Transforme a tecnologia em aliada no vestibular

Dicas e aplicativos para carimbar o passaporte para a universidade

Matéria Patrocinada

Se usada como apoio, a tecnologia é grande aliada do vestibulando Think Stock

Estar atualizado, dominar os conteúdos e saber relacioná-los com outras disciplinas é essencial para quem deseja carimbar o passaporte para uma boa universidade. Para o presidente da Fundação PoliSaber e diretor executivo do Cursinho da Poli, Gilberto Alvarez, a tecnologia é uma ferramenta indispensável nessa jornada de estudos.

— Se usada como apoio, pode ser uma grande aliada na maratona dos vestibulares. Para se organizar melhor, o aluno deve reunir atividades do dia a dia em uma planilha, incluindo refeições, afazeres domésticos e horas de sono. Outra ferramenta valiosa é o cronômetro, já que o Enem e os vestibulares têm um grande número de questões e um tempo delimitado de prova. A melhor maneira de treinar o tempo de resolução é refazer provas antigas para se acostumar.

Fuja das tentações

Para evitar distrações e não perder o foco, vale desligar aplicativos de conversa instantânea e evitar navegar por sites que não estejam relacionados aos conteúdos exigidos no vestibular.

A escolha correta das fontes na hora de pesquisar também é vital para o bom desempenho do aluno. Segundo Gilberto Alvarez, é preciso observar as fontes usadas nas questões de provas anteriores dos vestibulares, pois a instituição que elabora o exame confia nelas e poderá utilizar novamente.

— Além disso, escolha um portal confiável para checar notícias, e confira as informações mais atualizadas sobre o assunto. Lembrando que os vestibulares são desenvolvidos com meses de antecedência, então um fato ocorrido em outubro certamente estará de fora de uma prova aplicada em novembro.

Metas diárias

Quando o assunto é preparação para o vestibular, não há uma meta fixa de horas de estudo. Cada aluno deve estabelecer a própria rotina de acordo com suas necessidades. Nesse caso, o importante não é a quantidade, mas a qualidade da preparação.

A hora e a vez da vestibulanda
Beatriz Aires, 18, ainda não decidiu a carreira que deseja seguir, mas a rotina de estudos já está a todo vapor.

— Acredito que a tecnologia pode tanto ajudar quanto atrapalhar. Quando estou assistindo a aulas no cursinho, procuro manter o celular no modo avião para não ser incomodada. Em casa, o aparelho está sempre a mão para tirar dúvidas nos grupos com outros vestibulandos e assistir a videoaulas.

  • Espalhe por aí:

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!