sabato magaldi foto bob sousa8 Livro reúne 783 críticas do mestre Sábato Magaldi

Sábato Magaldi, na biblioteca de sua casa, em pose exclusiva para Bob Sousa - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Foto BOB SOUSA

O jornalista e escritor belo-horizontino Sábado Magaldi fez história na crítica teatral brasileira. Apesar de ter estudado direito na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), foi em São Paulo, cidade onde ainda vive, que fez carreira na imprensa. O artista completa 88 anos no próximo dia 9 de maio.

O presente não vem só para ele, mas também para todos os admiradores de sua obra, marco na história do teatro nacional: as Edições Sesc SP acabam de lançar o livro Amor ao Teatro, com 783 textos escritos pelo mineiro entre 1966 e 1988, reunidos em 1224 páginas. O preço é R$ 154.

Edla Van Steen, mulher de Magaldi, foi quem fez a organização do volume e contou com assessoria de José Eduardo Vendramini. Magaldi é membro da Academia Brasileira de Letras e doutor pela USP (Universidade de São Paulo).

sabato magaldi Livro reúne 783 críticas do mestre Sábato Magaldi

Capa de Amor ao Teatro, de Sábato Magaldi - Foto: Divulgação

Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo, afirma que “a crítica continua tendo relevância para a evolução dos movimentos que surgem a todo instante”. E ainda vai além: “A crítica não faz um papel de rechaçar ou de tentar moldar os fazeres artísticos; seu papel é o da reflexão, do embasamento teórico, histórico e prático, que faz do crítico um elemento necessário, um ponto de referência ao desenvolvimento das artes”, pontua.

Para o colega Jefferson Del Rios, crítico de teatro do jornal O Estado de S. Paulo e membro da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual , a constância do mineiro na cobertura teatral o fez respeitado nacional e internacionalmente. “Somos todos seus devedores, artistas, alunos de várias gerações e discípulos de crítica”, avalia.

O lançamento será no dia 24 de março, 19h, no Teatro Anchieta do Sesc Consolação (r. Dr. Vila Nova, 245).

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

camila araujo bobsousa O Retrato do Bob: O toque de Camila AraújoFoto BOB SOUSA
Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A atriz Camila Araújo dá os primeiros passos no palco, onde começou bem cedo, aos 12 anos. Tem como mestres gente como Erika Bodstein e Valéria Marchi. Também estão na lista Paulo Marcos Brito, Erik Gallani, Sérgio Ferrara e Brian Penido Ross. Após concluir os primeiros estudos teatrais, foi trabalhar com Marcelo Marcus Fonseca em seu Teatro do Incêndio. Recentemente, juntou-se ao diretor Leonardo Medeiros na peça As Palavras da Chuva, com o Teatro da Rotina. Por onde passa, deixa seu toque.

*BOB SOUSA é fotógrafo e autor do livro Retratos do Teatro (Editora Unesp). Sua coluna O Retrato do Bob é publicada no Atores & Bastidores do R7 toda segunda-feira, com grandes nomes dos palcos. Já às sextas, a coluna O Retrato do Bob sai no blog R7 Cultura, com personalidades do mundo cultural.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

lamalditavanidad Crítica: Colombianos dão aula de drama realista na MITsp

Matando o Tempo, com o grupo La Maldita Vanidad: aula de atuação verossímil - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Em meio a tanta pós-modernidade, coube aos colombianos do grupo La Maldita Vanidad apresentar um drama realista na MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo): Matando el Timpo (Matando o Tempo, em português).

Na verdade, o grupo mergulha no hiper-realismo para contar a história de uma conturbada família da elite colombiana, que poderia ser da elite argentina, peruana ou brasileira.

Apresentada no histórico prédio da Oficina Cultural Oswald de Andrade, no Bom Retiro, a obra coloca o público no lugar de espia, como se enxergasse por uma fresta o que acontece na sala de jantar da família.

Os atores apostam em uma atuação que mistura força e delicadeza, fazendo com que o público não duvide estar dentro de um longo plano sequência. Os artistas conseguem um registro cheio de verossimilhança, raro de se ver em palcos brasileiros. Dão aula de atuação.

