Cinema e Séries Bill Murray comete assédio sexual em set e paga R$ 520 mil à vítima, diz revista

Bill Murray comete assédio sexual em set e paga R$ 520 mil à vítima, diz revista

Produção do filme 'Being Mortal' foi suspensa após a Disney ter recebido a denúncia contra o ator

Bill Murray na série "The Now"

Bill Murray na série "The Now"

Divulgação

Uma reportagem publicada nesta segunda-feira (10) pela revista Puck traz informações de que o ator Bill Murray, de 72 anos, teria pagado US$ 100 mil (cerca de R$ 520 mil) a uma mulher depois de ter cometido assédio sexual contra ela no set de filmagem de Being Mortal, que ainda não tem título em português.

O caso teria acontecido em abril, e a produção do longa, que seria a estreia do ator Aziz Ansari na direção, foi suspensa pela Disney, proprietária da Searchline Pictures, estúdio responsável pela realização do filme.

Na época da suspensão, os produtores falaram em "comportamentos inadequados" de Bill Murray. O ator, em entrevista à CNBC, justificou-se: "Eu fiz algo que pensei que fosse engraçado, mas que não foi encarado assim. O mundo está diferente do que era quando eu era uma criança".

De acordo com a reportagem da Puck, Murray era amigo de uma mulher mais jovem do estafe do filme e acreditava que ela estava flertando com ele. Um dia, os dois estavam perto de uma cama que fazia parte da produção e Murray começou a beijar o corpo da colega, que não conseguia se mover. Então, ele a beijou na boca, embora os dois estivessem usando máscara, devido aos protocolos da Covid.

Murray disse mais tarde que só estava brincando, mas a mulher interpretou suas ações como totalmente sexuais e fez uma denúncia, corroborada por uma testemunha. O caso chegou à diretoria da Disney, que suspendeu o projeto, avaliado em US$ 20 milhões (cerca de R$ 105 milhões).

Ainda segundo a reportagem, Murray ficou arrasado com a situação e procurou a vítima para tentar um acordo. Os dois conversaram, e ficou acertado que o ator pagaria US$ 100 mil à mulher, com uma cláusula de confidencialidade sobre o assunto e o comprometimento de que ela não iria processar os produtores do filme, a Searchline nem a Disney.

Mesmo assim, a Disney ainda não deu sinal verde para que a produção seja retomada. O filme, que já teve metade de suas cenas gravadas, continua com futuro indefinido.

O caso também trouxe à tona outros relatos de comportamento ruim de Bill Murray. Geena Davis, que dividiu a tela com o ator em Não Tenho Troco, de 1990, disse que, quando conheceu Murray, ele insistiu em usar nela um massageador. No set, o astro, que também dirigiu o filme, gritava com a atriz.

"O jeito que ele se comportou no primeiro encontro… Eu deveria ter ido embora ou me defendido com mais veemência. De qualquer forma, não deveria ter aceitado o papel. Eu poderia ter evitado aquele tratamento se soubesse como reagir ou o que fazer em uma audição", disse Geena Davis ao jornal The Time of London na semana passada.

Em 2021, foi a vez de Lucy Liu contar a sua experiência com Bill Murray. Ela disse que eram inexplicáveis e inaceitáveis os insultos que sofria dele no set de filmagem de As Panteras.

Últimas