Carnaval 2013

12/2/2013 às 06h22 (Atualizado em 12/2/2013 às 09h25)

Com atraso da Mangueira, Beija-Flor e Vila Isabel se destacam na última noite de desfiles

Imperatriz transbordou emoção na avenida, mas assustou com fumaça em carro

Thiago Calil, do R7

Vila Isabel deixou a avenida aos gritos de "É Campeão" das arquibancadas da Marquês de Sapucaí Carlos Moraes / Ag. O Dia
Beija-flor se destacou no luxo das alegorias Divulgação AFP

O público que foi para a Marquês de Sapucaí na noite de segunda-feira (11) não tem do que reclamar. As escolas da segunda noite de desfiles do Rio de Janeiro deram um show atrás do outro na avenida. O luxo da Beija-Flor e a alegria da Vila Isabel foram os principais destaques da avenida.

A ousadia da Mangueira ao desfilar e coreografar duas baterias arrepiou as arquibancadas, mas a escola teve problemas na sua evolução e acabou estourando em seis minutos o tempo de desfile. Já a Imperatriz Leopoldinense, que fez uma emocionante homenagem ao Pará, assustou com uma fumaça inesperada em um de seus carros.

Outro destaque da noite foram as paradinhas de bateria, exploradas sem medo por cinco, das seis agremiações que desfilaram.

Qual foi a melhor escola de samba do Rio de Janeiro? Vote

Cantando as novelas brasileiras, a São Clemente abriu o segundo dia do Grupo Especial. A escola fez o público se emocionar novamente com as tramas que fizeram sucesso na televisão. Logo na comissão de frente, grandes personagens das telinhas caíram no samba, como Carminha, de Avenida Brasil, Odete Roitman, de Vale Tudo, e Viúva Porcina, de Roque Santeiro. Como virou marca da agremiação nos últimos anos, a São Clemente brilhou na avenida com um desfile leve, bem-humorado e com um ótimo samba.

São Clemente faz desfile campeão de audiência

Veja fotos do desfile da São Clemente

Segunda escola a entrar na avenida, a Mangueira fez a Marquês de Sapucaí vibrar com sua homenagem a Cuiabá. A escola levou duas baterias para a passarela do samba, somando cerca de 500 ritmistas, que se revezaram na avenida. Para caber tanta gente, foi preciso inventar um novo recuo para a Verde e Rosa. Mas a inovação custou o estouro do tempo máximo de apresentação, o que deve gerar penalizações. Além disso, a última alegoria teve dificuldades para passar pela torre de TV do sambódromo, abrindo um buraco no final do desfile.

Mangueira dá show com bateria para falar de Cuiabá, mas estoura o tempo de desfile

Veja fotos do desfile da Mangueira

Já a Beija-Flor encantou a avenida ostentando luxo e requinte para contar a história da primeira raça de cavalo brasileiro. O samba-enredo foi outro ponto alto, gritado a plenos pulmões pela comunidade “que chegou a hora de gritar ‘é campeão’”.  As grandiosas alegorias narraram o uso do animal desde o início da civilização, na evolução do homem, até o significado do cavalo na cultura dos povos e na mitologia.

Ostentando luxo, Beija-Flor sai a galope em busca do título do Carnaval

Veja fotos do desfile da Beija-Flor

Quarta escola a se apresentar, a Grande Rio levou para a avenida a difícil missão de falar sobre os royalties de petróleo, pedindo que o dinheiro deles fique no Rio de Janeiro. A escola ignorou a dificuldade do enredo, fazendo um desfile colorido e de fácil compreensão. A agremiação de Caxias impressionou pela qualidade das fantasias e o gigantismo de suas alegorias. Se o desfile começou com o predomínio de tons escuros, em referência ao “ouro negro”, terminou com cores vibrantes e esculturas iluminadas. Apesar do tom político do enredo, a apresentação da escola foi suave, divertida e irreverente.

Grande Rio deixa petróleo colorido na Sapucaí

Veja fotos do desfile da Grande Rio

A Imperatriz Leopoldinense esbanjou técnica, mas não deixou a emoção de lado para cantar as belezas do Pará. Todas as riquezas do Estado foram contempladas no desfile: a cultura indígena, as festas típicas, a música moderna, entre outras. A comissão de frente foi um dos destaques. No alto de um elemento alegórico, Fafá de Belém carregava a bandeira do Estado, abrindo passagem para a escola. Chorando de emoção, a cantora voltou à avenida no final do desfile como romeira de Nossa Senhora de Nazaré.

Imperatriz faz desfile técnico, mas se assusta com fumaça em carro alegórico

Veja fotos do desfile da Imperatriz Leopoldinense

Fechando os desfiles, a Vila Isabel transbordou felicidade para mostrar a simplicidade da vida do homem do campo. Com um dos melhores sambas do Carnaval 2013, a escola de Martinho da Vila comprovou que “Festa no arraiá é pra lá de bom” e funciona muito bem na avenida. O principal trunfo da agremiação foi a felicidade de seus componentes, que apesar do adiantado da hora, não demonstravam nenhum sinal de cansaço. A Vila distribuiu sorrisos e energia durante toda a sua apresentação, encerrando a noite com gritos de “É Campeão”.

Vila Isabel faz arraiá no Carnaval e transborda felicidade

Veja fotos do desfile da Vila Isabel

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
  • Últimas de São Clemente

  • Últimas de Rio de Janeiro

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!