Se tudo começa como um elegante jantar, logo descamba para o afloramento das tramas e hipocrisias que mantêm a elite no poder, num jogo perverso de silêncios, tramoias e humilhações.

Ao reconstruir com perfeição tal comportamento dos que detêm o dinheiro, a obra dirigida por José Hugo Marín torna-se um espelho cruel dos poderosos nos países latino-americanos, sempre com sua ideia fixa de copiar a Europa e os Estados Unidos. E mais: gente que não abandona comportamento escravocrata internalizado e faz questão de manter o desprezo pelos interesses da população como um todo. Tais seres preferem focar apenas em seus próprios umbigos, manipulando "verdades" e zombando a todo instante do sistema viciado. E de todos nós.

Matando o tempo, do grupo La Maldita Vanidad
Avaliação: Muito bom
Avaliacao Muito Bom R7 Teatro PQ Crítica: Colombianos dão aula de drama realista na MITsp

Leia a cobertura completa do R7 na MITsp!

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

ENO 0055 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Marba Goicochea e Fransérgio Araújo: ponte teatral entre Brasil e Peru - Foto: Eduardo Enomoto

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Você já foi ao Peru?
A atriz peruana radicada em São Paulo Marba Goicochea e o ator e diretor brasileiro Fransérgio Araújo estão de malas prontas para o Peru. Eles farão em abril um projeto de residência do Teatro Selvagem na Casa de la Literatura Peruana, a Caslit, em Lima.

Apoio lá fora
Marbita e Fransérgio contam com o apoio do diretor peruano Mario Alejandro, do grupo Cuatrotablas, um dos mais importantes do país andino, para o projeto de residência.

Enquanto isso no Brasil...
Agora reconhecido internacionalmente, o Teatro Selvagem não conseguiu apoio em sua própria terra. Uma vergonha.

ENO 00591 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Marba Goicochea e Fransérgio Araújo pretendem peregrinar pela América Latina com o Teatro Selvagem e pesquisar culturas indígenas - Foto: Eduardo Enomoto

Tradução
Fransérgio e Marba vão apresentar a peça O Mal Dito, que foi traduzida por ela para o castelhano e agora se chama El Mal Dicho. É que Marba também dá aulas de espanhol para paulistanos privilegiados. A obra é baseada no autor uruguaio Isidore Ducasse.

Loco por ti
Fransérgio e Marba contaram à coluna que pretende continuar a pesquisa do Teatro Selvagem em outros países da América Latina, com foco, sobretudo, nas culturas indígenas. Fazem muito bem.

ENO 0098 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Rene Ramos, na praça Roosevelt, em São Paulo: peça sobre homem urbano - Foto: Eduardo Enomoto

Um dia de fúria
O ator Rene Ramos estreou nesta quinta (12) a peça Ulisses e Odisseu, no Espaço dos Parlapatões, na praça Roosevelt, em São Paulo. Ele ficará por lá até o fim de abril, sempre às quintas, às 21h. Ele conversou com o blog sobre o espetáculo, que mistura mitologia grega com a loucura em que vive o homem urbano. Veja o vídeo:

Quem vem de longe
José Eduardo Vendramini baseou-se em história reais de imigrantes libaneses para escrever a peça Cartas Libanesas, que estreia no dia 20 de março, no Sesc Ipiranga. A direção é de Marcelo Lazaratto. No palco, o ator Eduardo Mossri. Viva o respeito ao imigrante.

chuva constante Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cena da peça Chuva Constante: da Broadway para o Teatro Vivo, em SP - Foto: Divulgação

Chiques e famosos
Uma penca de celebridades foi ao Teatro Vivo, em São Paulo, nesta quinta, acompanhar a estreia da peça Chuva Constante, com o galã Malvino Salvador.

