Posts com a tag "reportagem"

bichado chorinho toctoc vinganca Quatro sucessos voltam aos palcos em São Paulo

A partir do alto, em sentido horário: Bichado, Chorinho, Vingança e Toc Toc: quatro sucessos do teatro paulistano estão de volta ao cartaz - Fotos: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Peça boa precisa de uma segunda chance. Afinal, nem sempre o público paulistano consegue fôlego para acompanhar tudo que está no cartaz. Pois quatro montagens de diferentes estilos que fizeram sucesso junto ao público estão de volta aos palcos. Aproveite a oportunidade!

bichado1 Quatro sucessos voltam aos palcos em São Paulo

Einat Falbel: eleita melhor atriz em 2012 pelos internautas do R7, ela está de volta com Bichado - Foto: Ronaldo Gutierrez

Bichado
O tragicomédia do norte-americano Tracy Letts ganha versão potente pelo diretor Zé Henrique de Paula, do Núcleo Experimental. Em um quarto barato, uma garçonete quarentona e um ex-combatente da Guerra do Golfo se encontram, em um amor explosivo. Ambos, querem fugir de seus fracassos e da solidão. Em 2012, a peça levou três prêmios dos internautas do R7: Melhor Espetáculo, Melhor Diretor e Melhor Atriz, para Einat Falbel, que continua como a garçonete Agnes. Ainda estão no elenco Paulo Olyva, Adriana Alencar, Rodrigo Caetano, Fabio Redkowicz e Felipe Ramos. Quando a solidão é capaz de criar ilusões perigosas.
Viga Espaço Cênico (r. Capote Valente, 1323, Pinheiros, metrô Sumaré, São Paulo, tel. 0/xx/11 3801-1843). Quarta e quinta, 21h. R$ 40. 16 anos. Até 4/9/2014. Leia a crítica.

chorinho Quatro sucessos voltam aos palcos em São Paulo

Claudia Mello e Denise Fraga levam Chorinho ao palco do Tucarena - Foto: João Caldas

Chorinho
Fauzi Arap, que morreu em 2013, é o autor e diretor, ao lado de Marcos Loureiro, desta peça que é sucesso desde 2007, quando tinha Claudia Mello e Caio Blat no elenco. Agora, Blat é substituído à altura por Denise Fraga. A encenação mostra o encontro de uma aposentada e uma moradora de rua. O contato entre dois diferentes mundos gera enorme reflexão. Um teatro político feito com muito talento e delicadeza.
Tucarena (r. Monte Alegre, 1.024, Perdizes, São Paulo, tel. 0/xx/11 4003-1212). Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 50. 12 anos. Até 27/7/2014.

TOC TOC 06 red1 Quatro sucessos voltam aos palcos em São Paulo

Agora na zona norte: sala de espera divertida faz rir o público em Toc Toc - Foto: Tutti Pasqua

Toc Toc
Tem gente que não consegue ter sossego. Este é o mote da peça que aborda a doença TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), sob direção de Alexandre Reinecke, um dos diretores mais produtivos de nosso teatro. Na espera de uma consulta médica, os personagens se encontram e começam a contar seus dilemas, divertindo a plateia. No elenco estão Adriana Fonseca, Andréa Mattar, Didio Perini, Ithamar Lembo, João Bourbonnais, Laura Carvalho, Maitê Diniz e Paula Tonolli. Quando a loucura alheia vira trampolim para o riso.
Teatro APCD (r. Voluntários da Pátria, 547, Santana, metrô Tietê,  São Paulo, tel. 0/xx/11 2223-2424). Sábado, 21h; domingo, 19h; R$ 50 e R$ 60. 14 anos. Até 28/9/2014.

vinganca joao caldas Quatro sucessos voltam aos palcos em São Paulo

Astros do teatro musical, Amanda Acosta e Leandro Luna estão em Vingança - Foto: João Caldas

