Posts com a tag "reportagem"

João Fábio Cabral João Fábio Cabral lança livro com 17 peças e declara: É preciso prestigiar o autor em vida

João Fábio Cabral: autor potiguar faz sucesso nos palcos paulistanos - Foto: Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

Escolher 17 peças entre 60 já feitas foi tarefa que quase deixou louco o dramaturgo João Fábio Cabral. Contudo, após mais de um ano de muitas dúvidas, resolveu que editar era preciso e deu a cartada final.

O resultado desta escolha poderá ser conferido pelo público neste sábado (30), quando o autor potiguar lança no Teatro Pequeno Ato, em São Paulo, o livro Cinzeiro (nVersos Editora).

Nascido em Ipanguaçu, “um lugar incrível entre dois rios”, como conta, no interior do Rio Grande do Norte, o autor de 40 anos se adapta ao ritmo frenético de São Paulo há 20 anos, desde que se mudou para a capital paulista na companhia de uma tia.

image006 João Fábio Cabral lança livro com 17 peças e declara: É preciso prestigiar o autor em vida

Cinzeiro reúne 17 obras de Cabral em livro

Desde então está metido em teatro. Mais de 20 espetáculos seus já foram encenados, alguns deles premiados. Na metrópole, se formou ator em 1999, na Escola de Teatro Ewerton de Castro.

No trabalho de Cabral há espaço para a mistura de dor e prazer. “Sempre gostei de escrever e fui incentivado por muita gente. Escrever para mim é um lugar de vida”, diz.

Palavras como solidão, relacionamento, amor e perda povoam as vidas de seus personagens. Para o autor, ver 17 textos seus imortalizados em uma publicação para gerações futuras “é a realização de um sonho”.

– Estou muito feliz com o livro. Vinha pensando nisso há tempos. Até que no ano passado o Júlio e a Natália, da nVersos, viram minha peça Um Verão Familiar e me convidaram para fazer o livro. Foi um grande prazer.

Conta que vida de dramaturgo não é fácil e que tenta sobreviver de arte. “Sobreviver escrevendo no Brasil é difícil, principalmente para teatro. Mas, estou aí na luta”, avisa.

Quando faz uma peça, vive o momento, não fica confabulando se sua montagem dará certo. “Não penso se vai ser sucesso. É apenas uma necessidade de falar do que sinto naquele momento, de como estou vendo as coisas”, conta.

O escritor espera ver cada vez mais obras como a sua, que valorizem os textos dramatúrgicos nacionais recentes. “Não precisa esperar que o autor morra para valorizá-lo [risos], vamos prestigiá-lo enquanto ele está aí, vivo, trabalhando”. Está coberto de razão.

Autógrafos e mostra cênica

Cinzeiro será lançado neste sábado (30), entre 16h e 19h, no Teatro Pequeno Ato (r. Teodoro Baima, 68, metrô República, São Paulo). João Fábio Cabral autografará os exemplares de quem aparecer por lá. Cada livro custa R$ 62.

No mesmo teatro acontece a Mostra Primeira com AMesma Cia. de Investigação Teatral, grupo do autor. Eles já apresentaram Bob É Negro. Neste fim de semana, 30 e 1°, eles apresentam Algumas Laranjas. Nos dias 7 e 8, fazem Janeiro. E nos dias 14 e 15, Cidade Silenciosa, todas obras de Cabral. Sempre sábado às 21h, e domingo, às 19h. O ingresso custa R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia-entrada.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

origem destino Peça aceita pagamento em bilhete único e coloca público para viajar por SP dentro de um ônibus

Personagens de Origem Destino levam público a uma viagem por SP - Foto: Tetembua Dandara

Por Miguel Arcanjo Prado

A praça da Sé é o coração do centro de São Paulo. É de lá que parte o ônibus que leva público e personagens da nova peça da Cia. Auto-Retrato, Origem Destino, que estreia neste domingo (1º). O preço para ver a montagem é o valor de uma passagem de ônibus, R$ 3; é aceito o pagamento em bilhete único.

O ponto final é no bairro de Santo Amaro, na zona sul. Oito atores e quatro músicos do quarteto instrumental À Deriva acompanham a viagem, que passa por rios concretados para virarem importantes vias da capital paulista, como o Anhangabaú, o Saracura e o Pinheiros.

O grupo de dez anos de vida quer descortinar a cidade aos olhos do espectador. Geografia se funde com arte para colocar o que está do lado de fora da janela em evidência.

Para tanto, eles ouviram depoimentos dos moradores pelas ruas da cidade, para que Marcos Gomes construísse a dramaturgia. Andrea Tedesco e Mauricio Veloso assinam a direção.

No elenco estão Beto Sporleder, Camilo Schaden, Carla Kinzo, Daniel Muller, Guilherme Marques, Marcio Castro, Marina Corazza, Marina Tranjan, Natacha Dias, Rui Barossi e Thais Almeida Prado, Julio Lorosh, Marcos Gomes, Mariana Miranda, Sergio Spina e Suelen Ribeiro.

Origem Destino
Quando: Terças, ao meio-dia, e domingos, às 11h. 150 min. Temporada de 1º a 17/12/2013.
Onde: Saída da Praça da Sé, em frente à Catedral, no centro de São Paulo, metrô Sé
Quanto: R$ 3,00 (preço da passagem de um ônibus; pode ser pago com bilhete único)
Classificação etária: livre

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

azul resplendor 03 joao caldas Mostra 2013 em Cena tem 27 peças grátis em SP

Pedro Paulo Rangel e Eva Wilma fazem Azul Resplendor grátis na Mostra 2013 em Cena - Foto: João Caldas

Por Miguel Arcanjo Prado

O ano vai chegando ao fim e é hora de lembrar que os palcos paulistanos nunca estiveram tão recheados de produções teatrais para todos os gostos e bolsos. Foi tanta coisa que não deu tempo de ver tudo. Pois o público paulistano terá uma espécie de repescagem teatral do que rolou de bom durante o ano nos teatros da cidade. E o melhor, vai ver tudo sem pagar nada.

Sete teatros de bairro serão palco da Mostra 2013 em Cena, organizada pela Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de São Paulo. Ela acontecerá de 29 de novembro a 15 de dezembro, com 27 espetáculos ao todo, sendo 16 obras de teatro adulto e 11 de teatro infantil. Todas com entrada gratuita.

