Posts com a tag "coluna"

renato 519x640 Dois ou Um com Renato Prieto

Renato Prieto está na peça Encontros (Im)possíveis em SP - Foto: Guilherme Costa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Renato Prieto está em cartaz em São Paulo com o espetáculo Encontros (Im)possíveis, no Teatro Jaraguá. Na obra, interpreta um jornalista que consegue realizar um sonho antigo: entrevistar celebridades mundiais que já morreram. Entre os nomes estão Gandhi, Martin Luther King, Frank Sinatra e Marilyn Monroe. A obra tem sessão sábado, 19h, e domingo, 17h, até 14 de dezembro, com entrada a R$ 60 a inteira e R$ 30 a meia-entrada. O ator aceitou o convite do Atores & Bastidores do R7 para participar da coluna Dois ou Um. Dez perguntas cheias de possibilidades. Ou não.

Cinema ou teatro?
Teatro(1º lugar sempre) e cinema.

Rio ou São Paulo?
Juntos no liquidificador daria um suco quase perfeito...

Seca ou chuva?
Chuva.

Gandhi ou Martin Luther King?
Gandhi com a força política de Martin..Martin com a sabedoria de Gandhi.

Direita ou esquerda?
Centro... Não gosto de nada radical...

Gente ou bicho?
Os dois.

Democracia ou ditadura?
Democracia.

Freud ou Jung?
Jung...

Carmen Miranda ou Marilyn Monroe?
Carmen.

Macarrão ou arroz com feijão?
Feijão com arroz.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

boca suja Domingou: A boca fala do que o coração está cheio


"Com tanto ódio compartilhado, os corações estão prestes a explodir de tanta coisa ruim estocada" - Foto: Thinkstock

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Lá em Belo Horizonte, minha mãe sempre diz, desde que me entendo por gente: "A boca fala do que o coração está cheio".

A frase de Cristo nunca foi tão apropriada quanto nestes últimos dias, em que vimos, incrédulos, pessoas conhecidas vomitando preconceito nas redes sociais, sem ao menos pensar duas vezes antes de apertar enter.

É um sintoma dos nossos tempos de relações líquidas, como definiu o sociólogo polonês Zigmund Bauman. Como é tudo virtual, a pessoa diz o que quer sem ver, presencialmente, a reação do outro. O outro não importa neste mundo de tanto egoísmo.

No conforto do lar e diante de seu computador, é muito mais fácil ser covarde e criminoso. Se fosse, por exemplo, na mesa do bar, seria preciso encarar o desagravo dos demais, a réplica imediata e, até mesmo, a expulsão da mesa, dependendo da gravidade do impropério proferido.

Mas a internet é essa terra de ninguém. As redes sociais que serviriam para integrar tudo e todos em uma comunicação instantânea viraram uma arena de ideologias deformadas e de informações propagadas sem o mínimo de verificação. E, claro, de ataques.

Pessoas se ofendem sem pensar duas vezes. Destroem num clique relações de anos. É um excesso de demência e covardia.

Uma coisa é certa: falta leitura inteligente ao nosso povo, que compra qualquer "verdade" pré-fabricada com este fim: servir como discurso pronto a ser repetido pelas matracas da vida.

Pensar por conta própria é difícil. Exige tempo, referências, esforço e, sobretudo, inteligência para a análise minuciosa de tudo. Não é tarefa simples.

Com tanto ódio compartilhado, os corações estão prestes a explodir de tanta coisa ruim estocada. Para evitar a morte imediata, resta a estes seres abrir a boca em uma explosão de falta de respeito ao outro, de amor ao próximo.

Vendo tudo isso, penso eu, quieto no meu canto: minha mãe estava coberta de razão quando sempre me advertiu, repetindo com toda confiança a bela frase de Jesus Cristo: "A boca fala do que o coração está cheio".

*MIGUEL ARCANJO PRADO é jornalista e anda com medo de gente. A coluna Domingou, uma crônica semanal, é publicada aos domingos no blog Atores & Bastidores do R7.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

ANNA CECILIA JUNQUEIRA BAIXA Dois ou Um com Anna Cecilia Junqueira

A atriz Anna Cecilia Junqueira em cena de Cora Coralina - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Anna Cecilia Junqueira tem a missão de dar vida no palco às poesias da goiana Cora Coralina (1889-1985) até 30 de novembro, no espetáculo Cora Coralina - Removendo Pedras e Plantando Flores. A montagem está no Teatro do MuBE (av. Europa, 218), em São Paulo, sábado, 15h, e domingo, 11h, com entrada a R$ 30 a inteira e R$ 15 a meia-entrada. A direção é de Lavínia Pannunzio com texto de Mauro Hirdes. A atriz aceitou o convite do Atores & Bastidores do R7 para participar da coluna Dois ou Um. Dez perguntas cheias de possibilidades. Ou não.

Aécio ou Dilma?
Acredito no voto secreto. Não panfletário, não manipulador de outros, não preso a ideologias. O voto tem de ser o espelho do seu caminho de vida e das coisas pelas quais você já passou e deseja passar. E isso só interessa a cada um.

Ciência ou religião?
As duas de mãos dadas. A física quântica veio para acabar com este “ou” e promover o encontro das duas para um bem maior, que é a evolução do ser humano.

Medo ou esperança?
Esperança de vencermos nossos medos diariamente. E perseverança na superação de cada um deles que tenhamos.

Musical ou drama?
Adoro musicais, mas confesso que os dramas tocam mais a minha alma.

Israel ou Palestina?
A paz e o respeito às diferenças.

Tudo junto e misturado ou apartheid?
Sempre tudo junto. É através do outro que enxergamos nossas luzes e sombras, não é?!

O Amor, o Sorriso e a Flor ou Que País é Esse?
Legião Urbana desde a adolescência e para sempre.

Eu preciso aprender a ser só ou eu preciso aprender a só ser?
Eu preciso aprender a só ser é uma das tarefas mais difíceis que lidamos atualmente. E está é uma das minhas buscas de vida e, principalmente, no palco. Só sendo você está inteiro para o acaso e aí é que acontece a magia da vida, ao meu ver. Sem máscaras, sem expectativas, sem muletas. Só sendo.

Movimento ou repouso?
Vivo no movimento, na transformação, na renovação, seja de atitudes ou conceitos. Mesmo quando estamos em repouso, acredito que o movimento exista.

Funk Ostentação ou Cinema Transcendental?
Cinema Transcendental.

Leia outras edições da coluna Dois ou Um

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

fabio joaqui do vale Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Zé Geraldo Jr. e Nani de Oliveira em cena da peça no Galpão do Folias - Foto: Cacá Bernardes

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Cadeião
O Grupo Folias D’Arte, um dos mais respeitados da cena paulistanas, manda avisar que o dramaturgo Samir Yazbek fará debate com o público após a apresentaão de Medeia: 1 Verbo, na sessão deste domingo (2). Mas a peça não é dele. O texto é de outro dramaturgo de destaque na cena paulista, Sérgio Roveri, com direção de Marco Antônio Rodrigues.

Radical
O texto clássico ganhou uma versão bem atual: a ação é ambientada em um presídio feminino para onde Medeia (Nani de Oliveira) é conduzida sob a acusação de ter matado os dois filhos. A peça está no Galpão do Folias, até 30 de novembro: sexta e sábado, 21h, e domingo, 20h, ali na rua Ana Cintra, 213, do lado do metrô Santa Cecília, até 30 de novembro. A entrada custa R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada). Vai, gente!

