Afastado, Jacó começa a chorar, inconformado. Simeon toca o ombro do pai, mas Jacó o expulsa. Irritado, Simeon explica que nenhum deles nunca teve a mesma atenção que José. Ele faz o pai entender que errou com seus outros filhos. Jacó começa a ceder, principalmente, ao entender os planos de Deus. Simeon se emociona.

Jacó se joga nos braços do filho. Ruben, Levi, Judá e seus irmãos ficam acuados diante das acusações de todos. Benjamin se envolve na discussão e exige que todos parem de acusar seus irmãos. Ele afirma que ninguém pode julgá-los, já que José os perdoou. Jacó se aproxima, concorda com o filho, e faz com que todos entendam. Ele decide que encontrará José e pede que todos desmontem o acampamento.

Depois de desmontar sua tenda, Naamá olha para tudo, saudosa. Ruben, que estava ajudando, a pega pela cintura e lhe dá um beijo de tirar o fôlego. Ruben afirma que estava devendo o beijo e sai. Naamá fica nas nuvens. Após desmontar tudo, a família de Jacó parte para o Egito. Depois de fazer um sacrifício, Jacó fica frente a frente com Deus mais uma vez.

Deus acalma o coração de Jacó ao dizer que irão prosperar no Egito. Enquanto a família viaja, Jacó pede que Judá vá à frente para avisar a José. José fica radiante com a chegada do irmão, mas decide ir de encontro ao pai, ao invés de esperá-lo chegar. Ele pega um carro e sai junto com Judá.