Participam da programação os teatros Alfredo Mesquita (zona norte), Cacilda Becker (zona oeste), João Caetano e Leopoldo Fróes (zona sul), Martins Penna, Zanoni Ferrite e ao Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes (zona leste).

Peças de destaque estão na programação, como Azul Resplendor, que celebra os 60 anos de carreira e 80 de vida da atriz Eva Wilma. Ainda estão no programa obras como Folias Galileu, O Fantasma do Som, Homem Não Entra, Os Adultos Estão na Sala e ¡Salta!. Para retirar até dois ingressos por pessoa, basta chegar ao teatro com uma hora de antecedência a cada sessão.

Não vai perder outra vez!

Veja, abaixo, a programação completa:

Programação para o público adulto

|Retirar ingresso, até um par por pessoa, uma hora antes.

anatomia woyzeck Mostra 2013 em Cena tem 27 peças grátis em SP

Anatomia Woyzeck encerra trilogia sobre violência da Cia. Razões Inversas na Mostra 2013 em Cena - Foto: João Caldas

ANATOMIA WOYZECK
Cia. Razões Inversas. Dramaturgia a partir de fragmentos de Georg Büchner. Dir.: Marcio Aurelio. Com Clóvis Gonçalves, Paulo Marcello e Washington Luiz. 60 min. +14 anos.
Soldado dedicado à mulher e ao filho ganha alguns trocados a mais se submetendo em ser cobaia de experiências médicas. Em uma delas, passa a ter alucinações que o levam a questionar a moral e os costumes sociais e a tomar atitudes drásticas.
| Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel.2295-0401. De 29/11 a 1º/12, 19h
| Teatro Leopoldo Fróes. Rua Antonio Bandeira, 114, Santo Amaro. Zona Sul
| tel. 5541-7057. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h

AZIRILHANTE
Cia. Simples. Texto e dir.: Daniela Duarte. Concepção e interpretação: Flavia Melman. 70 min. +10 anos.
Ambientada numa cozinha, a peça mostra o depoimento fragmentado de três personagens: uma mãe bipolar, uma menina que não tem uma boa história para contar e uma atriz em crise.
| Teatro Leopoldo Fróes. Rua Antonio Bandeira, 114, Santo Amaro. Zona Sul
| tel. 5541-7057. Dia 1º/12, 20h

AZUL RESPLENDOR
Texto: Eduardo Adrianzén. Com Eva Wilma, Pedro Paulo Rangel, Dalton Vigh e outros. Dir.: Renato Borghi e Elcio Nogueira Seixas. 100 min. +14 anos.
A peça retrata o ofício do ator por meio dos jogos de poder, afetos, ilusões e frustrações durante o ensaio de um espetáculo. Uma famosa atriz dramática, aposentada precocemente, vê-se novamente cercada por diversos colegas, como o coadjuvante recalcado, o diretor prepotente, a assistente de direção sem identidade e os atores jovens em busca de fama.
| Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Próximo da estação Santa Cruz do metrô. Zona Sul.| tel. 5573-3774 e 5549-1744. De 29/11 a 1º/12, 19h

FOLIAS GALILEU
Folias D’Arte. Dramaturgia e interpretação: Ailton Graça, Gisele Valeri, Rodrigo Scarpelli e outros. 100 min. +10 anos.
Numa espécie de excursão, o público se depara com um caleidoscópio da narrativa do importante cientista Galileu frente ao seu dilema ético.
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes – teatro. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840. De 29/11 a 1º/12, 19h
| Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. | tel. 3864-4513. De 6 a 8/12. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h

O LIVRO DA GRANDE DESORDEM E DA INFINITA COERÊNCIA
Estúdio Lusco-Fusco. Texto: August Strindberg (inspirado no livro autobiográfico “Inferno” e em fragmentos de “Um Sonho”, de sua autoria). Adapt. e dir.: André Guerreiro Lopes. Com Helena Ignez, Djin Sganzerla, André Guerreiro Lopes e Eduardo Mossri. Trilha sonora ao vivo: Gregory Slivar. 75 min. +12 anos.
Mosaico visual e sonoro que une as linguagens da música, videoarte e teatro físico para retratar a experiência de um artista que abandona sua zona de segurança e se lança em uma jornada incerta, em busca do desconhecido.
| Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. | tel. 3864-4513. De 29/11 a 1º/12, 19h

nossa classe31 Mostra 2013 em Cena tem 27 peças grátis em SP

Nossa Classe mostra fatos históricos na Polônia pré-Segunda Guerra Mundial - Foto: Ronaldo Gutierrez

NOSSA CLASSE
Núcleo Experimental. Texto: Tadeusz Slobodzianek (inspirado no livro “Vizinhos”, de Jan T. Gross). Trad., adapt. e dir.: Zé Henrique de Paula. Com Bruno Gael, Estrela Strauss, Fabio Redkowicz e outros. 90 min. +16 anos.
Relato de um acontecimento real: o massacre ocorrido na cidade polonesa de Jedwabne, em 10 de julho de 1941, poucas semanas depois que o exército de Hitler iniciou seu avanço em direção ao leste da Polônia. Na ocasião, toda a população de origem judaica da cidade foi dizimada.
| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte.
| tel. 2221-3657. De 29/11 a 1º/12, 19h

TERÇA NO HIPER
Cia. Ferris. Texto: Emmanuel Darley. Dir.: Vany Alves. Trad. e interpretação: Fábio Ferretti. 60 min. +12 anos.
Ao se reencontrar com o pai idoso que necessita de cuidados, após anos sem se falar, filha relembra seu passado na cidadezinha onde viveu a infância antes de decidir mudar de sexo.
| Teatro Zanoni Ferrite. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste.| tel. 2216-1520. De 29/11 a 1º/12, 19h
| Teatro Leopoldo Fróes. Rua Antonio Bandeira, 114, Santo Amaro. Zona Sul
| tel. 5541-7057. De 6 a 8/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h

OS ADULTOS ESTÃO NA SALA
A Má Companhia Provoca. Texto e dir.: Michelle Ferreira. Com Flávia Strongolli, Maura Hayas e Michelle Boesche. 70 min. +14 anos.
Numa metrópole de terceiro mundo, uma ponte que leva nada a lugar nenhum está sendo construída. Enquanto isso, num apartamento, um menino ouve a conversa entre três mulheres e acha que os adultos estão confusos e que algo acontece quando eles se reúnem.
| Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Próximo da estação Santa Cruz do metrô. Zona Sul. | tel. 5573-3774 e 5549-1744. De 6 a 8/12. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h