Estado de choque
A coluna ficou tão chocada com comentários preconceituosos contra nordestinos proferidos por gente do teatro, por conta das eleições, que prefere nem comentar. É um vergonha, uma tristeza...

Preconceito
Racismo é o tema da peça Preto no Branco, que Zé Henrique de Paula estreia hoje no Sesc Bom Retiro. Vai dar o que falar... Saiba mais.

SESI 18 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cabelo ao vento, gente jovem reunida: E Eles Eram Eles Mesmos está no Teatro do Sesi - Foto: Divulgação

Reclame
O diretor Francisco Medeiros, o nosso Chiquinho, pede, gentilmente, à coluna que espalhe a seguinte boa-nova na praça: além da peça Tudo o Mais Permanece o Mesmo, ele também dirige E Eles Eram Eles Mesmos? no Centro Cultural Fiesp, na sala Ruth Cardoso.

Revoluções por minuto
A trama tem texto de Vinicius Garcia Pires e mostra um bando de jovens que investiga maneiras e possibilidades de ações para “mudar o mundo” ou, pelo menos, para descobrir o que se pode fazer para construir um lugar melhor para se viver. O que a gente faria sem a juventude, né?

Serviço completo
A peça tem sessões aos sábados às 20h30 e domingos às 18h e às 20h (8, 9, 22 e 23 e novembro e 6 e 7 de dezembro) e de quarta a sexta às 20h30 (12, 13, 14, 26, 27 e 28 de novembro e 10, 11 e 12 de dezembro). Entrada é gratuita, mas é bom retirar ingressos com antecedência. Anotou o serviço direitinho?

Recado de Guaxupé
Ricardo Inhan, dramaturgo querido da coluna, avisa, diretamente de Guaxupé, Minas Gerais: "É para todo mundo ir ver Tão Pesado Quanto o Céu, na Funarte, até 16 de novembro, sábado e domingo, 20h, com entrada a R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia". Como a coluna tem Ricardo em mais alta cota, aparecerá por lá neste fim de semana. O menino sabe das coisas.

o dia em que sam morreu foto juliana hilal1 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Otto Jr contracena com Jopa Moraes: a força do sistema contra a utopia de aparência fraca; contradições presentes em O Dia em que Sam Morreu, agora no Sesc Consolação, em São Paulo - Foto: Juliana Hilal/Clix

Protesto
Depois de fazer sucesso na Europa e no último Festival de Curitiba, a peça O Dia em Que Sam Morreu está dando o que falar no Teatro Anchieta, do Sesc Consolação, onde fica até 23 de novembro. A montagem dirigida por Paulo de Moraes expõe a corrupção brasileira e os protestos recentes da juventude de uma forma nua e crua. No elenco, na pele de um médico inescrupuloso, está o ótimo ator Otto Jr.

MPB
No mesmo Sesc Consolação, só que no CPT (Centro de Pesquisa Teatral), Antunes Filho e Emerson Danesi voltam com o musical Lamartine Babo, que completa cinco anos em cartaz. Fique por dentro.

casarao ipiranga Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Fachada do Casarão do Sesc Ipiranga, que se despede nesta sexta (31): cinco meses de arte para todos - Foto: Divulgação

Adeus, casarão!
O Casarão do Ipiranga, anexo do Sesc Ipiranga, em São Paulo, que foi celeiro de arte nos últimos cinco meses, encerra suas atividades nesta sexta (31). A partir das 19h30, quatro atividades ocupam o espaço para a despedida. Tudo começa com a Discotheque, com o coreógrafo Luís Ferron, no clima dos anos 1980, com entrada gratuita. Também haverá o espetáculo Nervura, com Gícia Amorin, às 21h (a única atividade paga, R$ 2,40 a R$ 12). Outra performance de dança, Sumo, com Julia Rocha, também começa às 21h. Por fim, haverá a intervenção literária Portas Abertas, a partir das 21h30, com grupos teatrais que participaram de atividades no casarão, como a Cia. Livre e o Teatro da Vertigem. A previsão é que a festa dure até o começo da madrugada. Coisa boa.

Dupla sagrada
Acontece no fim de novembro o Fentepp, o Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente, com realização do Sesc São Paulo em parceria com a Prefeitura do município paulista. Antunes Filho vai abrir com Nossa Cidade. Já Zé Celso fecha a programação com Walmor y Cacilda 64: Robogolpe. Uau.

Anhembi
Já estão chovendo inscrições de gente interessada em desfilar na ala do Teat(r)o Oficina na Nenê de Vila Matilde, no Carnaval de São Paulo 2014, com enredo em homenagem a Moçambique. A direção da ala é de Elisete Jeremias e Otto Barros. Quer sair na folia também? Saiba tudo.

morente forte2 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Selma Morente, Daniela Bustos, Beth Gallo e Célia Forte: 29 anos da Morente Forte - Foto: Alceni "Chininha" Braz

Viva a Morente Forte!
Só Célia Regina Forte e Selma Morente para reunir tanta gente das mais variadas matizes de nosso teatro em uma noite de karaokê. O motivo da festança, realizada na noite desta quinta (30), na sala Hebe Camargo do Coconut, em Saõ Paulo, foram os 29 anos da Morente Forte Comunicações, empresa das duas mulheres mais amadas do teatro brasileiro.

Momento rock
Depois de muita bagaceira no karaokê, Daniela Bustos, da equipe da Morente Forte, resolveu brindar a todos com um momento de rock. E cantou Renato Russo, pala a alegria de alguns convivas.

Momento reggae
Já Beth Gallo, também integrante da Morente Forte, preferiu O Erê, da banda Cidade Negra. Ela até teve companhia na cantoria de um jornalista que a coluna não revela o nome nem sob tortura.

Festa do interior
Robson Catalunha e Gustavo Ferreira, atores dos Satyros, resolveram pegar uma mesa. Mas logo resolveram se levantar e causar um pouco. Fizeram muito bem.

Cerol na mão
Henrique Mello e Julia Bobrow, também do grupo Os Satyros, estavam animadíssimos na festa. Mostraram desenvoltura no funk, cantando Cerol na Mão, aquela do “Quer dançar? Quer dançar? O Tigrão vai te ensinar!”. Foi praticamente um escândalo.

Divulgação no busão
Com tanta tecnologia, como todo mundo fotografando tudo e todos, Selma Morente lembrou: “Quando começamos, em 1985, nem existia motoboy ou fax. Era telex, correio, carro e ônibus, que nosso querido office-boy Marcelo dos Santos, que percorria dezenas de quilômetros com o material de divulgação, para cima e para baixo, com releases e fotos 10 x15 ou 13 x18 e os cromos”. Quem tem história para contar é outra coisa...

Parceiras
As jornalistas Cláudia Rolim e Erika Riedel, costumeiras colaboradoras da Morente Forte, também estavam na festa, celebrando ao lado das amigas.

#Rumoaos30
Assim que viu a coluna na festa, Célia Forte, com seu jeito despachado e querido de sempre, foi logo avisando: “Se prepare que ano que vem são os 30 anos. Você vai ver o que vamos aprontar!”. A gente imagina. E espera ansioso.

talita lima Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Talita Lima ficou com vaga de Andressa Urach em comédia de James Akel - Foto: Divulgação

Pediu pra sair
Andressa pediu para sair da peça República das Calcinhas, escrita e dirigida por James Akel, que também integra o elenco da obra. A ex-Miss Bumbum disse ao diretor que recebeu um convite para participar de um filme. Foi substituída por Talita Lima, que encerrou a temporada no Teatro Maria Della Costa no último sábado (25). James revelou à coluna que o espetáculo voltará nas férias de janeiro. Só ainda não se decidiu se a temporada será no Teatro no Maria Della Costa ou no Teatro Ruth Escobar. “A Andressa foi uma grata surpresa, mas posso te dizer que a Talita deu um show. Mas preciso enfatizar que gostei das duas”, afirmou, politicamente correto.

