Cinema e Séries Ingressos a R$ 10: desconto devolve público ao cinema, mas promoções precisariam continuar

Ingressos a R$ 10: desconto devolve público ao cinema, mas promoções precisariam continuar

Pandemia e ingressos caros afastaram as pessoas das telonas, mas semana com entradas baratas voltou a encher sessões

  • Cinema e Séries | Eduardo Reis*, do R7

Semana do Cinema gerou segundo maior período de vendas do ano no ingresso.com

Semana do Cinema gerou segundo maior período de vendas do ano no ingresso.com

Freepik

Durante os dias 15 e 21 de setembro, os ingressos para ir ao cinema no Brasil ficaram bem mais baratos que o usual, com a maioria em torno de R$ 10. Segundo a plataforma de venda ingresso.com, essa semana foi a segunda melhor de vendas no ano, atrás apenas da estreia de Doutor Estranho 2.

O impacto do barateamento das entradas pode ir além da semana bem-sucedida, mas também ser um ponto de virada para o mercado do cinema no geral, que sofreu muito na pandemia.

Até o fim do ano passado, cerca de 300 salas foram fechadas em todo o país por conta da paralisação causada pelo coronavírus e, acima de tudo, o consumidor perdeu o hábito de ir ao cinema.

É o que relata o profissional de marketing Matheus Fernandes, que aproveitou os descontos para ir às telonas três vezes. "Depois que os preços aumentaram bastante e principalmente na pandemia, vi que o cinema estava cada vez mais vazio. Com o barateamento dos ingressos, a cultura fica mais acessível", disse ao R7.

"Sempre gostei muito de ir ao cinema, principalmente com amigos. Inclusive, vi grandes sucessos de bilheteria. Mas, conforme foi passando o tempo, o valor do ingresso ficou mais caro e minha ida ao cinema, que era frequente, se tornou rara", completou Matheus.

A mesma coisa aconteceu com a estudante Lorrany Ribeiro, que gastou apenas R$ 2,80 para assistir ao longa A Órfã 2. "Sou apaixonada por cinema, ia muito antes da pandemia. Retomei, mas não com a mesma frequência", afirmou.

O desconto para voltar a assistir ao filme na telona com a semana de desconto, porém, incentivou Lorrany. "Acredito que deva ir ao cinema mais vezes a partir de agora. Me diverti muito. Se o ingresso ficar mais barato, as pessoas vão voltar a frequentar", disse.

Os descontos foram promovidos pela Feneec (Federação Nacional das Empresas Exibidoras), inspirados em fenômenos similares fora do país. Cinemas em todo o Brasil aderiram à campanha, que barateou até a pipoca.

"A Semana do Cinema segue uma tendência mundial de promover, em clima de festa, o retorno das pessoas às salas. Nos Estados Unidos, a campanha aconteceu no início do mês com ingressos a 3 dólares (R$ 16) em mais de 3.000 cinemas. Na mesma data, no Reino Unido, o National Cinema Day promoveu sessões por 3 libras (R$ 17) em cerca de 550 salas. Na Espanha, haverá em outubro La Fiesta del Cine 2022, com ingressos a 3,50 euros (R$ 18)", informou a instituição em nota ao R7.

O empurrãozinho para o retorno do mercado ao patamar pré-pandemia foi dado pelos generosos descontos. "Com esta campanha, queremos celebrar a volta do público às salas e democratizar no país o acesso à magia que só a experiência cinematográfica proporciona", afirmou Lúcio Otoni, presidente da Feneec.

Como manter as salas lotadas em todo o país

Para a comunicóloga Gabriella Giaquinto, a diferença entre a presença do público durante a Semana do Cinema e o restante do ano é grande. "Antes da pandemia, eu ia uma vez ao mês, mais ou menos. Logo que os cinemas foram permitidos novamente comecei a ir, as salas estavam muito vazias. Já neste período, quando entrei na sala, estava cheia", comentou.

Para Matheus, mais promoções como essa deveriam ser criadas para manter a adesão do público. "Se houver mais descontos, ou os ingressos ficarem mais baratos do que atualmente, volta ao fluxo de antes", comentou.

"Caso contrario, só se for um filme de grande apelo para o público. No geral, esses descontos foram bons para incentivar as pessoas a voltarem ao cinema depois de tanto tempo sem acesso às salas", finalizou.

Já Gabriella acredita que salas específicas possam ser barateadas, além do valor da pipoca e do refrigerante. "Acho que as poltronas normais e filmes 2D poderiam ter um valor mais acessível. A bomboniere também tem um custo alto. Uma pipoca pequena está R$ 20. Uma família de quatro pessoas, por exemplo, com ingressos, pipocas e bebidas gasta mais de R$ 150", afirmou.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Camila Juliotti

Últimas