Posts de: fevereiro/2014

Indignada com os preços das fantasias, musa da Mangueira tira grana extra como modelo

1779888 670621752996736 1890839154 n Indignada com os preços das fantasias, musa da Mangueira tira grana extra como modelo

Alexandra Ricett: de musa a modelo

O bordão “Não está fácil pra ninguém” acaba de atacar uma nova vítima. Alexandra Ricett, musa da Mangueira, está tendo de se virar para faturar um extra até o Carnaval.

O que tem deixado a gata com a corda no pescoço são os preços das fantasias e dos vestidos de ensaio. É a primeira vez que a morena, que trabalha com relações internacionais, desfila como musa e, pelo visto, se surpreendeu.

— Estou aproveitando o máximo que posso. A fantasia e as roupas para os ensaios acabam ficando muito caras. Vi uma que custava R$ 22 mil . Fora do meu mundo real.

Alexandra Ricett tem engordado a renda trabalhando como modelo.

— Fazendo catálogos, presenças vip e shows, deu para dar uma ajuda no orçamento!

Rainha da Nenê vira capa de revista de Carnaval

debora Rainha da Nenê vira capa de revista de Carnaval

Deborah posou vestida de águia

Deborah Caetano, rainha de bateria da Nenê de Vila Matilde, foi a escolhida para estampar a capa da revista Sampa Carnaval e Turismo 2014.

A publicação é distribuída gratuitamente nos hoteis de São Paulo e no sambódromo do Anhembi durante os desfiles. Ela traz, entre outras informações, as letras de todos os sambas do ano.

­A morena, que também é musa da Portela, no Rio de Janeiro, está radiante com a conquista.

— Estou muito feliz. Estou realizando outro grande sonho e devo isso a Deus e muitas pessoas que me ajudam.

Deborah Caetano estreou como rainha de bateria da Nenê de Vila Matilde em 2010. No mesmo ano, sagrou-se rainha do Carnaval paulistano. A musa só não desfilou à frente dos ritmistas em 2011, quando fez uma performance na comissão de frente da escola.

A revista será lançada na noite deste sábado (22) no Terra da Garoa, no centro, em uma festa fechada para convidados.

Posts Relacionados

Aos 76 anos, Martinho da Vila reedita sambas-enredos de sua autoria em álbum surpreendente

1 MartinhodaVila 2008 300x235 Aos 76 anos, Martinho da Vila reedita sambas enredos de sua autoria em álbum surpreendente

Martinho da Vila surpreende em CD

Sempre acho um desafio escrever sobre nomes consagrados do samba. Falar bem de Beth Carvalho, Paulinho da Viola, Dona Ivone Lara me parece mais do mesmo, afinal são pessoas que já imortalizaram suas obras e não devem mais nada a ninguém. Mas hoje fui surpreendido com o CD Enredo, de Martinho da Vila.

O disco reúne vários sambas enredos consagrados de autoria do músico, de 76 anos, com uma nova roupagem. São obras preparadas para desde a extinta escola de samba Aprendizes da Boca do Mato até a atual campeã do Carnaval carioca, Vila Isabel.

No material de divulgação, assinado pelo próprio Martinho, ele conta que muita coisa escrita durante sua carreira se perdeu no meio do caminho.

— Dos sete sambas de enredo meus de desfiles da Boca do Mato, só consigo cantar quatro e, da Vila Isabel, também já não me recordava totalmente de dois que não desfilaram.

Enredo conta com 14 faixas, algumas com mais de um samba. São 24 ao todo. É a certeza de estar diante de um acervo fantástico para qualquer fã do ziriguidum.

martinho3 1024x575 Aos 76 anos, Martinho da Vila reedita sambas enredos de sua autoria em álbum surpreendente

O Grupo Trinca Própria: Mart'Nália, Analimar e Martinho Tonho

Outro destaque é a nova roupagem que as obras ganharam. Sai o samba de avenida, entra a melodia de roda, a percussão mais tranquila. Essa migração dos hinos das escolas para as rádios e CDs por outros artistas deveria acontecer com mais frequência hoje em dia.

Entre as faixas estão Onde o Brasil Aprendeu a Liberdade (Vila Isabel, 1972), Pra Tudo se Acabar na Quarta-Feira (Vila Isabel, 1984), Noel — A Presença do Poeta (Vila Isabel, 2010) e o A Vila Canta o Brasil, Celeiro do Mundo, Água no Feijão que Chegou Mais Um (Vila Isabel, 2013).

capa BF300 2 CD Martinho da Vila   Enredo Aos 76 anos, Martinho da Vila reedita sambas enredos de sua autoria em álbum surpreendenteA ideia de Martinho era, segundo ele mesmo, fazer “um registro simples, só com violão, cavaquinho e percussão”. Mas as faixas ganharam formas nas mãos dos arranjadores Rildo Hora, Leonardo Bruno, Ivan Paulo, Wanderson Martins e Maíra Freitas, filha de Martinho.

Só para completar, o álbum conta com as participações especiais de Alcione, Beth Carvalho, grupo Trica Própria (grupo formado pelos irmãos Mart’nália, Analimar e Martinho Tonho), entre outros.

A capa é uma bela obra em preto e dourado do artista plástico Elifas Andreato, o preferido de Martinho. O álbum foi lançado pela Biscoito Fino e, após o Carnaval, vai ganhar um DVD.