Luisa Mell é acusada de racismo e se defende: 'Não sou inimigo'

Post com a frase 'Toda vida importa', feita no perfil do instituto da ativista, gerou polêmica por confrontar movimento 'Vidas Negras Importam'

Post de Luisa Mell gerou polêmica nas redes sociais

Post de Luisa Mell gerou polêmica nas redes sociais

Fotos de Reprodução/Instagram e Reprodução/Twitter

Luisa Mell causou polêmica nas redes sociais nesta quarta-feira (3). Tudo começou quando a loja do instituto que leva o nome da ativista publicou uma foto com a frase "Toda vida importa" , que confronta o lema "Vidas Negras Importam", utilizado nos protestos contra racismo nos últimos dias.

O nome de Luisa ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter e ela recebeu críticas e foi acusada de racismo por conta da publicação. "Se for pra se posicionar sendo desonesta e irresponsável desse jeito é melhor realmente ficar em silêncio", comentou uma internauta. "Essa mulher é um desserviço até para os animais", alfinetou outro.

Após a polêmica, Luisa disse, no Instagram, que o o perfil da loja do instituto foi hackeado e pediu ajuda para recuperar a conta. Em vídeo, ela também falou sobre o post que causou discórdia e se defendeu das críticas.

"As pessoas tem que se informar um pouco antes de querer criticar ou tentar cancelar uma pessoa que faz um trabalho como eu faço... Eu dedico a minha vida a realmente salvar vidas. Para começar, 'Toda vida importa' é uma campanha do Instituto Luisa Mell deste ano, quem me segue sabe que todos os nossos vídeos acabam com isso desde abril. E é o que a gente realmente acredita, toda vida importa", esclareceu antes de opinar sobre os protestos contra racismo.

"Eu fui uma das primeiras pessoas a se posicionar, mesmo perdendo muitos seguidores, bati boca com seguidores. Mas é o que eu sempre digo que fascismo e racismo a gente não discute, a gente combate. Por favor, não mudem a história, eu não sou o inimigo nesse movimento, muito pelo contrário, eu sou uma aliada."