karamazov osirmãos nafoto MarcosdeAndradefrenteAntonioSalvadorfundo bob sousa2 Os Irmãos Karamázov ganha 1ª montagem no teatro

Antonio Salvador (à esq.) e Marcos de Andrade (à dir.), no projeto Karamázov - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos BOB SOUSA

Muita gente já ouviu falar da obra Os Irmãos Karamázov, clássico escrito pelo russo Fiódor Dostoiévski em 1879 e publicado em novembro de 1880, ou seja, há exatos 134 anos.

Contudo, no País em que a média de leitura é de quatro livros por ano, incluindo aí a Bíblia, os religiosos e os de autoajuda, é raro encontrar quem realmente leu a obra de cabo a rabo.

Portanto, a primeira montagem do texto no teatro brasileiro é muito bem-vinda e serve para aproximar o público brasileiro dessa joia da literatura mundial.

A Companhia da Memória encampou a missão, sob direção de Ruy Cortez. Não foi tarefa fácil adaptar tão complexa obra. Tanto que o resultado é o projeto Karamázov, com três diferentes peças: Uma Anedota Suja, Os Irmãos e Os Meninos.

KARAMÁZOV OS IRMÃOS  nafoto EduardoOsoriofrente RicardoGellifundo creditodafotobobsousa Os Irmãos Karamázov ganha 1ª montagem no teatro

Eduardo Osório (de amarelo) e Ricardo Gelli em cena: três peças podem ser vistas juntas ou também separadamente na SP Escola de Teatro até 15/12/14 Foto: Bob Sousa

Assinam a dramaturgia Luís Alberto de Abreu e Calixto de Inhamuns, a partir de não só Os Irmãos Karamázov como também Uma História Lamentável, do mesmo autor. O projeto estreia neste sábado (1º) e fica em cartaz na SP Escola de Teatro da praça Roosevelt até 15 de dezembro [veja serviço ao fim].

Estão no elenco Rafael Steinhauser, Jean Pierre Kaletrianos,Antonio Salvador, Eduardo Osório, Marcos de Andrade e Ricardo Gelli. André Cortez fez a cenografia. Já os figurinos foram criados por Anne Cerutti, enquanto que Fábio Retti fez a iluminação. O projeto ainda contou com a consultoria em cultura russa de Jênia Kolesnikhova.

A programação ainda engloba encontros na série Irmãos Karamázov: um Romance Múltiplo, nos dias 7, 14 e 18 de novembro, sempre às 21h (nestes dias não haverá peça). Já estão confirmados nos bate-papos nomes como das doutoras Elena Vássina e Fátima Biancchi, professoras da USP.

Afinal, o livro que influenciou gente como Nietzsche e Freud precisa ser conhecido, encenado, debatido e, sobretudo, lido.

karamazov osirmaos nafoto RicardoGelli bob sousa Os Irmãos Karamázov ganha 1ª montagem no teatro

Ricardo Gelli na montagem do clássico russo por Ruy Cortez - Foto: Bob Sousa

Karamázov
Quando: Sexta, sábado, domingo e segunda. De 1/11/2014 a 15/12/2014
Karamázov: Uma anedota suja
Sex e sab 20h, dom 17h, seg 19h - Peça em 1 ato. 60 minutos.
Karamázov: Os irmãos
Sex e sab 21h30, dom 18h30, seg 20h30 - Peça em 2 atos. 110 minutos, incluindo intervalo de dez minutos.
Karamázov: Os meninos
Sex e sab 23h30, dom 20h30, seg 22h30 - Peça em 1 ato. 50 minutos.
Observação: A obra pode ser vista em 3h45 em um  único dia ou separadamente.
Onde:
SP Escola de Teatro - Sede Roosevelt (Praça Roosevelt, 210, Consolação, Metrô República, São Paulo, tel. 0/xx/11 3775-8600)
Quanto: R$ 20 reais (inteira) e R$ 10 reais (meia-entrada); promoção na compra do segundo e terceiro ingresso, a inteira sai R$ 10 e a meia-entrada sai R$ 5
Classificação etária: 14 anos

karamazov osirmãos nafoto AntonioSalvadorbob sousa Os Irmãos Karamázov ganha 1ª montagem no teatro

Antônio Salvador em cena de Karamázov, primeira montagem no teatro do Brasil - Foto: Bob Sousa

Você já leu Os Irmãos Karamázov, de Dostoiévski?

  • Sim, de cabo a rabo. E gostei muito.
  • Não, mas pretendo ler um dia.
  • Karamázov... Dostoiévski... O que é isso?

