denise fraga e cleyde yaconis e marco antonio braz 004 Cleyde Yáconis lê Nelson Rodrigues em noite de tensão e aplausos no Auditório Ibirapuera

Ao lado de Denise Fraga, a atriz Cleyde Yáconis, de 88 anos, é cumprimentada pelo diretor Marco Antônio Braz, após ler Nelson Rodrigues no Ibirapuera - Foto: Franciso Cepeda/AgNews

Por Miguel Arcanjo Prado

Cleyde Yáconis é um dos maiores nomes de nossos palcos. Não cabe questionamento. E é por isso que uma apresentação dela, sobretudo aos 88 anos, é obrigatória.

No último fim de semana, ela apresentou o espetáculo Elas Não Gostam de Apanhar, integrante das homenagens do Itaú Cultural ao centenário de Nelson Rodrigues. Na verdade, tratava-se de uma leitura de uma compilação de textos do autor sobre o mundo feminino, fazendo trocadilho com a célebre frase de nosso dramaturgo, sob direção de Marco Antônio Braz, especialista no mestre.

Cleyde teve a companhia de Denise Fraga na leitura dos textos. Na estreia, na última sexta (27), à qual o R7 assistiu, ambas estavam nervosas diante do Auditório Ibirapuera.

Foi Cleyde quem explicou o motivo do nervosismo ao público, após os aplausos finais: tiveram apenas dois dias para ensaiar.

Com o carinho da plateia, Cleyde roubou a cena a cada frase dita, mesmo diante da dificuldade em ler a letra miúda no calhamaço de papel que se desmanchava em suas mãos. Poderiam ter encadernado o texto, o que teria facilitado a vida da atriz veterana.

Apesar do acerto com as projeções, que ajudavam a quebrar o clima de uma leitura, a longa duração não colaborou. Não teria sido nada mau se o diretor tivesse cortado um pouco o texto. 

Mas Cleyde Yáconis demonstrou que pode tudo. Tanto que, quando um trecho não lhe saía a contento, não titubeava em recomeçar. Parceira, Denise Fraga serviu de ajuda fundamental, ajudando-a no acompanhamento do texto, quando ela se perdia com a letra pequenina.

Ao fim, Cleyde Yáconis foi ovacionada, claro. Educada, agradeceu. Apenas se assustou com o vaso de flores pesadíssimo trazido pelo diretor. Preferiu nem pegar.

Ciente da gafe, Marco Antônio Braz depositou o vaso no chão. Ao fim, Cleyde, elegantíssima, fez questão de se desculpar com o público e jogou a culpa pelas falhas no diretor. O público, mais uma vez, a aplaudiu de pé.

cleyde yaconis elasnaogostamdeapanhar francisco cepeda Cleyde Yáconis lê Nelson Rodrigues em noite de tensão e aplausos no Auditório Ibirapuera

Cleyde entre Denise e Braz: o vaso pesado terminou no chão - Foto: Francisco Cepeda/AgNews

O Retrato do Bob: Einat Falbel, toda a força de uma atriz pós-desilusão

Coluna do Miguel Arcanjo n° 183: Adeus, Playcenter

Mito morto há 60 anos, Evita foi atriz consagrada

Musical sobre Milton Nascimento custou R$ 1 milhão

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Comente

"Cleyde Yáconis lê Nelson Rodrigues em noite de tensão e aplausos no Auditório Ibirapuera"

30 de July de 2012 às 14:14 - Postado por Miguel Arcanjo Prado

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com