coluna sala de estar Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Peça Sala de Estar tem seis segredos revelados ao público - Foto: Marco Aurélio Olímpio

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Conta tudo!
O Grupo Sobrevento estreia nova peça em 19 de julho em São Paulo. Sala de Estar fica em cartaz até 31 de agosto, em sua sede, na rua Coronel Albino Bairão, 42, na Mooca. E o melhor: de graça. Sábado e domingo, 18h e 20h. Em cena, seis atores revelam seis segredos inconfessáveis. Promete que não conta pra ninguém!

Agenda Cultural

samira lochter Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

A atriz Samira Lochter conseguiu ingresso para ver o novo espetáculo de Bob Wilson - Foto: Miguel Arcanjo Prado

Correria
Muita gente tentou. Mas nem todos conseguiram comprar entradas para a nova peça de Bob Wilson em São Paulo.

Frenesi
Todo mundo quer ver o bailarino russo Baryshnikov e o astro de Hollywood Dafoe no palco do Teatro Paulo Autran, no Sesc Pinheiros. Tem gente que está até passando mal.

Ufa!
A quem interessar possa, após árdua luta, a atriz Samira Lochter conseguiu seu ingresso para ver The Old Woman - A Velha. Parabéns.

O diretor
Mudança de planos. Agora é Fabio Mazzoni quem vai dirigir a nova peça da diva cubana Phedra D. Córdoba. Vai dar o que falar...

rita gutt eduardo enomoto Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Rita Gutt como Sally Bowles no musical Cabaret, com direção de André Latorre - Foto: Eduardo Enomoto

A vida é um Cabaret, meu bem...
A atriz Rita Gutt, que canta melhor do que muita gente importante por aí, voltará a interpretar a diva Sally Bowles. O musical Cabaret volta em agosto no Espaço Cia. do Pássaro, no centro de São Paulo. O primeiro mês da temporada será com o mesmo elenco que fez sucesso na montagem um ano atrás, aquele que tinha filas gigantes na porta do Teatro Ruth Escobar.

Riso farto
A comédia Manual da Bisca volta ao cartaz para terceira temporada em São Paulo no dia 24 de Julho. Na estreia, vai comemorar a centésima apresentação. Ficará até 9 de outubro, no Teatro Maria Della Costa, na Bela Vista, sempre às quintas, 21h. Mais de 60 mil pessoas já viram o espetáculo.

Festa julina
A Casa Cult, que anda arrebentando em Ipatinga, no Vale do Aço Mineiro, faz seu primeiro arraial neste sábado (12). Começa às 19h, em frente ao  Teatro Zélia Olguin (av. Itália, 1.890, Cariru, Ipatinga). Se a coluna pudesse, marcava presença.

cleo de paris foto bob sousa Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Cléo De Páris diz que, após torcer contra o Brasil, pode fazer vilã na TV - Foto: Bob Sousa

A malvada 1
A atriz Cléo De Páris torceu tanto contra o Brasil na Copa que deu certo. O País tomou de 7 a 1 da Alemanha e ficou fora do título do Mundial. Agora, ela diz que já está preparada pra fazer sua primeira vilã televisiva.

A malvada 2
Falando nisso, Cleozinha está com Marilyn Monroe na cabeça. E cita a diva hollywoodiana: "Tenho pecados, mas não sou o diabo. Sou boa, mas não um anjo". Danada.

juliana sanches Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

A atriz e diretora Juliana Sanches: nada de rivalidade entre Brasil e Argentina - Foto: Divulgação

Viva a América Latina 1
Sobre o fim de semana de Copa, Juliana Sanches, atriz e diretora do Grupo XIX de Teatro, manda avisar: "Vou torcer muito para o Brasil no sábado. E, domingo, torcerei para a Argentina". Faz muito bem.

Viva a América Latina 2
Julianinha está dirigindo um novo espetáculo do XIX sobre a América Latina, com estreia prevista para setembro. Vai se chamar América Vizinha. Aguardemos.

Mi Buenos Aires Querido
A quem está com ódio mortal da Argentina, porque nos ultrapassou em nossa própria Copa, o ator Tadeu Ibarra tem uma opinião inquestionável: "Essa rivalidade toda é mentira que eu sei... Na primeira promoção da Gol vai todo mundo pra Buenos Aires tomar vinho, comer alfajor e dançar tango". Alguém duvida?