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

magiluth foto bob sousa11 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

Grupo Magiluth: os sete Novos Pernambucanos do Teatro Brasileiro - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos BOB SOUSA

Lá se vai uma década dos Novos Pernambucanos do Teatro Brasileiro. E, como preza o costume, o Grupo Magiluth, de Recife, resolveu não deixar passar em brancas nuvens seus 10 anos de história, completados no último 11 de setembro.

A comemoração será em data mais branda: às 23h do próximo sábado, 1º de novembro, Dia de Todos os Santos, em uma festa de arromba no Bar Vapor 48 (Cais da Cinco Pontas, 195, São José, Recife, tel. 0/xx/81 3224-7261; entrada R$ 20 para todos). Tem gente do Sudeste doida para ir.

Erivaldo Oliveira, Giordano Castro, Lucas Torres, Mário Sérgio Cabral, Pedro Vilela, Pedro Wagner e Thiago Liberdade receberão amigos e público da trupe em uma festa sem hora para acabar.

Brasil e Europa

Afinal, os atores do Magiluth têm motivos de sobra para sorrir.

Além de conquistar os paulistanos com sua montagem de Viúva, porém Honesta, de Nelson Rodrigues, que gerou fila de parar a avenida Paulista, o grupo fez turnê neste 2014 por todo o Brasil, pelo projeto Palco Giratório, do Sesc.

Além disso, os sete garotos também engatilham novos projetos, entre eles uma temporada na Europa em 2015.

Pedro Vilela, diretor da trupe, diz que eles estão "dividindo a celebração ao longo do ano" e que esta vai até o fim de 2015. Conta que, além do "mapeamento do País" no Palco Giratório, fizeram em julho, em Recife, a segunda edição do projeto Pague Quanto Puder, com seu repertório de peças. Afinal, sempre fazem questão de manter os pés em sua terra.

Diálogo artístico

Ele revela que a exigência de uma festa partiu do próprio público recifense que acompanha a trajetória de sucesso do Magiluth. E adianta o que haverá na noite do próximo sabadão do Magiluth.

— Vamos ter shows que exibem o que a cena cultural da periferia de Recife tem de mais interessante e que dialoga com nosso trabalho.

Fazem parte do combo a apresentação da banda Vício Louco, "que também tem dez anos e é reverenciada aqui na cidade, som seu tecnobrega"; a escola de samba A Turma do Saberé, "bloco tradicional em Recife composto só por homens", tal qual o Magiluth; e o DJ Patrick Tor4, "um dos principais produtores musicais da cena recifense que faz um baile tropical, na fusão de nossa música com a música do mundo".

Leia a primeira reportagem do Magiluth no blog

Três peças inéditas

Em 2015, o Magiluth pretende montar três espetáculos inéditos.

O primeiro, já aprovado pelo Prêmio Myriam Muniz, é O Ano que Sonhamos Perigosamente, que deverá estrear em março.

Em outubro, estreiam montagem feita em parceria com o grupo português Mala Voadora, em Guimarães e em Lisboa, em Portugal. O título provisório é Sobre a Felicidade.

Até o fim do próximo ano, o grupo ainda pretende estrear uma peça sobre a fé contemporânea do povo brasileiro. Junto com O Ano que Sonhamos Perigosamente, a montagem será a segunda parte da Trilogia Brasil do Grupo Magiluth. Porque esses meninos não conseguem parar quietos. Fazem muito bem.

Veja o que o blog já publicou sobre o Magiluth!

Veja, abaixo, quem são os sete homens do Magiluth, no olhar do fotógrafo Bob Sousa:

magiluth foto bob sousa6 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator Erivaldo Oliveira, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

magiluth foto bob sousa5 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator Giordano Castro, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

magiluth foto bob sousa9 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator Lucas Torres, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

magiluth foto bob sousa4 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator Mário Sérgio Cabral, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

magiluth foto bob sousa3 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator e diretor Pedro Vilela, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

magiluth foto bob sousa7 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator Pedro Wagner, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

magiluth foto bob sousa8 Grupo Magiluth dá festão para celebrar 10 anos

O ator Thiago Liberdade, do Grupo Magiluth - Foto: Bob Sousa

Qual é a melhor peça do Grupo Magiluth?

