Posts com a tag "cabaret"

adanias sousa bob sousa O Retrato do Bob: Adanias Sousa, o persistenteFoto BOB SOUSA
Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O ator Adanias Sousa faz o possível para estar em cena. E o impossível também. Atualmente, vive o judeu Herr Schultz em Cabaret, o Musical, que faz temporada gratuita até o fim do mês, com direção de André Latorre, no Espaço Cia. do Pássaro, em São Paulo. Graduado em artes plásticas, tem pós-graduação em artes cênicas pela Faculdade Paulista de Artes. Já dirigiu também o musical Gota D'Água. Além de estar no palco, também cumpre as funções do cargo de secretário de Cultura de Cajamar, município da Grande São Paulo. E ainda encontra tempo para integrar o Coral da Cidade de São Paulo. É, realmente, um persistente.

Visite o site de Bob Sousa

Baixe o livro Retratos do Teatro, de Bob Sousa

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Foto de Bob Sousa
Por Miguel Arcanjo Prado
andre latorre foto bob sousa 2013 O Retrato do Bob: André Latorre, o artista que acreditou no teatro universitário e viu o sucesso
O ator e diretor André Latorre não esquecerá o mês de julho de 2013. Foi quando dirigiu o musical universitário Cabaret, com alunos da Faculdade Paulista de Artes, no Teatro Ruth Escobar, onde posou para o nosso Bob Sousa. A produção, feita na raça com apenas R$ 3.000, conquistou público de deixar qualquer teatro profissional de queixo caído. Filas intermináveis se formaram, com espectadores disputando cada um dos 60 lugares disponíveis em cada sessão. Êxito fruto da obstinação dele e do elenco de 21 jovens atores, que formam a Cia. Instável de Teatro. São 12 anos de estrada e 29 espetáculos montados, dos quais 12 são musicais. André se viu surpreso e realizado. A vida artística começou em 1992, quando, garoto, integrou o elenco da peça Saló Salomé, do então incipiente grupo Os Satyros, em uma louca viagem à Europa. Ficou por lá um tempo, estudou no Centro Andaluz de Teatro, voltou ao Brasil, trabalhou com gente importante, como o saudoso Zé Renato, criador do Teatro de Arena. Viveu de tudo. E sabe que sucesso não acontece todo dia. Não há fórmula mágica. Ao fim da temporada de glória de Cabaret, lembrou, no palco, emocionado, que grandes companhias da história do teatro brasileiro nasceram do teatro universitário. Coisa que leva a sério e à qual dedica sua vida. Foi aplaudido de pé.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

TRAIR 0720A   celia santos Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Cena da peça Trair e Coçar É Só Começar: mais de 6 milhões de espectadores - Foto: Celia Santos

Por Miguel Arcanjo Prado

Recorde
Nenhuma peça brasileira têm os números de Trair e Coçar É Só Começar: são 27 anos em cartaz, mais de 6 milhões de espectadores, além de quatro menções no Guinness Book para a trama escrita por Marcos Caruso. Agora, a história aporta em novo palco: o Teatro APCD, em Santana, São Paulo, a partir de 23 de agosto. Nem precisa dizer que será sucesso de novo.

Agenda Cultural da Record News

Rock no parque
Rock in Rio – O Musical fará apresentações no Auditório Ibirapuera entre 8 e 11 de agosto a preço popular: R$ 20. Corra.

Venenosa

A peça A Serpente inaugura neste sábado (3) um novo espaço para o teatro carioca: a Sede das Cias, na Escadaria Selarón (r. Manuel Carneiro, 10, Lapa, Rio). O texto de Nelson Rodrigues mostra o embate de duas irmãs que resolvem fazer troca-troca com seus maridos. Fica em cartaz até 31 de agosto, sexta e sábado, 20h, com ingresso a R$ 30. Cariocas, prestigiem.

Guerra
Com duas indicações ao Prêmio Shell, a peça As Estrelas Cadentes do Meu Céu São Feitas de Bombas do Inimigo reestreia nesta sexta (2) no Tusp. Merda.

Ponte aérea
Dois atores da peça Deus É Um DJ estarão na próxima novela das 18h da Globo, O Pequeno Buda: Marcos Damigo e Guta Ruiz. A peça reestreia nesta sexta (2), no Teatro Jaraguá, com direção de Marcelo Rubens Paiva. Fica por lá até 8 de setembro, de sexta a domingo, com ingresso a R$ 50. Recado dado.

Mãe e filha
A peça Aos Nossos Filhos, com Laura Castro e a estrela internacional Maria de Medeiros, reestreia no Tuca, em São Paulo, também nesta sexta (2). A direção é de João das Neves, o mito.

cabaret final Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Atrizes do coro do musical Cabaret, que fez história no Teatro Ruth Escobar - Foto: Eduardo Enomoto

"A vida é um Cabaret, meu bem!"
O musical universitário Cabaret, dirigido por André Latorre com alunos da Faculdade Paulista de Artes, encerrou com glória, na última quarta (31), sua temporada no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo. Havia tanta gente querendo entrar que foram feitas três sessões seguidas. E, mesmo assim, ainda ficou uma multidão para fora. Ao fim da última apresentação, o numeroso elenco chorou copiosamente, emocionado.

O preço da fama
O sucesso de Cabaret foi tão estrondoso, que uma espectadora que não conseguiu pegar um dos disputadíssimos ingressos gratuitos resolveu abrir tópico no site Reclame Aqui. Pode, minha gente?

coluna elaine grava Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

A atriz Elaine Grava: morte aos 34 anos - Divulgação

Luto
A última sessão de Cabaret foi dedicada à atriz Elaine Grava, que morreu no mesmo dia 31 de julho. Ela estudou teatro na Faculdade Paulista de Artes e integrava o grupo Teatro Documentário. Ela também fez parte de Os Satyros, onde atuou em Roberto Zucco. Robson Catalunha, que contracenou com ela, lamenta a perda à coluna: "Foi um choque pra todos nós do Satyros. A Elaine foi minha mãe na peça Roberto Zucco e também foi uma atriz de uma generosidade incrível", diz. Ela tinha apenas 34 anos e não resistiu à luta contra um câncer de pulmão. O teatro chora sua partida tão precoce.