0800
A temporada da peça Reino, no Teatro do Sol, em Santana, é grátis no mês de julho.

Oh, Minas Gerais!
A frase é de Josie Jerônimo, jornalista mineira radicada em Brasília e que sabe tudo de tudo: "Mineiro é tão bairrista, mas tão bairrista, que usa o jingle da Rádio Itatiaia como toque do celular".

cazuza musical Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Emilio Dantas: nome foi aprovado pelos pais de Cazuza para o musical - Foto: Divulgação

Cazuzado 1
O diretor João Fonseca diz que não teve dúvidas em escolher o ator Emílio Fonseca para viver Cazuza, no musical que estreia dia 18 no Teatro Procópio Ferreira. "Desde o começo, achava que ele era o ator ideal", confessa.

Cazuzado 2
Apesar da resolução do diretor, o nome precisou passar pelo crivo de João e Lucinha Araújo, pais de Cazuza. Em tempo: o musical foi a última grande homenagem ao filho que o pai do músico viu, ainda na temporada carioca. Ele morreu em novembro do ano passado. Pai e filho verão do céu a estreia paulistana.

Bate cabeça
O ator Vinicius Piedade encarna um publicitário que perde a memória até o fim do mês no monólogo Identidade (...). No Teatro da Livraria da Vila do Shopping Pátio Higienópolis. Sábado, 20h30, e domingo, 18h30. Entrada a R$ 40 a inteira. Estão todos convidados.

Força e dor
Nenhuma forma de amor pode ser proibida. Quem vê o espetáculo de dança Bent - O Canto Preso fica por dentro disso de uma forma mais do que poética. A coreografia da Cia. Carne Agonizante tem no palco uma contundente mistura de nazismo e homossexualidade. De 17 de julho a 3 de agosto, no Kasulo, que fica na rua Souza Lima, 300, na Barra Funda, em São Paulo. E o melhor: é de graça e tem sessão quinta, sexta e sábado, 21h, e domingo, 20h. Vai, gente!

coluna bent1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Guerra, homossexualidade e nazismo: temas fortes na dança da Cia. Carne Agonizante - Foto: FK

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

record news agenda cultural Veja as dicas da Agenda Cultural do Hora News, na Record News, desta sexta feira, dia 11/07/2014

Acima, Lidiane Shayuri e Miguel Arcanjo Prado na Agenda Cultural do Hora News, na Record News; abaixo, o ator Daniel Alvim fala sobre a peça Vidas Privadas - Foto: Divulgação

Quer se divertir? Miguel Arcanjo Prado, colunista de Cultura do Hora News, jornal apresentado por Lidiane Shayuri na Record News, dá as melhores dicas na Agenda Cultural. Tem show de Daniela Mercury e Margareth Menezes na Bahia, Karina Buhr em Belo Horizonte, Festival Internacional de Hip Hop em Curitiba, Alcione no Rio, terror e animação nos cinemas e ainda a peça Vidas Privadas, com o ator Daniel Alvim, em entrevista exclusiva no estúdio.

Com edição de Aline Rocha Soares e Cinthia Lima.

Veja o vídeo:

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

simples cidade Cidade grande muda homem do interior

Marcos Reis e Letícia Tomazella estão no elenco de Simples Cidade - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Foi a obra do poema paulista Guilherme de Almeida (1890-1969) a principal fonte inspiradora do espetáculo Simples Cidade.

O modernista, com suas poesias e crônicas, falou da relação do homem interiorano com a cidade grande. E é justamente essa interação que está presente no espetáculo apresentado na casa onde o escritor viveu.

No enredo da montagem, em cartaz em São Paulo com entrada gratuita, um homem simples do interior ruma ao mundo urbano. Claro que, ao chegar na cidade grande, toma um baita susto e muda por completo. Sobretudo suas relações com o outro.

Estão no elenco Marcos Reis e Leticia Tomazella. O projeto contou com a colaboração de Janaina Silva.

Simples Cidade
Quando: Sábado, 17h. Até 26/7/2014 - Atenção! Não haverá espetáculo no dia 12/7/2014 por conta da Copa
Onde: Casa Guilherme de Almeida (r. Macapá, 187, próximo ao metrô Sumaré, São Paulo)
Quanto: Grátis
Classificação etária: 12 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

sebastiao milare foto bob sousa Morre crítico teatral Sebastião Milaré em São Paulo

O crítico e teórico Sebastião Milaré (1945-2014) deixa legado ao teatro - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Foto BOB SOUSA

Morreu, na manhã desta quinta (10), em São Paulo, o crítico, teórico e pesquisador teatral Sebastião Milaré.