  • Aquilo que Meu Olhar Guardou pra Você
  • O Torto
  • Viúva, porém Honesta
  • O Canto de Gregório
  • Corra
  • Ato
  • Luiz Lua Gonzaga

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

daniela giampietro bob sousa 1 500x750 O Retrato do Bob: Daniela Giampietro, de todosFoto BOB SOUSA
Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Daniela Giampietro é mulher de teatro. No palco ou na plateia, gosta de gente de todos os tipos, de todas as idades. A atriz, além de integrar a Companhia Estável de Teatro, é também professora de teatro infanto-juvenil da Fundação das Artes de São Caetano do Sul, entidade formadora de artistas no ABC Paulista. Estudiosa, faz atualmente mestrado em artes na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", sob orientação de Alexandre Mate. Gosta de investigar tudo aquilo relacionado aos palcos e, sobretudo, à rua. Afinal de contas, o teatro tem de ser para todos.

*BOB SOUSA é fotógrafo e autor do livro Retratos do Teatro (Editora Unesp). Sua coluna O Retrato do Bob é publicada no Atores & Bastidores do R7 toda segunda-feira, com grandes nomes dos palcos. Já às sextas, a coluna O Retrato do Bob sai no blog R7 Cultura, com personalidades do mundo cultural.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Rubens Caribé foto de Ricardo Vivona pb Dois ou Um com Rubens Caribé

Rubens Caribé: indicado ao Shell e à APCA, ele encena peça em SP - Foto: Ricardo Vivona

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O ator Rubens Caribé é o protagonista da misteriosa peça Selvagens - Homem de Olhos Tristes, em cartaz no Club Noir (r. Augusta, 331, tel. 0/xx/11 3255-8448), em São Paulo, sob direção de Hugo Coelho. O ano de 2014, está sendo de glória na vida do artista. Afinal, está indicado ao Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes) e também ao Prêmio Shell de Teatro como melhor ator. A nova peça, escrita pelo austríaco Händl Klaus, faz temporada até 18 de dezembro, sempre quarta e quinta, 21h, com entrada a R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia-entrada. O ator aceitou o convite do Atores & Bastidores do R7 para participar da coluna Dois ou Um. Dez perguntas cheias de possibilidades. Ou não.

Anos rebeldes ou anos incríveis?
Rebeldes... Por razões afetivas!

Prêmio Shell ou APCA?
Os dois. Como não? Ambos estimulam a nossa arte.

Interior ou metrópole?
Metrópole. Um ator precisa da metrópole para trabalhar.

Todo mundo junto ou tudo muito separado?
Nem um nem outro. Um pouco de ‘sacanagem’ é preciso; um pouco de recato e comedimento é bom, é preciso. A ‘sacanagem’ somente na cabeça é perversão. E a tentativa de suprimir qualquer impulso ou desejo é destruição.

Gal ou Bethânia?
Mas a resposta tem que ser excludente? Acho impossível escolher...

Criolo ou Emicida?
Criolo. Tenho simpatia por sua poesia.

Marieta Severo ou Lúcia Veríssimo?
Além de ser a atriz maravilhosa, que todos sabemos, Marieta criou um teatro no Rio de Janeiro que é uma referência no Brasil. Lúcia Veríssimo é uma colega muito querida, talentosa, linda... De novo, admiro ambas, uma escolha não exclui a outra.

Azul ou amarelo?
Azul. Porque me lembra o mar. Eu adoro o mar...

Calor ou frio?
Eu gosto do calor. Gosto de usar roupas leves, me sentir confortável. No verão, gosto de ver o mar.

Passar uma tarde em Itapuã ou a tonga da mironga do kabuletê?
Uma Tarde em Itapuã. Vinícius, sempre!

Leia outras edições da coluna Dois ou Um

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

vinicius piedade Vídeo: Vinícius Piedade faz Mostra de Repertório com três peças no Centro Cultural São Paulo

Miguel Arcanjo Prado entrevista Vinícius Piedade no estúdio do R7 - Foto: Divulgação

O ator Vinícius Piedade esteve no estúdio do R7 para conversar com o colunista Miguel Arcanjo Prado. Ele contou tudo sobre a Mostra de Repertório que faz no Centro Cultural São Paulo, na sala Jardel Filho, com três peças solo em mais de dez anos de carreira. O endereço é r. Vergueiro, 1000, do lado do metrô Vergueiro. As peças são: Carta de um Pirata (sexta, 21h), Cárcere (sábado, 21h) e Identidade (...) (domingo, 20h). O ingresso custa R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia-entrada. Veja o vídeo com a entrevista:

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

lourimar vieira miguel arcanjo Vídeo: Teatro do Kaos de Cubatão mostra migrante nordestino em Os Sapatos que Deixei pelo Caminho

Miguel Arcanjo Prado entrevista Lourimar Vieira, do Teatro do Kaos, no R7 - Foto: Divulgação