Temporada
A peça Quanto Custa?, dirigida por Pedro Granato, fica em cartaz no CCBB-SP até 4 de outubro.

Escalada
Marilice Cosenza, protagonista do musical Avenida Q, em cartaz no Teatro Sérgio Cardoso, estará no novo musical de Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello: Crazy for You. Estreia em outubro.

armando antenore 1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

O jornalista Armando Antenore

Gente de teatro
Aí está o nosso Armando Antenore, redator-chefe da revista Bravo!, que leva sua derradeira edição às bancas neste mês, com Saramago na capa. A publicação, infelizmente, não resistiu à crise pela qual passa a imprensa tradicional. Jornalista formado pela ECA-USP e sempre apaixonado pelas artes, ele dá exemplo por onde passa. Está sempre atento aos nossos palcos e a quem está nele. Agora, fará reportagens especiais para a Editora Abril, onde permanece com sua competência de sempre. Para ele, vai o abraço fraterno da coluna!

satyros rio2 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Pose carioca de Verlaine e Rimbaud: Robson Catalunha, Ivam Cabral e Henrique Mello no Rio - Foto: Transeunte Carioca

Satyros Cariocas
Os meninos da trupe Os Satyros passaram um sufoco nesta quinta, dia de estreia de Inferno na Paisagem Belga no Teatro Glauce Rocha, no Rio. Após ter um atraso no voo, eles chegaram à Cidade Maravilhosa às 17h. E a apresentação começou às 19h. Mesmo assim, Robson Catalunha, Ivam Cabral e Henrique Mello arrumaram um tempo para fazer esta foto exclusiva para a coluna. Eles ficam por lá até 11 de agosto, de quinta a domingo, 19h, com ingresso a R$ 20. O endereço é av. Rio Branco, 179, perto do estação Carioca do metrô. Vai, gente!

Édipo na Praça
A nova peça de Os Satyros, Édipo na Praça, estreia em São Paulo no dia 16 de agosto, após uma pré-estreia no Festival de Inverno de Bragança Paulista, no interior, no último sábado (27). Metade da obra vai acontecer no Espaço dos Satyros 1. A outra metade vai rolar na praça Roosevelt. Além da mitologia grega, a peça dirigida por Rodolfo García Vázquez vai abordar também os protestos políticos que aconteceram em junho. No elenco, Phedra D. Córdoba, nossa diva, volta aos palcos, para nossa alegria. Será Tirésia: "É uma personagem que é ao mesmo tempo homem e mulher, tem hora que falo grosso e tem hora que falo fino. É uma personagem bárbara. Vou ter cenas dentro do teatro e também do lado de fora", conta à coluna. Vai arrasar, é claro. Ainda estão no elenco Óscar Silva, como Édipo,  e Cléo De Páris, como Jocasta. A coluna vai.

phedra bobsousa5 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Phedra D. Córdoba: "Rodolfo, o diretor, me disse que minha personagem é muito forte" - Foto: Bob Sousa

 

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

11 cabaret coro foto eduardo enomoto julho 2013 Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Musical Cabaret tem lotado o Teatro Ruth Escobar, na Bela Vista, em São Paulo - Foto: Eduardo Enomoto

Por Bruna Ferreira
Especial para o Atores & Bastidores*
Fotos de Eduardo Enomoto

Cabaret é um dos musicais mais interessantes da Broadway. Não tem aquela felicidade obrigatória deste tipo de produção; muito pelo contrário: é denso, introspectivo e acontece sob a névoa nazista que chega à Alemanha dos anos 1930.

Além disso, tem uma protagonista cuja decadência é o seu grande charme. São a maquiagem borrada, o excesso de gim e a vida de fracassos que fazem com que o público se identifique com a dançarina Sally Bowles, já defendida por Liza Minelli e Claudia Raia.

Assim, montar o texto de Joe Masteroff com músicas lendárias de John Kander e letras de Fred Ebb é um grande passo para ter um espetáculo que funcione.

Mas, a isso tudo, o diretor paulistano André Latorre conseguiu um charme a mais: o da juventude sedenta por fazer teatro, com sua inocência cênica, cheia de erros e acertos.

cabaret rita gutt anderson dkassio gabriel ivanoff foto eduardo enomoto julho 2013 Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Novo nomes: à esq., Rita Gutt e Anderson D'Kássio; à dir., Gabriel Ivanoff - Foto: Eduardo Enomoto

É essa mistura que faz da versão universitária de Cabaret um sucesso comprovado pelas extensas filas no Teatro Ruth Escobar, na Bela Vista, em São Paulo.

Latorre reuniu 21 atores na Cia. Instável, grupo formado por alunos do curso de teatro da Faculdade Paulista de Artes. Além da direção, na qual contou com assistência de Liza Caetano, assina também iluminação, figurino e cenografia. Esta última, feita em parceria com Dalila Cruz, se destaca pela precisão com que conseguiu equilibrar uma produção sem muitos recursos com eficiência. A sala de arena Myriam Muniz é transformada no cabaré Kit Kat Club, no camarim da protagonista, Sally, ou na pensão onde a dançarina vai morar com o escritor norte-americano Clifford Bradshaw.

O diretor conseguiu criar uma unidade em meio a tanta diversidade e o resultado é um espetáculo que envolve o público.

cabaret juan manuel tellategui rita gutt foto eduardo enomoto julho 2013 Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Juan Manuel Tellategui (à esq.) e Rita Gutt (à dir.) são destaques do elenco - Foto: Eduardo Enomoto

Destaques do elenco

O elenco traz novos nomes à cena teatral paulistana. É encabeçado por Rita Gutt, atriz e cantora que se recusa a entrar pelo fácil caminho do exagero; muito pelo contrário, faz uma Sally Bowles simples e certeira. Rita é segura, afinada e carismática. E impressiona a todos ao cantar sem microfone e acertar todas as notas possíveis.

