Foto de Bob Sousa

mario sergio cabral bob sousa O Retrato do Bob: Mario Sergio Cabral, a chama acesa do caçula do Magiluth
Por Miguel Arcanjo Prado

Mario Sergio Cabral é o caçula do Magiluth. Literalmente. É irmão mais novo de Pedro Wagner, também ator do grupo que faz e acontece em Recife. E foi por influência do irmão que Mario começou a fazer teatro em Guaranhuns, no interior de Pernambuco, onde viveu até os 18 anos.

Começou nos palcos em 2001 e logo ficou “maravilhado”. Aos 17, se enturmou com Erivaldo Oliveira, hoje também no Magiluth, e criou o grupo Abre as Pernas Cacilda!. Queriam “entrar pelas entranhas” do teatro nacional.

A primeira peça, Âmago, já abocanhou troféus no Festival de Inverno de Guaranhuns. “Dos 11 prêmios, ganhamos dez”, lembra, orgulhoso. Logo, Erivaldo e ele rumaram para Recife, a capital, onde o irmão Pedro já estava. Foi em 2009. “Cheguei em um tempo que já estava tudo fechado, então fiquei acompanhando os meninos do Magiluth na técnica”.

Em 2012, surgiu a grande chance. O diretor, Pedro Vilela, o convidou para a temporada do grupo na Funarte de São Paulo. “Ele me ligou no Dia das Mães. Disse para ele que eu não precisava pensar. Que eu ia”. Trancou a curso de artes cênicas da Universidade Federal de Pernambuco, largou o emprego e foi.

E valeu a pena. Na capital paulista, ganhou, aos 23 anos, seu primeiro papel como ator na companhia, na versão dos rapazes para Viúva Porém Honesta, de Nelson Rodrigues. Desde então, se apresentou com o grupo no Rio, em Salvador e na consagradora sessão no Teatro Santa Isabel, no Recife: “Tinha fila que dava volta no quarteirão”.

Sobre ter sido eleito Muso do Teatro do R7 no último mês de agosto, com 8.650 votos – a maior votação já conquistada por um ator no concurso até o momento –, ele brinca, lembrando de uma frase que Thiago Liberdade, ator que integrou o começo do Magiluth, gostava de falar. “Ele sempre dizia: ‘Gente, vocês precisam chamar o Mario Sergio, tem de ter um homem bonito no Magiluth’” [risos]. Conta que a rapaziada não ficou com ciúme. “Eles abraçaram minha campanha”. E faz questão de ressaltar uma ajuda fundamental: “Da minha namorada, Clarice Mendes”. O amor é lindo.

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Comente

"O Retrato do Bob: Mario Sergio Cabral, a chama acesa do caçula do Magiluth"

22 de October de 2012 às 12:22 - Postado por Miguel Arcanjo Prado

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com