O ator e diretor Lourimar Vieira, do Teatro do Kaos, grupo de Cubatão, na Baixada Santista, dá entrevista ao colunista Miguel Arcanjo Prado no estúdio do R7. Ele fala sobre a peça Os Sapatos que Deixei pelo Caminho, que encerra temporada neste fim de semana no Viga Espaço Cênico (r. Capote Valente, 1323, metrô Sumaré), em São Paulo. Sexta (24) e sábado (25), 21h, e domingo (26), 19h, com entrada a R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia. A obra ainda tem apresentação em 5 de novembro, às 21h, no Teatro João Caetano, em São Paulo. No dia 23 de novembro, participa do Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente. O argumento é de Lourimar Vieira e o texto é de Cícero Gilmar Lopes. Veja o vídeo:

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

agenda 4 Vídeo: Veja a Agenda Cultural do Hora News, na Record News, desta sexta feira, dia 24/10/2014

Miguel Arcanjo Prado apresenta a Agenda Cultural, toda sexta, meio-dia, no Hora News, na Record News

Toda sexta-feira é dia de muita cultura na Record News. No telejornal Hora News, o colunista Miguel Arcanjo Prado dá as melhores dicas para o seu fim de semana. Tem o musical gratuito O Homem de la Mancha, em São Paulo. E a peça infantil A Roupa Nova do Rei, em Osasco, também de graça. Tem Céu cantando Bob Marley no Rio. E a Banda do Mar em Florianópolis. E mais: Relatos Selvagens, o novo filme argentino nas telonas. E, para quem gosta de suspense e terror tem O Apocalipse, com Nicolas Cage, e Drácula - A História Nunca Contada. Veja o vídeo:

Com edição de Aline Rocha Soares e produção de Gabriele Moreno. Colaboraram: André de Jesus, Giva Edilene, Clesio Meneses, Moacir Moreira e José Claudio Manso, da Record News.

agenda 3 Vídeo: Veja a Agenda Cultural do Hora News, na Record News, desta sexta feira, dia 24/10/2014

Lidiane Shayuri conversa com Miguel Arcanjo Prado sobre as dicas culturais do fim de semana

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

tudo o mais permanece o mesmo Heloísa Bortz Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Peça dirigida por Francisco Medeiros está em cartaz no Centro Cultural Fiesp - Foto: Heloísa Bortz

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Sala de espera
O diretor Francisco Medeiros, nosso Chiquinho, manda avisar que a peça Tudo o Mais Parece o Mesmo ficará na sala Ruth Cardoso do Centro Cultural Fiesp até 14 de dezembro, em São Paulo. O texto de Teresa Borges mostra uma mãe com dois filhos na sala de espera de um consultório médico.

Serviço
Tem sessão sábado, 20h30, e domingo, 18h e 20h, nos dias 1º, 2, 15, 16, 29 e 30 de novembro. E nos dias 13 e 14 de dezembro. Já nos dias 5, 6, 7, 19, 20 e 21 de novembro e 3, 4 e 5 de dezembro, as sessões acontecem de quarta a sexta, sempre 20h30. A entrada é gratuita. Mas é bom ter atenção: só cabem 50 pessoas por sessão. Anotou o serviço direitinho?

Turnê
A peça Os Sapatos que Deixei pelo Caminho, do Teatro do Kaos, de Cubatão, com direção de Marcos Felipe, encerra temporada neste fim de semana no Viga Espaço Cênico, em São Paulo. No dia 5 de novembro, se apresentam no Teatro João Caetano, também na capital paulista, pelo 4º Circuito de Teatro em Língua Portuguesa. Eles também estarão no Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente. A apresentação está agendada para 23 de novembro. Parabéns. Veja o vídeo com entrevista com Lourimar Vieira, fundador do Kaos:

Assassino em série
O ator Luiz Guilherme se prepara para viver um serial killer na peça O Velho, que estará em cartaz em novembro no Teatro Augusta, em São Paulo. Veja o vídeo feito pela Comunicação da Record com o convite do ator:

maria luisa mendonca Foto Joao Caldas Fº 6551a Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Maria Luísa Mendonça será a nova Blanche DuBois em produção da Morente Forte - Foto: João Caldas

O Bonde vem aí
São Paulo ganhará em 2015 novíssima montagem de Um Bonde Chamado Desejo, ícone do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams. Maria Luisa Mendonça já está escalada para viver a protagonista, Blanche DuBois, uma das mais emblemáticas personagens femininas do teatro moderno. A produção é da Morente Forte. Esperemos para ver.