A caminho de Hollywood
A obra de Keith Huff fez sucesso na Broadway. A montagem carioca tem direção de Paulo de Moraes. No elenco, também está Luiz Fernando Coutinho. O texto mostra o embate de dois grandes atores. Em Nova York, o elenco foi composto por Daniel Craig, o James Bond, e Hugh Jackman, o Wolverine. Steven Spielberg planeja transformar a peça em filme. Eita.

Foto Joao Caldas Fº 103037 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Lulu Pavarin e Ester Laccava estão juntinhas em Quando Eu Era Bonita - Foto: João Caldas

Sinopse
“Uma mesa de bar e duas mulheres. Entre um remedinho aqui e uma bebidinha ali, elas dançam, falam mal dos outros, e lembram, sem nenhum pudor, da época em que bebiam e nem ficavam bêbadas... pelo menos não tão bêbadas. Mas isso faz muito tempo, quando elas eram bonitas, porque hoje... bom, hoje...deixa pra lá”.

É hoje o dia
Esta aí acima é apenas a sinopse da peça Quando Eu Era Bonita, que estreia nesta sexta (13), às 21h, no Espaço dos Parlapatões, após fazer sucesso no último festival Satyrianas. A obra escrita e dirigida por Elzemann Neves traz um embate cênico poderoso: no palco estão nada mais nada menos do que Ester Laccava e Lulu Pavarin (a coluna usou ordem alfabética nos nomes para não dar briga, tá?). A obra fica em cartaz até 1º de maio, toda sexta, 21h. A coluna vai à estreia, é claro.

Agenda Cultural da Record News

Sexo perverso
Acontece nesta sexta (13), a partir da meia-noite, o primeiro ensaio aberto do retorno da peça A Filosofia da Alcova. A obra, baseada em Marquês de Sade, fez história com o Satyros sob direção de Rodolfo García Vázquez. Agora, está de volta para a alegria dos fãs da trupe underground.

Sexo perverso 2
Quem não se aguenta para ver a obra de novo fique esperto: o ingresso custa R$ 5 e a bilheteria abre às 23h. A apresentação marca a reabertura do antigo Satyros 2 que agora chama-se simplesmente Estação Satyros. A previsão de estreia de A Filosofia da Alcova é para o mês de abril.

phedra bobsousa2 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Phedra D. Córdoba está no elenco de A Filosofia da Alcova, de Marquês de Sade - Foto: Bob Sousa

Sexo perverso 3
No elenco, ainda há nomes da antiga montagem como a diva cubana Phedra D. Córdoba e o ator Henrique Mello. Mas, a grande maioria do elenco é nova. Entre os novatos estão Bel Friósi, Felipe Moretti, Suzana Muniz e Stethane Sousa, entre outros. A coluna vai também hoje à noite, é claro.

Liquidificador artístico
A ópera, o teatro e a dança se misturam no espetáculo O Burguês Nobre, que estreia neste sábado (14), às 20h, no Espaço Núcleo, no Ipiranga, em São Paulo. A produção do NUO (Núcleo Universitário de Ópera) tem direção de Paulo Maron. Vai, gente.

ivam cabral bob sousa3 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Ivam Cabral: ele vai dirigir a entrega da APCA e ainda vai receber o troféu de melhor espetáculo para Pessoas Perfeitas - Foto: Bob Sousa

Igual ao Oscar
Ivam Cabral vai dirigir a cerimônia de entrega do Prêmio APCA, que promete abalar as estruturas das artes brasileiras na próxima terça (17), no Teatro Paulo Autran, no Sesc Pinheiros, em São Paulo. Ele revela à coluna que prepara muitas novidades para o evento. A grande mudança será na dinâmica de apresentação dos ganhadores. Vai ser tão diferente do que já foi feito que a plateia sentirá um verdadeiro impacto profundo. Esperemos.

Não foi culpa do Rafinha
Falando em Ivam, agora como diretor da SP Escola de Teatro, ele falou à coluna que o adiamento da roda de conversa sobre humor na instituição neste sábado (14) não foi por conta da resistência dos aprendizes ao nome de Rafinha Bastos. Mas, sim, porque o ator Domingos Montagner, que participaria também do encontro, tinha gravação de novela no Rio. Além de Rafinha e Domingos, os outros palestrantes seriam Mario Viana e Raul Barretto, que coordena o curso de humor da SP. Ainda não há previsão de outra data para a roda de conversa.

