Outer Space Chefe do PlayStation nega que o Japão esteja ficando em segundo plano com o PS5

Chefe do PlayStation nega que o Japão esteja ficando em segundo plano com o PS5

O CEO do PlayStation, Jim Ryan, reiterou que a empresa não está enfraquecendo suas atividades no Japão para focar recursos nos Estados Unidos, como foi sugerido por uma matéria recente da Bloomberg e reforçado pela saída de produtores importantes do Japan Studio ontem. A reportagem da Bloomberg afirmou que o Japão tem sido cada vez… O post Chefe do PlayStation nega que o Japão esteja ficando em segundo plano com o PS5 apareceu primeiro em Outer Space.

Outerspace
Chefe do PlayStation nega que o Japão esteja ficando em segundo plano com o PS5

Chefe do PlayStation nega que o Japão esteja ficando em segundo plano com o PS5

Outerspace

O CEO do PlayStation, Jim Ryan, reiterou que a empresa não está enfraquecendo suas atividades no Japão para focar recursos nos Estados Unidos, como foi sugerido por uma matéria recente da Bloomberg e reforçado pela saída de produtores importantes do Japan Studio ontem.

A reportagem da Bloomberg afirmou que o Japão tem sido cada vez mais “marginalizado” no planejamento promocional do PS5 e suas equipes de desenvolvimento locais estavam sendo reduzidas, à medida que a empresa dá mais importância ao mercado dos EUA.

Agora, em uma entrevista publicada na revista inglesa Edge, o chefe do PlayStation insistiu que os relatos de enfraquecimento da presença no Japão “são imprecisos”.

“A posição da Sony é que o mercado japonês continua sendo extremamente importante para nós”, disse Ryan. “Há muitos anos não estávamos tão entusiasmados com o envolvimento da comunidade japonesa de desenvolvimento de jogos como estamos agora”.

Ryan disse que houve um período de cinco anos entre 2010 e 2015, durante o qual as empresas de jogos japonesas se concentraram principalmente em jogos para celular, seguindo o comportamento do mercado local. Mas essa fase passou e os criadores japoneses se tornaram mais engajadas no desenvolvimento para consoles nos anos seguintes.

“Isso continua e se fortalece mais uma vez com o PS5”, disse Ryan. “Em nossos dois programas de lançamento – que apresentavam uma quantidade razoável de jogos, mas não um grande número de jogos – havia oito títulos desenvolvidos no Japão, muitos dos quais são objeto de colaboração e parceria entre o PlayStation e a comunidade editorial japonesa”.

“Também observei que estamos fazendo uma declaração ao lançar no Japão no mesmo dia dos EUA, e não é isso que fizemos com o PS4. Então eu li essas coisas. Muitos desses comentários são imprecisos, e o Japão – como nosso segundo maior mercado e pátria da Sony – continua sendo muito importante para nós”.

Esta semana, Keiichiro Toyama, diretor de Silent Hill e da série Gravity Rush, anunciou sua saída do Japan Studio da Sony para formar um novo estúdio chamado Bokeh. Ele foi seguido de outros veteranos do Japan Studio, indicando uma debandada de talentos.

Na geração do PS4, o SIE Japan Studio co-desenvolveu jogos como Bloodborne, Astro’s Playroom e The Last Guardian. Além deste, a Sony mantém o Polyphony Digital, responsável pela série Gran Turismo, como uma unidade de desenvolvimento bem estabelecida no Japão.

O post Chefe do PlayStation nega que o Japão esteja ficando em segundo plano com o PS5 apareceu primeiro em Outer Space.

Últimas