Phedra no Jô
Phedra D. Córdoba não se cabe até agora de alegria com sua entrevista a Jô Soares, no Programa do Jô exibido na última sexta (24). Foi o assunto da semana na praça Roosevelt.

Nervosismo
Ruy Cortez está apreensivo com a estreia, neste fim de semana, de seu projeto Karamázov, que adapta para os palcos brasileiros pela primeira vez o clássico de Dostoiévski.

FOTO 041 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

O Lugar de Onde se Vê está em cartaz no Teatro da Livraria da Vila do Shopping JK, em SP - Foto: Divulgação

Alô, criançada!
É bom levar as crianças desde cedo ao teatro. Para criar o hábito, né? Pois uma dica imperdível é a peça O Lugar de Onde se Vê, que reestreia neste sábado (1º) às 15h, no Teatro da Livraria da Vila do Shopping JK, em São Paulo. A montagem da Cia. Ouro Velho com direção de Paulo Marcos conta a história da menina Eva. Ela descobre um antigo teatro, onde vivem as musas da Tragédia, da Comédia e do Drama. O trio resolve ajudá-la a reencontrar sua alegria perdida. Uma graça.

Remelexo
Está rolando a sétima edição do Festival Contemporâneo de Dança, em São Paulo. Não perca.

3 IMG 8683 med Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Luiz Serra (ao centro): ator celebra 50 anos de carreira revelando como foi prisão na ditadura - Foto: Divulgação

Tempos de chumbo
A peça História dos Porões celebra os 50 anos de carreira do ator Luiz Serra contando um período importante de sua carreira. A obra fica em cartaz no Top Teatro (r. Rui Barbosa, 201, Bela Vista), em São Paulo, até 23 de novembro. Toda sexta e sábado, 21h, e domingo, 19h, com entrada a R$ 20. Só cabem 50 pessoas por sessão, já que a obra é bem intimista. A montagem revela sua prisão pelo regime militar, quando encenava a emblemática montagem O Balcão, dirigida pelo argentino Victor García, no Teatro Ruth Escobar. É imperdível.

Peça polêmica
A dramaturga e atriz Michelle Ferreira estreia na próxima quinta (6), às 20h30, com sua A Má Companhia Provoca a peça Reality (Final) no Sesc Pinheiros. Michelle também está no elenco, que conta ainda com Flávia Strongolli, Maura Hayas e Solange Akierman, além dos atores convidados André Corrêa e Paula Brandão. Ramiro Silveira assina a direção da montagem, que mostra um reality show com doentes terminais. Pura polêmica.

Há vagas
O festival Satyrianas, que acontece no feriadão da Consciência Negra, neste mês de novembro, busca pessoas interessadas em fazer parte da equipe do evento. Currículos devem ser enviados para o e-mail: apoiosatyrianas2014@gmail.com. É preciso mandar breve currículo, foto e carta dizendo por que deseja trabalhar nas Satyrianas. Recado dado.

FOTO CARLOS QUEIROZ TELLES1 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Carlos Queiroz Telles, ícone da dramaturgia, ganha mostra no Aliança Francesa - Foto: Divulgação

Memória viva
Todo mundo reclama que o Brasil não tem memória. Assim, qualquer ação para lembrar nosso passado artístico deve ser comemorada. Estreia nesta sexta (31), junto do espetáculo Muro de Arrimo, a Exposição Multimídia Memorial Carlos Queiroz Telles, no hall do Teatro Aliança Francesa, na República, em São Paulo. Gente graúda como Antonio Fagundes, Alexandre Borges e Etty Fraser contam por meio de depoimentos, entrevistas e debates um pouco sobre a vida e obra desse grande autor da nossa dramaturgia teatral. Viva!

Festança
O Grupo Magiluth faz festa neste sábado (1º) em Recife para celebrar seus dez anos de teatro. Saiba mais.

Rei do Baião
O Ballet Stagium faz homenagem a Luiz Gonzaga no espetáculo Mané Gostoso. Com direção de Décio Otero e Márika Gidali, a obra estará de 31 de outubro a 9 de novembro no Teatro J. Safra, em São Paulo.

Conte sur moi Plateau271 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Conto sobre Mim volta para nova temporada no Teatro Aliança Francesa - Foto: Divulgação

Brasil-Canadá
Após duas apresentações com casa cheia da peça Conto sobre Mim, dentro das comemorações dos 50 anos do Teatro Aliança Francesa, o espetáculo da Cia. Da Travessia, com direção da premiada diretora canadense Julie Vincent, está de volta. Eles vão fazer um mês de temporada no Teatro da Aliança Francesa, todas às quintas, às 20h30, a partir de 6 de novembro. Vai, gente.

Eu voltei...
A atriz Milena Filó volta com a peça Teatro de Bonecas, na qual atua sob direção de Adriano Cypriano. A reestreia é neste sábado (1º), no Teatro Pequeno Ato, na República. A obra coloca a identidade em xeque. Tem sessão sábado, 21h, e domingo, 19h, até 30 de novembro. No elenco está também Jackeline Stefanski.

Fugitiva
Começa neste sábado (1º) a temporada da Cia. Pia Fraus de Kachtanka, de Tchekhov, com adaptação de Beto Andreetta  e direção de Wanderley Piras. Será no Teatro J. Safra, em São Paulo. Até 9 de novembro, sábado e domingo, 16h. Ah, Kachtanka é uma cachorrinha que se perde de seus donos durante o Carnaval e vive incríveis aventuras. Não faltarão bonecos, atores e números circenses. Uma fofura só.

get out Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

O ator Assis Benevenuto no seu monólogo Get Out, que fala do medo de avião: peça abre ocupação do grupo Quatroloscinco, de Minas Gerais, no Sesc Belenzinho, com peças e oficinas também - Foto: Divulgação

Ê trem bão, sô!
Os mineiros do grupo Quatroloscinco fazem ocupação no Sesc Belenzinho neste mês de novembro. Vão apresentar quatro peças por lá: Get Out!, É Só Uma Formalidade, Humor e Outro Lado. Avisam que querem todos os paulistanos na plateia. Os coleguinhas da classe artística também poderão fazer duas oficinas com os belo-horizontinos: O Ator e a Criação Coletiva e Laboratório de Dramaturgia. Não durma no ponto!

