Fotógrafo cria ensaio à distância para retratar quarentena

Marcelo Auge usa uma transmissão de vídeo para se conectar com os modelos do projeto "Em Casa"

Fotógrafo retrata como as pessoas estão encarando a quarentena

Fotógrafo retrata como as pessoas estão encarando a quarentena

Divulgação

Conscientizar as pessoas sobre a importância do isolamento social em tempos de pandemia tem sido uma tarefa desafiadora para que o novo coronavírus não se dissemine ainda mais pelo mundo. Com objetivo de chamar a atenção para o problema, o fotógrafo brasileiro Marcelo Auge criou um ensaio chamado Em Casa, no qual retrata como as pessoas estão encarando essa fase de recolhimento.

Auge conversou com o R7 e explicou como se dá essa fotografia. "Eu primeiro realizo uma vídeochamada com a pessoa. Coloco o meu celular aclopado a um tripé, e ai com uma câmera fotográfica eu faço um clique da tela do meu celular, que está transmitindo a imagem da pessoa", disse.

O que se tem, são fotos de pessoas alegres, tristes, pensativas, olhando para a câmera e fazendo piada. De tudo um pouco, disse o fotógrafo.

Projeto também visa trazer mais leveza nesse momento de tensão

Projeto também visa trazer mais leveza nesse momento de tensão

Divulgação

Marcelo contou que a única interferência dele na hora de clicar é ajudar na questão de enquadramento e luz. De resto, diz Marcelo, a pessoa fotografada tem total liberdade de se expor como ela bem entender dentro do contexto de como tem encarado o isolamento. "Dou alguns toques para a pessoa ter uma melhor desenvoltura, mas a alma da foto é a personalidade e a vontade da pessoa", explicou.

O repórter Tom Bueno, da Record TV, fotografou com a Amora

O repórter Tom Bueno, da Record TV, fotografou com a Amora

Divulgação

A primeira leva de cliques 'saiu do forno' esta semana."Elas estão servindo para divertir as pessoas e trazer um pouco mais de leveza nesse momento de tensão", disse. O trabalho também tem ajudado o fotógrafo a se distrair. "Tem sido dias tão corridos e tão cheios de demanda que é como se eu tivesse fora de casa. Assim mantenho a cabeça ocupada para aguentar firme essa situação", contou.

Marcelo afirmou que não tem pretensão de no futuro transformar o trabalho em livro ou exposição, eles apenas disse que torce para que a tal quarentena não dure muito. Mas garantiu que, enquanto as pessoas ficarem em casa, ele vai seguir fotografando, pois acredita que sua arte é de responsabilidade social ao consientizar pessoas para que elas fiquem em casa.