Ele tinha 69 anos e estava internado no Hospital Cruz Azul, em São Paulo, onde faleceu após uma parada cardiorrespiratória.

O velório começa às 18h desta quinta, no Cemitério Jardim Colina (r. Jardim da Colina, 265), em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, onde o corpo será sepultado às 11h desta sexta (11).

O Atores & Bastidores do R7 falou com a sobrinha do crítico, Luciana Millaré. Ele não tinha filhos.

Emocionada, ela contou que a família está recebendo muitas demonstrações de carinho.

— Ele deixa um legado muito grande para a cultura brasileira. Estou só ouvindo agradecimentos da classe artística. Vai fazer muita falta.

O diretor Antunes Filho ficou muito abalado quando soube da morte do amigo. Em luto fechado, preferiu não falar.

Amigo do teatro

A atriz Amália Pereira, amiga de Milaré havia mais de 20 anos, ficou desolada com a notícia de sua morte.

Ela conta que desde que seu grupo, Teatro Kaus, partiu de São José dos Campos, no interior paulista, para São Paulo, sempre recebeu apoio do crítico. Milaré ainda a ajudou no Projeto Fronteiras, de 2009, que trouxe para o Brasil nomes como o dramaturgo espanhol Fernando Arrabal.

— Além de parceiro, era um grande amigo, que vai fazer muita falta. Foi uma pessoa muito importante para as artes cênicas, com a sua pesquisa, dedicação e amor ao teatro. Vai fazer muita falta para todos nós.

O crítico teatral, jornalista e dramaturgo Dib Carneiro Neto afirmou que a morte de Milaré é algo lamentável.

— Perdemos um crítico sério, estudioso, dedicado, inteligentíssimo, que nos deixou estudos preciosos que certamente serão úteis ainda para muitas gerações de amantes do teatro. Com ele, e graças a ele, aprendemos, por exemplo, a decifrar todos os múltiplos meandros da arte genial de Antunes Filho.

Para o fotógrafo de teatro Bob Sousa, que fez o retrato acima que ilustra essa reportagem, Milaré também "era um amigo". E revela que o crítico era um ótimo anfitrião.

— Suas festas eram sempre cheias de amigos no teatro. Ele era muito querido da classe artística. Foi um dos primeiros retratos de crítico que eu fiz, porque, para mim, ele sempre foi uma grande referência. Vou guardar com carinho os livros que ele autografou para mim.

O ator Lee Taylor, hoje no NAC (Núcleo de Artes Cênicas), conviveu de perto com Milaré nos nove anos em que atuou no CPT (Centro de Pesquisa Teatral) de Antunes Filho. Ele também lamentou a perda do intelectual.

— Milaré, além de seu papel como crítico e pensador de teatro, desvendou e registrou com rara dedicação, sensibilidade e generosidade a metodologia de Antunes. O livro Hierofania é uma obra singular, fruto de uma pesquisa incansável realizada ao longo de dez anos, uma inestimável contribuição para o teatro brasileiro.

Especialista em Antunes

Sebastião Milaré nasceu em Guapiaçu, no interior paulista, em 1945.

Era considerado o maior especialista na obra do diretor Antunes Filho, sobre quem escreveu livros definitivos.

Destacou-se como crítico teatral no começo da década de 1971. Exerceu a crítica de forma ativa até 1989.

Também foi roteirista de shows e autor de diversos livros, além de correspondente no Brasil para variadas revistas estrangeiras de cultura.

O teatro perde um de seus maiores pensadores.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

o beijo do homem Peça faz salada intelectual para falar do amor

Espetáculo O Beijo do Homem terá sessão grátis na Biblioteca Mário de Andrade, em SP - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A peça O Beijo do Homem é um verdadeiro mergulho em grandes nomes do pensamento e da escrita mundial.

O espetáculo será apresentado na próxima segunda (14), na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, às 19h, com entrada gratuita.

O texto da obra foi inspirado em nomes como Zygmunt Bauman, o papa polonês da pós-modernidade líquida, e o sociólogo francês e mito da semiótica Roland Barthes.