Vingança
O musical escrito por Anna Toledo é baseado nas canções do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues, autor de Nervos de Aço. A peça investe na nossa MPB para conquistar o público com muita paixão em cena, sob direção de André Dias. Na montagem, um amor fogoso entre uma dançarina e um contraventor no começo do século 20. No elenco, estão Amanda Acosta, Leandro Luna, Andrea Marquee, Anna Toledo, Jonathas Joba e Sérgio Rufino. Uma volta aos tempos de amores impossíveis e melodramáticos.
Teatro Jaraguá (r. Martins Fontes, 71, Centro, metrô Anhangabaú, São Paulo, tel. 0/xx/11 3255-4380). Quarta e quinta, 21h. R$ 40. 16 anos. Até 11/9/2014. Leia a crítica.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

leo kildare louback Ator que morou na Alemanha vai torcer pela Argentina na final da Copa do Mundo do Brasil 2014

O ator Léo Kildare Louback na Alemanha: ele vai torcer pela Argentina - Foto: Arquivo pessoal

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Apesar de ter morado mais de um ano na Alemanha, o ator, diretor e dramaturgo Léo Kildare Louback, da Sofisticada Cia. de Teatro, de Belo Horizonte, revelou ao Atores & Bastidores do R7 que vai torcer pela Argentina. Nesta final de Copa do Mundo no Brasil 2014, neste domingo (13), no Maracanã, ele prefere os hermanos, e explica o porquê. Veja a entrevista:

Miguel Arcanjo Prado — Como foi ver a Alemanha ganhar do Brasil de 7 a 1?
Léo Kildare Louback —
Não vi. Ouvi. E logo recebi algumas mensagens de amigos alemães, que não resistiram e debocharam, me perguntando como eu estava me sentindo. Engraçado. Pra mim, dá igual. Mas interessante ter que responder para amigos sobre a sensação de derrota. Por se tratar da Alemanha, país que tenho imensas afinidades, eu não consigo tampouco ficar triste. É bom ver alemães comemorando em êxtase. Eles lotaram o Brandenburger Tor, em Berlim, festejando. É uma euforia não costumeira de se ver.

hamburgo 2 Ator que morou na Alemanha vai torcer pela Argentina na final da Copa do Mundo do Brasil 2014

Hamburgo, na Alemanha, onde Kildare viveu - Foto: Divulgação

Miguel Arcanjo Prado —Para quem vai torcer neste domingo?
Léo Kildare Louback — Para a Argentina, pois me solidarizo mais pelos hermanos que pelos Brüder. Sinto-me mais envolvido pela cultura latina seja como for e futebol pertence, assim como todo esporte, à formação de uma cultura. Não legitimo essa rivalidade inventada entre Argentina e Brasil, mas sei que após uma possível vitória e o título, teremos que aprender a administrar nossa momentânea “desvantagem” como derrotados nos campos, para compartir de boas vibrações para nossa vizinha. Além disso, sabe-se, pelo que se pode já observar nas redes sociais, que muita gente vincularia uma possível vitória alemã a questões de caráter político e social, comparando-a com o Brasil, reavivando as Guerras Mundiais, misturando as presidentes e criando uma Angela Rousseff ou uma Dilma Merkel, pra confundir ainda mais nosso país de ideologias nebulosas. Não podemos ter um país europeu desenvolvido como campeão de mais nada, porque o bom exemplo dele vira um descontentamento irracional e pouco analítico de boa parte da população brasileira.

Miguel Arcanjo Prado — Por que você morou na Alemanha?
Léo Kildare Louback — Morei em Hamburgo pouco mais de um ano. Fui em 2008 e voltei em 2009, como parte do meu intercâmbio. Sou formado em Língua e Literatura Alemã pela UFMG [Universidade Federal de Minas Gerais] e precisava ver por dentro como a estrutura linguística e cultural daquele país se manifestava. Foi determinante sentir essa experiência, no sentido nietzschiano de atravessamento no corpo, para me familiarizar com tudo aquilo que, na universidade, eu só via na teoria.