Condecoração
A atriz Suellen Ogando ganhará Moção de Parabenização no dia 30 de novembro, às 18h, na Casa Legislativa de Lagoa Santa. A espevitada artista não para quieta e promove como ninguém o teatro musical em Minas Gerais. A moça marcou a trajetória do programa Máquina da Fama, do SBT, onde alcançou a nota mais alta já dada pelo júri. Danada.

suelle ogando Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Suellen Ogando: homenagem na Câmara de Vereadores de Lagoa Santa - Foto: Divulgação

 

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Rubens Caribé foto de Ricardo Vivona pb Dois ou Um com Rubens Caribé

Rubens Caribé: indicado ao Shell e à APCA, ele encena peça em SP - Foto: Ricardo Vivona

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O ator Rubens Caribé é o protagonista da misteriosa peça Selvagens - Homem de Olhos Tristes, em cartaz no Club Noir (r. Augusta, 331, tel. 0/xx/11 3255-8448), em São Paulo, sob direção de Hugo Coelho. O ano de 2014, está sendo de glória na vida do artista. Afinal, está indicado ao Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes) e também ao Prêmio Shell de Teatro como melhor ator. A nova peça, escrita pelo austríaco Händl Klaus, faz temporada até 18 de dezembro, sempre quarta e quinta, 21h, com entrada a R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia-entrada. O ator aceitou o convite do Atores & Bastidores do R7 para participar da coluna Dois ou Um. Dez perguntas cheias de possibilidades. Ou não.

Anos rebeldes ou anos incríveis?
Rebeldes... Por razões afetivas!

Prêmio Shell ou APCA?
Os dois. Como não? Ambos estimulam a nossa arte.

Interior ou metrópole?
Metrópole. Um ator precisa da metrópole para trabalhar.

Todo mundo junto ou tudo muito separado?
Nem um nem outro. Um pouco de ‘sacanagem’ é preciso; um pouco de recato e comedimento é bom, é preciso. A ‘sacanagem’ somente na cabeça é perversão. E a tentativa de suprimir qualquer impulso ou desejo é destruição.

Gal ou Bethânia?
Mas a resposta tem que ser excludente? Acho impossível escolher...

Criolo ou Emicida?
Criolo. Tenho simpatia por sua poesia.

Marieta Severo ou Lúcia Veríssimo?
Além de ser a atriz maravilhosa, que todos sabemos, Marieta criou um teatro no Rio de Janeiro que é uma referência no Brasil. Lúcia Veríssimo é uma colega muito querida, talentosa, linda... De novo, admiro ambas, uma escolha não exclui a outra.

Azul ou amarelo?
Azul. Porque me lembra o mar. Eu adoro o mar...

Calor ou frio?
Eu gosto do calor. Gosto de usar roupas leves, me sentir confortável. No verão, gosto de ver o mar.

Passar uma tarde em Itapuã ou a tonga da mironga do kabuletê?
Uma Tarde em Itapuã. Vinícius, sempre!

Leia outras edições da coluna Dois ou Um

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

tudo o mais permanece o mesmo Heloísa Bortz Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Peça dirigida por Francisco Medeiros está em cartaz no Centro Cultural Fiesp - Foto: Heloísa Bortz

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Sala de espera
O diretor Francisco Medeiros, nosso Chiquinho, manda avisar que a peça Tudo o Mais Parece o Mesmo ficará na sala Ruth Cardoso do Centro Cultural Fiesp até 14 de dezembro, em São Paulo. O texto de Teresa Borges mostra uma mãe com dois filhos na sala de espera de um consultório médico.

Serviço
Tem sessão sábado, 20h30, e domingo, 18h e 20h, nos dias 1º, 2, 15, 16, 29 e 30 de novembro. E nos dias 13 e 14 de dezembro. Já nos dias 5, 6, 7, 19, 20 e 21 de novembro e 3, 4 e 5 de dezembro, as sessões acontecem de quarta a sexta, sempre 20h30. A entrada é gratuita. Mas é bom ter atenção: só cabem 50 pessoas por sessão. Anotou o serviço direitinho?

Turnê
A peça Os Sapatos que Deixei pelo Caminho, do Teatro do Kaos, de Cubatão, com direção de Marcos Felipe, encerra temporada neste fim de semana no Viga Espaço Cênico, em São Paulo. No dia 5 de novembro, se apresentam no Teatro João Caetano, também na capital paulista, pelo 4º Circuito de Teatro em Língua Portuguesa. Eles também estarão no Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente. A apresentação está agendada para 23 de novembro. Parabéns. Veja o vídeo com entrevista com Lourimar Vieira, fundador do Kaos:

Assassino em série
O ator Luiz Guilherme se prepara para viver um serial killer na peça O Velho, que estará em cartaz em novembro no Teatro Augusta, em São Paulo. Veja o vídeo feito pela Comunicação da Record com o convite do ator:

maria luisa mendonca Foto Joao Caldas Fº 6551a Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Maria Luísa Mendonça será a nova Blanche DuBois em produção da Morente Forte - Foto: João Caldas

O Bonde vem aí
São Paulo ganhará em 2015 novíssima montagem de Um Bonde Chamado Desejo, ícone do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams. Maria Luisa Mendonça já está escalada para viver a protagonista, Blanche DuBois, uma das mais emblemáticas personagens femininas do teatro moderno. A produção é da Morente Forte. Esperemos para ver.

De novo
Lamartine Babo, musical escrito por Antunes Filho, está de volta ao Sesc Consolação a partir de 5 de novembro. A temporada vai até 10 de dezembro. Chance imperdível para quem ainda não viu. A peça já viajou América Latina e Europa, além de ter dado o Prêmio Shell de Teatro para Fernanda Maia por melhor música em 2010. A direção é de Emerson Danesi.

Ano-novo
O Theatro São Pedro anuncia sua programação de óperas para 2015 na próxima terça (28). Ele agora está sob direção artística do maestro Luiz Fernando Malheiro.

ruy cortez bob sousa Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

O diretor Ruy Cortez: peça em dose tripla na SP Escola de Teatro - Foto: Bob Sousa

Peça em dose tripla
Está marcada para 1º de novembro a estreia da primeira versão teatral brasileira para a obra Os Irmãos Karamázov, clássico de Dostoiévski. A Cia. da Memória, sob direção de Ruy Cortez, ficará em cartaz na SP Escola de Teatro da praça Roosevelt até 15 de dezembro. A obra foi dividida em três peças: Uma Anedota Suja, Os Irmãos e Os Meninos. A dramaturgia tem assinatura de Luís Alberto de Abreu e Calixto de Inhamuns.

Mocinho ou bandido?
A captura de um jovem acusado de roubar uma idosa é o ponto de partida da peça Os Intolerantes, que estreia no CCBB do Rio na próxima quinta (30). O texto é de Carla Faour e Henrique Tavares. No elenco, está Ivone Hoffmann. O ingresso é baratinho: R$ 10. A temporada vai até 21 de dezembro, sempre de quarta a domingo, 19h. Cariocas, fiquem espertos!

SP Não sou bistrô créditos divulgação sortimentos 1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Comida e comédia: Não Sou Bistrô está em cartaz no Teatro Jaraguá, em São Paulo - Foto: Divulgação

À altura do ego
O mundo da culinária anda fazendo sucesso não só na TV, no reality Master Chef, da Band, como também nos palcos. Está em cartaz no Teatro Jaraguá, em São Paulo, a peça Não Sou Bistrô, com Eduardo Galvão encabeçando o elenco. Ele vive um badalado chef catalão que vive estressado. Obrigado pelo coração a fazer uma pausa no trabalho, precisa encontrar um substituto à sua altura para comandar o mais celebrado restaurante de Barcelona. Léo Stefanini dirige a comédia ao lado de Néia Barbosa. A temporada vai até 21 de dezembro, quinta e sábado, 21h, sexta, 21h30, e domingo, 19h. O ingresso custa R$ 60 a inteira e R$ 30 a meia-entrada.