Outro que chama a atenção é o ator Gabriel Ivanoff, dono de exótica beleza e que segura o clima da peça como o Mestre de Cerimônia, navegando entre mistério e riso. Apesar de algumas irregularidades, como o choro forçado na cena final, ele vai bem por quase todo o espetáculo.

Outra novidade é o argentino Juan Manuel Tellategui, na pele do vilão, o nazista Ernest Ludwig. Fazendo de seu leve sotaque um diferencial positivo, o ator demonstra experiência para segurar tanto cenas cômicas, como quando seu personagem aprende a falar inglês, ou dramáticas, como aquela em que ameaça sutilmente a amiga alemã prestes a se casar com um judeu.

Com voz afinada, Anderson D’Kássio oscila como o inseguro escritor Clifford Bradshaw. O ator faz uma interpretação pomposa, que destoa do naturalismo de Rita Gutt, seu par romântico. No embate final entre os dois, falta-lhe peso para a situação dramática que a cena exige.

Liza Caetano, como a dona da pensão Fraulein Schneider, também mostra segurança, sobretudo quando solta o vozeirão. Já Adanias Souza vai na simplicidade para conquistar a simpatia do público pelo seu personagem, o velho judeu Herr Schulzz apaixonado por ela.

20cabaret foto eduardo enomoto julho 2013 Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Musical Cabaret faz últimas sessões no Teatro Ruth Escobar com entrada grátis - Foto: Eduardo Enomoto

O coro é vivo, mas irregular: ao mesmo tempo em que há atores e atrizes entregues, há também outros dispersos. Também escorrega na afinação em alguns momentos.

Destaque para a atitude da pequenina e agitada Laís Flinco, Giovanna Cameron, Cinthia Arruda (que também se sobressai nas cenas como uma das moradoras da pensão), Ana Paula Faustino, Cintia Fer e Fernanda Carvalho.

Ainda compõem o elenco Lucimar de Santana, Tiago Prado Dort, Ismael Resende, Daniel Prata, Wilton Leal, Lucas Figueiredo, Anny Carvalho, Silvana Ritter Vargas, Karem Almeida e Agatha Miklos.

cabaret eduardo enomoto todos Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Musical universitário Cabaret é composto por alunos da Faculdade Paulista de Artes - Foto: Eduardo Enomoto

O sucesso de público do musical Cabaret comprova que os espectadores paulistanos sabem também valorizar uma produção feita na raça e não só os grandes musicais com investimentos de milhões.

A obra mostra que a simplicidade é interessante. E, o principal, que nada substitui a vontade de fazer.  Com seus erros e acertos, o Cabaret de André Latorre é um musical que tem na exposição da juventude sedenta pelo palco seu maior trunfo.

*Bruna Ferreira é jornalista formada pela USP e repórter do R7.

22cabaret Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Com direção de André Latorre, musical Cabaret reúne novos nomes dos palcos de SP - Foto: Eduardo Enomoto

Cabaret
Avaliação: Bom
Quando: Segunda, terça e quarta, 19h e 21h. 100 min. Até 31/7/2013
Onde: Teatro Ruth Escobar – Sala Miriam Muniz  - 60 lugares (r. dos Ingleses, 209, Bela Vista, São Paulo, Metrô Brigadeiro. Tel. 0/xx/11 3289-2358).
Quanto: Grátis (ingressos disponíveis para retirada duas horas antes de cada sessão – atenção: a fila costuma se formar três horas antes de cada sessão)
Classificação etária: 14 anos
Avaliacao Bom R7 Teatro PQ Crítica: Com jovens sedentos de palco, musical Cabaret é sucesso de público em São Paulo

Veja dicas culturais em todo o Brasil no vídeo abaixo:

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

magiluth Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Grupo Magiluth se destaca no Festival de Inverno de Garanhuns (PE) - Foto: Renata Pires/Secult/Fundarpe

Por Miguel Arcanjo Prado

Ai, que saudade docê!
A coluna ficou pensando em um jeito de homenagear Dominguinhos, o príncipe da sanfona que nos deixou nesta semana. O Grupo Magiluth, amigo da coluna, resolveu nossa questão. Eles arrebentaram no Festival de Inverno de Garanhuns, no interior de Pernambuco, com a peça Luiz Lua Gonzaga. Ao homenagearem Gonzagão, eles prestam tributo automático a Dominguinhos, seu herdeiro principal. Viva Dominguinhos, viva Gonzagão, viva o Magiluth, viva o teatro pernambucano e, claro, viva o sertão!

Fofo
Depois que o ator Ed Moraes apareceu por aí em um comercial de telefone pedindo todo mundo para ser seu amigo, ele anda mais paparicado do que nunca.

Agenda Cultural da Record News


Cabaret 1
O musical Cabaret, dirigido por André Latorre no Teatro Ruth Escobar, em SP, virou um verdadeiro escândalo. É tanta gente na fila que nem o diretor acredita. Todo mundo quer ver.

Cabaret 2
O público nem liga para o frio de rachar e chega bem cedo para conseguir os disputados 60 ingressos a cada sessão na Sala Myriam Muniz. São distribuídos, um por pessoa, às 17h, para a sessão das 19h, e às 19h, para a sessão das 21h. A coluna esteve por lá e viu o fuzuê. Tem até fila esperando que algum louco desista. A peça faz as últimas sessões nesta segunda (29), terça (30) e quarta (31). O caldo vai ferver.

CABARET11 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Laís Flinco: a pimentinha do musical Cabaret - Foto: Eduardo Enomoto

Cabaret 3
Falando no musical que arrasta multidões na Bela Vista, uma pequenina atriz se destaca no coro de Cabaret: Laís Flinco. No papel de uma das garotas fogosas do Kit Kat Club, ela saltita, faz biquinho, passa a mão na perna dos espectadores e não para um minuto sequer. Um verdadeiro diabrete. Sapeca e levada, nossa Pimentinha.

