'Jornal da Record' estreia série sobre vida de crianças em sete países

Durante três meses, repórteres do telejornal embarcaram numa jornada para conhecer as particularidades do universo infantil nesses locais

Série do 'JR' vai abordar infância em diversos países

Série do 'JR' vai abordar infância em diversos países

Reprodução/Record TV

O Jornal da Record estreia nova série de reportagens, que apresenta um retrato da infância em sete países diferentes, nesta segunda-feira (17). A educação brasileira será o tema do primeiro episódio. 

Durante três meses, correspondentes e enviados especiais do telejornal embarcaram numa jornada por estas nações para conhecer as particularidades do universo infantil nesses locais.

Da crise demográfica do Japão que fez reduzir drasticamente o número de crianças no país à rotina dos pequenos refugiados do Quênia, passando pelas convivência entre meninos judeus e palestinos em Israel, a série traz um amplo panorama de contrastes sociais e culturais em cada uma destas culturas.

Além dos escritórios internacionais, a série tem edição de Ivandra Previdi e contou com os repórteres Rodrigo Vianna (Brasil); Cintia Godoy (Japão); Herbert Moraes (Israel); Leandro Stoliar (Argentina); André Tal (Quênia); Heloísa Vilela (EUA)  e Ana Paula Gomes (Portugal)

De segunda a sexta, as reportagens definidas pela equipe tratam dos seguintes temas:

Brasil

O primeiro capítulo foi gravado em São Paulo, por Rodrigo Vianna. A reportagem mostra os impacto da desigualdade na educação a partir da história de dois meninos de 10 anos. Um vive na periferia de Caieiras, na Grande São Paulo, e estuda numa escola pública, o outro mora em um bairro de classe média da capital e frequenta uma escola particular. As diferenças entre os dois revelam um dos grandes problemas do Brasil. Mas, apesar de tudo, os dois sonham com a mesma profissão: ambos querem ser médico.

Japão

A população infantil japonesa hoje é tão pequena que não chega à metade da do número de idosos. Uma das maiores economias mundiais há anos enfrenta uma crise demográfica. A matéria de Cintia Godoy, mostra como vivem as crianças em Tóquio, uma das capitais mais movimentadas do mundo. Elas vão para a escola em fila, almoçam dentro da sala e depois limpam o espaço para voltar a estudar. 

Israel

Outra parte da reportagem foi gravada em Jerusalém, por Herbert Moraes. A equipe foi conhecer como é ser criança numa região em tensão permanente e dividida. A reportagem acompanhou dois meninos: um árabe e outro judeu, que, mesmo com suas diferenças culturais, se juntam no time de futebol e dizem que, dentro de campo, são todos amigos.

Argentina

A crise econômica, que começou na década de noventa, fez a pobreza disparar na Argentina. Nossos vizinhos vivem em estado de emergência alimentar, decretada pelo senado para obrigar o governo a ampliar as verbas. Nessa realidade, Leandro Stoliar mostra as crianças que sofrem com a desnutrição. A equipe acompanhou famílias que vivem ao redor de um “comedor”, um restaurante que distribui comida e é mantido por uma fundação, na grande Buenos Aires. Muitos fazem ali a única refeição do dia. E quando não há alimentos para todos, as crianças são prioridade. 

Quênia e Portugal

Como vivem as crianças num país europeu desenvolvido como Portugal e em um país africado pobre como o Quênia? Nesta reportagem, André Tal encontrou crianças que nasceram num campo de refugiados perto da fronteira do Quênia com a Somália. O futebol é a única opção de lazer no campo.

Apesar das dificuldades de acesso a informação elas falam do Brasil com carinho e mostram que conhecem alguns dos nossos jogadores. O repórter também visita uma zona rural para conhecer meninos e meninas que cuidam da plantação e dos animais. E em Portugal, Ana Paula Gomes vai a uma pequena aldeia onde as crianças vivem em liberdade. Ali, os alunos começam as aulas com meditação.

Estados Unidos

E Heloísa Vilela mostra a maior preocupação dos pais americanos atualmente neste episódio da série. Um instituto de pesquisas dos Estados Unidos concluiu que seis em cada dez vivem apavorados com a possibilidade de que os filhos sejam vítimas de massacres. A repórter visita uma família de Shelton, em Connecticut, distante cerca de 100 kms de Nova York. O distrito foi o primeiro a implementar um programa de treinamento para ensinar os estudantes a se proteger se alguém armado entrar na escola.

O Jornal da Record vai ao ar de segunda a sexta, a partir das 19h45.