Publicidade

História

-A+A

Dinheiro! Não tem quem não o queira e não tem quem queria perdê-lo!

Junto com o futebol a loteria talvez seja a maior paixão nacional. Quando um prêmio acumula e o sorteio promete um novo milionário, as casas lotéricas ostentam filas quilométricas! É um desfilar de sonhos e planos do que cada um faria se fosse o vencedor... Vem o sorteio e um ou mais felizardos têm suas vidas mudadas da noite para o dia. Vidas em Jogo é a história de um grupo de amigos que há dois anos aposta na loteria. São conhecidos como bolão da amizade. Eles acertam na loteria no sorteio da virada do ano, cujo prêmio é um valor extraordinário. A partir daí a vida de todos muda: pro bem e pro mal! O noticiário está repleto de casos de ganhadores que são assassinados, enganados por parentes, disputas judiciais entre pai e filho, etc. Convido você a ser um voyeur do que acontece com a vida de quem se torna milionário da noite para o dia! Um passo no paraíso, mas no inferno também!

O Bolão da Amizade!

O bolão da amizade é um grupo de amigos que há dois anos joga na loteria. Eles trabalham ou frequentam um restaurante nordestino no centro do Rio de Janeiro.

Cada integrante do bolão passa por um momento difícil e representativo de situações comuns aos brasileiros. Uma precisa de dinheiro para pagar uma faculdade para o filho; outro tem que pagar a dívida com o agiota; o outro quer encontrar os irmãos que se perderam no mundo; outra precisa sair da diária do táxi, etc. Problemas que dependem de dinheiro para serem resolvidos.
Como o bolão da amizade joga há dois anos e não ganha, um deles propõe que o grupo faça um pacto. Se eles ganharem na loteria, metade do prêmio vai para a poupança. Cada um terá que cumprir uma missão para ter direito à divisão dessa metade do prêmio. A maioria protesta. Acham a ideia maluca: quem guardaria metade de um prêmio na poupança?! Mas seu Belmiro argumenta: as missões serão bem simples. Todos, com certeza, conseguirão cumprir suas missões e receberão o dinheiro ao fim de um ano! Um pacto pode atrair a sorte.

Alguns pensam em sair do bolão, mas acabam concordando. Pensam que é coisa de gente velha. A maioria não leva a sério este pacto. Os jogadores assinam um documento que valida legalmente o pacto da sorte! Afinal, o que custa assinar? Nada! Mal sabem...
O bolão da amizade, na virada do ano, acerta na loteria. Ano novo e vida nova! O sonho da maioria dos brasileiros se realiza com esse grupo de personagens: ricos da noite para o dia! As portas do paraíso se abrem para o bolão da amizade!

Todos experimentam os primeiros prazeres que o dinheiro pode oferecer. Roupas, carros, todos os sonhos de consumo de nossa população carente são vivenciados pelos personagens. Mas as rosas também têm espinhos.

O primeiro conflito que se estabelece entre os amigos é em relação ao pacto de guardar metade do prêmio. A maioria quer esquecer essa história e dividir logo o prêmio todo! E isso se agrava conforme eles vão perdendo dinheiro - ou por falta de gerenciamento ou por serem vítimas de golpistas ou, ainda, pela ação dos vilões. Seu Belmiro, apoiado por Francisco e outros, faz valer o documento. Para retirar o dinheiro da poupança é preciso que todos assinem e, por enquanto, o pacto está valendo. Só terá esse direito quem cumprir a sua missão no prazo de um ano.

Os integrantes começam a ter dificuldades em cumprir, cada qual, a sua missão. Esta dificuldade é criada, na maior parte, pela ação dos vilões da novela, mas também pelas limitações individuais de cada um.

Nesse momento da trama, o bolão murcha e a amizade cede à ambição. Veremos que alguns mudam seus valores e caráter pela força do dinheiro.  Uns tentam impedir que os outros consigam cumprir a sua missão. Dessa forma sobrará mais dinheiro na hora de dividir a outra metade do prêmio.

Além de lutar para cumprir a sua missão, superando os obstáculos colocados pelos outros, o bolão se depara com um novo desafio. Os integrantes do bolão começam a morrer em circunstâncias suspeitas. Mais um novo jogo se abre na novela. Um jogo de vida ou morte. Ou descobrem quem é o assassino ou podem ser a próxima vítima. Vidas em jogo!

Outras histórias:

Romântica
O triângulo amoroso principal está em Francisco, Rita e Patrícia. Francisco, antes de ganhar na loteria, era motorista particular de Regina, vilã, mãe de Patrícia. Francisco e Patrícia namoravam escondidos. Patrícia é uma patricinha que se diverte com o motorista forrozeiro. Rita é uma moça humilde, trabalhadora e tem o sonho de ser dançarina.