Cabaret 4
O público que foi ver a sessão das 21h de Cabaret na última quarta (24) deu um show de má educação. Enquanto a sessão das 19h acontecia, os espectadores que aguardavam do lado de fora para a sessão seguinte falavam alto, gritavam e riam, incomodando quem estava lá dentro vendo o musical. Essa gente deve ter confundido saguão de teatro com mesa de boteco. Coisa feia.

Por que, meu Deus?
Falando em má educação no teatro, por que ainda que tem gente que não desliga o celular ao entrar em uma sala de espetáculo? E o pior: quando ele toca no meio da peça, teima em atendê-lo? A coluna viu a cena em uma sessão do musical Avenida Q, no Teatro Sérgio Cardoso. Uma falta tremenda de respeito com os artistas e o público.

Flávia Strongolli Michelle Boesche e Maura Hayas Os Adultos estão na sala Foto Ligiane Braga3 reduzida Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Flávia Strongolli, Michelle Boesche e Maura Hayas em Os Adultos Estão na Sala - Foto: Ligiane Braga

Nova temporada
A comentada peça Os Adultos Estão na Sala chega ao Tusp em 21 de agosto. Reservem a data na agenda, meu povo!

Na torre
O musical infantil Rapunzel faz temporada no Teatro Santo Agostinho, perto do metrô Vergueiro, de 3 de agosto a 28 de setembro. Sábado, 18h, com inteira a R$ 40. A direção é de Mauro Pucca. Levem as crianças.

Cacilda Glória no TBC Capítulo 1 2 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Turma do Teatro Oficina leva vida de Cacilda Becker aos palcos de S. J. dos Campos - Divulgação

Vai sacudir
Um “samba-enredo delírio musical sobre a vida da atriz Cacilda Becker”. É assim que José Celso Martinez Corrêa, nosso diretor-mito do Oficina, define o novo espetáculo de sua trupe: Cacilda!!! Glória no TBC – Capítulo 1. Estreia neste sábado (27) e domingo (28), no Sesc São José dos Campos, no interior de São Paulo. Catherine Hirsch e Marcelo Drummond assinam a codireção. Vai abalar.

Tempo de festa
Para celebrar suas quatro décadas de carreira e 70 anos de vida, o autor e diretor Naum Alves de Souza preparou uma peça especial. Trata-se da inédita Operação Trem-Bala. Estreia no dia 2 de agosto, no Instituto Capobianco, em São Paulo. Merda e feliz aniversário!

É hoje
A terceira edição do projeto Cabarezinho acontece nesta sexta (26), a partir das 22h30, no CIT-Ecum em São Paulo. Participam Zimbher, Daniel Conti, Namakaca e Márcio Araújo. Vai, gente!

Os Justos 2b Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Pé na estrada: Amanda Banffy e Tamayo Nazarian em cena do espetáculo Os Justos - Foto: Marília Scarabello

On the Road
A peça Os Justos faz três apresentações no interior de São Paulo nos próximos dias. Neste sábado (27), às 20h, tem sessão no Anfiteatro da Câmara Municipal de Louveira. Já no dia 6 de agosto, às 19h e às 20h30, tem peça no Teatro Polytheama de Jundiaí.

Um lugar para chamar de meu
A Cia. Les Commediens Tropicales abre sede própria no próximo dia 2 de agosto. O endereço é rua Dom José de Barros, 288, no centro paulistano. Vão apresentar três pecas por lá nos próximos meses. A coluna vai conferir.

Gente de teatro
Aos 91 anos e em invejável forma, Bibi Ferreira não é apenas gente de teatro. Ela é o próprio teatro brasileiro. A grande diva pode ser vista até 1° de setembro no musical Bibi Canta e Conta Piaf, no Teatro do Shopping Frei Caneca, em São Paulo. Corra e vá ver.

20080802 211909 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Obrigatório ver: a atriz e cantora Bibi Ferreira, nossa diva de 91 anos faz temporada paulistana - Divulgação


Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

coluna homens de papel foto Sergio Massa Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

O ator Eliel Isidro em cena: última chance para ver Homens de Papel no Teatro Commune - Foto: Sergio Massa

Por Miguel Arcanjo Prado

Última chance
A Cia das Artes faz a última apresentação da peça Homens de Papel nesta sexta (19), às 21h. A peça está no Teatro Commune (r. da Consolação, 1218), em São Paulo. Jair Aguiar dirige o texto clássico do grande Plínio Marcos. Coisa boa.

Nós vamos invadir sua praça
Ivam Cabral, querido da coluna, avisa: a peça Édipo na Praça, que estreia no segundo semestre, vai ocupar a praça Roosevelt. Ela começa a série de eventos que vai comemorar os 25 anos do grupo Os Satyros, o mais famoso da cidade, em 2014.

Agenda Cultural da Record News

coluna Krisis Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Elke Maravilha e Peréio no Bom Retiro - Divulgação

Cia. Nova no Bom Retiro
Elke Maravilha e Paulo César Peréio são as grandes estrelas da ocupação que a Cia. Nova de Teatro faz no Sesc Bom Retiro até 14 de agosto. A dupla do barulho participa da peça Krisis, dirigida por Lenerson Polonini. “A peça teve três fases. A primeira, foi a ideia, ainda no Brasil. Depois, tivemos aquela segunda fase, na Grécia, onde intensificamos a pesquisa. A ideia de trabalhar com deuses que brincam com humanos esteve sempre presente. A Elke tem uma relação muito forte com a cultura grega, ela morou na Grécia, e também com a morte. Então, ela é a nossa Ades. Já o Peréio é o próprio Zeus”, conta o diretor à coluna. A segunda peça da ocupação é Caminos Invisibles... La Partida, uma montagem poliglota feita com 11 atores bolivianos e seis brasileiros: “É falada em espanhol, português e nos dialetos indígenas quechua aymara”, revela o diretor. Quem gosta de teatro tem de colocar na agenda ir prestigiar os dois trabalhos.