HOMEM NÃO ENTRA
Cia. Pessoal do Faroeste. Texto: Paulo Faria e Rodrigo Pereira. Dir.: Paulo Faria. Com Juliana Fagundes, José Roberto Jardim, Beto Magnani e outros. Coro: Aldo Bispo, Heitor Vallim e outros. Sonoplastia e percussão ao vivo: Jorge Peña. 60 min. +14 anos.
Faroeste ambientado em São Paulo, em 1953, no dia do fechamento da zona de confinamento da prostituição do Bom Retiro, a famosa Boca do Lixo. Lá, um pistoleiro e uma prostituta querem se vingar do xerife que domina a região na base da violência, arbitrariedade e corrupção.
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes – teatro. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840. De 6 a 8/12. 6ª, 20h. Sáb., 17h30 e 20h. Dom., 17h30 e 19h30

SENHORITA JÚLIA
Grupo Tapa. Texto: August Strindberg. Dir.: Eduardo Tolentino de Araújo. Com Anna Cecília Junqueira, Augusto Zacchi e Paloma Galasso. 70 min. +14 anos.
Escrita em 1887, a peça é um marco da dramaturgia naturalista. Por meio do embate entre uma jovem aristocrata e seu criado, Strindberg aborda temas recorrentes em sua obra, como a disputa entre sexos e classes e a contradição entre erotismo e realidade.
| Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401. De 6 a 8/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes – teatro. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h

SONATA A KREUTZER - UMA HISTÓRIA PARA O SÉCULO 19
Texto: Liev Tolstói. Dramaturgia: Cássio Pires. Dir.: Marcello Airoldi. Com André Capuano e Ernani Sanchez. 80 min. +16 anos.
Quatro discos contendo a “Sonata a Kreutzer”, de Beethoven, tocados em uma velha vitrola, provocam as memórias de Pózdnichev, homem que assassinou sua mulher.
| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte.
| tel. 2221-3657. De 6 a 8/12. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h

UNIVERSOS
Núcleo Experimental. Dir.: Zé Henrique de Paula. Com Thiago Ledier e Bruna Thedy. 70 min. +12 anos.
Apicultor conhece uma cientista em um churrasco e inicia uma relação com infinitos desdobramentos em cenas que se repetem de forma diferente, possibilitando rumos diversos à história do casal.
| Teatro Zanoni Ferrite. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste. | tel. 2216-1520. De 6 a 8/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h
| Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h

BORRASCA
Cemitério de Automóveis. Texto e dir.: Mário Bortolotto. Com Mário Bortolotto, Gustavo Haddad, João Miguel e outros. 50 min. +14 anos.
Por meio da história de três amigos, o texto fala de amizade, traições, compreensão e decisões que precisam ser tomadas para prosseguir com as vidas dos que ficaram. A novidade do espetáculo é que 11 atores se revezam nos dois personagens da peça a cada dia da temporada.
| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte.
| tel. 2221-3657. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h

EU CÃO EU
Parlapatões, Patifes & Paspalhões. Texto e interpretação: Hugo Possolo. Dir.: Rodolfo García Vázquez. 60 min. +16 anos.
Insatisfeito com sua vida, homem passa a observar a liberdade que um cachorro vira-lata tem ao andar tranquilamente pelas ruas.
| Teatro Zanoni Ferrite. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste. | tel. 2216-1520. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 20h. Dom., 19h

Salta5508 crédito Cacá Bernardes Mostra 2013 em Cena tem 27 peças grátis em SP

¡Salta! está na mostra da Prefeitura de SP

¡SALTA!
Coletivo Teatro Dodecafônico. Dramaturgia: Veronica Stigger. Dir.: Verônica Veloso. Intérpretes-criadores: Beatriz Cruz, Gabriela Cordaro, Joaquim Lino e outros. 70 min. +16 anos.
Em uma casa com piscina em algum lugar da América Latina, o ócio, o calor e a espera anunciam algo que aconteceu ou está por acontecer a cinco pessoas.
| Somente 100 lugares. Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. | tel. 3864-4513. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h

SÃO MANUEL BUENO, MÁRTIR
Grupo Sobrevento. Texto: Miguel de Unamuno. Dramaturgia e dir.: Luiz André Cherubini e Sandra Vargas. Com Sandra Vargas, Maurício Santana e Luiz André Cherubini. Músicos: William Guedes, Carlos Amaral, Marina Estanislau e outros. 80 min. +16 anos.
Dom Manuel, um padre que duvida da fé e da existência de Deus, tem sua vida narrada por 30 bonecos de forma pouco ortodoxa, em uma arena ocupada por uma mesa que representa o mundo.
| Somente 68 lugares. Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Próximo da estação Santa Cruz do metrô. Zona Sul. | tel. 5573-3774 e 5549-1744. De 13 a 15/12. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h

Programação para o público infantojuvenil

|Retirar ingresso, até um par por pessoa, uma hora antes.

BEM DO SEU TAMANHO
Núcleo Caboclinhas. Obra original: Ana Maria Machado. Adapt.: Evill Rebouças. Dir.: Edu Silva. Com Giuliana Cerchiari, Luciana Silveira, Aline Anfilo e Geni Cavalcante. 50 min. Livre.
Tentando descobrir seu tamanho, garota chega a uma cidadezinha típica do interior e conhece, nessa trajetória, pessoas que a ajudam e outras que a confundem.
| Teatro Leopoldo Fróes. Rua Antonio Bandeira, 114, Santo Amaro. Zona Sul. | tel. 5541-7057. Dia 1º/12, 16h
| Teatro Zanoni Ferrite. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste.| tel. 2216-1520. Dias 7 e 8/12, 16h