Miguel Arcanjo Prado — Qual a principal característica da cultura alemã?
Léo Kildare Louback — Há um distanciamento aparente que os faz serem chamados de frios. Uma vez falei com um amigo de Berlim que os alemães eram frios, mas esquentavam com o tempo. Ele ficou revoltado e disse, que a palavra “frio” significava algo bastante pejorativo para eles, a que eles não gostavam de ser vinculados. Depois fui entender que era outra coisa. Eles demoram a se tornar amigos, mas quando são, é pra toda vida, mesmo.

Miguel Arcanjo Prado —O que você mais gosta na cultura alemã, por quê?
Léo Kildare Louback — O afã das pessoas em geral por adquirir conhecimento. Teatro, óperas, concertos, festivais de música que vão do electro ao erudito, cinema, literatura e ciência se conjugam em um mix de coisas que conduz a sociedade ao esclarecimento, a partir dessa educação que vai além da sala de aula. Saber como forma de bem, para eles é tão ou mais sólido que o patrimônio físico que se possa adquirir. A famosa disciplina alemã é muito baseada nisso, para além da pontualidade ou sinceridade, por exemplo. É uma disciplina que precisa ser adquirida por quem deseja se munir de argumentos e esclarecimento sobre seu país e as questões que perpassam a história e a atualidade do mundo, em geral. É um país onde o acesso aos bens imateriais é de extrema relevância para o bem-estar dos que ali vivem, inclusive os estrangeiros.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

divulgação  Cogitação Feita de Farinha Leite e Ovos Relatos de sonhos de artistas viram peça em SP

Peça com artistas saídos da ELT está em cartaz em São Paulo até 3/8 - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Imagine só um grupo que se reúne todos os dias para contar o que sonhou na noite anterior. Foi mais ou menos assim o processo criativo da peça Cogitação Feita de Farinha, Leite e Ovos, que está sendo encenada na Casa Livre, em São Paulo.

Os artistas, todos saídos da Escola Livre de Teatro de Santo André, no ABC Paulista, misturaram variadas linguagens artísticas a seus sonhos: entrou na jogada o teatro físico e a linguagem do palhaço.

A obra traz dois trabalhadores em situações distintas. Um, chamado de Sonhador, não dorme para vender suas horas de trabalho e tentar comprar sonhos. Já o outro, Morfeu, quer fazer uma revolução e tomar o poder.

A peça teve colaboração de Pedro Mantovani e do diretor Luís Fernando Marques, o Lubi do Grupo XIX de Teatro.

A montagem integra o projeto Festival Pé Dentro, Pé fora, criado pela atriz Cibele Forjaz para expor trabalhos de atores iniciantes na carreira.

No elenco, estão Daniel Gregório, Jonathan Well e Karen Lenv. Esta última é também a autora do texto.

Cogitação Feita de Farinha, Leite e Ovos
Quando: Sábados e domingos, às 19h. Até 3/8/2014
Onde: Casa Livre (rua Pirineus, 107, Barra Funda, São Paulo, 0/xx/11 3257-6652.
Quanto: R$ 16
Classificação etária: 14 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

simples cidade Cidade grande muda homem do interior

Marcos Reis e Letícia Tomazella estão no elenco de Simples Cidade - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Foi a obra do poema paulista Guilherme de Almeida (1890-1969) a principal fonte inspiradora do espetáculo Simples Cidade.

O modernista, com suas poesias e crônicas, falou da relação do homem interiorano com a cidade grande. E é justamente essa interação que está presente no espetáculo apresentado na casa onde o escritor viveu.

No enredo da montagem, em cartaz em São Paulo com entrada gratuita, um homem simples do interior ruma ao mundo urbano. Claro que, ao chegar na cidade grande, toma um baita susto e muda por completo. Sobretudo suas relações com o outro.

Estão no elenco Marcos Reis e Leticia Tomazella. O projeto contou com a colaboração de Janaina Silva.

