Coronavírus

Famosos e TV Sabrina Parlatore revela sequelas emocionais após covid-19

Sabrina Parlatore revela sequelas emocionais após covid-19

'Evito ao máximo assistir às notícias sobre a pandemia, tento me distrair com filmes e séries', disse a ex-VJ da MTV 

'Em breve, vou fazer um  novo ecocardiograma para acompanhar a situação'

'Em breve, vou fazer um novo ecocardiograma para acompanhar a situação'

Reprodução/Instagram

Sabrina Parlotore, cantora e ex-VJ da MTV, faz parte das estatísticas de pessoas que contraíram a covid-19 no Brasil e tiveram sequelas preocupantes depois da infecção do vírus. Após o contágio, ela teve um derrame no coração e ainda convive com um zumbido no ouvido que a incomoda principalmente à noite, na hora de dormir. 

"Eu tive a covid-19 em abril desse ano. Peguei dentro de casa, durante uma live musical. Um dos músicos estava infectado e não sabia. Ele ficou o tempo todo de máscara, no entanto, eu tirei a minha para cantar", contou.

Nesse dia, eu achava que estava com falta de ar. Corri para o hospital superpreocupada, fiz exames e não deu nada no pulmão. Estava limpíssimo. Era ansiedade

Sabrina Parlatore

Os primeiros sintomas começaram a aparecer uma semana depois, com a perda do olfato e cansaço, relembrou Sabrina. Somente após o terceiro teste é que ela descobriu que tinha sido infectada. "Fiquei muito assustada. A gente não espera. A gente não acredita, até porque os dois primeiros exames que fiz tinham dado negativo. Liguei logo para a minha médica, que procurou me tranquilizar, dizendo que eu era saudável, que não tinha nenhuma comorbidade. Mas a gente fica insegura, né?", relatou.

O pico da doença se deu no oitavo dia. "Um peso louco, absurdo, que parecia que me puxava para baixo. Uma fraqueza, moleza nas pernas, neuropatia periférica (sensação de dormência) nas pontas dos dedos. Mas o pior era o cansaço. Nesse dia, eu achava que estava com falta de ar. Corri para o hospital superpreocupada, fiz exames e não deu nada no pulmão. Estava limpíssimo. Era ansiedade", relembrou. "Também passei por um cardiologista, quando, então, foi detectado um derrame no coração. Foi uma coisa pequena, mas, em breve, vou ter que fazer um  novo ecocardiograma para acompanhar a situação", acrescentou.

Naquele ano, tive várias crises de pânico

Sabrina Parlatore

perda do apresentador Rodrigo Rodrigues para a doença, em julho de 2020, ainda é algo que Sabrina procura superar. Os dois eram grandes amigos. "Foi inacreditável. Isso ainda mexe demais comigo. Naquele ano, tive várias crises de pânico. E não é só isso. A pandemia acabou potencializando uma série de coisas. Quebrei vários dentes, talvez pelo bruxismo que eu já tinha, apareceu ainda um zumbido no meu ouvido que incomoda principalmente à noite, na hora de deitar. Sem contar as sequelas emocionais."

É no pilates, na ioga e na meditação que Sabrina Parlatore tem procurado se equilibrar desde o começo da pandemia. A cantora e ex-VJ ainda deixou de assistir aos noticiários no canal aberto: "Evito ao máximo assistir às notícias sobre a pandemia, tento me distrair com filmes e séries".

Enquanto espera receber a segunda dose da vacina, programada para o fim de agosto, Sabrina  procura conscientizar as pessoas que ainda duvidam da doença. "A coisa ainda está violenta. A transmissão ainda é muito alta e a gente ainda vê muitas pessoas sem máscara na rua. Ainda achando que não é nada. As pessoas só começam a se ligar quando acontece com elas ou com pessoas próximas, é impressionante. Só aí que a pessoa acorda", concluiu. 

Últimas