Prorrogou
O espetáculo Ausência aumentou sua temporada no Sesc Ipiranga. Agora vai até o dia 4 de agosto, sempre sábado, 21h, e domingo, 18h. A peça é protagonizada pelo ator Luis Melo, ator que também integra o elenco da novela Amor à Vida. Se no folhetim ele fala demais, no espetáculo entra mudo e sai calado. A interpretação é toda baseada no teatro gestual.

as cinzas do velho Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

As Cinzas do Velho volta ao cartaz após confusão - Divulgação

Temporada popular
Após um fim de temporada abrupto no Teatro União Cultural, a peça As Cinzas do Velho estará de volta ao cartaz entre 9 de agosto e 15 de setembro no Teatro João Caetano, da Prefeitura de São Paulo. O texto é do californiano Kelly Mcallister. No elenco, está o ator Alexandre Cruz, na foto, à direita. Os ingressos serão baratíssimos: R$ 10 a inteira e R$ 5 a meia. Não tem desculpa para não ir, né, gente?

O Retorno
A Cia. Aurora manda avisar que reestreia nesta sexta (19), às 21h, As Desgraçadas, no Teatro Cacilda Becker, na Lapa (r. Tito, 295), em São Paulo. A cenografia tem um datalhe interessante: tem 380 lâmpadas incandescentes delimitando o palco. As atrizes tem autonomia para manipular a luz. Ninguém fica no escuro.

bob sousa Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Bob Sousa: livro no forno

O Livro do Bob
A coluna ficou sabendo que a festa de lançamento do livro Retratos do Teatro, de Bob Sousa, vai ser um arraso. Já tem gente até pedindo convite antecipado. O livro já está finalizado e a ponto de ir para a gráfica. Quem será que vai estar? A pergunta não quer calar.

Brecht costurado e inédito
Pedro Granato, nosso querido diretor, faz ensaio aberto nesta sexta (19), às 20h, da peça Quanto Custa? no CCBB-SP. Mas nem adianta se empolgar. A sessão é exclusiva para convidados. Liga para ele e pede.

Aviso
Para ninguém ficar triste, Granato avisa que a estreia para o público em geral será em 25 de julho. Tá bom.

Fofos de volta
A turma do grupo Os Fofos Encenam está em transe com a indicação ao Shell com o projeto Baú da Arethuza (veja lista completa dos indicados). Teve um diretor amargo que atacou os meninos pelo Facebook. Eles não se fizeram de rogados: vão estrear a nova peça do projeto, A Canção de Bernadete, neste sábado (20), no espaço que têm na rua Adoniran Barbosa,  151, na Bela Vista. E mandam convidar todo mundo.

Hamlet
O grupo potiguar Clowns de Shakespeare fica em São Paulo com sua famigerada versão de Hamlet até 26 de julho no Sesc Ipiranga. A coluna já viu.

coluna damadanoite Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Luiz Fernando Almeida faz um monólogo de Caio Fernando de Abreu na Bela Vista (SP) - Divulgação

Noturno
O ator Luiz Fernando Almeida vai protagonizar um dos textos mais emblemáticos de Caio Fernando Abreu: Dama da Noite. Ficará em cartaz todos os sábados de agosto e setembro, às 21h, no Espaço Cultural Pinho de Riga (r. Conselheiro Ramalho, 599, Bela Vista). A direção é de Andre Leahun. O ingresso será R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Moradores do Bixiga pagam só R$ 5. Vai juntando a grana pra ir.

cabaret eduardo enomoto 11 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Filas intermináveis no Teatro Ruth Escobar: musical Cabert é sucesso de público - Foto: Eduardo Enomoto

Lotado
Mesmo fazendo duas sessões por dia, às 19h e 21h, toda segunda, terça e quarta, até o fim do mês de julho, tem ficado público para fora do musical universitário Cabaret, no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo. As filas, enormes, começam já pelo período da tarde, para alegria e sufoco do diretor André Latorre. Tadinho.

Nasce uma estrela
Rita Gutt, a protagonista de Cabaret, já é uma diva dos musicais nacionais. A moça canta sem microfone, é afinadíssima e tem presença. Atenção, produtores dos grandes musicais: fiquem de olho nesta atriz.

rita gutt eduardo enomoto1 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Afinada e com presença de palco: Rita Gutt, à direita: nasce uma diva dos musicais - Foto: Eduardo Enomoto

Comunique-se
Este vosso colunista é um dos dez finalistas ao Prêmio Comunique-se 2013, o principal prêmio jornalístico do Brasil, na categoria Jornalista de Cultura em Mídia Eletrônica. A votação vai até dia 6 de agosto, mas precisa ter cadastro no site do Comunique-se. Este vosso escriba pede, humildemente, seu voto!

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

cabaret eduardo enomoto teatro ruth escobar julho 2013 Musical Cabaret ganha versão grátis em São Paulo

A atriz Rita Gutt, à frente, encabeça elenco do musical Cabaret: produção universitária tem entrada gratuita no Teatro Ruth Escobar, na Bela Vista, em São Paulo, durante todo mês de julho - Foto: Eduardo Enomoto

Por Miguel Arcanjo Prado
Fotos de Eduardo Enomoto

O público paulistano que adora os musicais e não tem muita grana no bolso agora não tem desculpa para ficar em casa. Estreia nesta terça-feira (2), às 21h, no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo, Cabaret, um dos grandes musicais da Broadway.

E o melhor: por ser uma montagem universitária sem fins lucrativos, a entrada é gratuita. Tem sessão toda segunda, terça e quarta de julho, até o fim do mês, sempre às 19h e às 21h.

A obra de Joe Masteroff, John Kander e Fred Ebb foi lançada na Broadway em 1966, e causou impacto por abordar a chegada do nazismo ao poder na Alemanha pré-2ª Guerra Mundial.