Simples Cidade
Quando: Sábado, 17h. Até 26/7/2014 - Atenção! Não haverá espetáculo no dia 12/7/2014 por conta da Copa
Onde: Casa Guilherme de Almeida (r. Macapá, 187, próximo ao metrô Sumaré, São Paulo)
Quanto: Grátis
Classificação etária: 12 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

sebastiao milare foto bob sousa Morre crítico teatral Sebastião Milaré em São Paulo

O crítico e teórico Sebastião Milaré (1945-2014) deixa legado ao teatro - Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Foto BOB SOUSA

Morreu, na manhã desta quinta (10), em São Paulo, o crítico, teórico e pesquisador teatral Sebastião Milaré.

Ele tinha 69 anos e estava internado no Hospital Cruz Azul, em São Paulo, onde faleceu após uma parada cardiorrespiratória.

O velório começa às 18h desta quinta, no Cemitério Jardim Colina (r. Jardim da Colina, 265), em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, onde o corpo será sepultado às 11h desta sexta (11).

O Atores & Bastidores do R7 falou com a sobrinha do crítico, Luciana Millaré. Ele não tinha filhos.

Emocionada, ela contou que a família está recebendo muitas demonstrações de carinho.

— Ele deixa um legado muito grande para a cultura brasileira. Estou só ouvindo agradecimentos da classe artística. Vai fazer muita falta.

O diretor Antunes Filho ficou muito abalado quando soube da morte do amigo. Em luto fechado, preferiu não falar.

Amigo do teatro

A atriz Amália Pereira, amiga de Milaré havia mais de 20 anos, ficou desolada com a notícia de sua morte.

Ela conta que desde que seu grupo, Teatro Kaus, partiu de São José dos Campos, no interior paulista, para São Paulo, sempre recebeu apoio do crítico. Milaré ainda a ajudou no Projeto Fronteiras, de 2009, que trouxe para o Brasil nomes como o dramaturgo espanhol Fernando Arrabal.

— Além de parceiro, era um grande amigo, que vai fazer muita falta. Foi uma pessoa muito importante para as artes cênicas, com a sua pesquisa, dedicação e amor ao teatro. Vai fazer muita falta para todos nós.

O crítico teatral, jornalista e dramaturgo Dib Carneiro Neto afirmou que a morte de Milaré é algo lamentável.

— Perdemos um crítico sério, estudioso, dedicado, inteligentíssimo, que nos deixou estudos preciosos que certamente serão úteis ainda para muitas gerações de amantes do teatro. Com ele, e graças a ele, aprendemos, por exemplo, a decifrar todos os múltiplos meandros da arte genial de Antunes Filho.

Para o fotógrafo de teatro Bob Sousa, que fez o retrato acima que ilustra essa reportagem, Milaré também "era um amigo". E revela que o crítico era um ótimo anfitrião.

— Suas festas eram sempre cheias de amigos no teatro. Ele era muito querido da classe artística. Foi um dos primeiros retratos de crítico que eu fiz, porque, para mim, ele sempre foi uma grande referência. Vou guardar com carinho os livros que ele autografou para mim.

O ator Lee Taylor, hoje no NAC (Núcleo de Artes Cênicas), conviveu de perto com Milaré nos nove anos em que atuou no CPT (Centro de Pesquisa Teatral) de Antunes Filho. Ele também lamentou a perda do intelectual.

— Milaré, além de seu papel como crítico e pensador de teatro, desvendou e registrou com rara dedicação, sensibilidade e generosidade a metodologia de Antunes. O livro Hierofania é uma obra singular, fruto de uma pesquisa incansável realizada ao longo de dez anos, uma inestimável contribuição para o teatro brasileiro.

Especialista em Antunes

Sebastião Milaré nasceu em Guapiaçu, no interior paulista, em 1945.

Era considerado o maior especialista na obra do diretor Antunes Filho, sobre quem escreveu livros definitivos.

Destacou-se como crítico teatral no começo da década de 1971. Exerceu a crítica de forma ativa até 1989.

Também foi roteirista de shows e autor de diversos livros, além de correspondente no Brasil para variadas revistas estrangeiras de cultura.

