“O Carnaval está ficando chato”, diz diretor da Império de Casa Verde

Marcelo Casa Nossa diz que as escolas estão pecando pelo excesso

  • Carnaval 2013
  • Juliana Passos, do R7
Marcelo Casa Nossa acredita que as escolas estão exagerando: "Não existe nota 11"
Marcelo Casa Nossa acredita que as escolas estão exagerando: "Não existe nota 11" Eduardo Enomoto/R7

Em conversa com os carnavalescos da escola, o diretor de carnaval da Império de Casa Verde pede que se evite coreografias muito elaboradas para se levar à avenida. Para Marcelo Casa Nossa, há excesso das escolas de samba e o carnaval “está ficando chato”.

— O cara tem que vir brincando e mostrar alegria. O carnaval está virando um negócio chato. A Tijuca é inteira assim.

A escola terá duas alas coreografadas no desfile deste ano: a primeira, a Ala das Odaliscas, na comissão de frente, e a Omolu, parte do carro Crença e Fé e que reúne o maior número de componentes. Casa Nossa não teme uma nota menor por parte dos jurados.

— Se a escola desfilar bem, com alegria, não tem problema. Não existe nota 11.

Leia mais notícias sobre o Carnaval 2013

O enredo da Império de Casa Verde para este ano é Pra todo mal há cura...e quem canta seus males espanta! O investimento para colocar cinco carros na avenida e cerca de 2.500 pessoas foi de R$ 3 milhões.

O diretor também é contra o novo regulamento, proíbe as torcidas de acompanharem ao vivo a apuração das notas e acha que é uma questão de educação. Para ele, é preciso reforço na segurança.

— Assim a apuração perde o glamour. É a mesma coisa que ter Palmeiras e Corinthians sem torcida. A segurança tem que aumentar. Se você não tem pulseira, não entra.