Regina, dona de uma construtora de porte médio, precisa expulsar os sem-teto que ocuparam o prédio abandonado de sua propriedade. Ela quer demoli-lo e vender o terreno ao governo. Contrata um miliciano para expulsar os sem-teto. Rita sofre uma grave lesão na perna. Francisco defende Rita e o romance dele com Patrícia sofre um abalo. Eles se separam. Regina está feliz. Mas seu sorriso se apaga quando Francisco ganha na loteria. O jogo muda. O interesse dela é fazer com que Patrícia se case com ele e herde sua fortuna. E, ainda, impedir que os outros cumpram a sua missão para que Francisco tenha mais dinheiro ainda para “dar” para sua filha.

Anfetaminas
Trama jovem que envolve Carlos, Grace e Welligton. Carlos é uma espécie de pai adotivo desses dois meninos. Wellington é um talento nato no futebol. Acostumados à pobreza, pois trabalhavam na praia catando latinhas, e Wellington se perde quando Carlos ganha na loteria. O dinheiro traz facilidades que eles nunca tiveram. Wellington vai ter seu sonho desperdiçado por se viciar em anabolizantes. A luta de Carlos será tirar o menino do vício. Nesse ponto, a novela abordará o perigo desses remédios viciantes.

Terceira idade
Trama de Belmiro com sua filha, Fátima. A vida ativa de um senhor aposentado que trabalha e tem vida amorosa – o romance dele com Hermezinda. A filha, que antes não ligava para o pai, se aproxima dele quando ele se torna milionário. Fátima quer interditar o pai para ter o dinheiro do prêmio.

Milícia das vans
Trama policial que envolve a taxista Andrea, seu namorado Lucas e um ex-policial corrupto, Cleber, que controla uma milícia de vans. Quando Andrea se torna milionária, monta uma cooperativa de vans que interfere nos negócios de Cleber.

Humor
Marizete, a ex-doméstica, que se torna uma patroa pior do que dona Regina, sua ex-patroa. Ela se deslumbra com o mundo dos ricos, gasta rios de dinheiro para se transformar em madame e acaba vivendo o drama de se distanciar dos valores e do amor de José, por querer transformar o noivo em gente rica. É a emergente com tudo que há de pior.

Obesidade
Uma trama com muito humor também. Margarida, a gordinha simpática, que desconta tudo na comida e piora quando se torna milionária. Para conquistar o amor do interesseiro Elton, acaba entrando em um mundo de torturas, já que ele se torna um verdadeiro carrasco dela. Elton controla a boca de Margarida para que ela emagreça e tenha direito à divisão da segunda metade do prêmio.

Amantes
Trama romântica, segundo triângulo amoroso da novela, que envolve Severino, Divina e seu amante Ernesto. A mulher que se deixa envolver pelo amante e depois se arrepende quando descobre que Ernesto, o amante, a usava para arrancar dinheiro do marido. Divina se arrepende quando perde sua família, Severino e filhos.

Banda de forró
O percurso da banda de Francisco e sua batalha para se lançar no cenário musical brasileiro.

Preconceito familiar
A relação familiar de Rita, que envolve o preconceito de seu pai Adalberto, com a paixão dela pela dança. Rita e sua mãe, Zizi, se encontram escondidas e quando passam a trabalhar juntas enfrentam a dissolução da família. Adalberto não aceita, se vê diminuído por ser sustentado pela esposa, se separa dela, vivendo na rua como um vagabundo.

Crianças adultas
Tatiana, irmã de Patrícia, é uma menina de dez anos com comportamento de mulher. Usa salto alto, se maquia, vai ao cabeleireiro e, infelizmente como tantas crianças de sua idade, troca a infância pela adolescência. As consequências emocionais e físicas desse amadurecimento precoce serão o motor desta personagem/trama.

Mãe mão de vaca, filho esbanjador
Dona Augusta, uma mulher mão de vaca, por medo de não ter como sustentar o filho, é uma versão pobre da vilã Regina, que também tem pavor de ver as filhas passarem dificuldades na vida. Augusta traz o dinheiro contadinho, não gasta com diversão. Tudo é trabalho e a instrução do filho Raimundo. Este, por sua vez, reage indo na direção oposta. Não gosta de estudar e engana a mãe que faz cursinho para o vestibular. Pega o dinheiro das mensalidades e gasta pagando uma academia na Barra da Tijuca. Na mesma medida do pão-durismo da mãe, Raimundo é dissimulado, engana, mente para retirar um dinheiro dela.

Publicidade

Enquete

Qual momento da novela mais te marcou? Dê o seu voto aqui!

Ver Todas as Enquetes

Twitter

@_vidas_em_jogo
  • carregando...
Siga-nos
 

Agora na Record

Programação completa

Agora no R7

Todas as notícias

DE SEGUNDA A SEXTA, ÀS 22H15