R7 - Entretenimento

Buscar no site
Eu quero um e-mail @R7
Esqueci minha senha

30 de Setembro de 2014

Você está aqui: Página Inicial/Entretenimento/Famosos e TV/Notícias

Icone de Famosos e TV Famosos e TV

publicado em 26/12/2012 às 19h39:

Alexandra Daddario: sem medo de sustos

The New York Times News Service / SindicatoThe New York Times News Service / Sindicato

Publicidade

"Eu me assusto com muita, mas muita facilidade", conta Alexandra Daddario, "por isso não sou de procurar filme de terror, mas para fazer 'O Massacre da Serra Elétrica em 3D', assisti a coisas incríveis. Uma delas foi o original de 1974, que nunca tinha visto antes e achei simplesmente sensacional".

"Sei apreciar o cuidado e a técnica com que longas como 'O Silêncio dos Inocentes' (1991) e 'O Iluminado' (1980) foram feitos; são coisas de gênio", ela continua, "mas terror realmente não é a minha praia. Não gosto dessa sensação de ficar assustada que tanta gente curte. Posso até fazer o filme, mas assistir é outra história".

Na verdade, fazer parte do filme também pode ser complicado. Por telefone de sua casa, em Los Angeles, Alexandra admite que "O Massacre da Serra Elétrica em 3D" foi particularmente desgastante. Ela passava dia após dia, cenas após cena, tomada após tomada ao ar livre, em Louisiana, geralmente num calor de mais de 40 graus, sendo perseguida por um maluco mascarado com uma serra elétrica ligada na mão, gritando feito louca e chorando o tempo todo.

"Chega um ponto em que você fica histérica de verdade", conta a atriz, "e acaba entrando num terreno meio sombrio na sua mente e tendo que ficar ali. Tudo bem, racionalmente você sabe que está bem, que tem que se enganar, enganar o corpo para que ele pense que algo muito errado está acontecendo, principalmente porque você tem que correr, está sem fôlego e desesperada".

"Depois de alguns dias, você começa a se sentir muito estranha", ela admite. "Só quando tem algum lance perto que assusta, aí você meio que cai na realidade. O negócio do filme de terror é ter que explorar espaços muito malucos; também não dá para ter medo de se constranger. Tem que perder a compostura com gosto mesmo."

Para quem não a conhece, Alexandra Daddario é uma atriz de 26 anos mais conhecida por seu papel como a semideusa Annabeth em "Percy Jackson e o Ladrão de Raios" (2010). Entre seus outros trabalhos estão o terror "Bereavement" (2010) e papéis menores em séries como "All My Children" (2002-2003), "White Collar" (2009-2011) e "Parenthood" (2012).

Em "O Massacre da Serra Elétrica em 3D", que estreia nos EUA em 4 de janeiro, ela encarna Heather Miller, uma jovem que, depois de descobrir que é filha adotiva, vai ao Texas com um grupo de amigos para receber uma herança. Que herança? Uma mansão numa propriedade imensa, cercada por muros. Infelizmente o passado (na forma do assassino alucinado Leatherface) está incluído no pacote e a história volta a se repetir.

"Na verdade, Heather descobre que é prima do Leatherface, uma novidade bem difícil para ela digerir", a atriz explica. "Ela nunca foi uma garota normal, detalhe que dá para sacar já no começo do filme, mas o que ela faz com essa informação é que é tão... interessante. Há uma evolução aí que eu curti muito fazer."

"É ótimo poder fazer parte de uma franquia tão famosa e estar ligada a um personagem clássico do terror", acrescenta. "Para os fãs da série, o longa é uma sequência do original. São tantas as referências que dá para matar a saudade na boa. Gunnar Hansen e Marilyn Burns estão nesta versão; algumas tomadas são bem semelhantes, assim como certos itens e elementos da história."

"Nosso diretor, John Luessenhop, já tinha feito 'Ladrões' (2010) e, por isso, essa versão é mais para o lado da ação", diz ela. "As cenas são superbem feitas, no maior clima de suspense. Foi muito divertido, mas que dá medo, isso dá."

Depois de "O Massacre da Serra Elétrica em 3D", Alexandra volta às telas em "Percy Jackson e o Mar de Monstros", sequência de "O Ladrão de Raios". Previsto para estrear em agosto, dessa vez Percy (Logan Lerman), Annabeth e seus amigos se veem na busca pelo Velocino de Ouro, de que precisam para proteger o Acampamento Meio-Sangue.

"É um filme diferente, bem mais fiel ao livro do que o primeiro", conta ela. "Também temos um novo diretor (Thor Freudenthal no lugar de Chris Columbus). O primeiro foi a minha estreia numa grande produção. As filmagens levam muito mais tempo, tipo 5,5 meses, e a gente teve muito mais tempo para se preparar. Dessa vez, rodamos em Vancouver e eu fui para Nova Orleans pela primeira vez."

"Foi legal voltar", diz Alexandra, "porque fiz amizade com o pessoal e alguns atores novos são muito divertidos. Thor fez 'Diário de um Banana' (2010), então ele sabe exatamente com que tipo de público está trabalhando".

"É um filme para toda a família – e, além do mais, desta vez estou loira."

(Ian Spelling é jornalista freelancer de Nova York.)

The New York Times News Service/Syndicate – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times._NYT_

 
Veja Relacionados: 
 
 
Espalhe por aí:
  • RSS
  • Flickr
  • Delicious
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google
 
 
 
 

Fechar
Comunicar Erro

Preencha os campos abaixo para informar o R7 sobre os erros encontrados nas nossas reportagens.

Para resolver dúvidas ou tratar de outros assuntos, entre em contato usando o Fale Com o R7
Mensagem enviada com Sucesso!Erro ao enviar mensagem, tente novamente!

 

 


Shopping