'Mulan' não terá exibição na maioria dos cinemas e irá para streaming

Decisão foi divulgada em meio a incertezas sobre quando grandes redes de cinema dos Estados Unidos poderão reabrir, em meio à pandemia

'Mulan' não será exibido na maioria dos cinemas

'Mulan' não será exibido na maioria dos cinemas

Reprodução/Cartaz Mulan

A versão live-action de Mulan, da Walt Disney, não será exibida na maioria dos cinemas do mundo e irá diretamente para a plataforma de streaming da empresa em setembro, informou a gigante da mídia nesta terça-feira.

A decisão foi divulgada em meio a incertezas sobre quando grandes redes de cinema dos Estados Unidos poderão reabrir, após terem fechado as portas em meados de março em razão da pandemia do coronavírus.

Mulan irá custar 29,99 dólares no serviço de streaming Disney+ nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e regiões da Europa Ocidental, informou o CEO da Disney, Bob Chapek, em um call com investidores, após a Disney ter divulgado o balanço trimestral.

O filme, que foi orçado em 200 milhões de dólares, será lançado em 4 de setembro nas salas de cinema dos países que não tiverem Disney+ e onde os cinemas estiverem abertos, acrescentou Chapek.

O longa estava programado para chegar aos cinemas em março, mas o lançamento foi adiado várias vezes, já que muitos cinemas permanecem fechados. Mais recentemente, estava agendado para estrear em 21 de agosto.

No mês passado, a Disney anunciou que estava adiando a estréia de Mulan indefinidamente enquanto avaliava suas opções.

Por Jill Serjeant e Lisa Richwine