O teatro perde um de seus maiores pensadores.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

formação15 La Paz Artistas vão aos Andes para ver essência do Peru

Aprendizes da Escola Livre de Teatro posam durante a viagem aos Andes - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Altitude não é problema para a turma 15 da Escola Livre de Teatro de Santo André, no ABC Paulista, que estuda o realismo fantástico sul-americano por meio de um autor do Peru.

Manuel Scorza1 Artistas vão aos Andes para ver essência do Peru

Manuel Scorza (1928-1983): obra do peruano vai virar espetáculo na ELT - Foto: Divulgação

O grupo resolveu investigar a obra do autor peruano Manuel Scorza como base de seu espetáculo de formatura. A dedicação é tanta que os aprendizes resolveram viajar para os Andes.

A turma partiu para Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e pegou o famoso Trem da Morte até Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. De lá, seguiram para o lago Titicaca, na fronteira com o Peru, onde visitaram as cidades históricas de Puno e de Cuzco.

Essência dos romances

Depois, ainda encontraram fôlego para ir à cidade de Cerro de Pasco, e também aos povoados  de Yanahuanca e Rancas. A visita a estes dois últimos lugares foi de importância crucial, já que são os locais dos massacres de povos indígenas e mestiços abordados  na obra de Scorza.

Com tudo isso na bagagem, o grupo voltou para a ELT, onde agora constrói seu espetáculo. Na equipe de orientação estão Antônio Rogério Toscano, na direção, Alexandre Dal Farra, na dramaturgia, Cuca Bolaffi, na atuação, e Fabrício Zavanella, na parte musical.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

robert wilson mikhail baryshnikov willem dafoe the old woman lucie jansch Bob Wilson e Baryshnikov já causam furor em SP

Ingressos para o espetáculo de Bob Wilson começam a ser vendidos no dia 8/7 - Fotos: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Já começou a corrida desenfreada para ver o espetáculo The Old Woman [A Velha], do encenador norte-americano Robert Wilson, ou Bob Wilson para os mais íntimos, em São Paulo.

theoldwoman Bob Wilson e Baryshnikov já causam furor em SP

The Old Woman terá legendas em português - Foto: Divulgação

Os ingressos para as 11 apresentações no Sesc Pinheiros, entre 24 de julho e 3 de agosto, serão disputados a tapa no site do Sesc, a partir do dia 8 de julho, e, se sobrar algum para contar história, nas bilheterias das unidades a partir do próximo dia 10.

O valor é R$ 60 a inteira. Para não haver maldade de nenhum guloso, cada comprador só poderá adquirir quatro entradas.

Tanta euforia se explica. No elenco, está ninguém menos do que o grande bailarino russo Mikhail Baryshnikov, lenda viva da dança. Ele atua com o ator norte-americano Willen Dafoe, nome forte das artes cênicas nos EUA.

A última peça de Wilson apresentada em São Paulo foi A Dama do Mar, no ano passado, com elenco brasileiro capitaneado por Ligia Cortez em grande performance.

O Sesc pede para avisar que os que não dominam o inglês não precisam ficar apreensivos. Nem fingir que entende. Todas as sessões terão legendas em português. Melhor, né?

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

miranda por mirandafoto de Bruno Veiga Carmen Miranda ressuscita em São Paulo

Stella Miranda, como a diva Carmen Miranda no musical do Teatro Augusta - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Muito do imaginário coletivo mundial sobre o Brasil ainda é aquele construído pela atriz e cantora Carmen Miranda nos filmes que conquistaram Hollywood.

A Pequena Notável, como era chamada, criou o mito da mulher brasileira, feliz, cheia de malemolência e, claro, excessivamente tropical.

O ícone, com seus trejeitos inconfundíveis, é revisitado no musical brasileiríssimo Miranda por Miranda. Nele, a atriz Stella Miranda, que idealizou e dirige o projeto, assume a personagem.

Não faltam no repertório clássicos de nomes fundamentais do cancioneiro brasileiro, como Ary Barroso e Assis Valente.