Abre a porteira
Depois de pelejar com a especulação imobiliária, o Espaço dos Fofos, em São Paulo, será reaberto ao público em novembro com a peça Dar Corda pra se Enforcar. Eita.

suzana pires Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

A atriz e autora Suzana Pires: curso de roteiro em São Paulo em novembro - Foto: Divulgação

Escribas
A atriz e roteirista Suzana Pires dará uma oficina prática de roteiro nos dias 22, 23, 29 e 30 de novembro, na Escola de Atores Braapa (av. Pompeia, 2.163), em São Paulo. Ela prepara ao lado de Walther Negrão a minissérie Dama da Noite, da Globo. As aulas serão das 11h às 18h. Informações pelo telefone: 0/xx/11 3872-4204.

Não curtiu
A atriz Cléo De Páris disse que o novo disco da Mallu Magalhães só tem um problema: Marcello Camelo cantando.

Triângulo
Expliquemos: a ex-cantora teen (Mallu Magalhães) e o barbudão ex-Los Hermanos (Marcello Camelo) agora fazem um trio com o amigo português do casal, Fred Pinto Ferreira: a Banda do Mar. Ah, tá.

 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Regina Duarte: ele vai dirigir nova peça em São Paulo com estreia no dia 31/10 - Foto: Divulgação

Regina, sem medo
Regina Duarte estreia nova peça como diretora no próximo 31 de outubro, Dia das Bruxas. Chama-se A Volta para Casa. Como ela não é boba, a eterna namoradinha do Brasil convocou a imprensa especializada em teatro para um bate-papo gostoso na tarde da próxima segunda (27), no Teatro MuBE Nova Cultural, onde sua obra será encenada. Quem sabe dessa vez a crítica é mais boazinha com ela?

O passado
Quando encenou Raimunda, Raimunda Regina foi espinafrada pela crítica paulistana como diretora. Com sua volta ao posto, prova que é uma mulher de coragem. E que não teme a opinião dos outros. Afinal, recomeçar é sempre possível, não é mesmo, minha gente?

Dobradinha
O grupo Artehúmus faz as últimas apresentações do espetáculo O Desvio do Peixe no Fluxo Contínuo do Aquário, no Espaço Beta do Sesc Consolação, em São Paulo, na segunda (27) e terça (28), às 20h. Mas não vão choramingar, já que reestreiam no dia 11 de novembro, no Teatro do Incêndio, também em São Paulo, sempre terças e quartas, 20h. Vão ficar por lá até 18 de dezembro. Aí dá tempo de todo mundo ver, né?

desvio do peixe 1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Peça do grupo Artehúmus: do Sesc Consolação direto para o Teatro do Incêndio - Foto: Divulgação

Vamos pedir Piedade
Vinícius Piedade segue firme e forte com sua Mostra de Repertório no Centro Cultural São Paulo. Veja entrevista com ele:

Você acha que o poder público deveria investir mais em teatro?

  • Sim, o teatro ainda carece de mais recursos para se manter. O governo tem de ajudar.
  • Não, acho que o teatro tem de sobreviver só com a bilheteria.

Veja a Agenda Cultural da Record News

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

coluna doze homens Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Doze Homens e uma Sentença está de volta no Teatro Nair Bello, em São Paulo - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Cadeia ou liberdade?
Uma das melhores peças dos últimos tempos, Doze Homens e Uma Sentença volta ao cartaz com elenco novo em São Paulo. A direção é de Eduardo Tolentino de Araújo. Com Norival Rizzo, Zécarlos Machado, Riba Carlovich, Adriano Bedin, Augusto Cesar, Brian Penido Ross, Fernando Medeiros, Gustavo Trestini, Ivo Muller, Manolo Rodrigues, Oswaldo Ávila, Ricardo Dantas e Rodolfo Freitas. Ufa.

Até quando?
Doze Homens e uma Sentença fica até 7 de dezembro, sexta e sábado, 21h30, e domingo, 18h, no Teatro Nair Bello do shopping Frei Caneca. A peça já teve no elenco o saudoso Zé Renato. O enredo mostra a reunião secreta de um titubeante júri que precisa decidir se o réu é culpado ou inocente. O ingresso é R$ 50 na sexta e no domingo e R$60 no sábado. Vai, gente.

Peça nova
Kiko Marques marcou para o próximo dia 25 de outubro, às 20h, a estreia da peça FazDeConta, que ele dirige. Será no Instituto Cultural Capobianco, no Anhangabaú. O texto é do britânico Alan Ayckbourn, queridinho do teatro mundial por sua perspicácia. Um detalhe: no elenco está Fernando Neves, do grupo Os Fofos Encenam. Esse povo do teatro adora um troca-troca...

Resume pra gente?
Na peça, em uma noite de tempestade, Justin e Julie-Ann irão anunciar formalmente seu noivado aos pais. Aí, uma visita inusitada faz com que se descortine diante do rapaz o futuro assustador que o espera com este casamento. Igual a muito relacionamento por aí. Ai, que medo!

Agenda Cultural da Record News

Trem de Minas
Reiner Tentente, ator experiente do mundo dos musicais, dará workshop em Belo Horizonte, neste sábado, na CASA (Centro de Artes Savassi). Quem faz a produção do curso é Suellen Ogando, a espevitada atriz mineira que vive fazendo aparições na TV.

Ausências
Na estreia do filme Hipóteses para o Amor e Verdade, todo mundo comentou a ausência da atriz Cléo De Páris, uma das estrelas do primeiro longa do Satyros. Outro do elenco que não pode ir foi o ator Tadeu Ibarra. E a estreia do filme caiu justo no aniversário dele.

Corre-corre
Robson Catalunha, também ator do filme, chegou esbaforido na última hora. Esse menino não para.

Divando
Phedra D. Córdoba estava linda, magra e diva. Recebeu cumprimentos de todos assim que o filme acabou. E fez questão de reforçar: ela está em dois filmes, já que o documentário Cuba Libre, que conta sua volta a Havana, estreou algumas semanas atrás. Essa Phedra é danada, né?

Carne Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Maria Carolina Dressler e Fernanda Azevedo em cena da peça Carne: questões femininas - Foto: Divulgação

Esse mundo é meu!
Depois de criticar a multinacional petrolífera ao receber o Prêmio Shell de Melhor Atriz neste ano, Fernanda Azevedo anda trabalhando como nunca. Agora, a atriz faz par com a colega Maria Carolina Dressler na peça Carne, da Kiwi Cia. de Teatro. Fernando Kinas dirige a montagem que fala sobre a opressão das mulheres. E ainda expõe a violência de gênero, infelizmente ainda tão comum no Brasil.

Adeus, Frida
Maria Carolina Dressler mal teve tempo de deixar Frida Kahlo, personagem que fazia na peça América Vizinha, do Grupo XIX de Teatro, e já caiu na estrada na companhia de Fernanda Azevedo. Carne fica em turnê até 1º de novembro. Elas se apresentam nas seguintes cidades: Catanduva (17/10), Buritama (18/10), José Bonifácio (19/10), Vargem Grande do Sul (23/10), Itapetininga (24/10), Palmital (30/10), Piraju (31/10) e Pompeia (1º/11). Anotou tudo direitinho? Porque como diz o coleguinha Marcelo Rezende, dá trabalho pra fazer...

Conselho de classe
A coluna pede que ninguém se mate por conta das eleições. Espera com fé que o dia 26 vai chegar. E vai passar.

colunafoto help bortz 01 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Peça Selvagens - Homens de Olhos Tristes fará sessão beneficente em São Paulo - Foto: Divulgação

Caridade
A peça Selvagens - Homem de Olhos Tristes resolveu fazer sessão beneficente nos dias 22 e 23 de outubro, sempre às 21h, no Club Noir, no centro paulistano. O espectador só precisa levar um quilo de alimento ou uma roupa em bom estado e trocar por um ingresso. Tudo será doado para a Unibes (União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social). Porque, como dizia a Hebe, coisa boa a gente doa.

