Cinema e Séries Michael J. Fox aceita Oscar honorário por ativismo na pesquisa sobre mal de Parkinson

Michael J. Fox aceita Oscar honorário por ativismo na pesquisa sobre mal de Parkinson

Ator da trilogia 'De Volta para o Futuro' foi diagnosticado com a doença aos 29 anos

Reuters - Entretenimento
Michael J. Fox (à frente) mostra sua estatueta do Oscar, no último sábado (19), em Los Angeles

Michael J. Fox (à frente) mostra sua estatueta do Oscar, no último sábado (19), em Los Angeles

KEVIN WINTER/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP - 19.11.2022

O ator Michael. J. Fox, que encantou o público na comédia Caras & Caretas na televisão e nos filmes De Volta para o Futuro, nos anos 1980, recebeu um Oscar honorário no sábado (19) pelo seu trabalho ativista, que arrecadou 1,5 bilhão de dólares em recursos para pesquisa sobre o mal de Parkinson.

Fox foi diagnosticado com Parkinson, uma desordem dos nervos que causa tremores e outros sintomas, aos 29 anos. Posteriormente, ele limitou sua carreira de ator e fundou a Fundação Michael J. Fox para Pesquisa do Parkinson, para ajudar na busca por uma cura, em 2000.

“É com a mais profunda humildade que estou aqui e aceito a sua bondade”, disse o ator canadense no palco do evento anual Governors Awards, no qual foi aplaudido de pé por uma reunião de estrelas como Tom Hanks e Jennifer Lawrence.

Fox disse que a pior parte da doença foi “lidar com a incerteza” e que manteve o diagnóstico como uma questão privada por anos, porque “não sabia se o público conseguiria rir se soubessem que eu estava sofrendo”.

O ator canadense, agora com 61 anos, recebeu o prêmio humanitário Jean Hersholt do comitê de governadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o grupo que entrega o Oscar, e foi apresentado pelo amigo Woody Harrelson. “Ele transformou um diagnóstico arrepiante em uma missão corajosa”, disse o ator.

Outras pessoas que receberam o Governors Awards incluem a compositora Diane Warren, cujas músicas foram usadas em mais de cem filmes. Warren, 66, foi indicada ao Oscar por melhor música original 13 vezes, mas nunca venceu.

“Esperei 34 anos para dizer isto: gostaria de agradecer à Academia”, disse Warren, debaixo de aplausos no sábado.

O diretor australiano Peter Weir, conhecido por filmes como A Testemunha e Sociedade dos Poetas Mortos, e Euzhan Palcy, que se tornou a primeira mulher negra a dirigir um filme para um grande estúdio de Hollywood, com Assassinato sob Custódia, também foram homenageados.

Últimas