O BURACO DO MURO
Maracujá Laboratório de Artes. Argumento: Sidnei Caria, Silas Caria, Camila Ivo, Lucas Luciano e Eder dos Anjos. Concepção, dramaturgia e dir.: Sidnei Caria. Com Lucas Luciano, Eder dos Anjos e Ronaldo Liano. 50 min. Livre.
Três crianças avessas à leitura, mas fanáticas por internet, recebem mensagens misteriosas em seus celulares que falam de um tesouro escondido atrás do muro. Ao encontrarem diversos objetos e livros, envolvem-se em uma brincadeira que muda suas vidas.
| Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. | tel. 3864-4513. Dias 30/11 e 1º/12, 16h
| Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Próximo da estação Santa Cruz do metrô. Zona Sul. | tel. 5573-3774 e 5549-1744. Dias 7 e 8/12, 16h

ofantasmadosom Mostra 2013 em Cena tem 27 peças grátis em SP

O Fantasma do Som: infantil para os pequenos - Divulgação

O FANTASMA DO SOM
Banda Mirim. Texto e dir.: Marcelo Romagnoli. Com Alexandre Faria, Claudia Missura ou Tatiana Thomé e outros. Participação especial: Giovanni Venturini. 60 min. Livre.
Num estúdio sonoro vive um fantasma que acompanha a gravação da rádio-novela que pode salvar todo mundo da falência. O musical brinca com as várias possibilidades do som e propõe a misteriosa arte de ouvir.
| Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Próximo da estação Santa Cruz do metrô. Zona Sul. | tel. 5573-3774 e 5549-1744. Dias 30/11 e 1º/12, 16h

A PRINCESA E O DRAGÃO
Cia. Ópera na Mala. Texto e música ao vivo: Sergio Serrano. Dir. e interpretação: Cris Miguel. 50 min. Livre.
Inspirada em história da cultura eslovena, a peça, com bonecos, música e brincadeiras, mostra como a princesa Liubliana enfrentou dragões.
| Teatro Zanoni Ferrite. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste.| tel. 2216-1520. Dias 30/11 e 1º/12, 16h
| Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401. Dias 7 e 8/12, 16h
| Teatro Leopoldo Fróes. Rua Antonio Bandeira, 114, Santo Amaro. Zona Sul. | tel. 5541-7057. Dias 14 e 15/12, 16h

MENINO LUA
Teatro do Bardo. Texto e dir.: Fernanda Maia. Com Aretê Bellar, Cy Teixeira, Felipe Ramos e outros. 90 min. Livre.
Inspirado em Luiz Gonzaga, o espetáculo acompanha Lua, menino sanfoneiro que decide, com a ajuda de uma amiga, acabar com a seca do sertão. No caminho, encontram um bando de fugitivos, uma família de retirantes e o terrível bruxo Mané Onça.
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes – teatro. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840. Dias 30/11 e 1º/12, 16h
| Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401. Dias 14 e 15/12, 16h

QUEM TEM MEDO DO ESCURO?
Caravana Cia. de Teatro. Texto: Márcio Araújo e Fernanda Morais (a partir de uma ideia original de Evandro Rigonatti). Dir.: Evandro Rigonatti. Com Fabiana Carlucci, Camila Graziano e Elber Marques. Músico: Tato Fischer. 60 min. Livre.
Enquanto crianças se preparam para dormir em um quarto escuro, a imaginação traz à tona bruxas, fantasmas e monstros, projetados na silhueta dos móveis.
| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte. | tel. 2221-3657. Dias 30/11 e 1º/12, 16h
| Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. | tel. 3864-4513. Dias 14 e 15/12, 16h

A RAINHA PROCURA...
Cia. do Quintal. Concepção e dir.: César Gouvêa. Com Rhena de Faria, Davi Taiu, Claudio Thebas e outros. 60 min. Livre.
Na tentativa de recuperar seu reino, rainha abre testes para bispos, cavalos, torres e peões. Porém seus planos mudam de rumo com a aparição de dois palhaços que preferem ser bobos da corte a servir como defensores do território.
| Centro Cultural da Penha – Teatro Martins Penna. Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401. Dias 30/11, 1º ,7 e 8 /12, 16h
| Teatro Zanoni Ferrite. Av. Renata, 163, Vila Formosa. Zona Leste. | tel. 2216-1520. Dias 14 e 15/12, 16h

ÁGUA
Clã - Estúdio das Artes Cômicas. Dir.: Cida Almeida. Com Caio Franzolin, Caio Marinho, Gabriel Küster e outros. 55 min. Livre.
Após desperdiçar água, uma trupe de palhaços passa por incríveis aventuras marinhas e ribeirinhas nesta homenagem aos circos “panos de roda”, os famosos “tomara que não chova”.
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes – área do circo. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840. Dias 7 e 8/12, 16h (em caso de chuva, o espetáculo acontece em área interna do CFCCT)

COCÔ DE PASSARINHO
Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação. Dir.: Anie Welter (livremente inspirado na obra homônima de Eva Furnari). Intérpretes-criadores: GpeteaH, Anie Welter, Rafael Petri e outros. 50 min. Livre.
Em uma praça, os moradores de uma vila têm de enfrentar um problema diário: o cocô que os passarinhos fazem em suas cabeças. Um dia, um vendedor de flores passa pela cidade e uma situação inesperada transforma a vida de todos.
| Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. | tel. 3864-4513. Dias 7 e 8/12, 16h
| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte. | tel. 2221-3657. Dias 14 e 15/12, 16h

FILHOTE DE CRUZ CREDO
Cia. O Grito. Dramaturgia: Alessandro Hernandez. Dir.: Roberto Morettho. Com Alessandro Hernandez, Andréa Manna, Denis Antunes e Tertulina Alves. 60 min. Livre.
Com a fama de ser “o menino mais feio do mundo”, garoto, filho de uma giganta, vive isolado em sua casa. Ao tentar descobrir os segredos do rio que cerca a cidade, conhece uma menina que mudará a forma dele olhar o mundo e a si próprio.
| Teatro Alfredo Mesquita. Av. Santos Dumont, 1.770, Santana. Zona Norte. | tel. 2221-3657. Dias 7 e 8/12, 16h
| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes – teatro. R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste. | tel.: 2555-2840. Dias 14 e 15/12, 16h

CARTAS DE UM MENINO VIAJANTE
Cia. Polichinelo de Teatro de Bonecos. Texto e dir.: Márcio Pontes. 45 min. Livre.
Homem encontra um menino que dorme no banco de uma estação e nutre por ele um sentimento paternal. Ao despertar, o garoto conta sua história com a ajuda de cartas guardadas em uma mala.
| Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Próximo da estação Santa Cruz do metrô. Zona Sul. | tel. 5573-3774 e 5549-1744. Dias 14 e 15/12, 16h

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

CRESPOS Os Crespos e Zumbi de Augusto Boal chegam aos palcos de SP no Dia da Consciência Negra

Os Crespos estreiam nova peça na Funarte neste feriado da Consciência Negra - Foto: Lau Francisco

Por Miguel Arcanjo Prado

Duas estreias celebram nossas raízes africanas neste Dia da Consciência Negra, celebrado nesta quarta (20).