Não bastasse tanta pujança intelectual, a dramaturgia ainda tem pitadas da escritora brasileira Clarice Lispetor e do chileno Pablo Neruda e do argentino Jorge Luis Borges.

Na temática, o amor e a perda, tudo mergulhado no caos urbanos repleto de violência e vaidade.

A peça é do Núcleo C.U.L.T Dramaturgia, com direção de Ed Anderson. Estão no elenco, Marcelo Barranco, Marcos Valentim e Valéria Pedrassoli.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

acuriosahistoriadeFOTO lidia ueta Peça brinca com conto de fadas João e Maria

A Curiosa História De... está em cartaz neste mês de julho no Teuni, em Curitiba com versão moderninha da fábula de João e Maria - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

João e Maria vão modificar para sempre a vida um do outro. Qual será o motivo? Este é o mete do espetáculo A Curiosa História De..., que está em cartaz no Teatro Teuni, em Curitiba.

No texto de Pagu Leal, três narradores contam a história do encontro de um homem e uma mulher em uma metrópole; com diferentes pontos de vista, é claro.

A direção é de Rafael Camargo. No elenco, estão, além da dramaturga e do diretor, os atores Diego Marchioro e Martina Gallarza.

Como os nomes dos personagens entregam, a peça da Inusitada Cia. foi inspirada na clássica história de João e Maria, aqueles dois gulosos que acabam presos pela bruxa má por degustar sua casa feita de doces.

Para quem pensa que a montagem tem ares de contos de fadas, os artistas avisam que ela "tem uma reflexão crua sobre aspectos profundos da paternidade".

A Curiosa História De...
Quando: Sexta a sábado, 20h, domingo, 19h. Até 3/8/2014
Onde: Teuni - Teatro Experimental da UFPR (praça Santos Andrade, prédio histórico da UFPR, centro, Curitiba)
Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)
Classificação etária: 14 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

 

torcida eduardo enomoto Artistas comentam vergonha do Brasil na Copa

Torcedor fica em desalento diante da eliminação do Brasil pela Alemanha - Foto: Eduardo Enomoto

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Foto EDUARDO ENOMOTO

Foi vergonhosa a eliminação do Brasil da Copa do Mundo de 2014, no Mineirão, em Belo Horizonte, nesta histórica terça (8). Perder por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal foi desalentador. Os artistas e personalidades da área cultural que acompanhavam a partida também não acreditaram no que viram. Em tempos de redes sociais, todos deram seus pitacos.. O Atores & Bastidores do R7 selecionou algumas das melhores frases. Veja só:

"Neymar, a essa hora, está agradecendo ao Zuñiga"
Adriana Balsanelli, assessora teatral

"A seleção demonstrou falta de estrutura emocional e tática"
Cida Souza, fotógrafa

"Sou brasileiro: ah, gente, a abertura [da Copa] estava bem pior, vai"
André Martins Faria, ator

"Uma hora amava, agora xinga"
Douglas Apelfeller Leite, ator

"Agora que acabou o pão e circo, comam brioches"
Daniela Machado, produtora teatral

torcida sergio gava Artistas comentam vergonha do Brasil na Copa

Uma imagem diz mais do que mil palavras: o ator Sérgio Gava morde o escudo da Seleção - Foto: Reprodução

"Galvão acabou de dizer: uma seleção de homens contra os nossos meninos. Peraí, eles não eram nossos gigantes heróis?"
Carlos Nunes, ator e comediante

"Oktoberfest! Agora, em Belo Horizonte"
Fabricio Castro, ator e diretor

"O duro é ler os 'patriotas'  chutando cachorro morto"
Lulu Pavarin, atriz

"Vamos parar tudo e dançar o Lepo Lepo? Os alemães já sabem a coreografia"
Natália Zonta, jornalista

"Coitada da psicóloga"
Laerte Késsimos, ator

"E pra lembrar do Neymar, Será que ele está chorando... Ou rindo?"
Cléo De Páris, atriz

"Eu queria compartilhar tudo que vocês estão escrevendo aqui. Estou rindo tanto com os posts. Na criatividade e no bom humor, pelo menos, a taça é nossa. Ô povo criativo, ô povo divertido!"
Milena Murno, jornalista

brasil2 Artistas comentam vergonha do Brasil na Copa

Jogadores da Seleção Brasileira não acreditam ao ver mais um gol da Alemanha

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

formação15 La Paz Artistas vão aos Andes para ver essência do Peru

Aprendizes da Escola Livre de Teatro posam durante a viagem aos Andes - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Altitude não é problema para a turma 15 da Escola Livre de Teatro de Santo André, no ABC Paulista, que estuda o realismo fantástico sul-americano por meio de um autor do Peru.