De novo
Lamartine Babo, musical escrito por Antunes Filho, está de volta ao Sesc Consolação a partir de 5 de novembro. A temporada vai até 10 de dezembro. Chance imperdível para quem ainda não viu. A peça já viajou América Latina e Europa, além de ter dado o Prêmio Shell de Teatro para Fernanda Maia por melhor música em 2010. A direção é de Emerson Danesi.

Ano-novo
O Theatro São Pedro anuncia sua programação de óperas para 2015 na próxima terça (28). Ele agora está sob direção artística do maestro Luiz Fernando Malheiro.

ruy cortez bob sousa Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

O diretor Ruy Cortez: peça em dose tripla na SP Escola de Teatro - Foto: Bob Sousa

Peça em dose tripla
Está marcada para 1º de novembro a estreia da primeira versão teatral brasileira para a obra Os Irmãos Karamázov, clássico de Dostoiévski. A Cia. da Memória, sob direção de Ruy Cortez, ficará em cartaz na SP Escola de Teatro da praça Roosevelt até 15 de dezembro. A obra foi dividida em três peças: Uma Anedota Suja, Os Irmãos e Os Meninos. A dramaturgia tem assinatura de Luís Alberto de Abreu e Calixto de Inhamuns.

Mocinho ou bandido?
A captura de um jovem acusado de roubar uma idosa é o ponto de partida da peça Os Intolerantes, que estreia no CCBB do Rio na próxima quinta (30). O texto é de Carla Faour e Henrique Tavares. No elenco, está Ivone Hoffmann. O ingresso é baratinho: R$ 10. A temporada vai até 21 de dezembro, sempre de quarta a domingo, 19h. Cariocas, fiquem espertos!

SP Não sou bistrô créditos divulgação sortimentos 1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Comida e comédia: Não Sou Bistrô está em cartaz no Teatro Jaraguá, em São Paulo - Foto: Divulgação

À altura do ego
O mundo da culinária anda fazendo sucesso não só na TV, no reality Master Chef, da Band, como também nos palcos. Está em cartaz no Teatro Jaraguá, em São Paulo, a peça Não Sou Bistrô, com Eduardo Galvão encabeçando o elenco. Ele vive um badalado chef catalão que vive estressado. Obrigado pelo coração a fazer uma pausa no trabalho, precisa encontrar um substituto à sua altura para comandar o mais celebrado restaurante de Barcelona. Léo Stefanini dirige a comédia ao lado de Néia Barbosa. A temporada vai até 21 de dezembro, quinta e sábado, 21h, sexta, 21h30, e domingo, 19h. O ingresso custa R$ 60 a inteira e R$ 30 a meia-entrada.

Abre a porteira
Depois de pelejar com a especulação imobiliária, o Espaço dos Fofos, em São Paulo, será reaberto ao público em novembro com a peça Dar Corda pra se Enforcar. Eita.

suzana pires Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

A atriz e autora Suzana Pires: curso de roteiro em São Paulo em novembro - Foto: Divulgação

Escribas
A atriz e roteirista Suzana Pires dará uma oficina prática de roteiro nos dias 22, 23, 29 e 30 de novembro, na Escola de Atores Braapa (av. Pompeia, 2.163), em São Paulo. Ela prepara ao lado de Walther Negrão a minissérie Dama da Noite, da Globo. As aulas serão das 11h às 18h. Informações pelo telefone: 0/xx/11 3872-4204.

Não curtiu
A atriz Cléo De Páris disse que o novo disco da Mallu Magalhães só tem um problema: Marcello Camelo cantando.

Triângulo
Expliquemos: a ex-cantora teen (Mallu Magalhães) e o barbudão ex-Los Hermanos (Marcello Camelo) agora fazem um trio com o amigo português do casal, Fred Pinto Ferreira: a Banda do Mar. Ah, tá.

 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Regina Duarte: ele vai dirigir nova peça em São Paulo com estreia no dia 31/10 - Foto: Divulgação

Regina, sem medo
Regina Duarte estreia nova peça como diretora no próximo 31 de outubro, Dia das Bruxas. Chama-se A Volta para Casa. Como ela não é boba, a eterna namoradinha do Brasil convocou a imprensa especializada em teatro para um bate-papo gostoso na tarde da próxima segunda (27), no Teatro MuBE Nova Cultural, onde sua obra será encenada. Quem sabe dessa vez a crítica é mais boazinha com ela?

O passado
Quando encenou Raimunda, Raimunda Regina foi espinafrada pela crítica paulistana como diretora. Com sua volta ao posto, prova que é uma mulher de coragem. E que não teme a opinião dos outros. Afinal, recomeçar é sempre possível, não é mesmo, minha gente?