A história chegou ao cinema em 1972, em filme de Bob Fosse estrelado por Liza Minelli, que levou o Oscar de melhor atriz pelo papel de Sally Bowles, a dançarina de cabaré mais lendária da história de Hollywood. No Brasil, Claudia Raia protagonizou o musical no ano passado.

cabaret 2 eduardo enomoto Musical Cabaret ganha versão grátis em São Paulo

Amor impossível em Berlim: a dançarina Rita Gutt, como a dançarina inglesa Sally Bowles, e Anderson D'Kassio, como o escritor norte-americano Cliff - Foto: Eduardo Enomoto

Agora, na produção da Faculdade Paulista de Artes e Cia. Instável – que existe desde 2001 com 27 espetáculos montados –, a atriz Rita Gutt, paulista de Ibiúna, vive o papel de Sally Bowles. Ela conversou como R7 sobre o desafio de viver uma personagem tão emblemática.

— Para mim, receber este papel foi um presente. É uma responsabilidade enorme fazer um musical de tanto peso. Mas, queremos fazer o nosso Cabaret. O musical tem o nosso jeitinho. Sei que a Sally precisa dançar e cantar, mas ela tem algo introspectivo. Uma dor interna só dela. Tento demonstrar isso enquanto o show não pode parar.

cabaret eduardo enomoto gabriel ivanoff Musical Cabaret ganha versão grátis em São Paulo

Gabriel Ivanoff interpreta o Mestre de Cerimônias do lendário cabaré Kit Kat Club - Foto: Eduardo Enomoto

O ator Anderson D’Kassio, nascido em Macapá e radicado em São Paulo, interpreta Cliff, o escritor norte-americano com quem Sally tem um caso. Já Gabriel Ivanoff, ator de São Caetano do Sul, no ABC paulista, fecha o time de protagonistas como o MC, o andrógeno apresentador do Kit Kat Club, papel que consagrou Jarbas Homem de Mello no ano passado.

A peça ainda conta com participação internacional no elenco. O ator Juan Manuel Tellategui integra o musical, na pele do alemão Ernest Ludwig, uma espécie de antagonista da história. Ele é argentino e já fez musicais e filmes, como Pompeya, de Tamae Garateguy, em sua terra natal.

cabaret 3 eduardo enomoto com rita gutt e juan manuel tellategui Musical Cabaret ganha versão grátis em São Paulo

Dobradinha de hermanos: a brasileira Rita Gutt contracena com o argentino Juan Manuel Tellategui no musical Cabaret, em cartaz em São Paulo - Foto: Eduardo Enomoto

Com 42 anos de idade e 24 de experiência no teatro, André Latorre é o cabeça do projeto. Assina direção, figurino, iluminação e cenografia, esta última em parceria com Dalila D’Cruz. Ele ainda contou com a ajuda de Liza Caetano na assistência de direção.

— O Brasil vem se firmando como um grande mercado de musicais, que é umas das frentes de trabalho que mais oferece oportunidade a atores na atualidade, com bons salários. O ator de musical é completo, porque também canta e dança. O mercado não gosta mais de ator que só sabe dizer o texto.

Ele lembra que o fato de a montagem ser gratuita faz com que muitos espectadores que não teriam condição de pagar para ver um musical possam viver esta experiência.

—Fazemos gratuito porque é uma montagem universitária sem fins lucrativos. E quem vier, além de não pagar, terá a oportunidade de ver em primeira mão a nova geração dos musicais brasileiros!

cabaret 1 eduardo enomoto equipe Musical Cabaret ganha versão grátis em São Paulo

Com 24 anos de carreira, o diretor André Latorre (à frente com a protagonista, Rita Gutt) posa com a equipe do musical Cabaret na sala Miriam Muniz do Teatro Ruth Escobar, em São Paulo- Foto: Eduardo Enomoto

Além do time de protagonistas, Cabaret ainda conta com Lucimar de Santana, como Fraulein Schneider, a dona da pensão onde vive a protagonista, Adanias Souza, como o velho judeu Herr Schulzz, e Tiago Prado Dort, na pele do jovem nazista.

Os demais personagens, entre eles o fogoso time de dançarinos do Kit Kat Club, são defendidos pelos atores Ismael Resende, Daniel Prata, Wilton Leal, Lucas Figueiredo, Giovanna Cameron, Cínthia Arruda, Ana Paula Faustino, Anny Carvalho, Laís Flinco, Fernanda Carvalho, Agatha Miklos, Silvana Ritter Vargas, Cintia Fer e Karem Almeida.

cabaret 4 eduardo enomoto Musical Cabaret ganha versão grátis em São Paulo

Sensualidade e muito bom humor no palco: time de dançarinos do musical Cabaret - Foto: Eduardo Enomoto

Cabaret
Quando: Segunda, terça e quarta, às 19h e às 21h (duas sessões por dia). 100 min. Até 31/7/2013
Onde: Teatro Ruth Escobar – Sala Miriam Muniz (60 lugares) (r. dos Ingleses, 209, Bela Vista, São Paulo, Metrô Brigadeiro. Tel. 0/xx/11 3289-2358).
Quanto: Grátis (ingressos disponíveis para retirada duas horas antes de cada sessão)
Classificação etária: 14 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

GetOut 001 Divulgação Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Espetáculo Get Out!, de Assis Benevenuto, faz curta temporada em BH - Foto: Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

Foi por medo de avião...
O ator mineiro Assis Benevenuto estreia o espetáculo solo Get Out! na próxima sexta (5), na Funarte Minas Gerais (r. Januária, xxx). Além de atuar, ele assina texto e direção. O enredo mostra um homem que não consegue embarcar no avião com medo de um acidente aéreo. A peça é a terceira do grupo Quatroloscinco. Fica em cartaz até 14 de julho, sempre sexta e sábado, 20h, e domingo, 19h. O ingresso é baratíssimo: R$ 10 a inteira e R$ 5 a meia-entrada.

Agenda Cultural da Record News

Encontro
Cissa Guimarães faz coletiva de imprensa para divulgar a temporada paulistana de seu espetáculo Doidas e Santas na próxima segunda (1º), no Hotel Quality da Bela Cintra. Estreia em 5 de julho no Teatro das Artes, no shopping Eldorado. Foi vista por 130 mil no Rio.

