Famosos e TV Johnny Depp e ex-esposa Amber Heard voltam ao tribunal

Johnny Depp e ex-esposa Amber Heard voltam ao tribunal

Processo surgiu de um artigo de opinião escrito pela atriz e publicado no The Washington Post em dezembro de 2018

AFP
Caso entre Depp, de 58 anos, e Heard, de 35 anos, será transmitido ao vivo

Caso entre Depp, de 58 anos, e Heard, de 35 anos, será transmitido ao vivo

WILL OLIVER/EFE

Depois da exposição da vida privada em um julgamento midiático em Londres, o ator Johnny Depp e sua ex-esposa Amber Heard voltam ao tribunal nesta segunda-feira (11), desta vez nos Estados Unidos, por acusações mútuas de difamação.

O caso entre Depp, de 58 anos, e Heard, de 35 anos, será transmitido ao vivo. Ambos devem testemunhar, juntamente com os atores James Franco e Paul Bettany e o magnata Elon Musk, entre outras celebridades. 

O processo surgiu de um artigo de opinião escrito por Heard e publicado no The Washington Post em dezembro de 2018, no qual ela se descreve como "figura pública que representa a violência doméstica" e conta como foi assediada pela sociedade após denúncias de agressão. 

"Eu falei contra a violência sexual e enfrentei a ira de nossa cultura. Isso tem que mudar", diz o artigo. 

A atriz não cita em nenhum momento Depp, com quem foi casada de 2015 a 2017. Mas o ator a processou por difamação por insinuar que ele era um agressor e pede US$ 50 milhões em danos.

"A insinuação do editorial de que o Sr. Depp é um agressor doméstico é categórica e comprovadamente falsa. O Sr. Depp nunca abusou da Sra. Heard", diz o processo movido pelo ator.

Depp acusa Heard de buscar "publicidade positiva para si mesma" antes do lançamento do filme Aquaman, no qual ela teve um papel de protagonista.

Heard apresentou um contraprocesso e pediu US$ 100 milhões em indenização. Ela diz que sofreu "violência física desenfreada e abuso" nas mãos de Depp.

"O processo frívolo que o Sr. Depp moveu contra a Sra. Heard mantém esse abuso e assédio", diz o processo.

A seleção do júri começa nesta segunda em um tribunal do condado de Fairfax, nos arredores de Washington. 

Depp entrou com a ação no estado da Virgínia, onde o Washington Post é impresso. Neste estado, as leis contra a difamação são consideradas mais favoráveis aos queixosos do que na Califórnia, onde os dois atores moram. 

O julgamento, presidido pela juíza Penney Azcarate, deve durar várias semanas. As primeiras declarações poderão ser feitas na terça (12). Depp e Heard devem testemunhar pessoalmente, enquanto outras testemunhas podem testemunhar por vídeo. Possivelmente novos detalhes surgirão sobre a vida privada dos dois atores. 

A partir de 2016, Heard entrou com uma ordem de restrição contra Depp, em meio a alegações de abusos. O divórcio foi finalizado em 2017. 

Depp perdeu um caso em Londres no qual ele processou o tabloide The Sun por retratá-lo como um "espancador de mulheres". Seu pedido em apelação foi negado em março passado.

O julgamento revelou detalhes sobre o relacionamento explosivo do casal, incluindo a batalha de Depp contra as drogas e o álcool.

Heard afirmou que amava o Depp sóbrio, mas que ele se tornava um "monstro" depois de dias de farra com medicamentos prescritos e outras drogas. 

A carreira de Depp sofreu com o caso. Ele deixou seu papel como capitão Jack Sparrow na franquia Piratas do Caribe.

Depp também foi obrigado a abandonar a franquia Animais Fantásticos, baseada no livro de J.K. Rowling, autora de Harry Potter. Ele foi substituído por Mads Mikkelsen.

Últimas