CAFE COM QUEIJO foto Tina Coelho Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cena da peça Café com Queijo, do Lume Teatro: temporada em São Paulo - Foto: Tina Coelho

Lume em SP
Aclamado grupo de Campinas, o Lume Teatro faz ocupação no Sesc Campo Limpo, em São Paulo, para celebrar seus 30 anos de história. E o melhor: a programação, que tem dois espetáculos, um bate-papo e um workshop, é de graça. Neste fim de semana tem a peça Café com Queijo, peça criada em 1999. Já entre 20 e 22 de março é a vez de Pupik – Fuga em 2.

Problemas na MITsp
Foi raridade uma peça começar no horário divulgado na 2ª MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). O público também sofreu com mudança de endereço de espetáculos de última hora e também de horário. Teve gente de outros Estados que se planejou para acompanhar o festival e foi prejudicada com as mudanças, inclusive tendo de perder peças que contava ver por conta das alterações. E essas pessoas investiram em passagem aérea, hospedagem... A coluna procurou a assessoria da MITsp, que não se pronunciou até o momento.

AHIA 4 Nacho Gómez1 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Peça vinda de Barcelona recriará esconderijo de Osama no Sesc Santana - Foto: Nacho Gómez

Cadê o Osama?
O esconderijo de Bin Laden vai ser transferido para o palco do Sesc Santana, em São Paulo, pelo menos nos dias 21 e 22 de março. É a peça Uma Casa na Ásia, da companhia espanhola Agrupación Señor Serrano. Na obra, o grupo recria o esconderijo do terrorista às vésperas de sua morte. Vai dar o que falar.

Beija eu
Os meninos da Cia. de Teatro Acidental se inspiraram em O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues, para criar sua nova peça, que estreia nesta sexta (13), na Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo. O nome é gigante, como está na moda: O Que Você Realmente Está Fazendo É Esperar o Acidente Acontecer (ufa!). Carlos Canhameiro, da Cia. Les Commediens Tropicales, dirige o espetáculo.

Tá quase pronto
A peça Ludwig e Suas Irmãs já marcou data de estreia no Centro Cultural São Paulo. Será no dia 3 de abril. No elenco, Cléo De Páris, Lavínia Pannunzio e Jorge Emil. Eric Lenate dirige. O espetáculo foi criado a partir da obra Ritter, Dene, Voss, do autor austríaco Thomas Bernhard. Que chique.

shell 15 bobsousa121 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Luciano Chirolli e Maria Alice Vergueiro: peça nova em abril em São Paulo - Foto: Bob Sousa

Cavalgada
Luciano Chirolli avisou a coluna que volta aos palcos no dia 10 de abril, na peça Why The Horse? (Cadê o Cavalo, em tradução livre), no Sesc Santana. A dramaturgia é de Fábio Furtado. No elenco, estão ainda Robson Catalunha, Carolina Splendore e Alexandre Magno. A direção é de Maria Alice Vergueiro, que completou 80 anos neste ano.

Turnê
A peça vai fazer verdadeira peregrinação pelos palcos paulistanos. Após o Sesc Santana, vai para os teatros municipais Alfredo Mesquita e João Caetano, em junho, e, em julho, aporta no Teatro Cacilda Becker. Coisa boa.

Teoria e prática
Maria Alice confessa a coluna que o formato da peça é o happening e que se baseou no trabalho de Alejandro Jodorowsky, mestre que faz questão de seguir. Então, tá.

O que faremos?
O Coletivo Quizumba faz entre 11 e 12 de abril sua 2ª Assembleia de arte. A grande pergunta será: como fazer teatro para jovens? Ai, que resposta difícil!

