Cinema e Séries Morre aos 59 anos o premiado diretor sul-coreano Kim Ki-duk

Morre aos 59 anos o premiado diretor sul-coreano Kim Ki-duk

Cineasta, considerado o primeiro autor sul-coreano de sua geração a ganhar projeção internacional, não resistiu após complicações da covid-19

  • Cinema e Séries | Do R7, com Agência Estado

Cineasta tornou-se assíduo nos grandes festivais

Cineasta tornou-se assíduo nos grandes festivais

PAVEL GOLOVKIN/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Antes de Park Chan-wook, Bong Joon-ho e Lee Chang-dong, houve Kim Ki-duk. Ele talvez tenha sido o primeiro autor sul-coreano de sua geração a ganhar projeção internacional. Tornou-se assíduo nos grandes festivais. Era considerado ousado, provocador —era.

Aos 59 anos, Kim Ki-duk estava em fase de mudança para a Letônia. Iniciara o processo para comprar uma casa e iria se transferir para a antiga república soviética. Ele tinha justamente um encontro agendado com um corretor. Não compareceu. Havia sido internado numa unidade de urgência de saúde. Foi vítima da covid-19.

Nascido numa família operária, Kim não teve uma formação especializada para se tornar cineasta. Estreou relativamente tarde, aos 33 anos. Foi premiado em Berlim e Veneza, participou da seleção de Cannes.

Ganhou admiradores para o forte conteúdo visual de seus filmes e a preferência por personagens marginais, em choque com as instituições. Entre seus melhores filmes estão A Ilha, Endereço: Desconhecido, Crocodilo, Primavera Verão Outono Inverno e Primavera, Samaritan Girl, Casa Vazia, O Arco, Sem Fôlego e Pietà.

Últimas