A novidade
Regina Braga já fechou a data de estreia de seu novo espetáculo. Será em 26 de julho, no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. A obra se chama Desarticulações. O texto é da argentina Sylvia Molly. Isabel Teixeira assina a direção. O cenário, de Marcos Pedroso, que fez história no Teatro da Vertigem, é uma verdadeira instalação que interage com o público do museu. Vai dar o que falar.

Teatro político 1
A turma do teatro ficou revoltada com a tal da "cura gay", vergonha da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Ed Moraes, ator que não tem papas na língua, divulgou uma singela forma de grafar o nome do político mais odiado dos últimos tempos: Felix ci anus. Vai pegar.

Teatro político 2
Artistas do palco de Belo Horizonte estiveram presentes na manifestação que parou Minas Gerais na última quarta-feira (26). Os atores Alexandre de Sena e Gustavo Bones foram alguns dos que deram as caras. A classe artística mineira tem ficado boquiaberta com a violência policial em BH.

Teatro político 3
Ainda sobre a onda de protestos que move o País, disse o diretor Rodolfo García Vázquez, do grupo Os Satyros: "A velha política, não só do Brasil, mas do mundo inteiro, não está entendendo nada. Claro. São mundos paralelos. Os velhos são todos analógicos. E as ruas dos manifestantes são digitais." Eita.

Teatro político 4
Kil Abreu, curador de teatro do Centro Cultural São Paulo e dos mais renomados críticos do País, também chamou a atenção sobre uma palavrinha que não sai das manchetes: "É fácil verificar que o conceito de vandalismo muda da noite para o dia na nossa imprensa. Depende muitíssimo das circunstâncias. Você, tratado como o cidadão consciente de hoje, pode ser o vândalo de amanhã. Ou vice-versa." Kil sabe das coisas.

Acabando
Este sábado (28) acontece a última apresentação da peça Caso 6457. No Satyros 1, às 23h59. É a última chance, gente.

krisis Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cena de Krisis: brasileiros fazendo bonito em Atenas, na Grécia - Foto: Cesar Meier

Para grego ver
Os meninos da Companhia Nova de Teatro, que já tem 12 anos de estrada, estão a todo vapor em Atenas, na Grécia. Eles apresentam por lá, na próxima quarta (3), Krisis – Work in Progress, no Attis Theatre. A obra, dirigida por Lenerson Polonini, é inspirada em fragmentos de tragédias e trata da crise na qual está mergulhado o homem contemporâneo. Após a parada grega, o espetáculo aporta em São Paulo no dia 18 de julho. A viagem teve apoio do Edital de Intercâmbio e Difusão Cultural do Ministério da Cultura. Eduardo Brito e Carina Casuscelli assinam a dramaturgia. No elenco, estão Carina Casuscelli, Rosa Freitas, Marcelo Jacob, Cléo Moraes e Milena Faria. Coisa fina.

Jogue as tranças, mina!
O Grupo Gattu reestreia no próximo sábado (6), a peça infantil Rapunzel. Eloisa Vitz dirige o texto de Tito Sianini. Ficará no Teatro do Corinthians, sábado e domingo, às 16h. Haja trança...

Experimentos
A SP Escola de Teatro apresenta, em suas sedes do Brás e da Roosevelt, os experimentos cênicos de fim de semestre neste sábado, a partir das 9h. A entrada é gratuita. Saiba mais.

Intercâmbio
Baseada na obra de João Cabral de Melo Neto, a peça O Rio, do Teatro Didático da Unesp, estreia no Tusp nesta sexta (28), às 21h. Fica em cartaz até 14 de julho. Vai, gente!

O Livro do Bob
Já está em fase final o livro de retratos teatrais de Bob Sousa. O lançamento, no segundo semestre, promete ser um arraso. A coluna será a primeira da fila de autógrafos, é claro.

Sem marmelada
Fique esperto! Estão abertas até a próxima sexta (5) as inscrições para o 6º Festival Paulista de Circo. O evento acontece entre 12 e 15 de setembro, em Piracicaba, no interior de São Paulo. São duas modalidades de inscrição: números circenses com 8 a 15 minutos de duração, a serem apresentados em lona ou ao ar livre, e espetáculos de 50 a 90 minutos, para lona. Mais informações no site oficial.

Mexe, mexe
Começa nesta sexta (28) a Mostra Sesc de Teatro de Animação 2013. O evento vai até 7 de julho e tem 21 companhias, sendo 10 nacionais, representando seis Estados, duas coproduções brasileiras, com Franca, Estados Unidos e Canadá, e nove internacionais, vindas da França, Inglaterra, Itália, Holanda, Espanha, Argentina, Chile e Austrália. São 18 espetáculos e 5 intervenções, em 90 sessões para crianças e adultos, além de oficinas, encontros e vivências. Saiba a programação completa!

rita gutt Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cabaret: Rita Gutt vive a lendária personagem Sally Bowles, que já foi de Liza Minelli - Foto: Arquivo pessoal

Cabaret 1
Estreia na próxima terça (2), no Teatro Ruth Escobar (rua dos Ingleses, 209, Bela Vista, SP), uma versão intimista do musical Cabaret. A direção é de André Latorre, com estudantes de teatro da Faculdade Paulista de Artes. Rita Gutt, dona de bocarra à la Angelina Jolie, protagoniza a montagem, como a célebre personagem Sally Bowles. Lembrando que a personagem foi defendida no cinema por ninguém menos do que Liza Minelli, a quem este vosso colunista já entrevistou no tumultuado aeroporto de Guarulhos, diga-se de passagem. No elenco, ainda estão Gabriel Ivanoff, Anderson D’Kássio e Juan Manuel Tellategui. E o melhor: ninguém paga nada. Tem sessão todo o mês de julho, segunda, terça e quarta, às 19h e às 21h. Vai lotar. Então, chegue cedo para garantir. Depois, não diga que não avisei...

