Famosos e TV Emissoras ganham R$ 46 milhões em processo contra pirataria

Emissoras ganham R$ 46 milhões em processo contra pirataria

Cinco homens foram condenados pela Justiça da França após transmissão de eventos esportivos sem autorização

  • Famosos e TV | Do R7, com AFP

Canais investem milhões de euros no pagamento de direitos de transmissão de partidas

Canais investem milhões de euros no pagamento de direitos de transmissão de partidas

Reprodução/Instagram

A Justiça da França condenou cinco homens ao pagamento de 7 milhões de euros (cerca de R$ 46 milhões) pela operação de sites ilegais de streaming de esportes. De acordo com a decisão do tribunal correcional de Rennes, no noroeste do país europeu, o esquema teria provocado prejuízos milionários aos canais Plus, beIN Sports e RMC Sports. 

Os cinco foram condenados em junho, criminalmente, a seis meses de prisão e a multas de até 5.000 euros. Durante a audiência sobre interesses cíveis realizada em janeiro, as emissoras de televisão esportiva afirmaram que os danos causados pelo grupo ultrapassam a marca de mais de 91 milhões de euros (R$ 598 milhões) em danos morais e materiais. 

De acordo com a Advanced Television, a indenização definida pela Justiça representa "uma das maiores decisões financeiras emitidas por um tribunal francês em condenação por pirataria" e amplamente defendida pela indústria local do entretenimento. A publicação avalia que a ação seria um sinal claro dos esforços das emissoras no combate à pirataria. 

“Este julgamento envia uma mensagem vital e clara para toda a França de que os tribunais terão tolerância zero para a pirataria ou seus perpetradores”, afirmou Yousef Al-Obaidly, pesidente do beIN Sports France, para a AT. “A beIN tem liderado a indústria na luta contra a pirataria. Há anos alertamos contra o agravamento da pandemia da pirataria", completou. 

As empresas investem todos os anos milhões de euros no pagamento de direitos de transmissão de partidas, campeonatos e ligas esportivas. Os recursos são responsáveis pela manutenção de estruturas e ligas profissionais inteiras na França. Entretanto, com o crescimento de esquemas e sites ilegais, os canais estão cada vez mais ameaçados.

Últimas