Uma vai no passado para contar a saga do herói negro Zumbi, montagem dirigida por João das Neves em cima do texto clássico de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri. Já a outra vai investigar a situação contemporânea das mulheres negras, caso da peça do grupo paulistano Os Crespos Engravidei, Pari Cavalos e Aprendi a Voar sem Asas, que estreia na Funarte.

Engravidei, Pari Cavalos e Aprendi a Voar sem Asas faz parte do projeto Dos Desemanches aos Sonhos: Poéticas em Legítima Defesa. A montagem aborda a situação das mulheres negras na atualidade. Temas fortes como traumas, violência masculina, sexo e sobrevivência fazem parte da montagem que ouviu depoimentos de 55 mulheres negras antes de se tornar realidade.

O objetivo é acabar com os estereótipos preconceituosos que pairam ainda hoje sobre as mulheres negras. "Procuramos expor as personalidades das mulheres nos diversos elementos que envolvem o espetáculo", conta Lucelia Sergio, diretora da obra, que contou com a co-direção de Santiago Kuanza e direção de produção de Eneida de Souza.

Um dos charmes da peça é a cenografia proposta por Mayara Mascarenhas, que envolve espaços públicos no entorno da Funarte, como um salão de beleza e um boteco. O público ainda entrará em um apartamento, para conhecer a verdade das personagens. No elenco, estão Dani Rocha, Darília Lilbé, Dirce Thomaz, Maria Dirce Couto, Nádia Bittencourt e Dani Nega.

BOAL Os Crespos e Zumbi de Augusto Boal chegam aos palcos de SP no Dia da Consciência Negra

Zumbi: nova montagem do texto de Boal tem entrada gratuita na Caixa Cultural - Foto: Divulgação

Zumbi de volta

Este 20 de Novembro também marca a volta aos palcos paulistanos do espetáculo Zumbi, escrito por Augusto Boal, com entrada gratuita na Caixa Cultural, no centro paulistano.

A montagem é um dos clássicos do teatro nacional. É uma versão contemporânea para Arena Conta Zumbi, de Boal e Gianfrancesco Guarnieri, com música de Edu Lobo, marco dos anos 1960. Desta vez, João das Neves assume a direção; e a cantora Titane faz a direção musical.

Dez atores negros representam todos os personagens no sistema Curinga, criado por Boal: Alysson Salvador, Benjamin Abras, Evandro Nunes, Júlia Dias, Júnia Bertolino, Kátia Aracelle, Nath Rodrigues, Ricardo Campos, Rodrigo Almeida e Rodrigo Jerônimo.

Viúva de Augusto Boal, Cecilia Boal, que cuida do instituto dedicado ao mestre das artes cênicas, afirma ao R7 que a peça é atemporal. "O assunto não se esgotou. O Brasil ainda carrega a herança da escravidão. A intenção do Instituto Augusto Boal não foi fazer uma montagem arqueológica, mas mostrar um tema ainda atual. O racismo ainda continua e precisa ser combatido", afirma.

Para Cecilia Boal, o grande mérito de seu marido foi "promover uma dramaturgia brasileira, colocando o homem brasileiro em cena". Na visão dela, a semente plantada por Boal está florescendo em trabalhos atuais. "Infelizmente, este processo iniciado no Arena foi interrompido pela ditadura militar, mas agora está sendo retomado, com jovens que buscam valorizar o que é nosso, o que é latino-americano".

Engravidei, Pari Cavalos e Aprendi a Voar sem Asas
Quando: Quarta e quinta, 21h. 80 min. Até 19/12/2013 (apresentação especial no dia 21/12/2013, às 20h; e no dia 22/12/2013, às 19h)
Onde: Funarte (al. Nothmann, 1.058, Campos Elíseos, metrô Santa Cecília, São Paulo, tel. 0/xx/11 3662-5177)
Quanto: R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)
Classificação etária: 14 anos

Zumbi
Quando: Quinta a domingo, 19h15 (dia 12/12/2013 não haverá peça). 125 min. Estreia nesta quarta (20), às 19h15. Até 15/12/2013
Onde: Caixa Cultural (praça da Sé, 111, metrô Sé, São Paulo, tel. 0/xx/11 3321-4400)
Quanto: Grátis
Classificação: 16 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

carlos grana elt1 Artistas da Escola Livre de Teatro desocupam prédio após promessas do prefeito de Santo André

Promessas: Prefeito Carlos Grana se encontra com representantes da ELT - Foto: Prefeitura de Santo André

Por Miguel Arcanjo Prado

Após reunião com prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), artistas aprendizes da Escola Livre de Teatro (ELT), resolveram desocupar a Secretaria de Cultura e Turismo do município no ABC paulista. A manifestação era realizada desde o começo do dia. O fim do protesto foi confirmado tanto pelos estudantes quanto pela assessoria da Prefeitura de Santo André ao R7.

Os aprendizes mantém, contudo, a manifestação pacífica prevista para esta terça (19), que deverá sair da praça Rui Barbosa, em frente à ELT, às 13h, em direção ao Paço Municipal de Santo André.

Ao decidirem ocupar o prédio público, os aprendizes queriam a atenção do prefeito Carlos Grana (PT) para a crise que vive a ELT, com situação de atraso nos salários, sucateamento de sua sede, além de ter sido recorrente nos últimos tempos boatos sobre seu fechamento definitivo. O projeto de mais de 20 anos é referência em todo o Brasil em ensino das artes cênicas.

O prefeito de Santo André recebeu os manifestantes no fim da tarde desta segunda (18). Ao final do encontro, os manifestantes resolveram terminar a ocupação, já que Carlos Grana se comprometeu com as reivindicações dos artistas.