Dobradinha
O grupo Artehúmus faz as últimas apresentações do espetáculo O Desvio do Peixe no Fluxo Contínuo do Aquário, no Espaço Beta do Sesc Consolação, em São Paulo, na segunda (27) e terça (28), às 20h. Mas não vão choramingar, já que reestreiam no dia 11 de novembro, no Teatro do Incêndio, também em São Paulo, sempre terças e quartas, 20h. Vão ficar por lá até 18 de dezembro. Aí dá tempo de todo mundo ver, né?

desvio do peixe 1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Peça do grupo Artehúmus: do Sesc Consolação direto para o Teatro do Incêndio - Foto: Divulgação

Vamos pedir Piedade
Vinícius Piedade segue firme e forte com sua Mostra de Repertório no Centro Cultural São Paulo. Veja entrevista com ele:

Você acha que o poder público deveria investir mais em teatro?

  • Sim, o teatro ainda carece de mais recursos para se manter. O governo tem de ajudar.
  • Não, acho que o teatro tem de sobreviver só com a bilheteria.

Veja a Agenda Cultural da Record News

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Lagrimas 1 priscila prade Entrevista de Quinta: Sou uma mulher intensa, apaixonada pela vida, diz atriz Paula Cohen

A atriz Paula Cohen: "Choro sem barreiras, da mesma maneira que rio" - Foto: Priscila Prade

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A atriz Paula Cohen faz seu primeiro espetáculo solo, criado a quatro mãos junto do diretor Pedro Granato. O nome da obra, que demorou três anos para ficar pronta, é mesmo gigante: As Lágrimas Quentes de Amor Que Só Meu Secador Sabe Enxugar.

Em cena na comédia melodramática, uma mulher que busca sua identidade própria após uma desilusão no amor. Paula dá intimidade ao público, na peça que chega encerra temporada no Teatro MuBE Nova Cultural, em São Paulo, neste domingo [veja serviço ao fim].

Nesta Entrevista de Quinta ao Atores & Bastidores do R7, a atriz falou sobre como a obra foi construída, sobre sua infância e ainda comentou o que acha de a sociedade brasileira estar tão dividida às vésperas do segundo turno.

Leia com toda a calma do mundo.

lagrimas ding musa Entrevista de Quinta: Sou uma mulher intensa, apaixonada pela vida, diz atriz Paula Cohen

Até domingo (26): Paula Cohen em cena da peça As Lágrimas Quentes - Foto: Ding Musa

MIGUEL ARCANJO PRADO — Seu secador já enxugou muitas lágrimas quentes suas?
PAULA COHEN — Muitas! Eu sou uma mulher bastante intensa, apaixonada pela vida! Vou com tudo. Choro sem barreiras, da mesma maneira que rio.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Como surgiu a ideia da peça?
PAULA COHEN — Eu queria muito fazer um solo. Achava que já estava na hora. Amo poesia e estava apaixonada por Florbela Espanca. Resolvi que seria ela a minha personagem, na sua alma eu mergulharia. Então, a caminho de Fortaleza, para fazer Navalha na Carne, falando com Pedro Granato, decidimos que queríamos trabalhar juntos de novo e esse seria o mote. Começamos alguns encontros para a pesquisa de dramaturgia. Foi passando o tempo e um dia chegamos os dois com algo para falar um para o outro. E incrivelmente era a mesma coisa : "Vamos mudar tudo? Nós dois escrevemos. Vamos fazer algo novo, algo que fale mais sobre nós, sobre as nossas gerações. Sobre os nossos tempos. A nossa forma de relacionar"... Enfim, aí nasceu As Lágrimas Quentes de Amor Que Só Meu Secador Sabe Enxugar.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Você conheceu como o Pedro Granato? O que você admira nele?
PAULA COHEN — A gente se conhece há muito tempo, meio que através de amigos. Eu já admirava o trabalho dele. Vi um curta que ele fez que eu adorava, Tragédia Brutal. Mas nos conhecemos mesmo quando ele me convidou para fazer Neusa Sueli, Plínio Marcos. Ele veio e nos entregou um envelope rosa, que continha o texto de Navalha na Carne, um para cada um, um para mim, um para Gustavo Machado e outro para Gero Camilo. Aí a Gira estava armada! Isso foi mais ou menos em 2008. O Pedro é um excelente diretor! Tem todos os ingredientes necessários para isso. É altamente sensível, tem um senso estético apuradíssimo, é muito inteligente, humorado. A gente sempre cria muito à vontade juntos, nos divertimos muito. Ele pega no meu pé, exige a máxima de mim, e eu gosto disso. Ele é bem disciplinado, apaixonado pelo que faz . Me identifico muito com ele. É um parceiro absoluto para a vida toda.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Como foi o processo criativo a quatro mãos?
PAULA COHEN — Foi demais. Durante um período de três anos, não cotidianamente, mas com uma certa frequência, íamos entendendo que história contaríamos. Partimos de alguns textos que eu tinha no meu blog na época, chamado Eletrocardiograma. A partir daí começamos a criar quem seria essa mulher? Qual a sua história? Passamos por muitos caminhos, e alguns tratamentos. Às vezes, sentíamos que faltava algo, aí ele me encomendava, ou escrevia, e depois mexíamos um no texto do outro. Tem que haver muita sintonia e intimidade para isso funcionar. Com a gente deu muito certo.

