Presidente da Academia comenta ausência de negros no Oscar: "Frustrada com a falta de inclusão"

 Cheryl Boone Isaacs se pronunciou sobre a polêmica 

  • Pop
  • Do R7
Cheryl Boone, presidente da Academia
Cheryl Boone, presidente da Academia Getty Images

A presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, Cheryl Boone Isaacs, divulgou um comunicado para falar da falta de diversidade nas indicações ao Oscar 2016. Nas redes sociais, muitas pessoas reclamaram da falta de negros nas principais categorias, além da falta de mulheres nas categorias técnicas. Para Cheryl, o grande problema começa na falta de diversidade dos membros da Academia.

— Eu gostaria de reconhecer o maravilhoso trabalho dos indicados deste ano. Enquanto celebramos os conquistas extraordinárias deles, eu estou de coração partido e frustrada com a falta de inclusão. Essa é uma conversa difícil, mas importante e é hora de mudanças grandes. A Academia está tomando medidas dramáticas para alterar a composição de nossos membros.

E ela avisa que já foram feitas mudanças, que devem continuar e ser mais energéticas a seguir.

— Nos próximos dias e semanas, vamos revisar o recrutamento de nossos membros para trazer a mais-que-necessária diversidade para nossa turma de 2016 e para as que virão. Como muitos de vocês sabem, nós implementamos mudanças para diversificar nossos membros nos últimos quatro anos, mas a mudança não está acontecendo rápido como queríamos. Precisamos fazer mais, melhor e mais rápido. Isso não é sem precedentes para a Academia. Nos anos 60 e 70, o lance era recrutar membros mais jovens para continuarmos vitais e relevantes. Em 2016, a ordem é inclusão em todas as formas: gênero, raça, etnia e orientação sexual. Nós reconhecemos a preocupação real de nossa comunidade e eu agradeço a todos que foram até mim num esforço para irmos juntos adiante.

Toda a polêmica começou, na verdade, em 2015. A hashtag #OscarsSoWhite (ou #OscarMuitoBranco) virou assunto nas redes sociais novamente pela falta de indicados de diferentes etnias. Tanto no ano passado quanto neste ano, todos os atores e atrizes são brancos. A falta de indicações para Ava DuVernay, diretora do filme Selma, e de David Oyelowo, protagonista da trama sobre luta pelos direitos humanos, também deu o que falar.

Neste ano, o diretor Spike Lee e a atriz Jada Pinkett Smith disseram que vão boicotar a cerimônia de entrega do Oscar no mês que vem porque atores negros ficaram de fora das indicações para o prêmio.

O Regresso domina o Oscar 2016 e Brasil também está na disputa. Veja todos os indicados ao prêmio!

Acesse o R7 Play e assista à programação da Record quando quiser