Em sua página oficial em uma rede social, o prefeito de Santo André publicou o seguinte comunicado:

“Recebi nesta segunda-feira (18) uma comissão da ELT (Escola Livre de Teatro), após a ocupação do prédio da Secretaria de Cultura e Turismo de Santo André, ocorrida pela manhã. Durante o encontro, que teve duração de cerca de 1h30, pedi a desocupação do espaço e assumi os seguintes compromissos, mediante carta de reivindicações apresentada:

1.) Realizar a licitação para contratação de mestres para 2014 de modo a obedecer rigorosamente as regras, os prazos e datas estipuladas por lei;

2.) Reformar o prédio Conchita de Morais em 2014 sem que ocorra interrupção das aulas. A permanência dos alunos está condicionada à análise técnica. Caso seja necessário a evacuação total do prédio, a administração se compromete a indicar um novo local para as aulas;

3.) Pagar os salários atrasados imediatamente;

4.) Discutir a elaboração de uma lei e orçamento fixo para avaliar a viabilidade do procedimento;

5.) Fazer balanço deste ano em relação às ações propostas e inseridas no plano de governo, em data a ser definida.”

Aprendizes da ELT também fazem comunicado

Neste fim de noite, os aprendizes da ELT também redigiram o comunicado abaixo:

"A comunidade ELT, após um dia inteiro de ocupação, sai do prédio da Secretaria de Cultura mais fortalecida, pois, mesmo diante da argumentação do prefeito de que caso não saíssemos estaríamos declarando guerra e que o diálogo estaria interrompido, conseguimos firmar compromissos públicos.

Esclarecemos que a situação entre a escola e a prefeitura só chegou a este ponto por pura ineficiência da atual gestão da Secretaria de Cultura. Nosso OCUPAÇO explicitou o jogo político de interesses, que promoveu gradualmente o desmanche do que hoje entendemos como Escola Livre de Teatro de Santo André.

Exigimos um posicionamento concreto diante de nossas reivindicações e conseguimos um compromisso público favorável a elas. Estamos mais uma vez dando um voto de confiança para a atual gestão, já que nosso interlocutor será o próprio prefeito. Isso se dará até que o prefeito consiga se reunir com a Secretaria de Cultura para que revejam suas futuras ações. Até lá seguimos em TOTAL ALERTA e atentos aos compromissos firmados hoje [segunda, 18]"

Saiba mais sobre a confusão na ELT!

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

elt ocupaco Artistas ocupam Secretaria de Cultura de Santo André em protesto pela Escola Livre de Teatro

Cenas da ocupação da Secretaria de Cultura de Santo André por artistas da Escola Livre de Teatro (ELT); eles querem que a escola não seja sucateada; Prefeitura ainda não se manifestou sobre o caso - Fotos: Reprodução

Por Miguel Arcanjo Prado

Um grupo de cerca de 50 artistas ocupa desde a manhã desta segunda-feira (18) a Secretaria Municipal de Cultura de Santo André, na região do ABC, em São Paulo, no protesto chamado de ELT no Ocupaço. São aprendizes da Escola Livre de Teatro (ELT), que vive a maior crise em seus mais de 20 anos de história, em um impasse entre governo de Santo André, capitaneado pelo prefeito Carlos Grana (PT), e artistas da instituição ligada ao município e que é modelo em todo o País.

elt ocupaco 1 Artistas ocupam Secretaria de Cultura de Santo André em protesto pela Escola Livre de Teatro

Os atores Cacá Carvalho (acima) e Phedra D. Córdoba (abaixo) divulgaram imagens na internet apoiando a ocupação da Secretaria de Cultura de Santo André por artistas da ELT - Fotos: Reprodução

O R7 conversou com os ocupantes, que preferiram não se identificar. Eles contaram que a Prefeitura fechou os diálogos com o grupo e que deseja sucatear a escola e seu projeto artístico-pedagógico.

Ainda segundo os manifestantes, a diretora de cultura Silvia Costa, que havia prometido realizar reuniões para ouvi-los, faltou a vários encontro, além de cancelar outros. Uma aprendiz da escola afirmou que “está avançando o processo de desmanche da ELT” e por isso o grupo “optou por esta atividade mais contundente”, a ocupação.

O grupo de protestantes foi bem recebido pelos funcionários da secretaria, que se simpatizaram com os números de música e de teatro que estão sendo realizados no local. A ocupação começou por volta das 9h30 e conta com presença de atores de grupos teatrais que apoiam a causa da ELT.

Ainda segundo os manifestantes, a Prefeitura ainda não se manifestou. Uma das aprendizes, que falou pelo grupo, fez questão de enfatizar que o movimento é pacífico e afirmou “que não é interesse causar nenhum distúrbio interno”. A mesma estudante afirmou que eles pretende ocupar a secretaria “até que as pautas que reivindicam sejam atendidas”. O grupo ainda diz contar com o apoio de moradores do município.

Um dos principais impasses é que a Prefeitura quer reformar a ELT e transferir os alunos para outro local ainda não definido. Os artistas desconfiam que isso seja uma manobra para tirá-los do local e acabar de vez com a escola.

Prefeitura estuda a ocupação

O R7 apurou que a Prefeitura de Santo André está estudando o movimento e que não pretende tomar nenhuma atitude violenta contra os manifestantes.

A Prefeitura propôs uma reunião ao grupo com o prefeito Celso Grana para o fim da tarde, para que cheguem a um consenso.

O secretário de Cultura, Raimundo Salles, não deve mais tomar frente ao diálogo com os artistas da ELT, visto que a relação entre eles está desgastada. O processo deve ser assumido por Tiago Nogueira, secretário de gabinete do prefeito Carlos Grana, que no momento está em viagem a Cuba e deve assumir a questão apenas em sua volta.

Procurada pelo R7, a Prefeitura de Santo André não se manifestou oficialmente sobre o caso. Na internet, centenas de artistas se manifestam a favor da ELT.

elt ocupaco 2 Artistas ocupam Secretaria de Cultura de Santo André em protesto pela Escola Livre de Teatro

Grupos teatrais renomados de São Paulo, a Cia. Os Satyros (à esq.) e o Grupo XIX (à dir.) também colocaram fotos na internet apoiando a causa da Escola Livre de Teatro, a ELT - Fotos: Reprodução

Saiba mais sobre a confusão na ELT!

