isso... Estou tentando ainda descobrir. Mas uma certeza eu tenho: eu amo ser ator.

cristiano kunitake poster eduardo enomoto Cristiano Kunitake, o bravo samurai do teatro

Cristiano Kunitake: persistência de um guerreiro na batalha teatral - Foto: Eduardo Enomoto/R7

Veja mais fotos do ensaio do fotógrafo Eduardo Enomoto com o ator Cristiano Kunitake:

Peça desvenda o homem Kurt Cobain

Satyros’ Satyricon faz túnel sexual no submundo

Sérgio Ricardo assina musical do Nós do Morro

SP Escola de Teatro apresenta novidades no palco

O Canto de Gregório coloca o homem em xeque

Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Malu Mader aplaude amiga Maria Luisa Mendonça

Nando Viana mostra stand-up gaúcho em São Paulo

Saiba quem já concorre ao Prêmio Shell no Rio e SP

Em mês olímpico, atores correm 42 km no palco

Surdos ganham linguagem de sinais nos teatros

Véspera tem filosofia de botequim em meio ao caos

Descubra agora o segredo de cada miss

Viva Zélia Gattai!

O Retrato do Bob: o charme de Giordano Castro

Conheça a musa e o muso do teatro de junho

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Comente

"Cristiano Kunitake, o bravo samurai do teatro"

13 de July de 2012 às 12:30 - Postado por Miguel Arcanjo Prado

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com