Sem choro nem vela
O grupo Coisa Antiga faz show no dia 25 de outubro, às 18h, no Memorial da América Latina, na Barra Funda, em São Paulo. A entrada é gratuita. O projeto de eventos com chorinho de Luis Avelima quer transformar o lugar, todo fim de tarde de sábado, em uma verdadeira meca do estilo musical. No repertório, estarão Pixinguinha e Waldir Azevedo. Estão todos convidados.

Bocejo
O Núcle Arte Ciência no Palco gosta de misturar teatro e educação. Na próxima quarta (22), estreia a peça Matéria Obscura, no palco do tradicional Teatro de Arena Eugênio Kusnet, no centro de São Paulo. A trama acontece no mágico intervalo que existe entre a vigília e o sono. Aquele que quando você viu já dormiu. Tipo na sala de aula...

coluna florilegio oto Joao Caldas Fo 2013a Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Florilégio: espetáculo homenageia a era de ouro do rádio brasileiro - Foto: João Caldas

Repertório
Cartola, Ataulfo Alves, Zé Keti, Dorival Caymmi, Assis Valente, Lupicínio Rodrigues... Não se trata de uma coletânea que será lançada, mas da volta do espetáculo Florilégio aos palcos paulistanos. No elenco, estão Carlos Moreno, Mira Haar e Patricia Gasppar. A nova temporada é no Teatro Alfa, até 30 de novembro. Sempre sábado e domingo, 20h, com ingresso a R$ 40. Viva a música brasileira.

Manos e minas
A Sala Renê Gumiel da Funarte de São Paulo recebe o projeto Identidade Hip Hop neste fim de semana dentro da Ocupação Ambargris - Cerco Choreográfico. É só chegar lá.

fit bh sabias do sertao Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Espetáculo paulista Sabiás do Sertão está fazendo sucesso Brasil afora - Foto: Divulgação

Mala feita
Depois de chamar a atenção do público e da crítica em importantes festivais teatrais neste ano, a Cia. Cênicas ganhou o ProAC para circular pelas ruas. Só nos próximos dias, o grupo estará em Florianópolis, em Caraguatatuba e Araçatuba, estas duas últimas no interior paulista. Vão apresentar Sabiás do Sertão e Auto da Anunciação. Em novembro também estão com a agenda cheia, vão passar por Ponta Grossa, no Paraná, e Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. É viagem que não acaba mais.

Mala desfeita
Depois de rodar esse mundão de Deus e enfrentar as mais diversas temperaturas e condições climáticas por conta do Palco Giratório do Sesc, os integrantes do Grupo Magiluth já descansam em suas respectivas residências em Recife.

magiluth Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Após meses na estrada, os meninos do Magiluth descansam (ou não) em Recife - Foto: Divulgação

Você acha certo brigar com amigo por conta da eleição?

  • Sim, se ele não pensa como eu não tem como sermos amigos.
  • Não, acho que amizade mora acima de política.
  • Ai, que complicado...Depende do que ele disser...

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Escapamento Antonio Ginco e Marco Faustino foto Renato Grieco Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Antônio Ginco e Marco Faustino na peça Escapamento: estreia dia 15 - Foto: Renato Grieco

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Você vai chegar lá
O Brasil está ficando cada vez mais velho. E é bom aprender a respeitar quem chega à terceira idade, até mesmo porque um dia todos nós chegaremos lá e não desejamos ser tratados como lixo. Por isso, é importantíssimo que o palco discuta também a temática. É o que faz a peça Escapamento, que estreia no próximo dia 15 no Espaço Elevador, em São Paulo. A direção é de Valter Bahia Filho, com a Cia. Trilhas da Arte. Ficará em cartaz quartas e quintas, 21h, até 13 de novembro. Vai, gente!

Ser ou não ser
A jornalista e dramaturga Silvia Gomez resolveu trazer para os dias atuais a aflição do personagem Gregor Samsa, que acorda um dia e descobre que virou inseto, no livro Metamorfose, publicado por Kafka em 1915. Na peça Abra a Janela Antes de Começar, ele é um executivo preso às angústias de um mundo de bônus, relatórios, e-mails, posts e mensagens de WhatsApp. Ou seja: o nosso inferno de cada dia.

silvia gomez emidio luisi Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

A dramaturga Silvia Gomez: inferno cotidiano com pitadas de Kafka no Espaço Beta - Foto: Emídio Luisi

Eis a questão
“Num tempo em que o fluxo de notificações e a comunicação seguem um ritmo vertiginoso, ser suficiente e adequado é tarefa complicada. Então, o que pode acontecer quando o que você é parece não ser suficiente para o mundo hoje? Talvez você precise inventar outra coisa para você, metamorfosear-se", explica Silvia Gomez. A direção é de Fábio Mazzoni. A peça está em cartaz até 31 de outubro, quinta e sexta, 20h, no Espaço Beta do Sesc Consolação. Estão todos convidados.

Ódio no coração
Assim como boa parte do Brasil, a turma teatral também está se digladiando nas redes sociais por conta do segundo turno das eleições. Se no primeiro turno todo mundo da arte amava Luciana Genro, agora, a polarização é entre PT e PSDB. O fervor é presente em ambos os lados. Os ataques mútuos acontecem nas redes sociais, onde muita gente desfez "amizades". Sem dó nem piedade.

Observação
Aliás, o Facebook já deveria ter trocado há muito tempo o uso da palavra "amizade" por outra mais condizente, como "contato" ou mesmo "conhecido". Porque amigo de verdade é aquele para se guardar do lado esquerdo do peito, debaixo de sete chaves, dentro do coração. Como falava a canção.

Ego
Falando em rede social, a coluna tem uma observação a compartilhar: muita gente do teatro adora sair por aí pedindo atenção e divulgação para seus projetos, mas é incapaz de curtir ou compartilhar nas redes sociais os projetos ou vitórias dos colegas. O teatro precisa aprender a ser mais unido e olhar menos para o próprio umbigo. Todos ganhariam bem mais.

Luta de classe
Voltando a falar das eleições, a coluna, que é atenta a tudo, observa que os artistas do teatro alternativo, ou pobre mesmo, para deixarmos eufemismos de lado, bradam voto em Dilma. Já uma boa parcela dos artistas dos musicais comerciais, aqueles com muito dinheiro, não se avexam em declarar voto em Aécio.

michelle ferreira foto bob sousa1 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Autora pop: Michelle Ferreira vai falar sobre reality shows em sua nova peça - Foto: Bob Sousa

O Retorno
Michelle Ferreira, queridinha da nova geração teatral, está nos últimos preparativos para seu novo espetáculo. Será sobre reality shows, com a sua A Má Companhia Provoca. A estreia será em novembro, no Sesc Pinheiros, em São Paulo.

América Vizinha 1
O elenco da peça América Vizinha, dirigido por Juliana Sanches no Grupo XIX de Teatro, está em polvorosa. A obra ganhou o ProAC Primeiras Obras. Voltará ao cartaz em 2015. Coisa boa.

america vizinha Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

América Vizinha: últimos dias da peça no Armazém XIX na Vila Maria Zélia, em SP - Foto: Divulgação

América Vizinha 2
As duas últimas apresentações de América Vizinha em 2014 serão feitas neste sábado e domingo, 19h30, no Armazém XIX da Vila Maria Zélia, no Belém, zona leste paulistana. Como está lotando e é de graça, é bom ligar antes e pedir para reservar entrada. Para garantir, né?