A viagem
Os gaúchos da Cia. Cênica estão em polvorosa. É que farão temporada da peça O Feio em São Paulo, no Teatro Sérgio Cardoso. Serão apenas três apresentações: 14, 15 e 16 de abril. Portanto, programe-se. Depois, não diga que a coluna não avisou.

o feio Cópia Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Do RS para SP: O Feio fará temporada no Teatro Sérgio Cardoso - Foto: Divulgação

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

releasereneramos1 Vídeo   Peça mistura fúria no trânsito com mitologia grega; veja entrevista com ator Rene Ramos

Rene Ramos em cena de Ulisses e Odisseu: caos urbano e mitologia - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O ator Rene Ramos encara o monólogo Ulisses e Odisseu, que estreia nesta quinta (12), às 21h, no Espaço dos Parlapatões (praça Roosevelt, 158, metrô República, São Paulo, tel. 0/xx/11 94938-3862). A temporada será toda quinta, 21h, até 30 de abril. Na obra, Ramos faz um paralelo entre o mundo estressante de hoje com a mitologia grega. Nesta entrevista, ele conta mais sobre a montagem, que também conta com direção e dramaturgia assinadas por ele. Veja o vídeo com reportagem de Miguel Arcanjo Prado, produção e imagens de Robert Mathias.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

rafinha bastos Rafinha Bastos gera revolta em alunos da SP Escola de Teatro e palestra é adiada

Aprendizes da SP Escola de Teatro não concordaram em receber Rafinha Bastos na instituição - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Os estudantes da SP Escola de Teatro, em São Paulo, ficaram revoltados quando souberam que o humorista Rafinha Bastos, atual apresentador do programa Agora É Tarde, havia sido convidado pela instituição para participar de uma roda de conversa sobre humor neste sábado (14).

Os aprendizes, como são chamados os alunos da escola, se mobilizaram nas redes sociais. Expuseram montagens com fotos e frases polêmicas do comediante, acusado de ser preconceituoso com várias minorias sociais.

Os estudantes argumentaram junto à direção da SP, por meio de carta aberta que, caso Rafinha Bastos aparecesse na escola, sofreria boicote dos alunos e que estes ainda fariam protesto na porta da instituição durante o encontro.

Os aprendizes ainda lembraram que março é o mês da mulher e que Rafinha Bastos já declarou coisas como: "Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho" e que, recentemente, riu e aplaudiu quando, em seu programa, o ator Alexandre Frota contou que fez sexo com uma mulher desacordada. Os estudantes ainda quiseram saber se Rafinha havia cobrado cachê da instituição e de quanto seria o valor pago.

Diante da forte pressão estudantil, a SP Escola de Teatro divulgou, na noite desta quarta (11), em seu site, que a palestra sobre humor da qual Rafinha Bastos participaria foi adiada, sem citar o episódio com os aprendizes.

A escola disse que por "compromissos artísticos inadiáveis de um dos participantes" o evento foi adiado. E não forneceu uma data futura de realização do encontro chamado Roda de Conversa e que contaria também com o dramaturgo Mario Viana, o ator e palhaço Domingos Montagner e contaria com mediação de Raul Barretto, palhaço do Parlapatões e coordenador do curso de humor da SP Escola de Teatro.

Você apoia os aprendizes da SP Escola de Teatro que não querem uma palestra de Rafinha Bastos?

  • Sim, acho que Rafinha não tem nada a ensinar sobre humor aos aprendizes de uma escola de teatro.
  • Não, acho que é importante conhecer mais sobre um artista como Rafinha e entender por que consegue sucesso no mercado atual.
 Rafinha Bastos gera revolta em alunos da SP Escola de Teatro e palestra é adiada

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Veja, abaixo, a carta aberta dos aprendizes da SP Escola de Teatro sobre o episódio Rafinha Bastos.

rafinha sp carta aberta Rafinha Bastos gera revolta em alunos da SP Escola de Teatro e palestra é adiada

Print da carta aberta dos aprendizes da SP Escola de Teatro - Foto: Reprodução

Publicação do adiamento do encontro que teria participação de Rafinha no site da SP Escola de Teatro nesta quarta (11):

rafinha sp escola de teatro Rafinha Bastos gera revolta em alunos da SP Escola de Teatro e palestra é adiada

Após protesto estudantil, SP Escola de Teatro adiou ida de Rafinha Bastos à instituição - Foto: Reprodução/Site SP Escola de Teatro

Aprendizes fizeram fotomontagem com frases polêmicas de Rafinha Bastos:

rafinha frase Rafinha Bastos gera revolta em alunos da SP Escola de Teatro e palestra é adiada

Rafinha Bastos: ele foi rejeitado pelos estudantes dos cursos da SP Escola de Teatro, que lembraram em montagens as frases polêmicas que ele já disse - Foto: Reprodução

Dê sua opinião!

