'Coração Valente', projeto mais ousado de Mel Gibson, faz 25 anos

Filme, que estreou nas salas de cinema dos Estados Unidos em 24 de maio de 1995, levou 5 estatuetas no Oscar e elevou a fama do astro

'Coração Valente' completa 25 anos de sucesso

'Coração Valente' completa 25 anos de sucesso

Divulgação

Hoje, qualquer série de ação cria cenas com grandes batalhas que envolvem milhares de pessoas e uma cavalaria numerosa. Com a ajuda da computação gráfica, não existem mais limites para a criatividade.

Mas há não muito tempo era preciso pensar muito bem antes de tirar do papel e levar para as telonas uma ideia como essa. Sem a disponibilidade de recursos digitais avançados, os diretores tinham que contar com grandes equipes de figurantes e animais de verdade, o que dificulta e encarece qualquer produção.

Mas isso não chegou a ser um grande empecilho para Mel Gibson quando dirigiu e protagonizou Coração Valente, projeto que levou o então astro de Máquina Mortífera para o patamar dos grandes astros de Hollywood.

Com US$ 70 milhões de orçamento, a benção da Paramount Pictures e alguns lances de sorte, o projeto que conta a história da figura histórica de William Wallace, guerreiro, patriota escocês e herói medieval, saiu do papel de forma relativamente tranquila para um projeto com essa grandiosidade.

K. Costner influenciou amigo a ser maior em Hollywood

K. Costner influenciou amigo a ser maior em Hollywood

Divulgação

Principalmente no que diz respeito aos atores que integravam os exércitos em cena, que na verdade eram militares irlandeses emprestados pelo governo para o diretor, que utilizou a tropa tanto do lado escocês quanto do lado inglês das batalhas.

Isso, claro, faciltou demais o trabalho de Gibson, que ainda negociou e recebeu redução de impostos para filmar na Irlanda.

Mas quem deu o maior empurrão para que o ator tentasse algo maior na carreira não foram os estúdios nem algum investidor específico.

Kevin Costner foi quem falou para o amigo pensar grande, caso quisesse ser respeitado em Hollywood.

Depois de atingir o sucesso comercial e de crítica com Dança Com Lobos, que ganhou sete Oscars em 1991, Costner falou que era o momento de Gibson seguir o mesmo caminho. E o resultado não poderia ter sido mais satisfatório: Coração Valente fez US$ 210 milhões em bilheteria pelo mundo durante 1995, além de vencer cinco categorias no mais badalado prêmio do cinema no ano seguinte, incluindo melhor filme.

Gibson, no entanto, não deixou de receber críticas por conta do filme. Mas não foram direcionados pelo resultado do que foi visto em cena. E sim pelo diretor não ter sido tão fiel à história real.

Mel Gibson subiu de patamar na indústria com o filme

Mel Gibson subiu de patamar na indústria com o filme

Reprodução

A começar por ter assumido ele mesmo o papel principal, já que Gibson tem 1,77m e William Wallace na vida real tinha cerca de 1,95m. Um mero detalhe de 18 centímetros.

Esse é, contudo, um detalhe menos lembrado que as pinturas nos rostos do pequeno exército do protagonista, adereço que historiadores confirmam que nunca foi usado, bem como os kilts adotados pelos personagens, peça que só se tornou popular na Escócia muito tempo depois.

Mas Gibson sempre deixou claro que esse era o tipo de observação que não o incomodava: afinal, o negócio dele é o cinema e não a exatidação histórica.

E como cinema, Coração Valente cumpre o que promete: ser um filme épico que não cansa, apesar de ter 3 horas. Em 16 de junho, para relembrar esse que foi um dos maiores sucessos da década de 90, sai um blu ray em versão 4k que traz uma edição especial do filme, com cenas extras e vários bônus para os fãs dessa versão "baixinha" e de kilt de William Wallace.