lagrimas 3 priscila prade Entrevista de Quinta: Sou uma mulher intensa, apaixonada pela vida, diz atriz Paula Cohen

"O público está dentro da peça, é uma espécie de cúmplice", diz Paula Cohen - Foto: Priscila Prade

MIGUEL ARCANJO PRADO — Por que fez temporada tão curta? A peça vai voltar?
PAULA COHEN — Por vários fatores, hoje em dia colocar uma peça em cartaz na cidade demanda muito empenho e estrutura. Somos muito guerreiros nós artistas produtores. Mas a peça estreou na hora e lugar certo. Está indo muito bem,  a ideia é voltar em cartaz em janeiro.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Qual a relação que você quer estabelecer com o público nesta peça?
PAULA COHEN — Absolutamente direta. Esta peça é a confissão de Elvira. É o relato e a vivência dessa mulher, neste fragmento da sua vida. O público esta dentro, junto, é uma espécie de cúmplice, ao mesmo tempo que tem a sensação de estar vendo essa figura pelo buraco da fechadura.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Quando você era pequenina já queria ser atriz?
PAULA COHEN — Todos que me conhecem desde pequena dizem que é obvio que eu seria atriz. Eu não falava disso. Não era moda na época a criança querer ser atriz. Eu só era uma criança bem aberta e criativa. Fazia as minha pecinhas para o público adulto que frequentava a minha casa, mas não tinha essa intenção clara. Uma vez, minha avó me flagrou no elevador do prédio dela, subindo e descendo mil vezes. Foi ver o que era e eu estava me acabando de chorar, ela preocupada queria saber o que estava acontecendo e eu muito tranquilamente dizia para ela que estava treinando o pranto. Não me lembro disso, ela que me contou depois, para você ter uma ideia do quão menina eu era.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Como foi a sua infância? Você gostava de brincar do que?
PAULA COHEN — Foi maravilhosa! Eu gostava de brincar muito de tudo! Acho que  não parei nunca mais! [risos] Eu tinha uma relação com meu pai muito lúdica. Ele chegava do trabalho e às vezes até me acordava para viajar comigo. Ficávamos horas com direito a chapéu , maquiagem, eu sempre falo que essa vivencia deve ter me empurrado para o palco. A minha mãe me levava muito ao teatro também. Ela adora é a minha companheira até hoje, minha incentivadora máxima! Eu agradeço isso do fundo do meu coração! Mas as minha brincadeiras iam desde fazer perfume com pétalas de flores e álcool, até ser a Nadia Comaneci, minha “ídola” campeã romena de ginástica olímpica. Eu passei muitos anos querendo ser ginasta.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Qual foi a primeira vez que subiu no palco?
PAULA COHEN — A dança me levou para o palco desde bem pequena. Sempre dancei. Fiz clássico e jazz. Na adolescência, consegui até uma licença do meu colégio e passava as tardes no balé. Não me lembro da primeira vez no palco, mas sempre tive fascinação e sempre de alguma maneira me senti confortável ali. Nos lugares mais improváveis que tinha um palco montado daqui a pouco eu aparecia por lá. Cantava alguma coisa, dançava enfim cara de pau! [risos]

lagrimas 2 priscila prade Entrevista de Quinta: Sou uma mulher intensa, apaixonada pela vida, diz atriz Paula Cohen

"Ser atriz é quase sem escolha! Naturalmente se é!", diz Paula Cohen - Foto: Priscila Prade

MIGUEL ARCANJO PRADO — O que tem de melhor e de pior em ser atriz?
PAULA COHEN — Eu sou apaixonada pelo fato de viver em estado de criação. O meu ser precisa disso. Então, para mim só tem melhor, no sentido de que não consigo imaginar a minha vida sem esse lugar. Ao mesmo tempo sabemos das dificuldades constantes . Não é fácil e sinceramente não é para todos pois você tem que querer muito. Você lida com a frustração, com a superexposição, é tudo muito à flor da pele... Enfim, tudo isso que já foi tão dito. É quase sem escolha! Naturalmente se é! Eu amo e agradeço viver com a arte.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Porque você faz teatro?
PAULA COHEN — É a maneira que eu tenho de me comunicar com o mundo. É a minha linguagem, minha casa, é a minha vida. O que eu escolhi, ou o que a vida escolheu por mim!