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Monga Maria Carolina Dressler crédito Adriana Balsanelli Monga, a mulher macaca, ganha versão nos palcos por Maria Carolina Dressler após pesquisa na Itália

Maria Carolina Dressler vai fundo nos dilemas de Monga em peça no Santo André - Foto: Adriana Balsanelli

Por Miguel Arcanjo Prado

A mulher que vira macaca encanta e assusta gerações. Monga não é só esta figura lendária do mundo dos espetáculos como também é o título do primeiro espetáculo solo da atriz Maria Carolina Dressler, que estreia nesta quarta (6), às 21h, no Sesc Santo André, onde cumpre temporada até o começo de dezembro.

O texto foi escrito pela atriz em parceria com a diretora, Juliana Sanches, do Grupo XIX de Teatro, e contou com supervisão do diretor italiano Pietro Floridia, do Teatro Dell’Argine de Bolonha – que dirigiu a atriz em duas peças com o XIX: O Castelo, em 2012, e a recente Estrada do Sul.

Durante a pesquisa, parte dela feita na Itália, Dressler conheceu a fundo o cinema grotesco de Marco Ferreri (1928-1997), referência na montagem, sobretudo com a sua mulher-macaca do filme La Donna Scimmia (1964).

— Foi com a obra dele que definitivamente pude entender porque o número da Monga me causava tanto fascínio. Ferreri brinca com o humano animalizado para falar do resgate da humanidade, da identidade, da origem, do renascimento e da liberdade

Ainda nos estudos na Itália, Dressler passou pelo Museo Nazionale del Cinema, em Torino, o Centro Sperimentale di Cinema, em Roma, e a Università degli Studi di Verona.

Monga Maria Carolina Dressler crédito Adriana Balsanelli 2 Monga, a mulher macaca, ganha versão nos palcos por Maria Carolina Dressler após pesquisa na Itália

Para montar Monga, Maria Carolina Dressler fez pesquisa na Itália - Foto: Adriana Balsanelli

— Falei com pessoas que conheceram e trabalharam com Ferreri, como Mario Canale e Alberto Scandola. Tive acesso a um vasto material de arquivo. Assim como os personagens de Ferreri, que sempre buscam suas origens, senti que a viagem foi para mim uma jornada de identificação e reencontro.

Tormento da mulher-macaca

A peça tem drilha sonora de Daniel Maia, locuções de Flavio Faustinnoni e figurinos de Luciano Ferrari, que remete a animais em cores e desenhos. A cenografia, uma jaula de ferro que funciona como uma espécie de quarto-camarim, foi criada por Paula de Paoli com influência direta das gaiolas da artista plástica Louise Bourgeois (1911-2010).

A obra investiga o tormento desta mulher que vira macaca aos olhos do público, seus conflitos internos, descortinando fatos de sua infância, adolescência e juventude – repletos de dramas pessoais. Vídeos e locuções ajudam a criar o clima de delírio no qual a personagem vive.

A mexicana Julia Pastrana (1834-1860), que nasceu com a doença hipertricose, que cobre o corpo de pelos – herdada também por seu filho – foi usada por seu marido em espetáculos que a tornaram precursora do número hoje mundialmente conhecido como Monga, ainda presente em parques e quermesses interioranas.

— A personagem foi batizada de Julia em referência à mexicana, mas trata-se de uma Monga fictícia, que nos permitiu criar uma narrativa baseada em personagens dos filmes de Ferreri e nos conflitos de vítimas de exposição e isolamento.

Dressler ainda teve contato com Romeu del Duque, que é considerado o pai da Monga do extinto parque paulistano Playcenter, que assustou gerações de crianças e adolescentes.

— Meu propósito é homenagear Marco Ferreri e todos os artistas que montam ou já montaram o número da Monga em algum lugar do mundo.

Monga
Quando: Quarta, 21h. 50 min. Até 11/12/2013
Onde: Sesc Santo André (r. Tamarutaca, 302, Vila Guiomar, Santo Adré, São Paulo, tel. 0/xx/11 4469-1200)
Quanto: R$ 10 (inteira); R$ 5 (meia-entrada) e R$ 2 (comerciário e dependentes)
Classificação etária: 12 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

feijao 6 Mire Veja foto de José Romero 12 Cia. do Feijão celebra 15 anos em terras cariocas

Cena do espetáculo Mire Veja da Cia. do Feijão, que completa 15 anos em turnê no Rio - Foto: José Romero

Por Miguel Arcanjo Prado

Os meninos da Cia. do Feijão resolveram celebrar seus 15 anos de trajetória respirando ares cariocas.

A trupe paulistana aporta no Rio a partir desta sexta (1º), no Teatro Maria Clara Machado, na zona sul, onde ficará em cartaz todo o mês de novembro.

Esta é a primeira vez da trupe na Cidade Maravilhosa.

Eles vão apresentar duas peças, Mire Veja e Armadilhas Brasileiras. Além disso, haverá oficinas.

O grupo chega ao Rio após percorrer outras capitais, como Natal, Recife, João Pessoa, Brasília e Goiânia.

Em Armadilhas Brasileiras, a Cia. do Feijão apresenta um espetáculo que é resultado de investigação sobre o homem brasileiro e suas dificuldades. Já Mire e Veja reúne 24 histórias curtas que falam da vida em São Paulo e suas diversas tribos.

Mire Veja
Quando: 1º, 2, 3, 8, 9 e 10/11/2013. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h
Onde: Teatro Municipal Maria Clara Machado - Planetário (av. Padre Leonel Franca, 240, Gávea, Rio, tel.0/xx/21 2274-7722)
Quanto: grátis; distribuição por ordem de chegada
Classificação etária: 14 anos

Armadilhas Brasileiras
Quando: 15, 16, 17, 22, 23 e 24/11/2013. Sextas e sábados, às 21h e domingos, às 20h
Onde: Teatro Municipal Maria Clara Machado - Planetário (av. Padre Leonel Franca, 240, Gávea, Rio, tel.0/xx/21 2274-7722)
Quanto: grátis; distribuição por ordem de chegada
Classificação etária: 14 anos

Oficina de Criação Teatral
Quando: 18, 19 e 20/11/2013, terça a quarta, das 10h às 13h
Público alvo: atores com experiência, a partir de 18 anos; 15 vagas
Inscrições: de 9 a 16/11/2013 mandar currículo sucinto e carta de interesse para o e-mail oficinario@companhiadofeijao.com.br
Divulgação dos selecionados: 17/11/2013 no site da Cia. do Feijão