Manuel Scorza1 Artistas vão aos Andes para ver essência do Peru

Manuel Scorza (1928-1983): obra do peruano vai virar espetáculo na ELT - Foto: Divulgação

O grupo resolveu investigar a obra do autor peruano Manuel Scorza como base de seu espetáculo de formatura. A dedicação é tanta que os aprendizes resolveram viajar para os Andes.

A turma partiu para Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e pegou o famoso Trem da Morte até Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. De lá, seguiram para o lago Titicaca, na fronteira com o Peru, onde visitaram as cidades históricas de Puno e de Cuzco.

Essência dos romances

Depois, ainda encontraram fôlego para ir à cidade de Cerro de Pasco, e também aos povoados  de Yanahuanca e Rancas. A visita a estes dois últimos lugares foi de importância crucial, já que são os locais dos massacres de povos indígenas e mestiços abordados  na obra de Scorza.

Com tudo isso na bagagem, o grupo voltou para a ELT, onde agora constrói seu espetáculo. Na equipe de orientação estão Antônio Rogério Toscano, na direção, Alexandre Dal Farra, na dramaturgia, Cuca Bolaffi, na atuação, e Fabrício Zavanella, na parte musical.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

musical cassia eller divulgacao Crítica: Peça sobre Cássia Eller quer ser musical, mas é só um show de covers

Dramaturgia e atuações fracas: musical faz homenagem a Cassia Eller no Rio com covers de seus sucessos - Foto: Divulgação

Por ÁTILA MORENO*
Especial para o Atores & Bastidores

Eu queria ser Cássia Eller.
Como no título da canção de Péricles Cavalcante, Cássia Eller - o Musical, encenado no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB-RJ), tenta pegar a essência da homenageada.

Os diretores João Fonseca e Vinícius Arneiro se arriscam na empreitada de levar para os palcos a vida de uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos. Tarefa complicadíssima.

Cássia Eller (1962-2001) é uma daquelas figuras de um brado retumbante, que se exige muita parcimônia de qualquer pessoa que se atreve, ao menos, dar um panorama sobre sua intimidade e carreira. Cair entre o “8 ou 80” é uma linha tênue.

Por um lado, a dupla acertou na produção das canções, ao escolher Lan Lan para cuidar dessa parte. A percussionista conviveu, dividiu momentos afetivos e tocou ao lado de Cássia durante anos. Nada mais plausível que o repertório casasse perfeitamente no espetáculo.

Ao lado de uma banda talentosa, os fãs serão transmutados para um lugar mágico, bem intimista. Nessa viagem, estão Malandragem (Cazuza/Frejat), Socorro (Arnaldo Antunes/Alice Ruiz), Por Enquanto (Renato Russo), Gatas Extraordinárias (Caetano Veloso), entre outras canções. O ponto alto fica com as composições de Nando Reis: All Star, O Segundo Sol, Relicário e Luz dos Olhos.

musical cassia eller divulgacao2 Crítica: Peça sobre Cássia Eller quer ser musical, mas é só um show de covers

Cena de Cássia Eller - O Musical: banda é o grande destaque da produção - Foto: Divulgação

Mesmo assim, a peça está longe de ser um espetáculo teatral musical ou mesmo um conjunto sobre os principais fatos da meteórica trajetória da cantora.

O texto de Patrícia Andrade dá só alguns acordes suaves sobre o início da carreira, os amores de Cássia, especialmente a relação com Maria Eugênia, e sua morte repentina. Tudo é jogado de maneira superficial, sem aprofundamento algum.

Cássia Eller não trazia magnitude só na interpretação musical ou na habilidade de transitar facilmente pelo samba, forró, country, blues e reggae. A "pessoa Cássia Eller" era riquíssima na complexidade e nas histórias que colecionava.

A impressão é que a peça quis focar só nas estripulias sexuais, em relações que só ajudavam a montar um roteiro de uma vida clichê, presente em qualquer artista rock and roll que está por aí.