MIGUEL ARCANJO PRADO — Como você vê este racha na sociedade brasileira por conta do segundo turno no domingo agora?
PAULA COHEN — Estou triste demais com a política. Não confio em nenhum desses políticos. Acho que nessa alta instância do poder, esses senhores e senhoras acabam trabalhando para si mesmos. Nessa fogueira de vaidades as plataformas são de interesse próprio. A saúde, a educação, a arte: tudo sucateado! É terrível! Como construímos um país com bases sólidas assim? Ao mesmo tempo, cada individuo tem a sua posição com relação ao que seria menos pior para o país. E isso tem que ser respeitado. Cada um deve ter o direito de votar em quem quiser e não ser agredido por isso! Oi, gente! Liberdade de expressão! Sem isso, estamos lascados! Acho terrível as agressões nas mídias sociais por conta da política. Revela outros buracos da nossa sociedade.

MIGUEL ARCANJO PRADO — Onde você se imagina daqui a 20 anos?
PAULA COHEN — Certamente nos palcos da vida! Quero também estar escrevendo bastante. E poder passar temporadas por aqui, por ali. O mundo é muito grande! E eu tenho uma relação muito estreita com o Uruguai e a Argentina. Eu sou meio uruguaia, meus pais são uruguaios. Quero sempre transitar por aí e sempre, claro, fazendo muita arte! Só peço que Deus me conserve com energia e inspiração sempre. Evoé!

As Lágrimas Quentes de Amor Que Só Meu Secador Sabe Enxugar
Quando: Sábado, 20h30; domingo, 18h. 70 min. Até 26/10/2014
Onde: Teatro MuBE Nova Cultural (r. Alemanha, 221, Jardim Europa, São Paulo, tel. 0/xx/11 2386-8194)
Quanto: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada)
Classificação etária: 14 anos

lagrimas ding musa 2 Entrevista de Quinta: Sou uma mulher intensa, apaixonada pela vida, diz atriz Paula Cohen

Paula Cohen em cena no seu primeiro monólogo, com direção de Pedro Granato - Foto: Ding Musa

Você já chorou muito por amor?

  • Sim, afinal de contas, quem não sofreu por amor?
  • Não, minha autoestima é muito elevada e não choro por ninguém!


Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

SELFIE FOTO SERGIO BAIA 3056 reduzida para divulgação Mateus Solano discute moda do selfie em peça

Miguel Thiré e Mateus Solano discutem moda da selfie no palco: pré-estreia capixaba - Foto: Sergio Baia

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Marcos Caruso está nos últimos preparativos para a peça que dirige com Mateus Solano e Miguel Thiré no elenco: Selfie, que tem pré-estreia em Vitória, no Espírito Santo, nos dias 24, 25 e 26 de outubro agora. As apresentações acontecem no Teatro Universitário da UFES (Universidade Federal do Espírito Santo).

Depois da estreia para os capixabas, a obra fará temporada no Rio, no Teatro Miguel Falabella, entre 31 de outubro e 25 de janeiro de 2015.

Mateus Solano se divide entre os ensaios e os cuidados com a mulher, Paula Braun, que está grávida do primeiro filho do casal.

Selfie é um texto de Daniela Ocampo produzido por Carlos Grun que fala da nova mania social de se autofografar o tempo todo. O hábito é recente, tal qual a palavra, que entrou em 2013 para o dicionário.

O texto, que foi criado em um processo colaborativo, fala das relações sociais contemporâneas, cada vez mais mediada por imagens e máquinas. Tudo com muito bom humor.

As apresentações no Espírito Santo fazem parte do 1º Circuito Bandes Inovação de Teatro. Os ingressos para as sessões custam entre R$ 45 e R$ 100.

Você conhece alguém que exagera na moda de fazer selfie o tempo todo?

  • Sim. E fico sem o que dizer, pois acho isso de ficar se fotografando o tempo inteiro insuportável.
  • Não. Não considero que ninguém exagera, porque acho que a gente tem mesmo é de se expor o tempo todo!

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com