Freud explica
Após fazer temporada no Rio, a atriz Janaína Leite, do Grupo XIX, voltará a São Paulo com a peça solo Conversas com o Meu Pai. A obra estará em cartaz novamente a partir de 24 de outubro no Centro Cultural São Paulo. Na montagem inspirada em sua própria vida, a atriz fala de sua relação com o pai.

iepe Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Iepe: à esquerda, André Félix, que quebrou a perna, à direita, Anderson Galvão, o substituto - Foto: Divulgação

Quebre a perna!
A turma da Trupe Temdona passou o maior aperto nos últimos dias. O protagonista da peça Iepe, André Félix, quebrou a perna às vésperas da estreia. A brincadeira é que ele levou a sério demais a expressão "quebre a perna", utilizada pelos artistas antes de uma estreia para desejar sorte. O ator Anderson Galvão foi convocado de última hora para assumir o personagem beberrão do texto de Luis Alberto de Abreu. Mas já está tudo nos conformes. Tanto que os meninos estreiam nesta sexta (10), às 21h, no Casulo das Artes (rua Sebastião Guimarães Correa, 235, perto do metrô São Judas). Ficam em cartaz todas as sextas-feiras do mês de outubro. O ingresso é R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia. Teatro político com muito humor.

Poesia além da vida
A poetisa norte-americana Sylvia Plath resolveu acabar com a própria vida aos 30 anos, em 1963. Mas, ela ganha vida outra vez na obra Ilhada em Mim - Sylvia Plath, de autoria Gabriela Mellão, com direção de André Guerreiro Lopes. A artista é vivida pela atriz Djin Sganzerla, que é filha dos cineastas Rogério Sganzerla e Helena Ignez. A peça está em cartaz no Sesc Pinheiro, até 1º de novembro, sempre quinta, sexta e sábado, 20h30. Recado dado.

Mergulho profundo
Para representar as aflições da poetisa suicida, Djin fica mergulhada no palco, que é transformado em um grande espelho d'água pela cenografia de André Guerreiro Lopes. A peça ainda tem grife: o figurino é assinado pelo estilista e agora também homem do teatro Fause Haten. Chique, né?

phedra cordoba bob sousa3 Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Phedra D. Córdoba: ela foi chamada para participar de um programa de TV - Foto: Bob Sousa

O chamado
A diva cubana Phedra D. Córdoba está empolgadíssima. Foi convidada para participar de um programa de TV. Eita.

Acordadíssima
O ex-Dzi Croquettes Claudio Tovar vai se jogar no mundo infantil. Ou melhor, já se jogou há muito tempo. Depois de marcar época na década de 1970 com sua performance transgressiva no palco, ele acaba de adaptar o texto do clássico infantil A Bela Adormecida. Virou A Bela Adormecida Uma Ópera Rock. A peça, moderníssima, estreia em novembro no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. A protagonista é Giselle Medeiros, que participou da primeira versão de Chiquititas no SBT. Você se lembra?

Gente de teatro
A coluna encerra com uma foto que junta dois guardiões do teatro paulistano em um abraço: a jornalista e programadora de teatro do Sesc Consolação, Adriana Macedo, querida da coluna, e o grande diretor Antunes Filho. A foto foi tirada no CPT (Centro de Pesquisa Teatral) do Sesc Consolação, onde Adriana e Antunes sempre batem aquele papo gostoso. O teatro, quase sempre, é a pauta.

coluna adriana macedo antunes filho Por trás do pano   Rapidinhas teatrais

Adriana Macedo e Antunes Filho no CPT do Sesc Consolação: amizade nos bastidores do palco - Foto: Arquivo pessoal

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Washington Alta Res 5403 Dois ou Um com Washington Luiz

O ator Washington Luiz, da peça Marica, encara a coluna Dois ou Um - Foto: Laércio Luz

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O ator Washington Luiz atua em Marica, monólogo sobre ninguém menos do que o escritor espanhol Federico García Lorca (1898-1936). A peça está em cartaz na sala Paschoal Carlos Magno do Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo (r. Rui Barbosa, 153). As apresentações, com direção de Marcio Aurélio, acontecem sexta, sábado e domingo, às 20h, até 26 de outubro, com entrada a R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia-entrada. O texto foi escrito pelo argentino Pepe Cibrián Campoy, um dos maiores nomes do gênero musical na América Latina. Formado em artes cênicas pela Unicamp e com currículo que inclui uma temporada na Espanha e trabalhos com nomes como José Celso Martinez Corrêa e Cacá Rosset, Washington Luiz topou o convite do R7 para participar da coluna Dois ou Um. Dez perguntas cheias de possibilidades. Ou não.

Luciana Genro ou Levy Fidelix?
Absurdo ver que até hoje conceitos fascistas de maioria impondo-se a qualquer minoria ainda se articula em mentes estreitas. Luciana Genro, ainda que meu voto para presidente não vai para ela.

Oscar Wilde ou Kafka?
Ui! Dois grandes da literatura. Difícil a resposta... Mas, se tivesse que ler algum deles agora mesmo, gostaria de penetrar no universo corrosivo e cheio de detalhes do Wilde.

García Lorca ou Madame Satã?
Gosto da atitude que Madame Satã imprimiu à sua vida transgressora. Gosto da poesia libertária que García Lorca nos deixou como legado. Fico com os dois, porque me parece uma combinação perfeita!

Buenos Aires ou São Paulo?
Buenos Aires, sem dúvida! Essa cidade me inspira boemia, arte e paixão. Sinto-me numa miniatura de toda a Espanha, com lugares que me lembram, ora Madri, ora Barcelona, ora Sevilha... E as suas árvores! Quero um dia fazer um livro de fotografias somente com as árvores de Buenos Aires.

Cibrián-Mahler ou Möeller-Botelho?
Cibrián-Mahler. Pelo percurso percorrido, pela originalidade, pela união de música e poesia.

Moria Casán ou Susana Vieira?
Susana Vieira! Adoro esta mulher. Desde criança. Ela em Anjo Mau faz parte de meu folclore pessoal. E já tive o imenso prazer de trabalhar com a Susana e ficava extasiado ao ver como sua figura num set de gravação esbanjava alegria e domínio de uma forma de representar.

Marcio Aurelio ou Zé Celso?
Os dois são meus mestres. E os dois me ensinaram, sobretudo, que para ser artista é preciso, acima de tudo, não viver em cima do muro.

Lobão ou Cazuza?
Pela poesia, Cazuza.

A Casa de Bernarda Alba ou Bodas de Sangue?
Neste momento em que vivemos, acho que tem mais a ver A Casa de Bernarda Alba. Temos de refletir se queremos deixar que idiotas definam nosso futuro.

Daqui até a eternidade ou Nada es para sempre?
Daqui até a eternidade. Carrego comigo, na minha alma, todos os amores que, felizmente, já pude sentir ao longo desta vida. Até parece que todos estes amores são um só. Grande, inteiro e verdadeiro.