Você apoia os aprendizes da SP Escola de Teatro que não querem uma palestra de Rafinha Bastos?

  • Sim, acho que Rafinha não tem nada a ensinar sobre humor aos aprendizes de uma escola de teatro.
  • Não, acho que é importante conhecer mais sobre um artista como Rafinha e entender por que consegue sucesso no mercado atual.
 Rafinha Bastos gera revolta em alunos da SP Escola de Teatro e palestra é adiada

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

rodolfo garcia vazquez denise del vecchio premio shell 2015 bob sousa Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Rodolfo García Vázquez, o melhor autor (ao lado de Ivam Cabral) e Denise Del Vecchio, a melhor atriz, discursam durante cerimônia do Prêmio Shell de Teatro em SP - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos BOB SOUSA

Os vencedores do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo foram conhecidos em cerimônia realizada no espaço Villa Vérico, na capital paulista, na noite desta terça (10).

O evento, apresentado por Mariana Lima, reuniu personalidades da cena teatral paulistana. As peças que abocanharam maior quantidade de prêmios, com dois troféus cada uma, foram Trágica.3 (atriz e figurino), Não Vejo Moscou da Janela do Meu Quarto (iluminação e direção) e Caros Ouvintes (cenário e música). Veja lista completa dos ganhadores.

Rodolfo García Vázquez, do grupo Os Satyros, subiu ao palco para receber o prêmio de melhor autor por Pessoas Perfeitas, escrita em parceria com Ivam Cabral, que não pode comparecer à festa  por estar se recuperando de tratamento médico contra um tumor.

“É uma pena o Ivam não estar aqui, mas ele está se recuperando. Pessoas Perfeitas nasceu de um roteiro de longa que transpusemos para o teatro. A participação dos atores foi fundamental neste processo”, discursou enquanto os integrantes do Satyros o aplaudiam, eufóricos.

Silvana Garcia, que levou melhor direção por Não Vejo Moscou da Janela do Meu Quarto, lembrou em sua fala que já integrou o júri do prêmio. “Já estive no júri e sei que não é um lugar confortável. Você sai daqui amado por poucos e odiado por muitos. Eu amo vocês”, disse, dirigindo-se aos jurados paulistanos: Carlos Colabone, Evaristo Martins de Azevedo, Lucia Camargo, Mario Bolognesi e Renata Melo. Ela ainda alfinetou a imprensa, lembrando que a peça “é um produção à margem, que não teve apoio da grande mídia”.

O melhor ator, Rubens Caribé, por Assim É (se lhe Parece), ficou bastante emocionado quando seu nome foi anunciado por Mariana Lima. No palco, afirmou que “quis muito esse momento”, mas que duvidou dele “até o fim”.

Já Denise Del Vecchio, que saiu do palco aos prantos, contou que este ano foi a primeira vez que havia sido convidada para uma entrega do Prêmio Shell de Teatro. Ao receber o prêmio de melhor atriz, por Trágica.3, discursou: “Estou muito emocionada e agradecida por terem me escolhido já nesta altura da minha carreira. No momento que vem um certo desânimo, vem um sopro de alegria. Acreditamos que neste momento de tanto caos e horror, o que nós fazemos no palco possa ser uma fagulha de luz”.

shell 15 bobsousa7 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Paulinho Farica, Mel Lisboa e Dário José comemoraram prêmio Inovação para a Cia. Pessoal do Faroeste - Foto: Bob Sousa

Ao receber o prêmio de Inovação, o diretor Paulinho Faria, da Cia. Pessoa do Faroeste, disse que deseja recuperar o cinema na região da Boca do Lixo, em São Paulo, onde está instalada a companhia que tem a atriz Mel Lisboa em seu elenco. A região no centro paulistano foi pólo cinematográfico nos anos 1970 e 1980 e hoje está entregue aos usuários de crack.

