Cinemas americanos tentam atrair público de volta às salas

Nesta semana, locais oferecem desconto e novas medidas de segurança para atrair o público de volta ao cinema, apesar da pandemia

Cinemas testam meios atrativos, na pandemia

Cinemas testam meios atrativos, na pandemia

REUTERS/Mario Anzuoni - 30/06/2020

Cinemas AMC e outras cadeias de cinemas vão acionar projetores em algumas das principais cidades dos Estados Unidos nesta semana, oferecendo ingressos a preços mais baixos, pipoca com desconto e novas medidas de segurança para atrair o público de volta ao cinema, apesar da pandemia.

Os cinemas permanecerão fechados, no entanto, em alguns dos maiores mercados de filmes, incluindo Los Angeles e Nova York, onde as autoridades locais dizem que o risco de coronavírus continua alto demais para permitir que os cinemas sejam retomados.

A AMC, maior rede de cinemas do mundo, e outras abrirão as portas na quinta-feira em cidades como Atlanta e Chicago.

Cinemas em todo o mundo fecharam há cinco meses, devastando a indústria do setor e deixando dezenas de milhares de pessoas sem trabalho. Muitos cinemas na China e na Europa reabriram no início do verão no hemisfério norte.

As principais redes dos Estados Unidos prometem garantias para evitar que o coronavírus se espalhe no cinema, incluindo exigir que os espectadores e funcionários usem máscaras quando não estiverem comendo ou bebendo, higienização extra das salas, limitar o comparecimento a metade ou um terço da capacidade e deixar lugares vazios entre os grupos. Além dos cuidados com a saúde, os cinemas reduziram os preços.

"Colocamos muito esforço, não apenas nós (mas) também nossos concorrentes, para realmente criar um ambiente seguro", disse o presidente-executivo da Cineworld, Mooky Greidinger, em uma entrevista.

A Cineworld opera os Cinemas Regal, que reabrirão na sexta-feira.

Inicialmente, haverá poucos filmes novos. O thriller de Russell Crowe Fúria Incontrolável está entre os raros lançamentos deste fim de semana.

Por Lisa Richwine (Reportagem adicional de Alicia Powell em Nova York)