Leia outras edições da coluna Dois ou Um

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

COLUNAOs Sapatos que Deixei pelo Caminho Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Teatro do Kaos encena Os Sapatos que Deixei pelo Caminho em São Paulo - Foto: Sander Newton

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Andança
O Teatro do Kaos, principal grupo de Cubatão, subiu a serra para fazer temporada no Viga Espaço Cênico, ali pertinho o metrô Sumaré, em São Paulo. A turma apresenta a peça Os Sapatos que Deixei pelo Caminho, com direção de Marcos Felipe, da Mugunzá Cia. de Teatro, e argumento de Lourimar Vieira, que comanda o grupo com 17 anos de história na Baixada Santista.  A temporada vai até 26 de outubro, sexta e sábado, 21h, domingo, 19h, com entrada a R$ 20 a inteira. Conta a história de Poim, um migrante nordestino que tenta realizar seus sonhos em São Paulo. Poesia não vai faltar. Estão todos convidados.

Dança da chuva
Ao ver a chuva que voltou a cair, mesmo que timidamente, por São Paulo, a atriz Cléo De Páris declarou: "Ainda bem que voltou a chover. Já estava pensando que teríamos que explicar para as gerações futuras o que é um guarda-chuva: 'isso a gente usava no tempo em que caía água do céu'."

Gravidez
Phedra D. Córdoba não se conteve e fez uma revelação no último dia da peça Não Morrerás, com texto de Dráuzio Varella, no último domingo (28), no Satyros 1, em São Paulo. A atriz Katia Calsavara está grávida. De uma menina. Atuou a temporada já com a bebezinha em seu ventre. A coluna manda os parabéns à nova mamãe do pedaço. Que, por sinal, é também ótima atriz!

COLUNAO Pequeno Casaco Solitário Grupo Bagaceira web Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cena da peça Pequeno Casaco Solitário, do Grupo Bagaceira, no Ceará - Foto: Divulgação

Criança feliz
Os cearenses estão rindo à toa. E não é só porque é deles o título de Miss Brasil. É que começa na próxima quinta (9) quarta edição do TIC 2014, o Festival Internacional de Teatro Infantil do Ceará. A programação, gratuita, acontece em oito locais de Fortaleza e Sobral. O tema? Solte a sua Imaginação. Eita!

Noite de gala
A entrega do 2º Prêmio Bibi Ferreira, dedicado ao teatro musical, já tem data marcada. Será em 13 de outubro, às 19h30, no Theatro São Pedro, na Barra Funda, São Paulo. A nata teatral paulistana já está convidada. O traje black tie é obrigatório. Chiquérrimo.

Mais um
São Paulo ganha novo teatro nesta sexta (3). É o Armazém Cultural SP, na rua dos Cariris, 48, em Pinheiros. Pertinho da estação do metrô Faria Lima. O comando do espaço é de Eduardo Peixoto e Lucas Lentini. A temporada será aberta com uma apresentação de Kabarett, da Cia. da Revista. Venham todos para o cabaret!

COLUNAAut 2 Oficina dos Menestréis 07 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Deto Montenegro, com atores autistas da Oficina dos Menestréis: exemplo de cidadania - Foto: Divulgação

Teatro para todos
Depois de participar da novela O Rebu na Globo, o ator Deto Montenegro voltou com tudo aos trabalhos na Oficina dos Menestreis, em São Paulo. Ele reúne 27 atores no musical Aut 2, feito com crianças e adolescentes autistas. Todos os domingos de outubro, às 16h30, no Teatro Dias Gomes. Belo exemplo.

Patrimônios paulistanos
Vinte e dois grupos de teatro de São Paulo foram declarados patrimônio imaterial pelo Conpresp, o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental de São Paulo: Centro Internacional de Teatro Ecum (Cit Ecum); Teatro Oficina Uzyna Uzona; Teatro da Vertigem; Espaço Satyros; Galpão do Folias; Núcleo Bartolomeu de Depoimentos; Espaço Os Fofos Encenam; Casa Laboratório para as Artes do Teatro (Cacá Carvalho); Sede Luz Do Faroeste; Casa Livre (Cia Livre); Casarão da Escola Paulista de Restauro (antigo Redimunho de Teatro); Teatro Heleny Guariba (antigo Studio 184); Teatro Commune; Club Noir; Teatro do Incêndio; Espaço da Cia do Feijão; Espaço Maquinaria; Teatro do Ator; Casa Balagan e Café Concerto Uranus. Parabéns a todos pela vitória.

Maternal
Stella Freitas e Cassia Linhares estão na montagem Querida Mamãe, de Maria Adelaide Amaral, que estreia nesta sexta (3), no Teatro J. Safra, em São Paulo. A direção é do casal Susana Garcia e Herson Capri.

COLUNAlagrimas 2 priscila pradekn 600x548 Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Nome gigante: Paula Cohen embarca em espetáculo solo sob direção de Pedro Granato - Foto: Priscila Prade

Reta final
Paula Cohen está concentrada para a estreia de seu espetáculo solo  neste sábado (4), às 20h30, no Teatro MuBE Nova Cultural, no Jardim Europa, em São Paulo. Prepare-se que o nome da peça é enorme mesmo: As Lágrimas Quentes de Amor que Só o Meu Secador Sabe Enxugar. O texto é da própria atriz junto do diretor Pedro Granato. Demorou três anos para ficar pronto. Vai, gente.

Nova casa
Ex-pupilo de Antunes Filho, o ator Lee Taylor já se sente em casa no Instituto de Artes da Unesp, na Barra Funda, em São Paulo. Levou para lá o NAC, seu Núcleo de Artes Cênicas. Agora é curso de extensão na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", a convite do professor doutor Alexandre Mate.

COLUNAameninaeopassaroencantado Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

A Menina e o Pássaro Encantado leva a obra de Rubem Alves para as crianças - Foto: Divulgação

Viva Rubem Braga!
O grande escritor e educador Rubem Alves, que nos deixou este ano, certamente ficaria feliz ao saber da estreia do espetáculo A Menina e o Pássaro Encantado. Em cena, a atriz Mariana Castilho, fã do autor, interage com projeções e canções, o que deixa as crianças hipnotizadas diante de tanta beleza. A direção é de Adriane Gomes, que idealizou o projeto ao lado da atriz. A peça fica em cartaz de 4 a 26 de outubro, aos sábados e domingos, às 15h, no Teatro da Livraria da Vila do shopping JK Iguatemi. O ingresso sai R$ 30 inteira e R$ 15 a meia-entrada.

Largadas no mundo
Diogo Spinelli está fazendo os últimos preparativos para a estreia da peça A Idade da Ameixa, que vai dirigir com a Cia. Alô, Doçura, no Teatro Comunne, em São Paulo. A primeira sessão é neste sábado (4). Fará temporada até 25 de outubro, sábado, 21h30, e domingo, 20h30, com entrada a R$ 30. O texto é do argentino Aristides Vargas. Conta a história de duas irmãs que se veem sozinhas no mundo com a morte da mãe.

COLUNAa margem Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Enquanto tiver água: peça paulistana acontece às margens da represa Billings - Foto: Divulgação

Beira
Em tempos de anúncio de falta de água na torneira, a represa Billings, na zona sul de São Paulo, é o cenário da nova peça da Cia. Humbalada, À Margem. A montage tem entrada gratuita e conta a história de três nômades que chegam em um barco e contam causos de sua trajetória pelas ruas do bairro Jardim Gaivotas. O escritor mineiro Guimarães Rosa também serviu de inspiração. A temporada é de sexta a domingo, às 16h, até 26 de outubro. A peça dura 120 minutos e pode ser vista por 60 pessoas em cada sessão. A entrada é gratuita. Coisa bonita de se ver.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com