No fim da cerimônia, o grande homenageado da noite foi César Vieira, do Teatro União e Olho Vivo. Ele lembrou seu trabalho com moradores de rua e ainda citou a Gaviões da Fiel, torcida e escola de samba do Corinthians, em seus agradecimentos.

shell 15 bobsousa15 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

César Vieira, do Teatro União e Olho Vivo, falou da censura e também celebrou Heleny Guariba, assassinada pelos militares, e Augusto Boal, que morreu em 2009 - Foto: Bob Sousa

O diretor ainda lembrou que 632 peças sofreram censura durante a ditadura militar. E pediu aplauso farto para Heleny Guariba, “atriz assassinadas pelos militares e cujo corpo jamais foi encontrado” e “para o mestre Augusto Boal”, diretor e teórico brasileiro do teatro que morreu em 2009.

A parte do público que ainda estava no salão o aplaudiu de pé — outra parte, desrespeitosa, não esperou o discurso do diretor e rumou desesperada para a barra de bebidas.

Veja mais fotos de quem foi à entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro:

shell 15 bobsousa18 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Letícia Sabatella, da peça Trágica.3, que levou dois prêmios - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa11 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Mariana Lima foi a apresentadora da noite de gala do teatro - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa3 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

A diva cubana Phedra D. Córdoba foi com visual exuberante - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa141 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Denise Del Vecchio se emocionou ao receber o Shell pela primeira vez - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa1 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

O assessor Sylvio Novelli foi acompanhado da filha, Isabela Novelli - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa6 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Mel Lisboa chamou a atenção com seus cabelos curtinhos - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa16 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

A pesquisadora teatral Simone Carleto também foi ao prêmio - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa10 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Atriz do Satyros e musa dos palcos, Cléo De Páris compareceu à noite de gala - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Os críticos de teatro da APCA também marcaram presença: a partir da esq., Miguel Arcanjo Prado (editor de Cultura do R7), Edgar Olimpio de Souza, Maria Lúcia Candeias, Celso Curi, Vinício Angelici e Evaristo Martins de Azevedo, também jurado do Shell - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa81 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Daniel Gaggini (de óculos, ao centro) e a turma do projeto Vira-Latas de Aluguel, indicado na categoria Inovação - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa12 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Luciano Chirolli, indicado a melhor ator por Gotas D'Água sobre Pedras Escaldantes, posa com a amiga Maria Alice Vergueiro, que levou o Prêmio Shell especial em 2011 - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa19 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

O pesquisador de teatro Alexandre Mate conversa com o crítico José Cetra Filho - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa2 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

O ator Juan Manuel Tellategui prestigiou a festa do teatro - Foto: Bob Sousa

shell 33 bobsousa Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Marco Antônio Pâmio, indicado a melhor diretor por Assim É (se lhe Parece) - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa41 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Musa dos palcos e do cinema, Gilda Nomacce foi indicada a melhor atriz por Gotas D'Água sobre Pedras Escaldantes - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa171 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Fernanda Capobianco parabeniza Gilda Nomacce pela indicação ao Prêmio Shell - Foto: Bob Sousa

shell 15 bobsousa131 Saiba como foi entrega do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Rodolfo García Vázquez discursa ao receber o Shell de melhor autor e lamenta a ausência de Ivam Cabral, que escreveu a peça Pessoas Perfeitas com ele - Foto: Bob Sousa

 

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

denise del vecchio Veja os vencedores do 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

Denise Del Vecchio: melhor atriz no 27º Prêmio Shell de Teatro de SP por Trágica.3 - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo foi entregue na noite desta terça (10), em cerimônia que reuniu boa parte da classe teatral paulistana e teve apresentação de Mariana Lima. Os melhores no ano de 2014 receberam a estátua em forma de concha e R$ 8.000. Veja, abaixo, quem a lista completa dos ganhadores:

