Morre a atriz Angela Lansbury, aos 96 anos

Atriz se destacou no teatro e fez sucesso na TV com a série  Murder, She Wrote

Angela Lansbury morreu cinco dias antes de completar 97 anos

Angela Lansbury morreu cinco dias antes de completar 97 anos

REUTERS/Mario Anzuoni

Angela Lansbury, a atriz britânica de olhos arregalados, que roubou a cena e que se destacou nos musicais da Broadway Mame e Gypsy e resolveu intermináveis assassinatos como a romancista policial Jessica Fletcher na série de TV Murder, She Wrote, morreu nesta terça, 11. Ela estava com 96 anos.

Lansbury morreu em sua casa em Los Angeles, segundo um comunicado de seus três filhos. Ela morreu cinco dias antes de completar 97 anos.

Lansbury ganhou cinco Tony Awards por suas performances na Broadway e um prêmio pelo conjunto da carreira. Ela recebeu indicações ao Oscar como atriz coadjuvante por dois de seus três primeiros filmes, À Meia Luz (1945) e O Retrato de Dorian Gray (1946), e foi indicada novamente em 1962 por Sob o Domínio do Mal e seu retrato mortal de uma agente comunista.

Seu comportamento maduro levou os produtores a escalá-la muito mais velha do que sua idade real. Em 1948, quando tinha 23 anos, seu cabelo estava com mechas grisalhas para que ela pudesse interpretar uma editora de jornal quarenta com um iene para Spencer Tracy em Sua Esposa e o Mundo.

Seu estrelato veio na meia-idade quando alcançou sucesso no teatro de Nova York, ganhando Tony Awards por Mame (1966), Dear World (1969), Gypsy (1975) e Sweeney Todd (1979). Ao retornar nos anos 2000, recebeu outra indicação ao Tony em 2007 por Deuce, de Terrence McNally, interpretando uma ex-estrela do tênis.

Em 2009, ela recebeu seu quinto Tony, de melhor atriz em um revival de Blithe Spirit, de Noel Coward, e em 2015 ganhou um prêmio Olivier pelo papel. Mas a maior fama de Lansbury começou em 1984, quando ela estrelou Murder, She Wrote na CBS.

Baseada vagamente nas histórias de Miss Marple de Agatha Christie, a série é centrada em Jessica Fletcher, uma viúva de meia-idade e ex-professora substituta que vive na vila costeira de Cabot Cove, Maine. Ela havia alcançado notoriedade como romancista de mistério e detetive amadora. A atriz achou a primeira temporada da série cansativa.

"Fiquei chocada quando soube que tinha que trabalhar de 12 a 15 horas por dia, incansavelmente", lembrou ela. "Tive que estabelecer a lei em um ponto e dizer 'olha, eu não posso fazer esse show em sete dias'".

A CBS e a produtora Universal Studio concordaram, especialmente porque Murder, She Wrote se tornou um sucesso de domingo à noite.

Apesar das longas jornadas - ela deixava sua casa em Brentwood, no oeste de Los Angeles, às 6 da manhã e voltava depois de escurecer _ e inúmeros diálogos para memorizar, Lansbury manteve um ritmo constante. Ela ficou satisfeita que Jessica Fletcher serviu de inspiração para mulheres mais velhas.

"Nos filmes, as mulheres sempre tiveram dificuldade em ser modelos para outras mulheres", observou. "Elas sempre foram consideradas glamourosas em seus trabalhos."

Na primeira temporada da série, Jessica usava roupas que eram quase desmazeladas. Então, adquiriu esperteza: Lansbury raciocinou que, como uma mulher de sucesso, Jessica deveria se vestir de acordo.

Murder, She Wrote permaneceu um sucesso até seu 11º ano. Então a CBS, buscando um público mais jovem para a noite de domingo, mudou a série para um horário menos favorável no meio da semana. Lansbury protestou vigorosamente sem sucesso. Como esperado, a audiência despencou e o show foi cancelado.

Como consolo, a CBS produziu longa-metragens com duas horas inspirados em Murder, She Wrote, além de outros especiais estrelados por Lansbury.

Últimas