Cinema e Séries 'Ainda estamos de luto', diz criador do mural de Chadwick Boseman

'Ainda estamos de luto', diz criador do mural de Chadwick Boseman

Nikkolas Smith, responsável pelo mural do ator na Disney, conversou com o R7 e contou bastidores de 'Pantera Negra' e da criação da arte

  • Cinema e Séries | Gabriela Piva, do R7*

As homenagens para Chadwick Boseman não param de chegar desde que o ator morreu no dia 28 de agosto devido a um câncer de cólon. Um mês após a morte do astro, a Disney já estreou um mural de Chadwick em Anaheim, na Califórnia (EUA).

O dono da arte que viralizou no mundo nos últimos dias se chama Nikkolas Smith. Ele também criou o cartaz para o filme Pantera Negra, em que o ator viveu Rei T'Challa.

Em conversa com o R7 e, pela primeira vez, com um veículo brasileiro, o artista contou que a morte de Chadwick foi difícil para todos os colegas de trabalho e que, um mês depois do ocorrido, eles continuam de luto pela perda de Boseman.

Nikkolas Smith conversou com o R7 sobre Boseman

Nikkolas Smith conversou com o R7 sobre Boseman

Reprodução/Instagram

"Foi, realmente, um choque para todo mundo. Eu mantenho contato com as pessoas que trabalharam no filme e foi, realmente, muito chocante, porque ninguém fazia ideia do que ele estava enfrentando", disse. "Até agora, ainda estamos passando por esse processo de luto e tentamos comemorá-lo da melhor forma que pudermos, porque ele era muito amoroso, só queremos honrar a sua vida", completou.

Para quem conheceu o ator pessoalmente, inclusive, a morte de Boseman pode ter sido mais surpreendente ainda. O artista esteve nos bastidores de Pantera Negra e relembra o respeito que o ator também demonstrava fora do set.

"Eu estava no set do filme, em Atlanta, e foi um momento muito bonito. Ele era muito receptivo com todos nós, nos tratava com igualdade. Ele era ótimo. Foi uma experiência linda", afirmou.

Ele terminou de gravar a cena, saiu do set e cumprimentou todo mundo, sabe? Nos tratou com igualdade, o que é lindo, e nem todo mundo em Hollywood faz isso

Nikkolas Smith

Uma das lembranças que Smith guarda da época foi quando Boseman terminou de gravar a sequência das Cataratas do Guerreiro: "Na cena, ele precisava tomar os líquidos para que os poderes dele fossem retirados durante a cerimônia; ele terminou de gravar, saiu do set e cumprimentou todo mundo, sabe? Nos tratou com igualdade, o que é lindo, e nem todo mundo em Hollywood faz isso".

Smith também se identificou muito com a forma que Boseman pensava. Uma das razões para isso se deu porque o artista, que fez arquitetura e chegou a visitar o Brasil na época da faculdade, considera-se um artivista, que significa que ele busca pelos seus ideiais por meio da arte.

"Criar arte é uma terapia para mim", disse Smith.

[A gente sente como se o T'Challa] fosse uma biografia; temos muito orgulho. A vida inteira do Boseman foi marcante

Nikkolas Smith

A homenagem a Boseman, inclusive, veio como uma forma de curar a dor da perda por meio da representação artística. O artista se inspirou em causas as quais o ator se preocupava para prestar um tributo e, por isso, posicionou o astro ao lado de uma criança que vestia a máscara de Pantera Negra.

"[No set de filmagem] A gente aprendeu um pouco do idioma que ele estava falando. Uma das palavras era Phambili, que significava 'seguir em frente' e sinto que traduz muito bem o que Boseman significava: [ele pensava] para frente e sempre queria ajudar as gerações futuras", explicou. "Isso inspirou a arte que criei, porque ele estava sempre pensando nas crianças, como as que ele visitava em hospitais enquanto enfrentava os próprios problemas", declarou.

"Ele atuava em tantos papeis principais e eu amava ver a paixão que ele colocava em seus personagens, como Jackie Robinson (do filme 42 - A História de Uma Lenda) ou James Brown (do longa homônimo), [papeis] tão icônicos da comunidade negra que ele tinha a oportunidade de interpretar", completou.

Smith aproveitou para relembrar do personagem T'Challa: "A gente sente como se fosse uma biografia, uma pessoa real, então, sentimos muito orgulho toda vez que ele atuava. Foi por isso que foi tão difícil quando ele morreu. Mas, cara, existe muito orgulho e a gente ama a dedicação que ele colocava em cada personagem; a vida inteira dele foi marcante".

Mural viralizou na web

Smith contou que decidiu criar o mural assim que soube da morte de Boseman. O artista, inclusive, chegou a publicar o desenho digital apenas um dia depois da morte do ator.

"Faço muitos tributos e coisas relacionadas à violência policia e à justiça social. Em outras horas, desenho ícones e heróis que nós amamos. As pessoas estavam pedindo para eu fazer algo para o Boseman e eu sabia que tinha que fazer, porque, como eu disse, ele era uma pessoa tão incrível", contou.

A Disney, empresa onde ele trabalhou durante 11 anos, viu a publicação e decidiu criar um mural com a arte em Anaheim, na Califórnia (EUA), para homenagear Boseman.

"É um mural tão grande", brincou. "Eu pude combinar minha arte com os ideias que Boseman teve, e é a melhor sensação", completou.

No vídeo de estreia do mural em que Smith compartilhou nas redes sociais, ele parecia estar lisonjeado com o resultado final: "Foi incrível, perdi o ar [de emoção] por alguns segundos [quando vi o mural]. Tantas crianças foram para lá durante o dia e ficaram tirando fotos, fazendo o sinal de Wakanda. Pude interagir com eles, tirar fotos, foi muito bom".

A homenagem fez tanto sucesso que artistas como Viola Davis e Mark Ruffalo compartilharam a publicação nas respectivas contas pessoais. Não foi a primeira vez que Smith teve seu trabalho reconhecido por celebridades, já que Michelle Obama compartilhou um desenho que o artista criou em junho como forma de homenagear George Floyd.

"Eles são ícones", disse Smith ao relembrar da atriz publicando o mural que ele criou em homenagem a Boseman.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Camila Juliotti

Últimas