R7 - Entretenimento

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

24 de Abril de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Entretenimento/Cinema/Notícias

Icone de Cinema Cinema

publicado em 23/02/2013 às 17h30:

Spielberg caminha em direção ao seu 3º Oscar de melhor diretor

Conheça cada um dos candidatos ao Oscar de Melhor Diretor

EFEEFE


Publicidade

A disputa pelo Oscar de melhor diretor na 85ª edição do prêmio aparece como uma das mais comentadas devido à ausência de Ben Affleck entre os indicados, já que o filme dirigido pelo também ator, <i>Argo</i>, foi muito elogiado neste aspecto.

STEVEN SPIELBERG: uma recompensa por "Lincoln".

Spielberg produziu e dirigiu o filme histórico sobre o ex-presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln e o fim da escravidão, o qual confirmou seu "título" de principal longa do último ano após ter alçando 12 indicações ao prêmio Oscar, enquanto o elogiado Argo, de Ben Affleck, teve apenas sete.

Mesmo sendo o líder de indicações - muitas delas técnicas -, Lincoln, como costuma ocorrer no surpreendente Oscar, pode terminar com um número de prêmios capaz de ser contado em uma mão.

Um deles, possivelmente, será o de melhor direção para Spielberg, uma doce recompensa para o veterano diretor perante o sabor amargo da previsível vitória de Argo como melhor filme.

Sem Affleck na disputa, o veterano cineasta poderá levar sua terceira estatueta de melhor diretor após O Resgate do Soldado Ryan e A Lista de Schindler.

Ben Affleck venceu Spielberg e levou o Globo de Ouro, o Critics Choice Awards e os prêmios do sindicato de diretores, todos considerados como prévias para o Oscar.

ANG LEE: o tigre taiuanês.

O cineasta chinês Ang Lee teve sobre seus ombros a ambiciosa tarefa criativa de transformar a fábula literária As Aventuras de Pi em um filme capaz de ser maravilhoso visualmente e sem desmerecer um argumento que sobre o papel tem pouca credibilidade: a história de um jovem náufrago que consegue sobreviver mesmo ficando vários dias em uma balsa repleta de animais selvagens, incluindo um tigre.

O tratamento da obra, seus componentes fantásticos e a humanidade do drama fizeram com que Lee fosse indicado pela terceira ao Oscar de melhor diretor.

Tido como o único capaz de vencer Spielberg nesta edição do Oscar, Lee já levou à estatueta com O Segredo de Brokeback Mountain.

DAVID O. RUSSELL: um diretor em alta.

Dois anos depois de ter conseguido sua primeira indicação ao Oscar de melhor diretor com o drama O Vencedor, o diretor David O. Russel volta a ser nomeado com seu filme seguinte, a tragicomédia O Lado Bom da Vida. Aos 54 anos e com poucos filmes em sua carreira - seis no total -, o cineasta já possui grande valor em Hollywood, sendo que, em 1999, quando realizou sua estreia com Três Reis, ele era quase um desconhecido.

A evolução deste artista o situa no bom caminho rumo às estatuetas, porém, um triunfo de Russell nesta ocasião seria mais uma que surpresa, seria uma zebra.

MICHAEL HANEKE: o mérito do austríaco.

Aos 70 anos, o cineasta austríaco Michael Haneke colhe agora os êxitos de seu surpreendente filme em Hollywood, onde os filmes de fala não inglesa são um produto residual. Seu Amor, no entanto, pareceu quebrar esses moldes supostamente pré-estabelecidos.

O filme obteve cinco indicações aos prêmios Oscar, entre eles o de melhor filme do ano e o de melhor filme em língua estrangeira, um indicativo de que os críticos de Hollywood gostaram de sua história e, mais do que isso, o próprio Haneke foi reconhecido com uma indicação de melhor diretor.

No entanto, apesar do reconhecimento obtido com as indicações, poucos acreditam que o europeu possa levar o Oscar de melhor diretor e, inclusive, o de melhor filme estrangeiro, um fato que parece repetir a edição de 2010, quando seu filme A Fita Branca figurava como o grande favorito para levar o prêmio nessa mesma categoria.

Porém, no ano em questão, quem ganhou o Oscar foi o argentino O Segredo de Seus Olhos.

BEHN ZEITLIN: um candidato inesperado.

Behn Zeitlin conseguiu em sua primeira tentativa o que, por exemplo, Michael Haneke buscou a vida toda: uma indicação ao Oscar de melhor direção.

Logo em sua estreia, em 2012, o diretor nova-iorquino já conseguiu chamar atenção da academia com o drama independente Indomável Sonhadora, que conta a história dos habitantes de uma remota região através dos olhos de uma menina, Quvenzhané Wallis, que se transformou, com apenas nove anos, a mais jovem a ser indicada na categoria de melhor atriz.

Até o momento, a filmografia de Zeitlin trazia apenas documentários e alguns curtas-metragens.

A entrada de Zeitlin na briga pela estatueta de direção foi totalmente inesperada e sua vitória na cerimônia do dia 24 seria, no mínimo, impactante.

 

 

 

  • O showbiz está a um clique. Quer apostar?
  • As manchetes que mexem com o mundo estão aqui. Informe-se
  • Você ainda paga provedor? R7 Banda Larga é grátis!
  • Imprima as suas fotos com desconto. Saiba como!
  • Curta a página do R7 no Facebook
  • O que os blogueiros do R7 pensam sobre isso? Saiba aqui
  •  

     

     

     
    Veja Relacionados:  Oscar, DIretor, Prêmio, Steven Spielberg
    Oscar  DIretor  Prêmio  Steven Spielberg 
     
    Espalhe por aí:
    • RSS
    • Flickr
    • Delicious
    • Twitter
    • Digg
    • Netvibes
    • Facebook
    • Google
     
     
     
     

    Fechar
    Comunicar Erro

    Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

    Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
    Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

     

     


    Shopping
    Monitor Monitor Wal-Mart R$ 348,00
    Blu-Ray Player Blu-Ray Pl Saraiva R$ 449,00
    Fogão Fogão Mania Vi R$ 580,41
    Blu-Ray Player Blu-Ray Pl Saraiva R$ 299,00