Barroca Zona Sul abre Carnaval de São Paulo nesta sexta-feira (21)

Sete escolas desfilam no Anhembi no primeiro dia; atual campeã, Mancha Verde é a quarta a entrar na avenida

A Barroca Zona Sul será a primeira a desfilar na noite desta sexta (20)

A Barroca Zona Sul será a primeira a desfilar na noite desta sexta (20)

Felipe Araujo/Divulgação/Liga SP

Na noite desta sexta-feira (21), no Anhembi, começam os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo. A noite terá homenagens ao povo negro, ao Líbano, Tereza de Benguela, estreias de musas de bateria e a exibição da atual campeã, Mancha Verde. 

A responsabilidade de abrir o Carnaval fica por conta da Barroca Zona Sul, de volta à elite do samba paulistano. O enredo contará a história da líder e rainha quilombola Tereza de Benguela, que lutou contra a escravidão por décadas, e a estreia da musa Renata Spallicci como rainha de bateria.

A segunda a invadir a avenida é a Tom Maior. A escola exalta o povo negro e pretende ressaltar a importância da miscigenação para a construção e crescimento do Brasil.

Vice-campeã no ano passado, a Dragões da Real aposta no poder da alegria e do riso para, enfim, conquistar seu primeiro título no carnaval, com o enredo A Revolução do Riso: A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria. O desfile também marca a ausência de Cacau Colucci após oito anos, por conta de novos objetivos pessoais, apesar da ex-musa de bateria seguir torcendo e fazendo parte da escola são-paulina.

Logo depois da Dragões, a atual campeã, Mancha Verde, tenta manter o título com uma reflexão sobre o homem e suas atitudes. O tema do enredo é inspirado na passagem bíblica do livro de Lucas, capítulo 23, versículo 34, em que diz 'Pai, perdoai, eles não sabem o que fazem', ao tratar dos problemas da sociedade moderna.

Quinta escola do dia, a Acadêmicos do Tatuapé, da Zona Leste, fala sobre a cidade do interior paulista Atibaia. O destaque fica para a estreia de Ana Paula Minerato, ex-musa de bateria da Gaviões da Fiel.

Por fim, Império de Casa Verde, que teve problemas com os alagamentos recentes na capital paulista, e a X-9 Paulistana fecham o primeiro dia de desfile, com homenagens ao povo do Líbano e aos líderes religiosos do Brasil, respectivamente.

Vai ao sambódromo?

Para quem ainda deseja ingressos para o desfile, as vendas ocorrem no Anhembi, das 12h às 20h. O comprador deve portar RG e CPF, já que os bilhetes são nominais.

Quem se deslocar de carro pode estacionar no Pavilhão do Anhembi. A SPTrans disponibilizará linhas exclusivas de ônibus que sairão das estações Barra Funda e Portuguesa-Tietê para o sambódromo e, para quem prefere ir de táxi, a recomendação de desembarque é preferencialmente nas proximidades da Ponte da Casa Verde com a Avenida Braz Leme, que tem o menor trajeto até os portões de entrada.

Não é permitida a entrada de bebidas alcoólicas, substâncias tóxicas, fogos de artifícios, papel em rolo (jornais, etc), balões, armas de fogo, branca ou de qualquer espécie, comidas e bebidas em geral, bandeiras com mastro e guarda-chuva.

Mochila, capa de chuva e bandeira sem mastro estão liberados.