Amy Lee fala sobre machismo no mundo do metal: "Tive que me esforçar muito para acreditarem no meu talento"

Evanescence está fora de hiato e fará shows no Brasil em abril 

Evanescence vai voltar ao Brasil em abril
Evanescence vai voltar ao Brasil em abril Facebook

O Evanescence vai voltar ao Brasil em abril e os fãs, claro, já estão empolgadíssimos. Depois de ficar em hiato por quatro anos — os últimos dois dedicados à maternidade —, a vocalista Amy Lee falou exclusivamente com o R7 sobre o retorno aos palcos.

— [O fim do hiato] aconteceu naturalmente. Nós somos viciados em tocar, em fazer shows. Sempre que vou escrever um álbum, eu coloco minha alma. Amo minha fazer música, faço por hobbie, então viver sem isso foi uma tortura.

Amy, que teve seu primeiro filho em 2014, acabou deixando a caneta e o bloquinho de anotações de lado — a ideia era se dedicar única e exclusivamente ao filho, Jack. No entanto, a musa do Evanescence não conseguiu ficar longe da música: lançou um projeto musical para crianças, e viveu um universo totalmente diferente.

Mas a paixão da Amy é o metal. E agora, o Evanescence volta com uma nova cara: quem assume a guitarra é Jen Majura — sim, uma mulher! Amy disse que está amando a parceria e que não tem dúvidas de que os fãs vão receber Jen da melhor forma possível:

— Ela é maravilhosa. Tem sido cada vez mais incrível trabalhar ao lado da Jen. Os fãs foram super receptivos e não vemos a hora de estrear com ela nos palcos.

Amy e Jen são dois exemplos de conquista de espaço feminino em um mundo tão masculino como o do metal. A vocalista contou que o machismo sempre foi presente na sua trajetória, e que faz pouco tempo que ela começou a se sentir realmente confortável no ramo.

— Sempre sofri assédio da indústria, foi muito difícil. Eu precisava o tempo todo provar que era muito mais do que apenas um rostinho bonito. Precisei mostrar que eu tinha talento e que a música era a minha vida; que eu estava lá para conquistar o meu espaço e que nada mudaria isso. Posso afirmar que uma das poucas coisas boas de envelhecer é que você amadurece e consegue lidar melhor com esse tipo de problema.

Mas apesar disso tudo, Amy disse que tem observado uma grande ascensão das mulheres no cenário do rock como um todo.

— Eu acredito muito que um dia chegaremos à igualdade. As mulheres ainda precisam de mais tempo que os homens para provar que são boas, mas isso tem mudado aos poucos. Cada vez mais vamos dar as caras e fazer o rock continuar crescendo.

SERVIÇO
Evanescence em Brasília

Local: Net Live Brasília
Data: 20 de abril
Horário: 22h
Ingressos

Evanescence no Rio de Janeiro
Local:
Vivo Rio
Data: 22 de abril
Horário: 22h
Ingressos

Evanescence em São Paulo 
Local:
Espaço das Américas
Data: 23 de abril
Horário: 20h30
Ingressos

Aproveite e inscreva-se no R7POP no YouTube para assistir às melhores performances e entrevistas dos seus artistas favoritos