Com elenco enxuto, Stella Miranda surge no palco acompanhada dos atores Luciano Andrey — que protagonizou o musical Priscilla, Rainha do Deserto —, Rogério Guedes, Renato Bellini e Will Anderson.

Além dos atores, a montagem conta com música executada ao vivo com banda sob comando do diretor musical Tim Rescala, composta por Laura Visconti, André Santos e Leandro Lui.

A figurinista Rita Murtinho chamou para si a responsabilidade de fazer uma releitura das roupas emblemáticas de Carmen, com auxílio de Ligia Rocha.

Pelo jeito, não vão faltar balangandãs.

Miranda por Miranda
Quando: Sexta, 21h30; sábado, 21h; e domingo, 19h. 80 min. Até 27/7/2015
Onde: Teatro Augusta (r. Augusta, 943, Consolação, São Paulo, tel. 0/xx/11 3151-2464)
Quanto: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada)
Classificação etária: 14 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

abajur lilas Mundo cão de Plínio Marcos volta em Abajur Lilás

Mundo marginal no palco do Teatro Nair Bello, em São Paulo: Abajur Lilás - Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O dramaturgo e jornalista Plínio Marcos, morto há 15 anos, é um dos maiores expoentes do teatro brasileiro. E continua montado como nunca. Só de sua peça Navalha na Carne, há três montagens em São Paulo. Como sempre, seus textos, inspiradas no ritmo caótico de São Paulo, dá voz a personagens urbanos marginais.

E outra peça dele está de volta. Desta vez, Abajur Lilás, montagem que o diretor André Garolli estreia no próximo dia 9 de julho no Teatro Nair Bello, em São Paulo.

Ele convocou os atores Fernanda Viacava, Isadora Ferrite, Josemir Kowalick, Daniel Morozetti e Carol Marques, para viver os personagens que habitam o prostíbulo comandado a mão de ferro por Giro.

A montagem faz parte do projeto Homens à Deriva, que já montou as peças As Moças e Histórias dos Porões. Sempre em cena a submissão do homem ao dinheiro.

Garolli diz que Plínio Marcos expõe “a solidão e a decadência humana”, mostrando “vidas degradadas e o beco sem saída da miséria e da violência”.

E lembra que a maior parte da dramaturgia do autor foi concebida durante os anos de chumbo da ditadura militar que foi instaurada no País 50 anos atrás.

“Sustento a ideia de que não há como analisar as obras dramáticas desse autor sem o entendimento do regime de opressão ao qual estiveram submetidos os cidadãos brasileiros”, afirma.

Abajur Lilás
Quando: Quarta e Quinta, 21h. 80 min. De 9/7/2014 a 14/8/2014
Onde: Teatro Nair Bello – Shopping Frei Caneca 3º piso (rua Frei Caneca, 569, Consolação, São Paulo, tel. 0/xx/11 3472-2414)
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Classificação etária: 16 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

 

namibia nao foto rubens nemitz junior Racismo é discutido em Namíbia, Não, com sessões grátis em Salvador no fim de semana

Aldri Anunciação, autor da peça Namíbia, Não!, que volta a Salvador em sessões gratuitas - Foto: Rubens Nemitz Jr./Clix

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

De repente, todos os negros brasileiros, bem como seus descendentes, são obrigados, por decreto, a retornar à África.

A situação absurda e racista é o enredo do espetáculo Namíbia, Não!, escolhido o Melhor Texto R7 de 2012, em votação popular com participação de mais de 100 mil internautas.

O autor é Aldri Anunciação, que também está em cena, ao lado de Sérgio Menezes. Eles dão vida a André e Antônio, protagonistas da história.

A peça dirigida por Lázaro Ramos tem três apresentações gratuitas no Espaço Xisto Bahia (r. General Labatut, 27, Barris, Salvador, tel. 0/xx/71 3117-6155), de sexta (27) a domingo (28), com sessões às 17h e também às 20h nos três dias.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

 

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com