Cinema e Séries Morre atriz Jane Powell, estrela da 'era de ouro' de Hollywood

Morre atriz Jane Powell, estrela da 'era de ouro' de Hollywood

A artista tinha 92 anos e, segundo uma amiga, Powell morreu de causas naturais em sua casa em Wilton, Connecticut, nos EUA

Agência Estado - Variedades
Morre atriz Jane Powell, estrela da 'era de ouro' de Hollywood

Morre atriz Jane Powell, estrela da 'era de ouro' de Hollywood

Reprodução/Instagram

Jane Powell, a estrela de olhos brilhantes e voz operística dos musicais da era de ouro de Hollywood que cantou com Howard Keel em Sete Noivas para Sete Irmãos e dançou com Fred Astaire em Núpicias Reais, morreu na quinta-feira (16) em sua casa em Wilton, Connecticut, disse uma amiga de longa data, Susan Granger. Segundo ela, Powell morreu de causas naturais. Ela estava com 92 anos.

"Jane era uma amiga maravilhosa", disse Granger. "Sincera, honesta, não havia pergunta para a qual não quisesse uma resposta absolutamente verdadeira."

Granger era jovem quando conheceu a então adolescente Powell, que estreou no cinema em 1944, com Viva a Juventude, dirigido pelo pai de Granger, S. Sylvan Simon.

Ela se apresentou praticamente durante toda a sua vida, começando por volta dos 5 anos como uma cantora prodígio no rádio em Portland, Oregon. Na tela, ela rapidamente se consagrou com papéis adolescentes para produções musicais.

Sua escalação para Núpcias Reais, de 1950, veio depois de uma série desistências. June Allyson foi primeiro anunciada como a coestrela de Fred Astaire, mas desistiu quando ficou grávida. Judy Garland foi escalada, mas foi retirada devido a problemas pessoais. Jane Powell era a próxima da fila.

"Eles tiveram que dar o papel para mim", ela brincou, na época. "Todas parecem estar grávidas." Outras estrelas da MGM também estavam grávidas, como Lana Turner, Esther Williams, Cyd Charisse e Jean Hagen.

Powell tinha acabado de fazer 21 anos quando conseguiu o papel; Astaire tinha 50 anos. Ela estava nervosa porque não tinha experiência em dança, mas o achou "muito paciente e compreensivo. Nós nos demos bem desde o início".

Sete Noivas para Sete Irmãos provou ser um sucesso tardio, em 1954. "O estúdio achou que não renderia nada", ela lembrou, em 2000. "A MGM achava que A Lenda dos Beijos Perdidos seria o grande ganhador daquele ano. Não foi assim que aconteceu. Fomos nós que ocupamos o Radio City Music Hall, que sempre foi uma grande vitória." O famoso local de Nova York era um cinema na época.

O público foi dominado pelo canto vigoroso de Howard Keel e Powell e especialmente pela coreografia acrobática de Michael Kidd. Sete Noivas alcançou o status de clássico e resultou em uma série de TV e um musical na Broadway.

"Loira, pequena e bonita, Jane Powell tinha a quantidade necessária de coragem para interpretar a mulher que conseguia domar sete sertanejos", escreveu John Kobal em seu livro "Gotta Sing Gotta Dance: A Pictorial History of Film Musicals".

Depois de 13 anos na MGM, no entanto, Powell saiu do estúdio, argumentando que seria demitida "porque eles não iriam mais fazer musicais".

"Achei que teria muitos estúdios como opção", lembrou-se ela, em 2000, "mas não havia, porque ninguém queria fazer musicais. Foi muito difícil e bastante chocante para mim. Não há nada pior do que não ser desejado."

Ela encontrou um musical na RKO, Uma Aventura em Balboa, um remake de 1957 de Seus Três Amores. Além de alguns filmes menores, sua carreira no cinema acabou.

Nasceu Suzanne Lorraine Burce em Portland, Oregon, em 1928. Começou a cantar na rádio local quando era criança e, à medida que crescia, sua voz se tornou uma soprano clara e aguda.

Quando a família Burce planejou uma viagem para Los Angeles, uma estação de rádio perguntou se Suzanne gostaria de se apresentar em um programa de talentos da rede de lá. A garotinha com voz de duas oitavas e meia atraiu aplausos estrondosos com uma ária de Carmen e foi rapidamente contratada pela MGM.

Seu primeiro filme foi realizado por um produtor independente, Viva a Juventude, de 1944, no qual trabalhou com o comediante WC Fields (no final de sua carreira), além de Edgar Bergen e Charlie McCarthy.

O nome de sua personagem em Viva a Juventude era Jane Powell, e a MGM decidiu que esse seria o nome artístico a partir de então.

Depois que sua carreira no cinema terminou, o teatro musical ofereceu muito trabalho para uma estrela de sua proeminência e talento. Ela cantou em clubes noturnos, fez turnês em shows como A Inconquistável Molly e I Do! I Do! e substituiu Debbie Reynolds na série da Broadway de Irene.

Jane frequentemente aparecia na televisão, principalmente no papel de Judy Garland em uma nova versão de Agora Seremos Felizes.

Quando se aproximou dos 70 anos, Powell abandonou a carreira de cantora. "Não consigo atingir as notas altas e não serei uma profissional de segunda categoria", explicou, em 2000.

Ela mudou para o drama, aparecendo no teatro de Nova York em peças como Avow, retratando a mãe de uma filha solteira grávida e de um filho que queria se casar com seu parceiro.

Últimas