Autor
Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez por Pessoas Perfeitas

Direção
Silvana Garcia por Não Vejo Moscou da Janela do Meu Quarto

Ator
Rubens Caribé por Assim É (Se lhe Parece)

Atriz
Denise Del Vecchio Trágica.3

Cenário
Marco Lima por Caros Ouvintes

Figurino
Glória Coelho por Trágica.3

Iluminação
Beto Bruel por Não Vejo Moscou da Janela do Meu Quarto

Música
Ricardo Severo por Caros Ouvintes

Inovação
Cia Pessoal do Faraoeste pelo trabalho de ocupação e intervenção social e artística que contribui para transformação e revitalização urbanas da região da Luz

Homenagem
César Vieira pela trajetória artística junto ao Teatro União e Olho Vivo e atuação política na defesa da classe teatral

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

winits Corajosa, Danielle Winits se arrisca a virar diretora de teatro

Danielle Winits agora quer ser diretora de teatro também - Foto: AgNews

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A notícia mais impactante do mundo teatral no último fim de semana não foi o começo da MITsp, a Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, mas, sim, a estreia da atriz Danielle Winits como “diretora teatral”.

É louvável a tentativa da atriz de alçar outros patamares em sua carreira artística, mas, fato é, que ela precisa ainda de muito estudo e experiência antes de assumir efetivamente a mesma função exercida por nomes como Antunes Filho e Zé Celso Martinez Corrêa.

Winits começou como diretora de uma peça adolescente: A-traídos, que estreou no fim de semana em Aracaju, Sergipe, e fará turnê pelo País.

Uma sugestão: a próxima incursão no teatro da loira poderia ser dirigir Luana Piovani no teatro infantil.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

mudanca habito bob sousa3 Ex Rouge consegue papel de estrela de Hollywood

No topo da carreira: Karin Hils é a protagonista do musical Mudança de Hábito, em São Paulo - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos BOB SOUSA

O Atores & Bastidores do R7 acompanhou o musical Mudança de Hábito, que estreou no último fim de semana, em São Paulo, protagonizado por Karin Hils. A atriz e cantora integrou a banda Rouge e hoje faz sucesso nos palcos. Ela vive o mesmo papel que Whoopi Goldberg interpretou no cinema em 1992: a cantora de cabaré que precisa fingir ser uma freira para se proteger de assassinos. No disfarce, a personagem muda a realidade do coro do convento para sempre. Transformado em musical produzido pela própria Whoopi, o espetáculo foi visto por 5 milhões de pessoas em 11 países. Agora, os brasileiros têm a chance de conferir a superprodução de R$ 30 milhões no Teatro Renault (av. Brigadeiro Luís Antonio, 411, São Paulo, ingressos de R$ 50 a R$ 260; qui. e sex., 21h, sáb. 17h e 21h, dom. 16h e 20h). Fernanda Chamma é a diretora residente. Veja, abaixo, vídeo que contou com produção de Robert Mathias e edição de imagens de Samuel Wendel, e também fotos de Bob Sousa:

mudanca habito bob sousa4 Ex Rouge consegue papel de estrela de Hollywood

Musical conta a história de Deloris, uma cantora que se refugia em um convento - Foto: Bob Sousa

mudanca habito bob sousa2 Ex Rouge consegue papel de estrela de Hollywood

Karin Hils vive o papel que foi de Whoopi Goldberg no cinema em 1992 - Foto: Bob Sousa

mudanca habito bob sousa5 Ex Rouge consegue papel de estrela de Hollywood

Musical custou R$ 30 milhões e foi visto por 5 milhões de pessoas em 11 países - Foto: Bob Sousa

mudanca habito bob sousa6 Ex Rouge consegue papel de estrela de Hollywood

A superprodução Mudança de Hábito está em cartaz no Teatro Renault, em SP - Foto: Bob Sousa

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes