Posts com a tag "sao paulo"

PHERA WATUSI 3 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

Phedra D. Córdoba e Watusi: encontro de divas em SP - Foto: Eduardo Enomoto

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos EDUARDO ENOMOTO

O vento forte de tempestade próxima acelera os passos dos transeuntes no calçadão do centro histórico paulistano. Com cuidado, a diva cubana Phedra D. Córdoba caminha pelas pedras portuguesas com seu salto alto no fim de tarde.

Assim que chega à porta do imponente prédio Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo, logo faz um pedido: quer saber onde pode encontrar um grande espelho. Afinal, quer dar um último retoque antes do grande encontro.

Na noite desta quinta (11), o Atores & Bastidores do R7 promoveu o inédito e histórico encontro entre duas divas dos palcos: Phedra D. Córdoba e Watusi, esta última integrante do elenco do musical Eu Vou Tirar Você Deste Lugar – As Canções de Odair José, que cumpre temporada no CCBB até o fim de janeiro de 2015. O espetáculo marca a estreia de Watusi no teatro brasileiro.

PHERA WATUSI 1 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

Generosa, Watusi recebe Phedra em seu palco e fala em castelhano - Foto: Eduardo Enomoto

Ao ver Phedra, logo que sobe ao palco, vinda do camarim, Watusi, num gesto de carinho e hospitalidade, passa a falar castellano. Como velhas amigas, contam casos e descobrem amigas em comum, como as cantoras cubana Celia Cruz e Olga Guillot.

Moulin Rouge e Satyros

Se Watusi foi estrela do Moulin Rouge na virada dos anos 1970 e 1980, Phedra rodou mundo com seu bailado, desde que fugiu, ainda menina, de sua Havana natal, na década de 1950.  Ambas tornaram-se nomes respeitados do teatro de revista brasileiro. No século 21, uma cai na estrada cantando, enquanto outra atua com seu grupo teatral Os Satyros.

Phedra mora no frenesi teatral da praça Roosevelt, onde é diva soberana. “Sou uma árvore da praça Roosevelt”, define. Já Watusi se divide entre a caótica Copacabana e uma casinha antiga em Mendes, na região serrana do Rio. “Estou entre a paz e a loucura. Mas a paz é uma loucura também e tem de ter muito talento para ficar na paz”, filosofa.

PHERA WATUSI 2 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

A cubana Phedra D. Córdoba e a carioca Watusi trocam figurinhas - Foto: Eduardo Enomoto

Phedra revela que fugiu de casa, em Havana, ainda menino, porque queria ser diva e dançar pelo mundo. Passou por boa parte da América Latina, incluindo aí os célebres teatros da av. Corrientes, em Buenos Aires, até receber o convite de Walter Pinto para ser estrela no Brasil.

"O mais importante é estar no palco"

Já Watusi conta que ficou famosa após posar para um pôster que virou febre no Brasil e lhe abriu portas para ir dançar e cantar em Paris, onde virou mito celebrado pela imprensa francesa. “A questão de diva é um modo como as pessoas lhe enxergam. O que sei fazer é cantar e dançar, estar em cena. Às vezes penso que a palavra diva não me cabe, mas eu gosto quando me chamam assim. Porque é um reconhecimento de que consegui projetar a emoção que as pessoas esperavam de mim. O mais importante para mim sempre é estar no palco. Estou aqui e muito feliz”, conta.

PHERA WATUSI 6 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

Phedra e Watusi se conheceram pessoalmente a convite do R7 - Foto: Eduardo Enomoto

Generosa, Watusi faz questão de elogiar o elenco que atua com ela no musical com as músicas de Odair José. “É um grupo bonito e talentoso. O Sérgio [Maggio, autor e diretor do musical] foi muito corajoso em me convidar”.

E revela que foi o violonista e compositor Baden Powell quem disse a célebre frase: “Se Watusi não existisse teria de ser inventada”, durante uma turnê em Baden Baden, na Alemanha, onde adorava estar por conta do trocadilho com seu nome. “Falei essa frase dele em uma entrevista e todos os jornais da Europa a publicaram”, conta a diva do Moulin Rouge.

PHERA WATUSI 7 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

Phedra D. Córdoba conversa com Sérgio Maggio, diretor do musical Eu Vou Tirar Você Desse Lugar - As Canções de Odair José, em cartaz no CCBB-SP - Foto: Eduardo Enomoto

Phedra D. Córdoba lembra o comentário no meio artístico quando Watusi conseguiu a glória parisiense. “Nessa época eu trabalhava em um teatro na praça Júlio de Mesquita, e a gente ficava sabendo do sucesso da Watusi na França pelos jornais. Hoje, a nova geração de atores só quer saber do talento deles, não acompanha os artistas do passado nem os de sua geração. Na minha época, não, a gente torcia uma pela outra”, lembra a cubana.

PHERA WATUSI 8 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

Phedra D. Córdoba em meio ao elenco e à banda do musical Eu Vou Tirar Você Desse Lugar - As Canções de Odair José, no CCBB-SP, até o fim de janeiro de 2015 - Foto: Eduardo Enomoto

E Phedra faz questão de elogiar a colega carioca: “Ela é maravilhosa, é uma tremenda! As pessoas sempre me falavam bem dela e sempre quis conhece-la. Para mim, este encontro é um grande prazer”, afirma.

O diretor Sérgio Maggio vê tudo com olhos brilhantes, parece feliz em presenciar o encontro das divas. “Tanto Watusi quanto Phedra representam o tempo áureo do teatro de revista. Colocar as duas cara a cara é um encontro mágico. Estou muito emocionado”, finaliza.

PHERA WATUSI 4 Phedra conhece Watusi em encontro de divas

Divas dos palcos: a cubana Phedra D. Córdoba e a carioca Watusi, juntas, em encontro histórico promovido pelo Atores & Bastidores do R7 - Foto: Eduardo Enomoto

Eu Vou Tirar Você Desse Lugar - As Canções de Odair José
Quando: Segunda e quinta a sábado, 20h, domingo, 19h. 90 min. Até 22/12/2014. Depois volta em
Onde: CCBB (r. Álvares Penteado, 112, Sé, São Paulo, tel. 0/xx/11 3113-3651)
Quanto: R$ 10
Classificação etária: 14 anos

Curta a nossa página no Facebook

 

 

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

pombas urbanas Eraumavezumrei credito tatitbrandao Pombas Urbanas faz 25 anos com 12 sessões grátis

Cena da peça Era uma Vez um Rei, que será apresentada no mês comemorativo dos 25 anos do grupo teatral Pombas Urbanas: cidade de São Paulo em foco com 12 sessões espalhadas pela metrópole - Foto: Tatit Brandão

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A partir desta quinta (23), às 16h, na praça do Correio, centro paulistano, o grupo de teatro Pombas Urbanas começa a fazer uma festa que durará um mês. Até 22 de novembro faz 12 apresentações grátis de quatro espetáculos de seu repertório para celebrar seus 25 anos de história: Era Uma Vez Um Rei, Todo Mundo Tem Um Sonho, Mingau de Concreto e Histórias para Serem Contadas.

Cartões postais paulistanos serão visitados pela arte do grupo, que já agendaram sessões na avenida São João e no parques da Água Branca, do Carmo e Jacuí.

Ainda no clima de celebração, uma exposição de fotos com a trajetória da trupe acontece em sua sede, o Centro Cultural Arte em Construção (av. dos Metalúrgicos, 2.100, Cidade Tiradentes, São Paulo, tel. 0/xx/2285-7758). No dia 30 de outubro, data oficial de seu aniversário de 25 anos, haverá uma festinha no local a partir das 20h com entrada gratuita.

Além das comemorações, o grupo já está montando sua nova peça, Cidade Desterrada, que deve estrear em junho de 2015.

O Pombas Urbanas surgiu em 1989 e tem como foco pesquisar a cidade de São Paulo e seus habitantes. Desde 2004, tem sede própria na Cidade Tiradentes, emblemático bairro da zona leste paulistana. Veja a programação completa.

Você acha que o teatro deve falar da realidade social?

  • Sim, afinal o palco é sempre um espaço de reflexão!
  • Não, acho que o teatro tem de ser apenas fantasia.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

 

la tristura materia prima Cinco peças do Mirada sobem a serra rumo a SP

Pré-adolescentes falam texto de adultos na peça espanhola Matéria Prima: curtíssima temporada no Teatro Anchieta do Sesc Consolação nesta terça (9) e quarta (10) no Extensão Mirada em SP - Foto: Mário Zamora

Por MIGUEL ARCANJO PRADO*
Enviado especial do R7 a Santos

Não só os moradores da Baixada Santista podem ter acesso a peças do Mirada 2014, o Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos.

A mostra, que vai até o dia 13 com 40 peças de 12 países, selecionou algumas montagens para subirem a serra e conquistarem palcos da capital paulista e de unidades no interior de São Paulo.

A partir desta terça (9) começa a programação do Extensão Mirada, com cinco diferentes peças até 21 de setembro em cinco unidades do Sesc São Paulo: Bom Retiro, Campo Limpo, Consolação e Pompeia, na capital, e São José do Rio Preto, no interior.

Estão na programação viajante as peças Matéria-Prima/Espanha (Sesc Consolação, dias 09 e 10/09), El Husar de la Muerte/Chile (Sesc Campo Limpo, dia 14/09), SPAM/Argentina (Sesc Bom Retiro, dias 17 e 18/09), El Vientre de la Ballena/Colômbia (Sesc São José do Rio Preto, dia 17/09); Sesc Pompeia dias 20 e 21/09) e La Imaginación del Futuro/Chile (Sesc Consolação, dias 24 e 25/09).

Os ingressos do Extensão Mirada custam de R$ 12 a R$ 40.

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Sesc São Paulo.

Leia a cobertura do R7 no Mirada

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja! 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

ariadna seixas Vou sentir saudade de meus shows na noite, diz Ariadna Seixas, que troca São Paulo por Floripa

Ariadna Seixas, na avenida 9 de Julio, em Buenos Aires, com retrato de Evita ao fundo - Foto: Arquivo Pessoal

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Quem frequenta o Espaço Beta e a sala de leitura no terceiro andar do Sesc Consolação, em São Paulo, notou nas últimas semanas uma ausência importante: a da atendente Ariadna Seixas.

Após conquistar o direito de ser mulher, ela virou notícia como exemplo a ser seguido ao passar em um concurso do Sesc São Paulo e ocupar o importante posto no Sesc Consolação, uma das unidades mais importantes da rede.

Sempre simpática com todos, Ariadna, que já foi miss, logo ganhou logo o carinho dos frequentadores do espaço. Mesmo assim resolveu se impor um desafio e revirar a vida pelo avesso.

ariadna seixas2 Vou sentir saudade de meus shows na noite, diz Ariadna Seixas, que troca São Paulo por Floripa

Ariadna Seixas, em Puerto Madero, com o marido: férias portenhas antes da mudança - Foto: Arquivo pessoal

Decidiu abandonar São Paulo e ir morar em Florianópolis, Santa Catarina.

Neste mês de setembro, curte férias em Buenos Aires, na Argentina, antes de colocar tudo em um caminhão: ela, o marido e a cachorrinha, e partir para a ilha catarinense.

O Atores & Bastidores do R7 conversou com a Ariadna, que contou o porquê da mudança.

— Na realidade deixei o Sesc Consolação desde o dia 11 de agosto, porque vou tentar algo novo em Floripa. Estou cansada de São Paulo e toda essa loucura, agitação, stress e poluição. Vou pra Floripa para ter uma qualidade de vida melhor, não que eu vá viver de sombra e água fresca, mas são outros ares, viver em uma ilha cercada de praias e natureza com certeza vai influenciar na vida, na saúde, na pele [risos].

Ela conta que já tem planos profissionais para Florianópolis.

— Lá em Floripa pretendo entrar no Sesc Cacupé, um Sesc estilo hotelaria, com certeza novos desafios. E se não der certo vou trabalhar com make up, que é o que eu amo fazer, não vou trabalhar com nada artístico, a não ser que as portas se abram por lá.

Saudade da noite paulistana

Ariadna ainda revelou do que sentirá falta de São Paulo.

— O que mais vou sentir saudade de São Paulo, a melhor lembrança é dos tempos que fazia shows na noite. Com certeza São Paulo me marca nisso. Em relação ao Sesc, jamais vou esquecer: o Sesc Consolação me abriu as portas, me aceitou, me respeitou e me fez crescer como pessoa e mulher. Saí de lá com muito aprendizado e, por que não, ensinando muito também.

Mesmo tendo feito tantos amigos na capital paulista, ela mostra estar resoluta em sua decisão.

— Com certeza sentirei falta, mas sou movida por desafios. Entrar em outro Sesc e reconquistar um novo espaço pra mim será maravilhoso, espero que consiga. Fico fora do Brasil agora em setembro e, voltando, me mudo para Floripa com meu marido e cachorinha. Já fechamos casa lá.

Boa sorte, Ariadna.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

danielle rosa foto eduardo enomoto Atriz Danielle Rosa vira embaixadora do teatro baiano no Festival do Teatro Brasileiro em São Paulo

A atriz do Teat(r)o Oficina Danielle Rosa: embaixadora do teatro baiano em SP - Foto: Eduardo Enomoto

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Foto EDUARDO ENOMOTO

Atriz do Teat(r)o Oficina, Danielle Rosa foi convidada para se tornar embaixadora do teatro baiano em São Paulo, durante o Festival do Teatro Brasileiro, que começa na próxima quinta (4), com 17 dias de farta programação na capital paulista.

Danielle recebeu o convite por ser baiana de Vitória da Conquista e ter se tornado figura querida da cena paulistana. Para a atriz o chamado foi "uma re-ligação" com suas "raízes". Como embaixadora, tem em seu poder vários convites a serem distribuídos a quem ela desejar. Também foram nomeados embaixadores os artistas Anderson Dy Souza e Ricardo Castro.

Em conversa exclusiva com o R7, Danielle comemorou o momento que chama de "rito de encontro".

— É um privilégio de poder estar nesta conexão junto aos meus parceiros de cena da terra de meu sangue. Por sermos baianos estamos no festival não somente para a divulgação de suas ações , mas para representar esta potência teatral da Bahia com seus encantos, axés. É um rito de encontro do teatro baiano com o teatro paulistano, momento de reencontro de artistas e de grande celebração do teatro! Evoé!

Ela integra o elenco da peça Cacilda!!!!! A Rainha Decapitada, em cartaz no Oficina, e também de Walmor y Cacilda 64: Robogolpe, que o grupo dirigido por José Celso Martinez Corrêa apresenta na terceira edição do Mirada - Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, que começa na próxima quinta (4).

Foco baiano

Idealizado por Sérgio Bacelar, o Festival do Teatro Brasileiro, nesta edição focado na produção teatral baiana, tem nove espetáculos, dos quais sete são inéditos.

Haverá peças no CCBB-SP, na Sé, e também no Teatro Sérgio Cardoso, na Bela Vista, e no Teatro João Caetano, na zona sul. O evento tem sessões gratuitas e também a preço popular. Conheça a programação.

Além disso, haverá oficinas de qualificação artística e ciclo de dramaturgos. A expectativa é de que 1.600 alunos da rede pública de ensino participem das atividades. O festival terá o Cabaré da Rrrrraça, com o Bando de Teatro Olodum, a cantora Paula Lima e o ator Érico Brás.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

Elenco VIRA LATAS DE ALUGUEL foto by Weslei Barba 1 Veja os indicados em São Paulo ao Prêmio Shell de Teatro no primeiro semestre de 2014

Peça feita na comunidade de Heliópolis, em São Paulo, com direção Daniel Gaggini, Vira-Latas de Aluguel é indicada na categoria Inovação do Prêmio Shell - Foto: Weslei Barba/Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O 27º Prêmio Shell de Teatro divulgou, nesta terça (22), os indicados paulistanos referentes ao primeiro semestre de 2014.

A peça Trágica.3 – Electra Medéia Antígona é o maior destaque desta primeira lista, com cinco indicações: direção, atriz, figurino, iluminação e música. Assim É (Se lhe Parece) vem em segundo lugar com três indicações.

Veja a lista completa:

Autor:
Leonardo Cortez por “Madito Benefício”
Sérgio Roveri por “Os que vem com a maré”

Direção:
Guilherme Leme por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”
Marco Antônio Pâmio por “Assim é (se lhe parece)”

Ator:
Roney Facchini por “Ou você poderia me beijar”
Rubens Caribé por “Assim é (se lhe parece)”

Atriz:
Clara Carvalho por “Ou você poderia me beijar”
Denise Del Vecchio “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Cenário:      
Marco Lima por “Vidas Privadas”
Zé Valdir e Marcelo Lazzaratto por “Maldito Benefício”

Figurino:
Gabriel Villela e José Rosa por “Um réquem para Antonio”
Glória Coelho por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Iluminação: 
Caetano Vilela por “Assim é (se lhe parece)
Tomás Ribas por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Música:       
Fernando Alves Pinto, Letícia Sabatella e Marcello H por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”
Jonatan Harold por “Florilégio musical II, nas ondas do rádio”

Inovação:
Projeto Vira-Latas de Aluguel pela projeção, capacitação e acessibilidade da linguagem teatral na comunidade de Heliópolis.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

 

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

sergio maciel lucinha araujo Ex namorado e mãe de Cazuza prestigiam estreia do musical sobre o cantor em São Paulo

O ex-namorado de Cazuza, Sérgio Maciel, o Serginho, e a mãe do cantor, Lucinha Araújo, prestigiaram Cazuza - Pro Dia Nascer Feliz no Teatro Procópio Ferreira, em SP - Foto: Caio Duran e Thiago Duran/AgNews; veja galeria

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Um batalhão de artistas compareceu ao Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, na noite desta segunda (21), para acompanhar a sessão para convidados do musical Cazuza - Pro Dia Nascer Feliz. A obra, escrita por Aloisio de Abreu e dirigida por João Fonseca, chega à capital paulista após temporada de sucesso no Rio. Emilio Dantas vive Cazuza. O charme da apresentação especial paulistana foi a presença na plateia de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, e de Sergio Maciel, o Serginho, que foi namorado do cantor. Ambos subiram ao palco, ao fim, após convite do elenco. Também estavam na plateia, entre outros, o casal Michel Teló e Thaís Fersoza e o diretor José Possi Neto. Veja a galeria completa com quem esteve por lá!

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

BRtrans Foto Lina Sumizono alta1 BR Trans fecha temporada em SP com bate papo

Entrada grátis: cena da peça BR-Trans, que termina temporada em São Paulo - Foto: Lina Sumizono

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Após sucesso no último Festival de Curitiba, a peça BR-Trans termina curtíssima temporada gratuita em São Paulo neste sábado (28), às 20h, na Oficina Cultural Oswald de Andrade (r. Três Rios, 363, Bom Retiro, tel. 0/xx/11 3222-2662).

O espetáculo traz o ator cearense Silvero Pereira em cena. Ele também é autor do texto, dirigido por ele e Jezebel De Carli. No enredo, o universo dos transgêneros, transformistas e transexuais. Em cena, muita graça e muita tristeza também.

Neste sábado (28), data em que se comemora o Dia Internacional do Orgulho LGBT,  o público paulistano pode participar de um bate-papo com Pereira, que integra o Coletivo Artístico As Travestidas. Começa às 17h.

Ele promete responder perguntas sobre o processo criativo da peça, que contou com investigação cênica na cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. As entradas tanto para o bate-papo quanto para a peça podem ser retiradas sempre meia hora antes.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

inti raymi 5 Marba Goicochea vive lenda andina em São Paulo

Nome importante dos palcos paulistanos, a atriz peruana Marba Goicochea, ao centro, participa da Festa do Sol no Memorial, em São Paulo - Foto: Antônio Andrade/Planeta América Latina

A atriz peruana radicada em São Paulo Marba Goicochea foi a uma das estrelas da Inti Raymi - Festa do Sol, realizada no último sábado (21), no Memorial da América Latina.

inti raymi 2 Marba Goicochea vive lenda andina em São Paulo

Brasil também foi lembrado na festa andina - Foto: Antônio Andrade/Planeta América Latina

Esta foi a primeira vez que a celebração foi feita no Brasil, comemorando a chegada do novo ano para os povos andinos, no caso, o ano-novo aimará 5.522.

Marba representou o Peru na festa que teve também a presença de bolivianos e chilenos radicados na capital paulista.

Segundo a tradição, no império Inca, os nobres se consideravam filhos naturais do Sol e deviam corresponder a ele com sacrifícios e oferendas.

inti raymi 4 Marba Goicochea vive lenda andina em São Paulo

Público acompanha atento ao festejo em SP - Foto: Antônio Andrade/Planeta América Latina

Os povos originários viviam da agricultura e dos ritos agrícolas em devoção à mãe Terra (Pachamama) e ao pai Sol (Inti).

Marba deu vida a Mama Ocllo, a deusa da fertilidade inca, ao lado dos atores bolivianos Mario Ayala (Inca Manco Capac), Hugo Fernando Vargas (Sumo Sacerdote) e Juan Casicanki (Shaman).

Também participaram os grupos bolivianos folclóricos Italaque, San Ponhada  e Kantuta Bolívia.

inti raymi 9 Marba Goicochea vive lenda andina em São Paulo

Grupos folclóricos bolivianos participaram da festa no Memorial - Foto: Antônio Andrade/Planeta América Latina

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes

relampiao joca duarte Cangaço e cultura brasileira são temas de Relampião, peça da Cia. do Miolo, grátis em SP

Cultura popular brasileira no teatro: cena da peça Relampião, que terá sessão grátis dia 31 - Foto: Joca Duarte

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A Companhia do Miolo agendou para o próximo dia 31 de maio, um sábado, uma apresentação gratuita da peça Relampião.

Com parceria com a Cia. Pauliceia, a obra de rua tem como inspiração o cangaço brasileiro.

A sessão especial será às 15h, no largo do Rosário, na Penha, zona leste de São Paulo.

Para compor a montagem, o grupo de artistas mergulhou fundo na cultura nacional, investigando nossas raízes para criar uma obra que se comunica com qualquer plateia.

A luta do cangaço serve de mote para uma comparação com o mundo atual, repleto de Lampiões e Marias Bonitas, na visão do grupo.

Entre as inspirações confessas, as carrancas do Rio São Francisco e o movimento folclórico de folguedo cênico Cavalo Marinho.

Relampião
Quando: Sábado, 31/5/2014, às 15h (única apresentação)
Onde: Largo do Rosário, Penha, zona leste de São Paulo
Quanto: Grátis
Classificação etária: Livre

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com