Cabaret 2
O clima de cabaré também invadiu a turma 62 da Escola de Arte Dramática da USP. Os jovens artistas apresentam o espetáculo Escada da Madame B. até 14 de julho. De quarta a sábado, às 21h30, e domingo, as 20h30, no Teatro Laboratório da Escola de Comunicações e Artes da USP, na Cidade Universitária. A entrada é gratuita, mas é bom chegar pelo menos uma hora antes para garantir seu ingresso. Porque todo mundo vai.

Gente de Teatro
Frederico Paula é jornalista e assessor dos mais tarimbados do mercado teatral. Dirige o escritório Nossa Senhora da Pauta. Pelo nome, já se percebe que o cara tem bom humor. É ligado a grupos de pesquisa, de teatro de raiz. Costuma assessorar espetáculos que têm respeito imediato da classe artística e dos críticos. E Fred, como os amigos o chamam, é sempre educadíssimo com todos. Um doce, como diriam os mineiros. E completamente apaixonado por teatro, pelo qual sempre batalha. Por isso, merece estar aquí. Frederico Paula é gente de teatro!

frederico paula2 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Gente de Teatro: Frederico Paula é jornalista e assessor de imprensa teatral - Foto: Arquivo pessoal

 

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

 

cabaret bob sousa1 Crítica: <i>Cabaret   E o Tal Mundo Não se Acabou</i>, do Núcleo Experimental, quase chega lá

Elenco de Cabaret - E o Tal Mundo Não se Acabou posa no Núcleo Experimental - Foto: Bob Sousa

Por Miguel Arcanjo Prado
Foto de Bob Sousa

As mazelas fazem parte da vida de um artista assim como da de qualquer ser humano. Contudo, o público sonha em acreditar que a vida daqueles que estão no palco é diferente, embarcando profundamente na ilusão que teatro proporciona.

E é essa magia o ponto forte do gênero cabaret, que teve sua maior força na Europa do século 20, assolada pelas duas Grandes Guerras Mundiais. Se o ar, por conta de disputas políticas e bélicas, estava irrespirável naquele então, os artistas noturnos serviam para criar uma atmosfera de ilusão e festa, mesmo que esta durasse apenas até a manhã seguinte.

Com dramaturgia de Thiago Ledier e direção de Fernanda Maia, Cabaret – E o Tal Mundo Não se Acabou busca esse clima de show de variedades. E coloca como pano de fundo a brincadeira, ainda pertinente, com o não-fim do mundo em 21 de dezembro de 2012, conforme teriam previsto os maias.

Como boa diretora musical que é, Fernanda consegue dar mais brilho às vozes, com os arranjos simples e certeiros, porque nem todos cantam a contento. Já as coreografias, simplórias por demais, não chegam a chamar a atenção. Alguns corpos parecem perdidos em cena, mesmo quando não é o objetivo.

Apesar de tentar embarcar na leveza do gênero, a dramaturgia envereda por um ambiente bem mais denso. Mas os textos poéticos perdem força ao serem ditos em tom declamatório por boa parte do numeroso e irregular elenco, formado por Adriana Alencar, Adriana Fonseca, Aretê Bechelli, Bibi Piragibe, Bruno Gael, Claudia Miranda, Cy Teixeira, Danilo Rodriguez, Juliana Calderón, Nabia Villela, Natasha Sonna, Priscilla Oliva, Rafaela Cassol, Thiago Carreira, Tony Germano, Valmir Martins e Vivi Bertocco.

Assim, após um rodopiar de belas mulheres com figurino provocante, o público pode ser bofeteado com um cru relato de abuso sexual infantil. Nada mais desconcertante. Não bastasse, o tom festivo mantido depois às duras penas acaba por banalizar o que foi dito.

O Núcleo Experimental é um dos melhores espaços teatrais da cidade, sempre com vasto repertório de peças intimistas e provocantes. A grande máxima do espaço é manter o lugar vivo com uma troca constante de montagens. E inovar sempre implica em correr riscos. Às vezes, não dá tão certo. Cabaret – E o Tal Mundo Não se Acabou foi uma tentativa de o grupo se aproximar de um gênero difícil. Quase chegaram lá.

Cabaret – E o Tal Mundo Não se Acabou
Avaliação: Regular

 

Leia também:
 
Fique por dentro do que os atores fazem nos bastidores
 
Descubra agora tudo o que as belas misses aprontam
 
Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

cabaret Crazy For Jarbas: Claudia Raia irá montar novo musical da Broadway ao lado do namorado

Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia: parceria se estende. Foto: Divulgação

Por Nina Ramos, do R7, no Rio

O namoro de Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello está rendendo frutos para o teatro. Os pombinhos se conheceram nas coxias do musical Cabaret – que acaba de reestrear em São Paulo - e já têm novo projeto para os palcos.

A atriz, considerada uma das mais influentes quando o assunto é musical no Brasil, comprou os direitos de mais uma peça da Broadway. Depois de Cabaret (leia crítica aqui), Claudia irá produzir Crazy For You.

A montagem tem apenas músicas do compositor americano George Gershwin. As informações são da revista Época.

Claudia afirmou que conhece o espetáculo há 25 anos e sempre sonhou em encená-lo. O X da questão era quem seria perfeito para o papel principal masculino. Alguém arrisca um nome?

Quem pensou em Jarbas Homem de Mello acertou em cheio. Claudia disse que o musical parece ter sido “feito sob medida para ele”. Espertinha...

Atualmente, Claudia está no ar como a vilã Lívia em Salve Jorge (Globo). A paixão pelos palcos teve início ainda quando apostava no balé. Claudia dançou na Argentina e em Nova York, onde morou por quatro anos.

Para quem ainda não conferiu Cabaret (e a química entre Claudia e Jarbas), é só correr para o Teatro Procópio Ferreira, na capital paulista.

Leia também:

Fique por dentro do que os atores fazem nos bastidores

Descubra agora tudo o que as belas misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com