Laboratório de Vivência Literária com Luiz Ruffato
Quando: 19/11/2013; das 14h às 21h
Público alvo: ficcionistas a partir de 18 anos; 12 vagas
Inscrições: 10 a 17/11/2013 mandar currículo sucinto e carta de interesse para o e-mail literaturario@companhiadofeijao.com.br
Divulgação dos selecionados: 18/11/2013 no site da Cia. do Feijão

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só

 

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Maria Ines.3 Música e menores infratores inspiram peça em SP

Espetáculo da Cia. Ato Reverso cumpre temporada na Casa Livre, em SP - Foto: Douglas de Campos

Por Miguel Arcanjo Prado

A poesia trágica de uma música unida à dura realidade de uma juventude que já começa detrás das grades está detrás da peça Maria Inês ou o Que Você Mata para Sobreviver?, montagem que a Cia. Ato Reverso reestreia neste sábado (26), na Casa Livre, em São Paulo.

O espetáculo acaba de fazer temporada mexicana, no 9º Encontro Internacional de Escolas Superiores de Teatro, no começo deste mês, como conta uma das diretoras, Nathália Bonilha, ao Atores & Bastidores do R7.

— Tivemos uma recepção ótima do público, mesmo eles não entendendo completamente o português. Tivemos também oportunidade de ouvir retorno sobre a peça de outros artistas latinos.

A obra, dirigida por Luiza Romão e Nathália Bonilha, é inspirada na música Maria Inês, do grupo Karnak.

A canção conta a história da mulher que mata o marido, o cunhado e o sobrinho para se salvar. Daí partiu a dramaturgia construída por Sofia Botelho, como lembra Bonilha.

— Usar a música veio do desejo de discutir a sobrevivência no mundo. No processo, a canção foi lembrada por mim, por ter uma personagem com forte veia trágica. Pensando em ampliar essa relação de sobrevivência e conhecer pessoas reais, fomos à Fundação Casa, repleta de adolescentes que tentam sobreviver a cada.

A companhia faz um panorama da personagem com a situação atual de caos da sociedade. Para tanto, foi fundamental o laboratório com adolescentes infratores no começo do ano.

O grupo afirma que trabalhou com a "sociedade estruturada sob a lógica da barbárie", na qual a sobrevivência individual se dá sem escrúpulos. Assim, ficção e documentário se unem na peça. Bonilha espera que esta não seja a última temporada da montagem, que já esteve em outros dois espaços paulistanos.

— A expectativa é apresentar mais vezes e encontrar mais pessoas. Queremos continuar com a peça por mais um tempo e circular por outras cidades também.

Histórico do grupo

A Cia. Ato Reverso é formada por atores oriundos do curso de artes cênicas da Universidade de São Paulo (USP).

O grupo foi fundado em 2012 e diz que sua missão é promover diálogo entre ficção e realidade, "criando maior intimidade com o público".

A trupe já teve contato com diretores renomados, como Antônio Araújo, André Guerreiro Lopes, Adolf Shapiro, Marcelo Lazzaratto, José Fernando Azevedo e Yara de Novaes.

No elenco da peça, estão Bárbara Lins, Luana Gregory, Lucas Oranmian, Mayra Coelho e Naia Soares.

Maria Inês ou o Que Você Mata para Sobreviver?
Quando: sábado, 21h, domingo, 19h. Até 1º/12/2013
Onde: Casa Livre (rua    dos    Pirineus,  107, Campos Elíseos, metrô Marechal Deodoro, São Paulo, tel. 0/xx/11 3257-6652)
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação  etária: 14 anos

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

teatro minhocao Esparrama faz peça de janela frente ao Minhocão

Cenas da peça Esparrama pela Janela, que tem como cenário um prédio frente ao Minhocão - Foto: Sissy Eiko

Por Miguel Arcanjo Prado

Os transeuntes que caminharem pelo Minhocão no centro de São Paulo aos domingos, entre os dias 17 de novembro e 15 de dezembro, terão uma surpresa.

Ao avistarem a janela do terceiro andar do Edifício São Benedito, localizado na rua Amaral Gurgel, 158, à margem do viaduto, verão cenas do espetáculo Esparrama pela Janela. Trata-se de uma inusitada intervenção cênica que será apresentada às 10h30 e às 14h30, cada sessão com 30 minutos de duração.

Diretor da trupe, Iarlei Rangel, conta ao Atores & Bastidores do R7 que metade do grupo mora no apartamento frente ao Minhocão. Daí veio a inspiração para a obra.

— A gente convive com essa loucura de trânsito e barulho infernal. E, ao mesmo tempo, trabalhamos com teatro. Sempre tivemos curiosidade com esse outro uso que a população faz do Minhocão à noite e aos domingos, quando ele é fechado e os pedestres aproveitam para fazer exercícios e outros usos do espaço. Quisemos intervir sobre isso e também mostrar a potencialidade do Minhocão como lugar público e de arte.

O grupo foi fundado em 2012, reunindo interesses em comum dos integrantes em dialogar com a cidade. Além de Rengel, também fazem parte Kleber Brianez, Ligia Campos e Rani Guerra, que integram o elenco.

— Eu sempre fiz teatro de rua, mas teve gente do grupo que trabalhou com teatro em hospitais por exemplo. Lidar a relação do teatro com a cidade faz parte de nossa ideologia.

O enredo construído pelo Grupo Esparrama apresenta um morador que não suporta mais viver de frente ao Minhocão. Afinal, o caos da cidade – barulho e poluição – entra cotidianamente em seu lar diariamente pela janela.

Cansado desta dureza, ele resolve dar poesia e humor à metrópole da janela de seu lar.

A cidade agradece.

teatro minhocao 2 Esparrama faz peça de janela frente ao Minhocão

Grupo Esparrama resolveu transformar experiência do cotidiano urbano em poesia teatral - Foto: Sissy Eiko

Esparrama pela Janela
Quando: domingo, às 10h30 e 14h30. 30 min. De 17/11/2013 a 15/12/2013
Onde: Minhocão (Elevado Costa e Silva), trecho entre metrô Santa Cecília e rua da Consolação, centro, São Paulo
Quanto: grátis
Classificação etária: livre

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com