Coube a cantora Tacy de Campos encarnar Cássia Eller. A semelhança vocal é irrefutável, mas não auxilia nenhum pouco a atuação, que deixa a desejar.

Pessoalmente, Cássia delineava uma mulher frágil e introspectiva. Característica que batia de frente com sua maquiagem performática nos palcos: um trovão agressivo e desinibido.

Tacy não dá conta nem de um nem de outro. Não se consegue enxergar nada além de um cover muito bem executado.

Salvo alguns, o elenco vive na corda bamba. Evelyn Castro se destaca entre os demais, pela invejável potência vocal, e é uma das poucas atrizes com uma alta carga dramática. Emerson Espíndola convence na difícil tarefa de interpretar vários e decisivos personagens, infelizmente muito pouco explorados no roteiro.

O cenário preto, simplista demais, ajudou a deixar tudo excessivamente fúnebre e colegial, já não bastasse o tom monocromático em toda peça.

A predileção de Cássia Eller por flores, principalmente margaridas e rosas, que têm um papel fundamental nos momentos amorosos da cantora, passa longe de ter alguma referência em mais de duas horas e meia de peça, sem intervalo.

Por fim, o que se tem, no máximo, é um cover, com alguns elementos teatrais. Não um musical, como a montagem se propõe a ser.

 

Cássia Eller - o Musical
Avaliação: Fraco
Quando: Quarta a sexta, às 19h; sábado, às 19h30, e domingo às 19h. 140 min. Até 20/07/2014
Onde: Teatro CCBB RJ (Rua Primeiro de Março, 66 - Centro), Rio, tel. 0/xx/21
Quanto:  R$ 10,00 inteira/ R$ 5,00 meia
Classificação etária: 14 anos
Avaliacao Fraco R7 Teatro PQ Crítica: Peça sobre Cássia Eller quer ser musical, mas é só um show de covers
*Jornalista mineiro radicado no Rio, Átila Moreno é graduado pelo UNI-BH e tem pós-graduação em Produção e Crítica Cultural pela PUC-Minas.Curta nossa página no Facebook!Leia também:Fique por dentro do que rola no mundo teatralDescubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

samba futebol clube Conheça os indicados ao Prêmio Shell do Rio no primeiro semestre de 2014

Samba Futebol Clube é o espetáculo com mais indicações ao Prêmio Shell do Rio - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Foi divulgada nesta segunda (7) a lista dos indicados ao Prêmio Shell de Teatro do Rio, referentes ao primeiro semestre de 2014. A cerimônia de entrega da 27ª edição só acontecerá no começo de 2015.

A peça com mais indicações é o musical Samba Futebol Clube, presente em seis categorias: autor, direção, figurino, iluminação, música e inovação.

Outros destaques são E Se Elas Fossem para Moscou, com cinco indicações, e Irmãos de Sangue, também com cinco.

O júri carioca é formado por Ana Achcar, Bia Junqueira, João Madeira, Macksen Luiz e Moacir Chaves.

Cada vencedor leva um troféu com o logotipo da multinacional e R$ 8.000.

Veja os indicados:

Direção
André Curti e Artur Ribeiro por Irmãos de Sangue
Christiane Jatahy por E se Elas Fossem para Moscou?
Gustavo Gasparani por Samba Futebol Clube

Ator
André Curti por Irmãos de Sangue
Artur Ribeiro por Irmãos de Sangue
Gustavo Gasparani por Ricado III

Atriz:
Julia Bernat por E se Elas Fossem para Moscou?
Stella Rabello por E se Elas Fossem para Moscou?

Cenário:
André Curti e Artur Ribeiro por Irmãos de sangue
Marcelo Lipiani por E se Elas Fossem para Moscou?

Figurino:
Antonio Medeiros por 2 X Matei
Marcelo Olinto por Samba Futebol Clube

Iluminação:
Bertrand Perez e Artur Ribeiro por Irmãos de Sangue
Paulo Cesar Medeiros por Samba Futebol Clube

Música:
Felipe Radicetti por Sacco e Vanzetti
Nando Duarte por Samba Futebol Clube

Categoria Inovação:
Christiane Jatahy pela construção de uma dramaturgia singular através da integração de teatro e cinema no espetáculo E se elas fossem para Moscou?
Elenco de Samba Futebol Clube, que tornou possível a renovação da estrutura do musical através de sua capacidade de atuar com excelência nas diversas funções do gênero

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com