Entretenimento Filho de autor de 'O Senhor dos Anéis' morre aos 95 anos

Filho de autor de 'O Senhor dos Anéis' morre aos 95 anos

Christopher Tolkien foi responsável por catalogar, editar e publicar trabalhos não terminados pelo pai antes de morrer, em 1973

Filho de autor de "O Senhor dos Anéis", Christopher Tolkien morre aos 95 anos

Christopher organizava  manuscritos do pai

Christopher organizava manuscritos do pai

Reprodução/Twitter Tolkien Society

Christopher Tolkien, filho do autor de "O Senhor dos Anéis, o escritor britânico J.R.R. Tolkien, morreu na quinta-feira aos 95 anos, informou a Tolkien Society em nota.

Christopher foi responsável por catalogar, editar e publicar trabalhos não terminados pelo pai antes de morrer, em 1973. Entre as principais obras organizadas pelo filho de Tolkien estão "O Silmarillion" e "Contos Inacabados". O livro mais recente lançado graças ao filho do escritor é "A Queda de Gondolin", de 2018.

O filho de Tolkien também desenhou muitos dos mapas que detalhavam a Terra Média, mundo fictício criado pelo escritor britânico para ambientar as histórias contadas em seus livros.

"O compromisso de Christopher com as obras do pai permitiu que viessem à luz dezenas de publicações", disse em comunicado a presidente da Tolkien Society, Shaun Gunner.

"Milhões de pessoas ao redor do mundo serão eternamente gratas a Cristopher por trazer para nós 'O Silmarillion', 'Os Filhos de Húrin', a série 'A História da Terra Média' e muitos outros. Perdemos um titã e sentiremos muita falta dele", completou Gunner.

O terceiro filho de Tolkien acumulava o trabalho de organizar os manuscritos deixados pelo celebrado escritor britânico com o de professor da Universidade de Oxford, onde lecionou língua inglesa entre 1964 e 1975.

"Ele revelou a grande visão de seu pai sobre uma mitologia rica e complexa ao editar 'O Silmarillion', abrindo uma janela para o processo criativo de Tolkien", destacou Dimitra Fimi, professora da Universidade de Glasgow.

Os livros de "O Senhor dos Anéis" foram adaptados ao cinema em uma trilogia dirigida por Peter Jackson, exibida em todo o mundo entre 2001 e 2003. Os filmes conquistaram 17 estatuetas do Oscar e receberam 33 indicações no total.

Em 2013, Christopher criticou a adaptação em rara entrevista concedida ao jornal francês "Le Monde". Para o filho de Tolkien, Jackson "tirou as vísceras do livro" para "transformá-lo em um filme de ação para pessoas de 15 a 25 anos".