Cinema e Séries Filme foi desprezado no Oscar após protesto contra violência policial

Filme foi desprezado no Oscar após protesto contra violência policial

"Vestimos camisetas com dizeres 'não consigo respirar' na estreia de 'Selma'", disse o ator David Oyelowo, referindo-se à morte de Eric Garner, em 2014

Reuters - Entretenimento
David Oyelowo interpretou Dr. Martin Luther King Jr. em 'Selma'

David Oyelowo interpretou Dr. Martin Luther King Jr. em 'Selma'

REUTERS/Mario Anzuoni - 8/11/2019

O filme de direitos civis Selma – Uma Luta pela Igualdade foi distribuído gratuitamente na sexta-feira (5), um dia após o ator David Oyelowo dizer que os eleitores do Oscar desprezaram deliberadamente o filme em 2015.

Oyelowo, que interpretou Dr. Martin Luther King Jr. no filme, disse que membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas manifestaram objeção quando integrantes do elenco de Selma protestaram contra a morte de um norte-americano negro.

"Lembro-me na estreia de Selma, quando vestimos camisetas com os dizeres 'Não consigo respirar' em protesto", disse Oyelowo, referindo-se à morte de Eric Garner, em Nova York, depois de ser detido. Garner morreu em julho de 2014 e "Selma" estreou em dezembro de 2014.

"Os membros da Academia ligaram para o estúdio e para nossos produtores dizendo: 'Como eles ousam fazer isso? Por que eles estão mexendo nessa merda?' E 'Não vamos votar nesse filme porque não achamos que é da alçada deles fazer que isso'".

Oyelowo e a diretora Ava DuVernay ficaram fora das indicações ao Oscar em 2015, ajudando a estimular a campanha #OscarsSoWhite que exige maior diversidade em Hollywood. Selma ganhou apenas o prêmio de melhor música original no Oscar.

O britânico Oyelowo deu a declaração em conversa virtual sobre racismo nos Estados Unidos depois da morte em maio de George Floyd em Mineápolis.

(Reportagem de Jill Serjeant)

Últimas